Dúvidas flex

A tecnologia bicombustível completou quatro anos em 2007. Desde 2003, muitas coisas mudaram, e a evolução está chegando aos poucos. Na primeira fase dos motores flex, a meta era o ganho de potência e desempenho. A fase que estamos agora está voltada para a melhora do consumo de combustível (finalmente!!!), mas sem a perda de desempenho, como podemos ver no motor 1.4 Econo.Flex da Chevrolet, considerado um dos primeiros propulsores da nova geração bicombustível.

Entretanto, mesmo com a ampla difusão dos carros que podem rodar com álcool, gasolina e com a mistura dos dois combustíveis, muitas pessoas têm dúvidas a respeito do abastecimento. Parte desta desinformação está relacionada às concessionárias e oficinas, que sempre dão “dicas” para ajudar o cliente. Mas estas dicas nem sempre são verdadeiras. Pensando nisso, o De 0 a 100 fez uma lista de mitos e verdades sobre os motores flex. Espero que isso possa ajudar.

MITOS

. No primeiro abastecimento de um carro flex 0 km, devemos sempre usar gasolina.
Mito porque o motor bicombustível foi construído para rodar com qualquer combustível, não importando a quantidade de álcool ou gasolina. Mas é importante que o tanque de partida a frio esteja abastecido com gasolina, de preferência aditivada, que tem a vida útil mais longa.

. É bom misturar álcool e gasolina ou alternar o abastecimento entre um tanque e outro de álcool e gasolina.
Mito. Como eu disse acima, os propulsores foram desenvolvidos para funcionar com qualquer um dos combustíveis e com a mistura de ambos.

. O sistema flex pode viciar se o carro for abastecido com apenas um dos combustíveis.
De acordo com alguns fabricantes, se o motorista preferir, ele pode abastecer o tanque do seu carro com apenas um dos combustíveis durante toda vida útil do carro. A Ford tem uma opinião um pouco diferente. Os motores possuem peças e componentes desenvolvidos especialmente para funcionar com os dois combustíveis, como sonda lambda aquecida; injetores de combustível com maior área de vazão; regulador de pressão com materiais especiais; kit bomba de combustível com proteção a corrosão e blindada; filtro de combustível especial para filtragem de álcool e velas de ignição com extensão de temperatura ampliada. Por isso, nunca compre esses chips que fazem a transformação do carro “monocombustível” para flex. Esse chip é PICARETAGEM!

. Carro flex demora mais para pegar, especialmente no frio, mesmo com “tanquinho” de partida a frio cheio.
Mito porque o sistema de partida a frio, quando abastecido de gasolina, de preferência aditivada (Podium é a mais indicada), resolve o problema. Quando o reservatório está vazio, e o carro abastecido com álcool, realmente o modelo pode ter dificuldade para pegar. O “tanquinho” evita que o veículo use e abuse da bateria para pegar. Vale a pena verificar periodicamente o volume de combustível no reservatório de partida a frio para evitar problemas, especialmente se você roda só com álcool.

VERDADES

. Ao trocar de combustível, é preciso rodar um pouco com o carro antes de desligar o motor.
É verdade. A central eletrônica do sistema flex precisa de um tempo para “se entender” e reconhecer o novo combustível que está no tanque. A recomendação é que o motorista rode cerca de 6 km para o sistema entender as mudanças e definir as melhores condições de queima do combustível.

. Se eu for a um posto de combustível que eu não conheço e confio, devo optar pelo álcool.
Isso é verdade. O tipo de adulteração mais comum do álcool é a adição de água, que prejudica menos o motor em relação à adulteração da gasolina, que costuma ganhar solventes estranhos.

. A gasolina que fica no “tanquinho” de partida a frio fica velha.
É verdade para alguns modelos e mentira para outros. Nos motores flex da Honda, por exemplo, toda vez que o carro é ligado, o sistema usa um pouco da gasolina do sistema de partida a frio. Desta forma, o “tanquinho” está sempre recebendo gasolina nova periodicamente. Já para os líderes de mercado, Gol e Palio, o motorista deve sempre abastecer o reservatório de partida a frio com gasolina aditivada, de preferência a Podium, que é mais limpa e que tem maior validade (cerca de um ano) do que a gasolina comum (aproximadamente 90 dias). Mas é sempre interessante limpar o reservatório duas vezes por ano.

Comentários (4)

  1. marcelo tenho uma duvida sobre esse assunto:o uso constante do alcool no motor flex coroe algumas pecas motor, e se isso acontece qual e o motivo.pois existem carro que nao sao fle x mais sao a alcool e alguns mecanico dizem que o uso consta nte de alcool isso e uma verdade ou mito
    20/11/2007 23:42 | welington

    Olha, meu Pálio 1.4 2006, tá mais envenenado do que nunca, p rovando que tanto a gas ou álc fazem o mesmo efeito. Confes so que fiquei um pouco cismado na primeira vez, mas tá tu do certo, Um abraço!!!
    20/11/2007 19:49 | Marcos Aurélio

    Oi Ettore. Infelizmente não tenho controle sobre esses anúnc ios do Google que aparecem no meu blog. Já fiz um pedido for mal a eles para retirarem esta propaganda de picaretagem. Vo u reforçar o pedido o mais rápido possivel. Um abraço
    20/11/2007 19:46 | Renato Parizzi
    http://www.dezeroacem.com.br

    Se a gasolina Brasileira contem 25% de álcool, então todo mu ndo que tem carro flex, está pagando, em cada 10 litros de g asolina, 2,5 litros de álcool a preço de gasolina. Isso é um roubo!
    20/11/2007 19:37 | Eduardo

    Prezado Renato, Gostaria de f azer uma observação. Voce disse que chip para conversão é pi caretagem. Também penso desta forma, mas existe um link patr ocinado em sua página de um fornecedor destes chips. Sds
    20/11/2007 19:26 | Ettore

    Oi Marcelo. Não tem problema fazer isso. O motor flex foi de senvolvido para rodar com qualquer combustível, não importan do a proporção de álcool ou gasolina.
    20/11/2007 17:21 | Renato Parizzi
    http://www.dezeroacem.com.br

    gostaria de saber se tem problema, quando o tanque tem uns 30 litros de alcool ou gasolina, eu coloco uns 20 litros de outro combustivel, deferente do que tinha no tanque. É errad o fazer isso ou nâo tem problema
    20/11/2007 16:47 | marcelo

  2. Bem, O problema não esta na gasolina nem no álcool. O probl ema esta nos carros nacionais que são umas carroças!!! Meu i rmão tem um Punta na espanha desde 2000 e o carro faz mas de 13km/L. sem falar nos 206 movidos a diesel que são bastante s economicos. O négocio das montadoras nacionais é passar o trouxa brasileiro para tras.
    22/11/2007 05:52 | Alexandre Luiz

    invensao pode ate ser a melhor e unica. A proposito o que se ria esta palavra?
    22/11/2007 04:26 | Corrigindo Gustavo

    A melhor invensao do mundo foi o carro flex, tenho um Siena 2005 1.3 e ele faz 10.5 com alcool e 13 com gas. não posso r eclamar, meu antigo carro um palio 1.0 fazia 10 com gas.
    21/11/2007 22:05 | Gustavo

    Esses carros flex foi uma das piores invenções que ja ví, o consumo é um absurdo mesmo sendo um carro 1.0, alguem já viu um carro 1.0 fazer 7 km com um litro de álcool na estrada? pois é o meu fez isso um dia desses que viajei, e quase fiqu ei no prego, o carro bebeu 51 litros de álcool e não rodou 4 00km fiquei muito decepcionado.
    21/11/2007 14:00 | Wesley

    interessante
    21/11/2007 09:17 | roberto

    Olá marcelo, Tenho um MILLE FIRE FLEX, 2007, no álcool ele bebe demais, da dentro da cidade entre 7 ou 8 km por litro, quando misturo 50% de alcool e 50% de gasolina ele da 11 km por litro, ainda não tentei com a gasolina apenas, por que esta cara demais, há uma explicação para este alto consumo? Alexandre
    21/11/2007 08:59 | ALEXANDRE

  3. tenho um peugeot sw 1.6 feline flex e ela bebe mais que eu!! ! dá 5,5 km por açcool na cidade e uns 7 km c/ gasolina na c idade cruiz credo!!!!
    22/11/2007 17:13 | cicinho

    tinha uma montana e com 50000 teve que fazer cabeçote do mot or por desgastes nas vauvulas i este tal de flex e uma fria que nos brasileiros temos que engolir.
    22/11/2007 10:50 | silvio zacaroni

    put’s tao empurrando o futuro do combustivel no brasil para maos da petobras…pra mim f.d.p de empresa,,,bate recorde d e producao e ainda pagamos caro po resse lixo de gasolina… europa ja esta apsotando em hidrogenio..isso sim vai ser com bustivel do futuro…e nois aqui pagando caro nesse lixo de combustivel…e sem falar que ecologicamente a producao de c ana…desmatar cada fez mas areas…gasto com agua…queima do canivial=poluição…aumento do trabalhadores de canaviais …quase escravos…af
    22/11/2007 10:49 | Daniel – abre o olho

    Bom ainda nao tenho um flex,porém acho que o maior problema nacional é o nosso combustível que se comparadado com o da Europa e de péssima qualidade.Dessa forma não há flex que ag uente. -Povo brasileiro chega de comer resto das industrias temos que exigir o melhor. Cleiton-Brasilia-df
    22/11/2007 10:08 | cleiton silva

    Tenho um uni mille fire 2007/2008 e ele está fazendo 11km co m álcool e 16/17km com gasolina.Adoro meu carro e além disso , ele é muito potente para 1.0
    22/11/2007 09:24 | Maria Altair

    Creso Nolasco, Fortaleza/Ce,Av. Eng.Leal Lima Verde,nº2471, tenho um Fiesta 1.6, flex, é um grande veículo só uso álcool , entretanto segundo o manual pág-13-3 ‘’ como boa prática para otimizar a performance do motor é recomendá vel abastecer o veículo com gasolina aditivada pelo menos um a vez a cada 10.000km rodados ou antes de cada revisão perió dica’’. Entretanto a afirmação de abastecer a ca da 5Km, segundo a Ford não é verdadeira. ‘’A vel ocidade média para realizar as medições de consumo rodoviári o é de 90 km/h com variação de + – 10 km/h e para consumo ur bano é de 25 km/h com variação de +- 5 km/h. Além disso, os pneus são calibrados conforme recomendação do fabricante do veículo, os vidros fechados e o sistema de ar condicionado, quando existente, desligado. A velocidade máxima admissível do vento é de 4 m/s e a temperatura ambiente máxima admissív el de é 35°C. A incerteza dos resultados é de + – 5%. &#8216 ;’ Esta media é ficção usuário de um veículo não vai a ndar a 20Km/h, com os vidros fechados e o ar condicionado fe chado, é coisa de revistas para manipular resultados e não f alar a verdade para os Cidadãos.
    22/11/2007 08:35 | Creso Nolasco

  4. A simples conta do valor do alcool ser 70% do valor de gasol ina é errada. O importante é calcular o quanto se anda com R $ 1,00, ou seja Km/R$. Pra isso tem que dividir a autonomia que o carro teve com a mistura de alcool com gasolina, Km/L, pelo valor médio do Litro de mistura abastecida, R$/L, tipo (valor total abastecimento) / (total litros abastecido). As sim, descobri que meu palio anda mais por menos qdo abasteci do com 41% de gas e 59% de alcool se o alcool estiver com o preço acima de 70% do gas. E se tiver abaixo dos 70%, tem qu e ver a autonomia que está fazendo, no meu caso só compensou abastecer somente com alcool qdo esse tá com o valor abaixo dos 65% do valor do gas. Mas nunca abasteço só com gasolina . É prejuízo certo, pois o valor da gasolina não justifica a autonomia que faz. Além disso, segundo uma reportagem de es pecialistas no assunto, abastecer com a mistura e andar pelo menos 6Km qdo sai do posto ajuda a ensinar a central de inj eção eletrônica a queimar melhor essa mistura e isso aumenta a autonomia, o que é verdade! Quem fizer planilha eletrônic a pra controlar os abastecimentos verá claramente o que digo e saberá de ante-mão quando deve ser abastecido na próxima. Valeu!!!
    22/11/2007 22:55 | Luciano

    Tenho 1 polo sedan 1.6 flex ele da 7 com alcool 10 gasolina fiz o teste de encher o tanque meio a meio deu en torno 8.5 por km na cidade e 12 na br . com o alcool no valor de 1.40 da p´/ fazer isto mas se aumentar não compen sa , então quem comprar 1 carro novo que não seja flex na ho ra da revenda vai ter 1 pouco de dificuldade, a aquestão é se tem a tecnologia por que não usala…
    22/11/2007 17:49 | paulo sergio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *