Volkswagen Fox “guilhotina” – parte 2

Arte sobre foto de Volkswagen/Divulgação

A Revista Quatro Rodas já havia alertado sobre o problema para o rebatimento do banco traseiro do Fox em agosto de 2006. Mas o técnico em química Gustavo Funada perdeu parte do dedo em 2004. Depois de quatro anos (antes tarde do que nunca), finalmente alguma coisa está sendo feita. É interessante o fato da Volkswagen estar instalando, a partir de hoje, uma peça adicional para o sistema de rebatimento do banco traseiro, uma vez que, na semana passada, a montadora disse, em nota oficial, que o mecanismo era seguro. Como perguntei no  post anterior , vale responder que foram necessárias (no mínimo) oito mutilações para que algo fosse feito.Além dos processos que a montadora está “levando”, a mídia bateu forte no caso. De acordo com a Agência Brasil, o Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), do Ministério da Justiça, está investigando problemas no sistema de rebatimento do banco traseiro. Se a falha no Fox for comprovada, a Volks pode ser multada em até R$ 3 milhões. De acordo com o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), de São Paulo, a Volkswagen foi notificada na última sexta-feira com o pedido de explicações sobre a ocorrência. O Procon paulista também já notificou a VW e estabeleceu prazo até esta quinta-feira (14/02) para que a empresa apresente documentos comprovando a segurança e descartando a existência de falhas no mecanismo.

Vídeos do Youtube 

 
Matéria da Globo News 

 

A Volkswagen até publicou um vídeo explicando como rebater o banco


Mas, depois de toda esta história, sendo considerada culpada ou não, fica realmente a impressão de que as vendas do carro vão cair e que a imagem da VW vai ficar arranhada por um tempo. Mas precisamos esperar para ver o que acontece…

Pergunto:
1. Você compraria um Fox?
2. Será que este caso vai derrubar as vendas do Fox? E dos outros carros da Volkswagen?
3. Será que as atitudes tomadas pela Volks foram suficientes para manter a sua imagem intacta? 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *