Chevrolet Meriva: antes tarde do que nunca!

Fotos: Chevrolet/Divulgação

Finalmente uma mudança muito bem-vinda para o Chevrolet Meriva, modelo que “chorava” por uma alteração há muito tempo. A adoção do motor 1.4 Econo.Flex tornou o monovolume uma opção mais interessante, já que ele duas versões com o propulsor 1.4 mais potente da categoria: 105 cv com álcool e 99 cv com gasolina – os concorrentes têm 80/83 (Fit) e 80/81 cv (Idea). Não dirigi o carro, mas provavelmente ele deve ter também o melhor desempenho entre os monovolumes 1.4.

Interessante a aposta da Chevrolet em oferecer o Meriva 1.8 Flexpower apenas com câmbio manual automatizado Easytronic. Não tenho os números de vendas das versões do carro, mas esta decisão deve ter sido baseada em números do mercado. Pena que a dupla de câmbios Dualogic/Easytronic seja tão “truncada”, sem trocas suaves até mesmo no modo automático.

Em relação às mudanças estéticas, elas deixaram o Meriva um pouco melhor. Mas o visual continua cansado. Embora esta avaliação seja subjetiva, não estou dizendo que o Meriva é feio, mas, assim como aconteceu com o Corsa, a Chevrolet poderia ter alterado um pouco mais as linhas do monovolume, para deixá-lo mais bonito e moderno.

Sobre às versões de acabamento do GM, vale fazer um comparativo entre as versões 2009 e 2008:

. Joy 1.4 2009 – R$ 45.790 X Joy 1.8 2008 – R$ 45.256
. Maxx 1.4 2009 – R$ 47.790 X Maxx 1.8 2008 – R$ 53.205
. Expression 1.8 Easytronic 2009 – R$ 48.204
. Premium 1.8 Easytronic 2009 – R$ 50.740 X Premium 1.8 Easytronic 2008 – R$ 54.983
. SS 1.8 Easytronic 2009 – R$ 51.840 X SS 1.8 manual 2008 – R$ 54.410

Analisando os valores, o Meriva ficou com motor mais fraco e mais caro na versão Joy, a de entrada. Em compensação, as versões Maxx, Premium e Super Sport (SS) ficaram mais baratas. Bom para o consumidor. Acho que a GM conseguirá aumentar e atingir a sua meta de aumento de 4% na sua participação no segmento, como ela anunciou no lançamento do carro – de 26% para 30%.

Adversários
Pensando agora nos três veículos do segmento, na minha opinião, o Honda Fit é disparado o melhor da categoria. É um carro moderno, com ótimos motores (1.4 tem desempenho razoável e excelente média de consumo e 1.5 tem bom desempenho e boa média de consumo), excepcional aproveitamento do interior, com bom espaço para os ocupantes e para a bagagem (graças à modularidade dos bancos) e com a confiabilidade Honda. Falta ao carro um acabamento mais caprichado e luxuoso.

Porém, o Fit vai começar a sofrer um pouco com o aumento de preços quando a sua nova geração for lançada. Segundo uma fonte, o modelo vai ficar de 5% a 5,5% mais caro em novembro/dezembro. Com o New Fit devem chegar os motores 1.4 e 1.5, ambos flex, mais potentes (informação ainda não confirmada); em contra partida, o ótimo câmbio CVT deve dar adeus ao mercado, já que ele não equipa nenhum modelo Honda com propulsor bicombustível. A solução da montadora japonesa será adotar uma transmissão automática tradicional, de cinco marchas.

O novo Fit deve continuar na liderança do mercado. Isso porque o Idea mudou muito pouco para a linha 2009 e não deve incomodar. Embora seja a mais barata da categoria (R$ 42.590), a versão ELX 1.4 é fraca e pouco equipada. Depois dela vem a HLX 1.8, que tem melhor desempenho e mais equipamentos. O problema é a lacuna de valores, já que a HLX custa R$ 51.340, uma diferença de R$ 8.750 em relação à ELX.

Exatamente neste buraco que a GM está atacando com a linha 2009 do Meriva. O Idea tem ainda a versão mais requintada Adventure, com visual “off-road” e bloqueio eletrônico de diferencial Locker, que custa salgados R$ 55.790. A Fiat precisa estudar bastante a próxima mudança do carro, já que ele não tem boa relação custo/benefício, nem motores modernos, com bom desempenho e boa média de consumo. A prevista opção do câmbio Dualogic ajudará apenas um pouco a aumentar a competitividade do modelo.

Por último, o Meriva deve incomodar o carro da Fiat bem mais, mas não deve tirar o Fit do trono. O Chevrolet ficou bem mais competitivo com a linha 2009. Mas isso ainda não será suficiente para ele assumir a ponta. Acho que a versão Joy poderia ficar mais barata com motor 1.4, ao invés de mais cara, como aconteceu. De qualquer forma, no buraco de valores entres os Idea ELX e HLX, o Meriva tem quatro versões disponíveis, com duas opções de motor e câmbio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *