Chevrolet lança Vectra GT Remix… melhor e ainda a tempo

Se as boas mudanças do Vectra Next Edition chegaram tarde demais, permitindo até a criação do maldoso apelido “Vectra Last Edition” para o sedã, as alterações chegam em boa hora para o Vectra GT, que não enfrenta concorrentes japoneses de peso (Civic e Corolla) no seu segmento. Quem lidera o mercado de hatches médios no Brasil é o Astra. Porém, o veterano modelo da Chevrolet estão passando por problema, já que Golf e Focus começam a alcançá-lo de forma mais ameaçadora.

Em 2009, foram vendidos 3.126 Astras (1.910 de janeiro + 1.216 de fevereiro). No primeiro mês do ano, ele foi o líder absoluto. Porém, caiu para terceiro em fevereiro. Ford Focus foi o responsável por 2.595 unidades vendidas em 2009, sendo 1.363 em janeiro e 1.232 em fevereiro. O Golf, líder em fevereiro com 1.293, está em terceiro lugar no ranking de 2009, com 2.433 (1.140 em janeiro). Peugeot 307 vem em quarto com 2.137 (1.011 + 1.126), com o Stilo em quinto, com 1.606 unidades vendidas em 2009 (794 + 812). O Nissan Tiida está em sexto com 1.070 modelos vendidos (554 em janeiro + 516 em fevereiro) e, finalmente, o Vectra GT está em sétimo, com 966 unidades comercializadas em 2009, sendo 686 em janeiro e 280 em fevereiro. Na prática, o modelo estaria em sexto, já que o mês de fevereiro serviu para limpar o (pequeno) estoque da linha 2008 e para preparar terreno para a chegada do Vectra GT Remix em março.

As alterações realmente chegaram em boa hora para o Vectra GT. Ele nunca conseguiu superar o Astra no coração dos amantes de hatches médios da GM. Mecanicamente, eles são praticamente o mesmo carro. Porém, o Vectra GT é mais caro, tem porta-malas menor, anda menos e bebe mais (por ser mais pesado). Além disso, ele não é muito mais equipado que o Astra.

Preços
Com a chegada da linha 2009 do modelo, batizada de Remix (bem melhor do que Next Edition), a Chevrolet tenta melhorar as coisas para o lado do Vectra GT. Os preços das versões são: R$ 56.034 (GT) e R$ 64.134 (GT-X). Em alguns mercados, o modelo ficou mais barato, como São Paulo. De acordo com o site iCarros, a linha anterior custava, respectivamente, R$ 57.784 e R$ 66.284. Porém, em Minas Gerais, a versão GT ficou mais cara. A linha vendida até o início desse ano tinha preço sugerido de R$ 55.042. Já a GT-X custava os mesmos R$ 66.284 do mercado paulista. A GM espera vender 13 mil unidades até o final do ano, sendo 70% de GT e 30% de GT-X.

Confesso que eu esperava um corte mais generoso de preços. Como o Vetra GT sempre vendeu pouco, a estratégia da GM foi agregar valor ao modelo com a nova linha Remix. Mesmo assim, a versão GT poderia custar R$ 51.990; e a GT-X R$ 58.990. Aí sim o modelo poderia brigar de forma bem mais competitiva com os concorrentes em relação ao custo/benefício. Ou os preços poderiam ser os mesmos anunciados, mas com as versões mais bem equipadas (o GT com airbag duplo, ABS e EBD de série, por exemplo).

Internamente, os bancos são novos, mais espaçosos e com tecidos de melhor qualidade. O modelo tem também novos porta-objetos, o que aumenta a versatilidade interna. O velocímetro e o conta-giros agora têm fundo preto, com uma borda branca, para destacar os números. Na versão GT-X, ainda há um detalhe em laranja próximo aos ponteiros. Porém, ele continua só marcando de 20 km/h em 20 km/h, o que pode não agradar todo mundo – eu prefiro de 10 km/h em 10 km/h (maneira tradicional).

Equipamentos
Além disso, o modelo tem, finalmente, som que reproduz MP3 com entrada para SD Card, conexão auxiliar para iPod e Bluetooth (conexão de telefone celular). O melhor: este é um equipamento de série para toda linha GT e GT-X.

Vale citar ainda que o Vectra GT pode ser equipado com computador de bordo, sensor de chuva, controle do sistema de som com comandos no volante, retrovisor externo escamotável, airbag duplo frontal, freios com sistema ABS e EBD (distribuição da frenagem nas rodas), crash-sensor (em caso de colisão, as portas se destravam automaticamente) e pedais desarmáveis em caso de colisão frontal.

Visual remixado
Na parte visual, o capô tem novo formato e os faróis, também com novo desenho, vêm com iluminação Blue Vision e máscara negra. A grade do radiador possui uma barra na cor do veículo, com moldura cromada e a nova identidade global, que destaca o atual ‘DNA da Chevrolet’. Os retrovisores externos são pintados na cor do veículo e têm indicadores de direção (setas) incorporados. A versão GT-X conta ainda com a luz externa de cortesia, que ilumina o solo próximo a porta do motorista e auxilia a visibilidade dele em ambientes mais escuros. Na traseira, o Vectra GT/GT-X Remix tem lanternas fumê e vermelha com molduras cromadas e nova gravata global da Chevrolet. As rodas aro 17 polegadas também têm novo design.

Confusão de números: desempenho e consumo
Debaixo do capô está outra atração do Vectra GT Remix: a versão atualizada do motor 2.0 8V Flexpower que, segundo a Chevrolet, além de mais potente, está em média 4% mais econômico e menos poluente. O propulsor desenvolve agora 133 cv com gasolina (contra 121 cv do anterior) e 140 cv com álcool (versus 128 cv do antecessor) – valores que eu adiantei há algum tempo (aqui, aqui e aqui). O torque com o combustível fóssil também melhorou, subindo de 18,3 kgfm para 18,9 kgfm a 2.600 rpm. Com o derivado da cana-de-açúcar a melhora foi mais discreta: de 19,6 kgfm passou a 19,7 kgfm (superior ao Civic Si).

O Vectra GT manual atinge a velocidade máxima de 190 km/h quando abastecido com álcool e 187 km/h com gasolina, e acelera de 0 a 100 km/h em 10,2 segundos, com etanol, e 10,5 segundos, com gasolina.

Porém, se o carro em média 4% mais econômico (muito pouco diga-se de passagem), como os números de consumo estão piores do que da linha anterior? Veja a diferença de acordo com os números divulgados pela própria Chevrolet:

Vectra GT 2008 Manual (cidade, estrada e média de acordo com a GM)
Gasolina (km/l) – 11,2 / 14,8 / 12,8
Álcool (km/l) – 7,4 / 10,5 / 8,8

Vectra GT Remix Manual (cidade, estrada e média de acordo com a GM)
Gasolina (km/l) – 10,6 / 15,5 / 12,3
Álcool (km/l) – 7,5 / 10,8 / 8,7

Vectra GT 2008 Automático (cidade, estrada e média de acordo com a GM)
Gasolina (km/l) – 10,3 / 15,0 / 12,4
Álcool (km/l) – 7,5 / 10,5 / 8,9

Vectra GT Remix Automático (cidade, estrada e média de acordo com a GM)
Gasolina – 10,1 / 14,7 / 11,8
Álcool – 7,0 / 9,6 / 8

Achei realmente curioso os números de consumo divulgados. Com gasolina e câmbio manual, o Vectra GT Remix melhorou apenas na estrada. Com álcool e câmbio manual, a melhora aconteceu na cidade e na estrada, embora a média divulgada pela GM tenha sido inferior. Com transmissão automática, tudo piorou. Assim como no Vectra Next Edition, vale lembrar que o câmbio é o tradicional e pouco moderno automático de quatro marchas. Ainda acredito que a GM tenha aproximado (mesmo que só um pouco) os números de consumo que ela conseguiu com valores reais encontrados pelos motoristas comuns.

Prisma 1.0
Mudando um pouco de segmento, muito em breve a Chevrolet vai lançar o Prisma com motor 1.0 VHCE. A versão de entrada, Joy, vai custar na casa de R$ 28.000. Já a Maxx terá o preço inicial sugerido de R$ 29.500 (com direção hidráulica). Completo, o Prisma Maxx 1.0 deve sair por uns R$ 34.000. A GM está realmente fazendo de tudo para melhorar as vendas, já que a montadora estacionou no terceiro lugar, desde a chegada do novo Gol e do Voyage (antes ela brigava com a Volkswagen pela vice liderança. Agora a VW briga com a Fiat pela ponta). As mudanças do Prisma também preparam o terreno para a chegada do projeto Viva.

Fotos: Chevrolet/Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *