Renault Symbol é bom, mas poderia ser melhor

Renault-Symbol
Finalmente o substituto do ultrapassado Clio Sedan (que sai do mercado sem deixar muitas saudades) vai ser lançado: Renault Symbol. Embora muito proprietários adorassem o Clio, a verdade é que o modelo nunca caiu realmente nas graças do brasileiro. Seu principal problema era o visual, que sofria com a crônica falta de harmonia entre dianteira e traseira.

Já o Symbol, considerado pela Renault um sedã compacto premium, é mais bonito e bem feito, mostrando uma real evolução e melhora em relação ao Clio Sedan – com exceção do espaço interno, que continuou ruim. Mas será que ele vai dar certo? Faço a pergunta porque acho que a Renault perdeu uma chance de ouro de derrubar a concorrência.

Digo isso porque já estou pensando nos futuros lançamentos, como o distante “novo Siena”, o sedã substituto do Corsa Sedan e o Honda City (a versão mais simples deve concorrer com o Symbol completo). Fico com a impressão do Symbol ser excelente para o agora, sem muitas pretensões para o futuro; ou de ser um novo carro ultrapassado. Mas aí eu me lembro do Logan e a minha impressão praticamente desaparece.

Renault-Symbol

Tudo bem que a relação custo/benefício parece interessante. Veja: você paga R$ 41.190 na versão Expression e leva um carro 1.6 16V flex, com ótimo porta-malas (506 litros de capacidade), e com ar-condicionado, direção hidráulica, vidros elétricos dianteiros, airbag duplo, volante e banco do motorista com regulagem de altura, sistema CAR (travamento automático das portas quando o carro atinge 6 km/h), brake light, bolsas do tipo canguru atrás dos bancos dianteiros, alarme perimétrico, desembaçador de vidro traseiro e mais alguns itens. Se quiser, você pode pagar mais R$ 800 por computador de bordo e rádio CD-Player MP3 com comando satélite na coluna de direção. Por mais R$ 1.500 você leva os freios ABS. E não podemos esquecer da pintura metálica, que quase todo mundo compra (+ R$ 850). Total: R$ 44.340.

Por que então não levar a versão Privilege que, além dos equipamentos da Expression, ela vem equipada com ar-condicionado digital, computador de bordo, retrovisor externo com regulagem elétrica, banco com revestimento em veludo, manopla do câmbio revestida em couro, rádio CD-Player MP3 com comando satélite na coluna de direção, volante com revestimento em couro com aro interno cromado, faróis de neblina, maçanetas externas de alumínio e rodas de liga leve de 15″. Ela custa R$ 44.490. Com mais R$ 850 você leva a pintura metálica e com R$ 1.500 você paga os freios ABS. Total: 46.840.

Renault-Symbol

Boa ideia!

Agora pense comigo. Imagine o Symbol Expression com preço inicial R$ 1.200 reais mais baixo (R$ 39.990) e o Privilège R$ 1.500 mais em conta (R$ 42.990), com os mesmos equipamentos. Some a isso o fim da versão Privilège 1.6 16V do Logan (que custa a partir de R$ 40.190) e abaixe um pouco o preço do restante da linha Logan. A Renault agitaria o mercado de sedãs compactos e sedãs compactos Premium de uma forma que atrapalharia todas as outras marcas, especialmente a Chevrolet, que domina o segmento com modelos ultrapassados.

Concorrentes

Falando na concorrência, veja porque o Symbol mais barato poderia derrubar os adversários. Os principais concorrentes são Peugeot 207 Passion XS 1.6 16V, Fiat Siena HLX 1.8, Ford Fiesta Sedan Pulse 1.6, Volkswagen Voyage 1.6 Comfortline (R$ 37.610) e Polo Sedan 1.6 (R$ 43.310). Embora seja um bom carro, o Chevrolet Corsa Sedan está fora da disputa pela defasagem. Ele vende razoavelmente bem, mas é muito mal equipado e tem apenas motor 1.4. Também não vou publicar os detalhes dos dois da Volks por causa do causa da desorganização e pouca funcionalidade do site da VW.

Renault-Symbol

O Fiat Siena HLX 1.8 básico, preto sólido, tem preço sugerido de R$ 43.300 e já vem com direção hidráulica, ar-condicionado, bancos e painéis de porta revestidos em veludo, banco do motorista e volante com regulagem de altura, computador de bordo e vidros dianteiros elétricos.. Equipado com airbag duplo, ABS (kit HSD) e pintura metálica, o preço sobe para R$ 47.080.

Já o Paugeot 207 Passion XS 1.6 16V é um caso a parte. Ele tem preço sugerido de R$ 44.800 (branco sólido) e já vem equipado com faróis de neblina dianteiros, retrovisores externos com regulagem interna elétrica, ar-condicionado com controle automático de temperatura, coluna da direção e banco do motorista com regulagem de altura, computador de bordo, direção hidráulica, Sensor de chuva para acionamento do limpador de pára-brisa, Faróis com acendimento automático, vidros dianteiros e traseiros elétricos. Porém, ele não tem nenhum opcional! Para ter segurança, só pagando os R$ 48.700 da versão automática + 4.800 dos airbags frontal e lateral e dos bancos revestidos em couro. É incrível o que a Peugeot faz com o consumidor. Daqui a pouco ela começa a imitar a Volkswagen e passa a cobrar mais de R$ 3.000 pelo “kit elétrico”.

Renault-Symbol

O Ford Fiesta Sedan 1.6 básico (preto sólido) custa a partir de R$ 35.620. Na versão Pulse, que tem preço sugerido de R$ 40.825, ele vem equipado com maçanetas internas, anéis de saída de ar e painel central com acabamento em Titanium, retrovisores, moldura lateral e régua do porta-malas e maçanetas na cor do veículo, luz de leitura, painel de instrumentos com fundo branco, console central integral, alça de segurança traseira, calota Pulse, alto-falantes) + Kit Class (ar-condicionado, direção hidráulica, vidros e travas elétricas. Se você quiser segurança de verdade, você precisa se aventurar no mundo dos “inúmeros pacotes Ford”. Entenda: Você compra o Fiesta Sedan 1.6 na versão Pulse com o kit Class (já citado acima), com o kit My Connection II (espelho retrovisor elétrico + CD Player MP3 + bancos e volante em couro) e com mais um pacote, o kit Segurança II, composto por ABS + Air Bags; mais as rodas de liga leve aro 14″, que não fazem parte de nenhum kit. Tudo isso por R$ 47.325.

Conclusão

Fechando o meu comentário, o Symbol tem bom conjunto para enfrentar os concorrentes atuais, já que o Siena está na sua última versão antes da mudança definitiva; o 207 Passion nada mais é que o velho 206 na versão sedã; Corsa Sedan já está ajoelhado pedindo por uma atualização; Polo Sedan é atrapalhado pela estratégia Volkswagen de vender carros; e o Fiesta Sedan, com o perdão da expressão, parece um “foguete molhado”, ele sempre parece que vai “estourar”, mas isso nunca acontece. Por isso, o Symbol pode se dar muito bem. Só o Voyage tem realmente um potencial maior de crescimento, como ele já mostrou em fevereiro (batendo o Siena).

Renault-Symbol

As minhas críticas não querem dizer que os carros são ruins. Mas, como eu já disse acima, pense quando os novos adversários chegarem, como o Honda City, por exemplo. Se o Civic e o Fit são referências para as suas respectivas categorias, é muito provável que o mesmo aconteça com o novo sedã da Honda. É verdade que ele será mais caro, mas a sua versão mais simples deve brigar com o Symbol Privilège completo.

Fotos: Renault/Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *