Impressões: Chevrolet Astra Advantage, o verdadeiro Astrão

Dando sequência ao Impressões, temos mais o primeiro carro da Chevrolet, um Astra Advantage 2005, enviado pelo Jow. Depois de um período “longe”, dono e carro se aproximaram e hoje fazem uma “parceria” de sucesso! O Astra tem até rodas especiais!

Quem quiser participar do Impressões, como o Leônidas, Rafael e o Jow, basta enviar um e-mail para renatoparizzi@gmail.com. Fale um pouco sobre o seu carro. Descreva os pontos positivos, negativos e conte alguma coisa curiosa! E não se esqueça de mandar fotos do veículo (só serão publicados posts com fotos). Garanto que a placa (ou algum outro detalhe) não será mostrada.

Chevrolet Astra hatch

Chevrolet Astra Advantage

“Em Dezembro de 2004 adquirimos nosso primeiro Astra aqui em casa. Um Hatch Advantage 2.0 flex 2 portas. Por que o escolhemos? Queríamos um carro completo e na faixa de preço, as opções não eram muitas. Olhamos Stilo (com o desconto na fábrica), Focus e Astra. Após fazer o test drive, fomos conquistados. Ao pisar, o motor atende prontamente, o que motivou ainda mais a compra. O fato de ser duas portas era sim um empecilho, mas tínhamos outro carro quatro portas em casa, que atenderia as ocasiões onde era necessária a porta traseira.

Passados três anos e meio sem problemas (apenas fazendo as revisões e as trocas rotineiras de óleo, filtro de ar, etc), tivemos que trocar a embreagem e os amortecedores dianteiros. O que pode ser explicado pela mudança no condutor do veículo: minha mãe (uma caça buracos e que não se deu muito bem com a embreagem do carro) que começou a fazer uso diário do veículo. Após seis meses, assumi a direção do Astrão só pra mim. Desde então é só alegria. Um carro que apesar de muitos falarem que está com o visual defasado, ainda acho bonito e o fato de ser duas portas aumenta a esportividade. Lembrando que não sou contra uma reestilização “de verdade”, já que o carro é o mesmo desde 2003.

Com relação ao consumo, creio que 7,0 k/l – 7,5 km/l (álcool) pode ser considerado razoável, mas se torna muito bom ao perceber que outros de menor cilindrada bebem o mesmo tanto. Exemplo disto seriam o Polo 1.6, Fiesta 1.6, Punto 1.4, Stilo 1.8… Com gasolina nunca fiz a medição, mas creio que não seja vantajoso.

Nesses quatro anos e meio, o carro atendeu a todas as minhas expectativas e certamente só tenho elogios. Tanto que aqui em casa já temos outro Astra automático adquirido em dezembro de 2007.

Pontos Negativos

– Alguns ruídos internos, como por exemplo: Tampa do porta-malas (já resolvido); “nhec nhec” nos bancos; vidros fazem um barulho estranho dentro da porta quando são deixados meio abertos (fácil de ser resolvido, mas volta o ruído quando a porta é fortemente batida com frequência);
– Falta de mais “perfumarias” dentro do carro, coisa que sobra nos Fiats. Exemplo: o próprio Stilo tem mesa tipo avião, porta-luvas refrigerado, etc.;
– Fiquei um tempo sem encher o tanquinho de gasolina e ele trincou. Fiz a troca, mas ao encher, percebe-se um cheiro forte de gasolina. Provavelmente ele está vazando.

PS: Após assumir “a criança”, coloquei alguns acessórios a fim de deixá-lo com a minha cara, como pode ser visto nas fotos.”

Opinião da blogueiro

Gosto muito do Astra. O carro tem uma excelente relação custo/benefício. Embora o motor 2.0 Flexpower seja ultrapassado, seu desempenho é superior e a média de consumo é praticamente mesma do propulsor 1.8 flex da GM Powertrain, que equipas vários modelos da Fiat e Chevrolet. Não gostei tanto da versão Advantage do Astra por causa do acabamento simples (especialmente o banco), mas o hatch compensa no conforto para quatro ocupantes, na boa lista de equipamentos e no visual (subjetivo), que ainda dá conta do recado – mas que poderia ser ligeiramente alterado (para melhor) com o novo estilo de design da marca. Uma coisa é certa, embora o Vectra GT seja, por “trás dos panos”, um Astra, ele nunca vai ser o Astra.

Outros aspectos que me agradam no modelo são a posição mais baixa de dirigir e a suspensão mais firme, que torna sua condução na estrada excelente. O único problema é que ela não “gosta” dos buracos das ruas e avenidas brasileiras, fazendo barulhos secos, como se um avião tivesse tocando a pista num pouso.

Comentários (1)

  1. O flexpower tem fama de beberrão mas também tem fama de ser bem robusto.
    O Astra ainda é um carrão. É certo que seu desenho é ultrapassado mas continua bonito e atraente. O primeiro Astra que vi na minha vida era 2 portas. Não sei se é por isso mas acho essa versão muito mais bonita que o 4 portas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *