Chevrolet Classic de cara nova aparece no Brasil

A revista Autoesporte publicou um flagrante da versão reestilizada do Chevrolet Classic, prevista para ser lançada no Brasil em março de 2010. O modelo tem essencialmente o mesmo visual do Sail, sedã derivado do antigo Corsa (nosso atual Classic) que é vendido na China.

A mudança visual é perceptível mas não é muito radical. A dianteira tem novos faróis, para-choque e grade dianteira, como você confere nas imagens. A lateral será a mesma, mas a traseira terá novo para-choque e faróis maiores, que invadem a tampa do porta-malas.

Segundo a publicação, “a GM tem pressa em lançar o novo Classic. A produção do modelo continuará sendo feito no ABC paulista e Rosário (Argentina). No país vizinho, as mudanças também valerão para as versões hatch e perua, que permanecem em produção por lá. De acordo com o plano da GM entregue aos fornecedores, a meta é que a produção do Classic se estenda até 2016 na Argentina. Por aqui, ele se aposenta em 2014, quando entram em vigor normas mais rígidas de segurança e emissão de poluentes”.

Internamente, o modelo teria alterações no acabamento e no painel. Vejam nas imagens abaixo as duas prováveis opções de comandos do ventilador, ar-condicionado e som/CD Player. O volante também poderia ser o do Astra, mas nada foi confirmado (ou flagrado no Brasil) ainda. Repare que o painel mais abaixo é do Classic comercializado pela Buick.



Eu sei que gosto visual por um carro é algo bastante subjetivo. Mas acho que o Classic vai melhorar um bocado quando tiver o design do Sail, especialmente por causa da dianteira. A traseira, que lembra a do Volkswagen Bora, parece um pouco desproporcional para o carro. Mas preciso ver mais fotos e, principalmente, o carro ao vivo para chegar às minhas conclusões finais.

Se tudo se confirmar, o modelo da Chevrolet deve continuar sendo o sedã mais vendido do Brasil por mais alguns anos.

Comentários (22)

  1. ACHO QUE ELE FICOU COM APARENCIA DAQUELES PRIMEIROS SEDANS JAPONESES VENDIDOS POR AQUI. UMA MISTURA DE COROLLA COM HONDA. PODE ATÉ MELHORAR EM RELAÇÃO AO MODELO ATUAL QUE ESTÁ MUITO DEFASADO, MAS PARA O MEU GOSTO AINDA ESTÁ FEIO.
    É LOGICO QUE A MINHA OPINIÃO SE BASEIA NESTAS FOTOS, MAS AO VIVO PODE MUDAR. VAMOS AGUARDAR…
    RODRIGO GUASCH

  2. A GRADE É BEM PARECIDA COM A DO OMEGA E FICOU BONITA,NADA DE FRENTE DE CAMINHÃO,VAI CONTINUAR VENDENDO BASTANTE ESTE EXECELENTE MODELO DE ENTRADA.

    Marcus Quintanilha

  3. Renato! É fato que não dar para entender! Mas como a GM lança o AGILE que é como vc disse tem de tudo um pouco e é certo q vai vender bem…como eles lançam esse corsa classic tupiniquim japones???

    Acho que tem algo muito errado nisso!
    Tinham que abolir esse carro!!!!

  4. Nossa ficou mais interessante do que o atual modelo que mais parece ser LIXO DE MERCADO, fiquei um tanto quanto curioso como este modelo gostaria de conhecer.

  5. Que pena uma das grandes do mundo automobilistico a GM andar como carangueijo, nem pra frente e nem para trás de lado, todas as outras estão mexendo-se para novos lançamentos, até a Kia mesmo imitando a Honda lança carro novo.

  6. Ficou mto bom! O problema é olhar pra lateral e lembrar do antigo. Deviam mudar algo alí…

    Se a gente anda pra trás, quem anda pra frente no mercado brasileiro? Exemplifiquem por favor!

  7. Uma correção no final do meu post:

    “Se a GM anda pra trás, quem anda pra frente no mercado brasileiro? Exemplifiquem por favor!”

    Me perdi na criação do post! hehehe!

  8. Ficou parecido com o prisma. Os faróis não são osmesmo do prisma? Não entendi, isso é um crusamento de prisma com classic. Reparem nos retrovisores…são os mesmos desde 1994…ou seja…15 anos com o mesmo retrovisor…mais acho ótimo que o classic continue em linha…se o pacote de CreamCraker chamado Uno ainda está em linha, porque o classic, que em termos de comparação está anos luz na frente, não pode ser fabricado. Ótimo carro, foi a revolução do mercado brasileiro na década de 90 junto com o vectra em. Tive um Hatch super 1.0 MPFI, que estraguei quando coloquei essa aberração chamada KIT GÁS.

  9. Olá Renato, o amigo tem novidades a respeito do NOVO FIESTA – Ford, você já soube de algum flagra “algum rodando aqui no Brasil”, o que acho das novas configurações da Moutana da GM, A linha 2010 da picape Montana começa a chegar às lojas com algumas mudanças de catálogo, conforme apurou o espião mineiro, Marlos Ney Vidal. O utilitário passa a ser vendido pela GM nas versões Conquest 1.4, Sport 1.4 e Sport 1.8. A principal novidade fica por conta da opção intermediária com motor 1.4, que vem com o mesmo visual esportivo da 1.8, o que inclui rodas de alumínio de aro 15 com pneus 185/60R e adesivos com a inscrição “Sport” na carroceria, mas por um preço mais em conta que os R$ 45.492 sugeridos para a picape com motor maior.

    Uma das razões para essa economia, além da menor cilindrada é a ausência dos freios ABS como item de série na 1.8 e opcional na 1.4, que também não tem duplo air bag de fábrica, nem controle elétrico dos retrovisores e faróis com desligamento automático temporizado. O valor oficial da nova versão da picape da GM ainda não foi divulgado, mas deverá ficar por volta de R$ 40 mil, isso para se tornar mais competitiva em relação à nova concorrente Saveiro, bem como a futura versão Sporting da Strada
    Até a próxima postagem.

  10. De uma coisa eu tenho certeza. Esse não será o acabamento interno do carro no Brasil. Tá muito luxuoso pra quem tem somente 30 mil pra pagar num carro, merece coisa pior mesmo (pensamento das marcas no Brasil), aliás, nem Vectra tem acabamento nessa cor, coisa chique, que chiquesa.

  11. Revista EXAME:

    Por Marcelo Onaga | 15/10/2009

    AUTOMÓVEISnullDepois do polêmico recall do Fox, que obrigou a Volkswagen a efetuar alterações no sistema de rebatimento do banco traseiro de cerca de 500 000 unidades do modelo no ano passado, a montadora alemã pode estar agora diante de um problema ainda maior. Bem maior, por sinal. Um executivo da empresa e dois concessionários confirmaram a EXAME que a Volkswagen analisa a possibilidade de convocar mais de 1 milhão de veículos produzidos entre 2008 e este ano, equipados com motores 1.0 e 1.6, para substituir partes do motor. O motivo seria um defeito ocasionado por peças estruturais que não receberam um tratamento térmico — o que poderia provocar, na pior das hipóteses, uma explosão. De acordo com o executivo, a montadora decidiu não realizar o tratamento térmico para reduzir custos, com o aval da área técnica. O dano que um recall desse porte pode causar à Volkswagen é muito maior do que o do banco do Fox. Não apenas pela quantidade de automóveis, mas pela complexidade e pelo custo da operação. A retirada do motor do carro e o reparo podem levar mais de um dia e envolvem uma operação logística complexa. Estima-se que o custo desse recall, caso ele ocorra, ultrapasse 1 bilhão de reais. Oficialmente, a Volkswagen diz que no momento não há nenhuma discussão sobre esse tema.

    #set var=’current_page’ value=’1′ #if expr=’$page=2 || $page=full’ box imagem

  12. Nossa isso é mesmo verdade a quatro rodas já havia relatado anteriormente tal fato assim como autoesporte.
    Isto ainda vai dar muito que falar sem falar na imagem que a VW, já esta ficando manchada e tentando tampar o sol com a peneira ainda é pior. Deveria assumir de fato o que esta havendo.

  13. Is there anymore information you can give on this subject. It answers a lot of my questions but there is still more info I need. I will drop you an email if I can find it. Never mind I will just use the contact form. Hopefully you can help me further.

    – Robson

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *