Impressões – Peugeot 307, um francês de qualidade

Fico feliz em receber mais um carro para o Impressões do De 0 a 100! E temos a presença do primeiro veículo da Peugeot na seção! Trata-se de um 307 hatch, único da marca que me atrai de verdade no mercado brasileiro, e que considero o melhor da gama de automóveis da Peugeot por aqui. Quem também gosta muito do carro é o Pedro Fialho, feliz proprietário do veículo e que sabe absolutamente TUDO sobre o seu 307!

Peugeot 307 Griffe hatch

Quem quiser participar do Impressões, como o Leônidas, o Rafael, o Jow, o Hugo, o Bruno, o Joathan, o Leônidas (de novo!), o Hugo Leite e o Pedro, basta enviar um e-mail para renatoparizzi@gmail.com. Fale um pouco sobre o seu carro. Descreva os pontos positivos, negativos e conte alguma coisa curiosa! E não se esqueça de mandar fotos do veículo (só serão publicados posts com fotos). Garanto que a placa (ou algum outro detalhe) não será mostrada.

ANTES DA COMPRA

Em minha casa sempre fomos adeptos de carros italianos e alemães. Recentemente e antes de comprarmos o Peugeot, tivemos um Golf 2.0 ano 95 alemão e um Golf 2.0, geração anterior à que circula em nossas ruas, ano 2000. Éramos e continuamos apaixonados pelo Golf. Atualmente temos um 307 (que fica tanto em Vitória – ES e Belo Horizonte) e um Polo 1.6 (usado no serviço do meu pai, em Vitória).

No momento da troca, cogitamos adquirir ou um Honda Civic, Pajero TR4, outro Golf ou Peugeot 307. Tiramos a Pajero da jogada pelo fato do câmbio automático não possuir trocas sequenciais (ficamos um pouco preocupados quanto ao desempenho). O Civic saiu também porque, no mesmo preço do 307 topo de linha, o japonês é bem menos equipado. Restou outro Golf e o francês. Fomos à Volks conhecer o novo Golf 4,5 e, em primeira instância, a sensação era a de estarmos entrando no nosso carro de 6 anos atrás: praticamente nada mudou no interior. Por fora, deram um jeito brasileiro nas lanternas e não nos agradou tanto. A mecânica continuava (muito boa, por sinal) a mesma: era o velho motor de 116 cv.

Fomos, então, à Peugeot conhecer o 307 Griffe. Ficamos maravilhados com o interior do carro: nunca tínhamos entrado em um veículo com acabamento tão caprichado. Eu e meu pai, que gostamos do Civic, achamos o interior do 307 ainda mais acolhedor. Foi amor à primeira vista. Demos uma volta no carango para sentir o motor e o comportamento dinâmico: agradou tanto que no mesmo dia efetivamos a compra do Peugeot 06/07.

Os votos de confiança depositados no francês valeram a pena: até hoje, com quase 70.000 km, o carro não apresenta problemas.

ACABAMENTO E ESPAÇO INTERNO

O acabamento interno do carro é impressionante. Na faixa de preço não vi nada melhor (rivaliza com os novos i30 / Focus Guia e com Civic / Corolla / C4). A maioria dos botões são emborrachados. As portas possuem botões one touch. O console central, bem como o resto do interior do carro, não possui rebarbas. O parassol dos instrumentos, assim como o revestimento das partes “pretas” do painel, são todos macios. O volante e as portas possuem apliques em couro. Alguns porta objetos têm o seu fundo revestido por borracha, para evitar que algo deslize naquele local. A soleira das portas possui o logotipo da Peugeot. A pedaleira e o descanso para o pé são todos em alumínio. Tudo muito refinado.



À noite, a iluminação é outro aspecto interessante. As luzes alaranjadas são refletidas nos cromados dos mostradores e do câmbio automático. O colorido do A/C digital reflete nos detalhes imitando aço escovado. Conforme a foto, é realmente muito bonito. Estamos com quase 70.000 km e o carro não bate absolutamente nada.

O espaço interno, por sua vez, agrada muito. O veículo é largo e tem um bom entre-eixos (2,61m), mas se você for muito alto, não queira viajar no meio do banco traseiro (apesar de haverem encostos para cabeça e cintos de 3 pontos para todos os 5 ocupantes). Na frente sobra espaço (a cabine mais espaçosa que já tive oportunidade de entrar). Atrás ele poderia ser um pouco maior (talvez a Peugeot pudesse tirar um pouco dos 420L do porta-malas), melhorando a habitabilidade dos bancos traseiros.

EQUIPAMENTOS

Outro ponto que nos atraiu no momento da compra. O carro é ótimo para os desavisados.

  • Possui sensores de abertura nas portas, capô e porta-malas. O sensor de estacionamento funciona bem e, por incrível que pareça, detecta obstáculos que passam na lateral das portas traseiras. Neste momento, um outro tipo de ruído é emitido (é necessário conferir em qual lado está o objeto).
  • O piloto automático com comandos no volante funciona muito bem em regiões mais planas. Em aclives acentuados eu não recomendo, pois ele tenta, de qualquer maneira, andar sempre na velocidade escolhida.
  • O sensor crepuscular é bem preciso. Dependendo da iluminação, ele liga os faróis e as luzes dos mostradores internos. Caso esteja um pouco mais claro que na situação anterior, ele liga somente os faróis. É interessante.
  • O sensor de chuva funciona bem. Melhor que o sensor, na minha opinião, é o temporizador do limpador de pára-brisa indexado à velocidade do automóvel. Mesmo se você colocar a alavanca na posição 2 (a mais rápida), à medida que o carro vai diminuindo a velocidade, o tempo entre as passadas do limpador é reduzido, chegando quase a 0 no semáforo. Na hora de acelerar novamente, o limpador também é acelerado.

O computador de bordo (CB) é o melhor que já tive oportunidade de mexer. Por ele é possível ativar e desativar todas as funções dos sensores e regular o tempo em que o farol e as luzes do carro continuam acesos após sair do veículo. Possui quilometragem de destino decrescente; calcula duas velocidades médias e estima a autonomia, apresenta o consumo instantâneo, calcula duas médias de consumo (em uma dada quilometragem) e tem 3 odômetros parciais. É possível regular a iluminação do mostrador de acordo com a hora do dia. Qualquer defeito que o carro apresentar, mesmo sendo uma lâmpada queimada, é indicado no CB.

Os comandos de áudio estão presentes em uma borboleta atrás do volante e todos são gerenciados pelo computador de bordo. A disqueteira para 5 CDs funciona bem (aceita mp3), mas faz um barulhinho um pouco alto na hora da troca de discos. A minha crítica vai para a entrada USB: ela existe, dentro do porta-luvas, sendo necessário pagar R$ 300 pelo adaptador. A qualidade dos alto-falantes é satisfatória (os do Golf eram melhores). As funções de rádio são interessantes: é possível gravar várias estações no CB. A presença de ícones de áudio, funções e rádio no computador de bordo são legais.

O ar-condicionado digital é do tipo dual zone, é automático e possui sensor de qualidade do ar. Diante de fumaça, por exemplo, o sistema ativa a circulação interna. O recurso dual zone funciona, mas o ar dentro da cabine tende a atingir um equilíbrio térmico. Existe saída de ar embaixo dos bancos traseiros e no porta-luvas.

Bluetooth também integra a lista de equipamentos. É possível conectar 4 telefones ao carro e transferir as suas agendas telefônicas. Existe um microfone próximo ao comando do teto solar. O áudio sai pelos alto-falantes e o nome da pessoa ou o número do telefone que está te ligando é identificado pela tela do CB.

Alguns mimos adicionais fazem diferença. O carro possui fechamento automático do teto solar, vidros e dos retrovisores (o último configurável). O retrovisor fotocrômico funciona muito bem à noite.

  • Em um carro com tantos recursos eletrônicos, a abertura da tampa de combustível poderia ser interna.

COMPORTAMENTO DINÂMICO

Freios

São a disco nas quatro rodas e transmitem segurança. Quem dirige o veículo pela primeira vez deve se acostumar à sensibilidade do pedal: qualquer pressão aplicada e o carro reage imediatamente. Possui ABS, EBD e EVA. Em uma freada de emergência, o pisca-alerta é acionado automaticamente.

Suspensão

Os 307 antigos, bem como o resto dos franceses, eram duramente criticados nesse quesito. O tempo passou e a Peugeot melhorou bastante a suspensão dos 307. Ela é independente nas quatro rodas, sendo dual link atrás com barra estabilizadora. Eu diria que no 307 ela é mais “tapete” que a do Golf (o carro não chacoalha tanto), porém filtrando menos a aspereza da pista e, quando passando em um buraco, bate mais “seco”. Já rodei em Civic e Corolla e o nível de ruído por parte da suspensão do 307 é um pouco maior, mas não tão distante dos japoneses. Ela é, no geral, muito confortável e boa de curva (não podemos culpar nossos carros pelo estado das ruas em que circulamos). Respeitando o limite de velocidade, tanto eu quanto o meu pai já fizemos umas curvinhas um pouco mais abusadas, e o veículo tem comportamento tendendo ao neutro (não sai de frente e nem de traseira).

Câmbio

Antes de falar do excelente motor, acho necessário dar a minha opinião sobre a polêmica transmissão AL4, que atualmente equipa a Citröen e Peugeot. O câmbio possui 4 marchas, oferece trocas sequenciais, modo esportivo e um controle de tração em baixas velocidades. Na posição “D” o carro fica, digamos, adormecido. No “S” ele acorda e, no tiptronic, é uma delícia. A maioria da mídia, que se intitula especializada, fala do assunto sem conhecê-lo a fundo. Eu diria que, na internet, ocorre um festival de propagação de ideias. O tranco presente nas trocas de marcha ocorre somente quando se retira o pé do acelerador na hora da passagem das velocidades (para evitá-lo, é só permanecer com aceleração constante). A Peugeot disponibilizou um software que reprograma a função do conversor de torque, melhorando consideravelmente o funcionamento do câmbio e praticamente eliminando os pequenos trancos existentes.

Eu não diria que o câmbio é excelente, pois existem os automáticos, DSG e S-Tronic da VW / Audi, PDK da Porsche, e “por aí vai”. De uma maneira geral, a transmissão atende muito bem e garante diversão, tanto na estrada quanto na cidade. Com o tempo dá para acostumar.

Já fiz uso do controle de tração na subida da rua da entrada do Mercado Distrital, em Belo Horizonte. Choveu e a água carreou o óleo da suspensão dos carros estacionados para a pista. Diversos automóveis, sendo a maioria de taxistas, não conseguiram subir. Apertei a tecla (*) do câmbio e o veículo subiu tranquilamente, em primeira marcha, o aclive.

Motor, consumo e isolamento acústico

O 307 vendido atualmente possui, no álcool, 22 kgfm de torque e 151 cv. O motor tem comando de válvulas variável, garantido 19 quilos já em baixas rotações. Em 4 mil RPM os 22 kgfm entram plenamente (dá pra notar uma coladinha no banco nesse momento). Na gasolina, são 143 cv de potência e 20,4 kgfm. Utilizando ou o modo esportivo ou as trocas sequenciais da AL4, o carro fica bem esperto. Ontem peguei a BR-262 e o veículo, embora carregado, andou facilmente nos limites de velocidade (poderia ir bem além, caso fosse permitido). Fizemos, também, ultrapassagens com segurança. Em termos de desempenho e fazendo uso de algumas revistas, ele é geralmente o automático mais veloz dos testes. Pelos dados, um pouco mais rápido até que o i30 e novo Focus. O nosso antigo Golf 2.0 manual não tem a disposição do Peugeot automático. Eu e meu pai ficamos bem satisfeitos guiando o veículo, principalmente pelo conforto proporcionado pelo câmbio automático (como alguns dizem: “a época de sair do sinal cantando pneu já passou”).

O consumo é o esperado para um carro 2.0, automático e com aproximadamente 150 cv. Entre 7 e 8,2 km/l na cidade, dependendo do trânsito. Na estrada, obedecendo uma média de aproximadamente 90 km/h e com o carro relativamente carregado, entre 12,5 e 14,5 km/l. Dizem que o motor flex tornou-se mais beberrão (o meu 307 Griffe é movido unicamente a gasolina).

O isolamento acústico é excelente. Escuta-se o motor somente em rotações mais altas. Mesmo assim, o ruído não chega a incomodar. Em alguns momentos não dá para perceber que o motor está funcionando.

MANUTENÇÃO E VALOR DE MERCADO

Os franceses sofrem preconceito. Costumam desvalorizar mais que os alemães, por exemplo, por um passado muito diferente do presente. O 307 tem se mostrado mais robusto que o nosso antigo Golf, mesmo sendo um carro com muito mais recursos suscetíveis a algum problema. As revisões tem preços fixos, seguindo quase sempre os valores da tabela presente no site da Peugeot. Por enquanto, aos 70.000 km, nada doeu muito na carteira.

A desvalorização é ruim para quem está vendendo e boa para quem está comprando, pois quem está prestes a adquirir um 307 Griffe usado, com certeza levará um carrão por um baixo valor.

Eu recomendo fortemente o veículo para quem tem prazer em dirigir e gosta de conforto. A qualidade da vida a bordo do 307 é raramente encontrada em outros carros do segmento, e está bem acima de carros de categoria inferior. Os mimos tornam tudo mais agradável durante o contato com o veículo.

O fato de desconhecermos os gastos com substituição de peças se deve também ao cuidado que temos com o carro. Tratamos com carinho.

Tanto eu quanto o meu pai estamos muito satisfeitos com o Peugeot. Quem tiver interesse em adquirir um, tome cuidado com a vinda do 308 hatch para o Brasil, que deve ocorrer em 2011. Fora isso, o 307 superou em muito as nossas expectativas. Deem preferência para câmbios automáticos ano 07/08 para frente, pois já sofreram revisões.

Espero que as impressões acima tenham servido para mostrar alguns recursos não comentados pela mídia e que seja de ajuda, também, para quem estiver pensando em adquirir um 307.

Opinião do blogueiro

Não tem muita coisa que eu possa adicionar, já que o Pedro detalhou tudo muito bem. Apenas repito que o 307 é o modelo que considero o melhor da Peugeot no Brasil atualmente. Gosto especialmente dessa versão do Pedro, hatch, com motor 2.0 e câmbio automático. Bom espaço interno e para bagagem são sempre bem-vindos.

Atualização (03/02/10)

Devido a enorme polêmica sobre o 307, reproduzo aqui o vídeo do Pedro mostrando mais detalhes do carro dele:

 

Comentários (100)

  1. “Magnifique!”
    307 e C4 Hatch, são os hatch’s dos meus sonhos. Mais ainda prefiro os manuais. Parabens Pedro pelo excelente carro que você e seu pai dirigem!
    Ponto para os Franceses pelas revisões com preços fixos. As 4 grandes poderiam fazer o mesmo. No site da Renault inclusive, você consegue ver os preços das revisões. Mais só pode fazer isso quem confia no produto que vende…

    Em tempo: “Recal do Honda Fit”

  2. Realmente o 307 é um excelente carro, concordo com o Pedro. Contra o carro só mesmo a grande desvalorização que sofre com o passar dos anos, melhor pra quem adquire um usado. Minha maior dúvida é quanto a transmissão automática AL4, pois na internet tem muitos que reclamam desta transmissão. O meu é transmissão manual. abraço, Marcelo Lanza.

  3. Só faltou ele dizer quanto ganhou da Peugeot e quantas horas ele passou p/ escrever esse portfólio. Pelo amor de Deus qualquer um nota que que ele está mentindo. Francês robusto? câmbio sem trancos? Aaaaaah fala sério.

    Do jeito que ele colocou parece que é o melhor carro do mundo, mas na real, ele ñ é nem metade disso. Todos os equipamentos que ele citou carros como o I30 e o Stilo tem e até mais (no caso do Stilo, a versão Abarth vem tb com subwoofer no porta-malas, rodas de 17′ e pc de bordo colorido com tudo e até mais coisas que esse francês furreco tem).

    Agora Renato, vc ñ estranhou que ele tenha escrito tanto e tão enfeitado assim? Como eu já disse, isso tá me cheirando a portfólio.

    • Me desculpa caro amigo, acho que nunca andou em um 307 , tenho um feline e não troco por i30, nenhum muito menos um Stilo ultrapassado com acabamento todo de plastico, e com motor de pipoqueira, alias i30 é um carro apertado e um motor de carro de mulher! o 307 tem opcionais para concorrer com Sonata e Azera, o espaço interno enorme, motor é o mais forte da categoria ….. concordo em tudo que o leitor disse pois foi assim que me senti quando comprei o meu, e agora quero trocar de carro mais fiquei mal acostumado pois os carros que me agradaram e que tem tudo o que o meu tem esta na faixa de 75 mil reais para cima! e realmente o único ponto ruim é o valor de revenda , quando a dar solavanco na troca de marcha nunca senti nada disso, deve ser para pessoas que não sabem dirigir carro automático!

      • Olá Rodrigo.
        Estou no mesmo impasse que você. Sou proprietário de um 307 SW Feline. Gostaria de trocar de carro, porém pra chegar em um nível de acabamento e instrumentos de conforto e segurança, somente um carro acima de 75.000,00. A minha alem de todos os acessórios já citados pelo outro colega, possui teto de vidro panorâmico que é um espetáculo a parte e bancos traseiros que podem ser retirados e realocados em 7 posições diferentes ou somente rebatidos. Meu carro está com 85.000 km e somente fiz revisões necessárias. Quando ele estava com 70.000 km fiz a troca dos amortecedores, kit completo com batentes e peças originais Cofap – ficou mais barato que trocar de uma Palia por exemplo.
        Quanto ao desempenho na estrada, o cambio mesmo na função totalmente automática é Autoadaptativo, ou seja, se dirigir de modo agressivo, depois de alguns Km ele irá se comportar como se você tivesse utilizando o botão Sport. E no modo Tiptronic, da pra se divertir pra valer.

        • Rsrs bom dia ou tarde a todos eu quero comunicar o meu intesse em adquirir um Peugeot 307 a minha única duvida e quanto o cambio automático por causa das criticas estou inseguro com respeito a manutenção do mesmo gostaria de saber de vocês proprietários dos 307 qual o conselho que podem dar a um marinheiro de primeira viagem aguardo atenciosamente as recomendações e conselhos obrigado.

    • Stilo kkk i30 ta de sacanagem se falacemos só de motor 307 iguliria os dois sabe por que stilo manutenção mais cara e o abath que amigo cita é mais caro ainda. I30 lindo mas apertado opcionais da categoria do feline deixa o carro mais caro que o hatch da peugeot sem contar consumo que não é bom e manutenção. Intendo a situação da manutenção nao ser boa e desvalorização ser alto mas é um preço a se pagar. Eu tenho um 307 feline 2005 e só troco pelo 308.

  4. Primeiro parabens pelo carro, muito belo mesmo… o único problema realmente ainda e o “preconceito” que os franceses ainda possuem, conheço uma pessoa que fez um test drive no 307, ficou maravilhado com o mesmo mas não efetuou a compra por ficar com um pé atrás com custos de manutenção que poderiam ocorrer, se ele ler esse post irá se arrepender com certeza.

  5. Caro Paulo Freire,

    Frequento o clube i30 e o clube Peugeot e posso te dizer que o i30 não é tão completo quanto o 307 (O Stilo Abarth não conheço direito, mas pode até ser, apesar de eu não considerá-lo concorrente). E desculpe a sinceridade, mas o Stilo 1.8 atual fica bem atrás de Focus, 307, C4 e i30 em diversos aspectos.

    Quer uma listinha de coisas que o i30 fica devendo para o carro do Impressões? Os itens que vou listar foram retirados do tópico “Coisas que não gosto no meu i30”.

    No i30 (GZ 19 e GZ 20) falta:

    – Couro ou tecido nas portas
    – Sistema one touch dos vidros
    – Fechamento automático do teto no alarme
    – Falta do retrovisor fotocrômico
    – Falta do câmbio sequencial.
    – Cinto do passageiro do meio de três pontos
    – Regulagem de altura dos faróis
    – Não tem local próprio para prender o triângulo de sinalização
    – Falta iluminação nos comandos de teto solar e fechamento dos retrovisores
    – O ar do i30 não tem os recursos dual zone e sensor de qualidade
    – o sensor de chuva do i30 não é indexado à velocidade do automóvel como nos carros da PSA.

    Todos os itens estão presentes no 307 e C4 (versão Feline ou Exclusive).

    Enfim, o carro não é tão ruim quanto você acha. Como eu disse: os franceses sofrem preconceito, e esse é o maior defeito, pois nada custou caro ainda nas manutenções. O problema é na hora de vendermos o veículo.

    Agora vou expor um outro tipo de preconceito que vejo: algumas concessionárias da Peugeot tratam o consumidor com descaso. Mas isso não ocorre em todos lugares (idem às outras montadoras – tem lugares bons e ruins para se levar o carro). Mas por ser um francês, parece que a mídia e o povo dobra o “auê” sobre a situação e é iniciada uma propagação de críticas na internet (sendo que muitos nem foram testar um modelo 08 ou 09 ou 2010). Em Belo Horizonte sempre fui bem atendido na Bordeaux. Manter o carro (não me refiro a combustível) também não está sendo muito diferente do nosso antigo Golf. Costumamos optar pelas revisões (tabeladas) nos pacotes básico e intermediário (presentes no site).

    Outro costume é o pessoal que leva 307 / C4 em qualquer oficina. Mexer nesses carros, idem ao i30 ou outro mecanicamente mais chato, por exemplo, não é em qualquer lugar. Tem que ser em autorizada ou especializada, pois caso contrário o “rombo” na carteira pode ser grande.

    E sim, no dia-a-dia ele é um carro muito bom, principalmente pela quantidade de mimos. O contato com o veículo fica agradável e ele roda suave.

    Por fim, não é portfólio. Sei reconhecer um carro bom de se rodar. Da Peugeot, o único que presta pra mim é o 307 hatch e 2.0. Se eu tivesse dinheiro, eu não compraria nenhum outro carro da marca (407, 307 sedan ou SW, e muito menos os outros modelos). O 308 tem prometido muita coisa boa, mas só de ver que provavelmente ele continuará com o mesmo câmbio e motor (não que sejam ruins, pelo contrário, mas podiam aprimorar) para termos certeza que nosso próximo veículo não será um Peugeot (assim como a VW estagnou com o Golf).

    Convido você a vir ao bairro Santa Efigênia, próximo à Santa Casa, para dar uma volta no veículo e anotar quantos trancos ele deu no passeio.

    Perdão pelo comentário longo. Qualquer dúvida é só perguntar / criticar que eu rebato daqui.

  6. É Mario, eu acho o carro bonito somente com as rodas 16″ ou 17″ vendidas atualmente. Aro 15 ou calotas (horrorosas, por sinal) não combinam nem um pouco com o carro. A roda que equipa o veículo do Impressões não me agrada tanto.

  7. Realmente este é um carro completo, mas confesso que gosto de sedans. Acho o 307 sedan um belo carro, pena que neste segmento são muitas as opções dependendo do valor que se quer gastar. Mas a descrição do 307 feita pelo Pedro que já teve um Golf é porque o carro não é de se descartar e sim uma ótima compra.

  8. Gostaria que vc desse uma olhada no longa duração (4R). NO do Pallas a própia concessionária deixou defeitos que seriam de risco passar (tipo amortecedores vencidos). No Logan a lubrificação foi tão pífia que o motor estava comendo os cilindros (um pouco mais e o motor já era). No do Megane as concessionárias simplesmente deixaram defeitos passarem e a própia montadora sabotou o carro com defeitos oriundos da linha de montagem (http://quatrorodas.abril.com.br/carros/duracao/conteudo_264400.shtml#topo).

    E finalmente o 307: http://quatrorodas.abril.com.br/carros/duracao/conteudo_153504.shtml

  9. Por falar nisso, é muito comum ver Peugeots em oficinas (proncipalmente o C3 e o 206) com amortecedores estourados por conta da “tropicalização” promovida por suas montadoras. E sinto muito ñ poder fazer uma visita e constatar os inúmeros defeitos dos franceses, é que moro um pouco longe de vc.

  10. Esse 307 é o modelo antigo.

    O novo 307 sofreu diversas mudanças no veículo inteiro, como: motor (ganhou comando de válvulas e se tornou flex), câmbio (alterações em alguns componentes), suspensão mais firme, nova ECU, etc. Enfim, é outro carro que se tornou muito bom principalmente a partir dos modelos 09.

    Hoje ele não deve nada ao novo Focus, i30 e C4 Exclusive. Eles são o que há de melhor no nosso mercado em termos de hatch até R$70.000. Golf e os outros de concepção antiga, apesar de serem ótimos carros, não acompanham mais a tecnologia e ritmo destes que citei. É só marcar um test drive e conferir o comportamento dinâmico, idem aos inúmeros mimos.

    A 4 Rodas deveria refazer o teste ou com o modelo atual ou com um C4 hatch. Garanto que a situação será diferente. No comparativo de sedans até R$ 65 mil, o 307 só não ganhou por causa da traseira horrorosa e a garantia, e elogiaram suspensão e câmbio automático. Se o carro fosse tão ruim assim, os franceses não estariam disputando as primeiras posições com i30 e Focus. Antes de propagar ideias das revistas, vá você mesmo conhecer o veículo atual.

    E quanto ao 206 e C3 eu concordo: costumam ser mais frágeis, mas a história tem mudado um pouco no 207, apesar de eu não gostar do carro.

    Como eu citei no Impressões, “Os franceses sofrem preconceito por um passado diferente do presente”.

    E outra: “existem lugares bons e ruins para se levar o carro na hora da manutenção”.

    Entre neste link aqui: http://img109.yfrog.com/i/ogaaai0eqbvzrtmixdvygp9.jpg/ . Estão citando o antigo carro do Teste de Longa Duração que você mencionou.

    Pare de achar chifre em cabeça de cavalo e pêlo em ovo… hoje a coisa é bem diferente.

  11. Gostei das Impressoes do 307! É bom saber de alguem que conhece tao bem um carro frances. Depois mando as informacoes do meu coreano Tucson. Um abraço

    Claudio

  12. A discrição acima sobre o 307 narra tão somente as qualidades, será que não tem nada negativo?, nenhum defeito ou algum vacilo da montadora?, ou este carro foi montado pela Mercedes-Benz ou?????, afinal trata-se de um carruagem francesa pô, deve ter seus defeitos.

  13. Vacilo da concessionária nenhum. É até estranho, mas nenhuma dor de cabeça. A gente só tem alegrias com esse veículo. Espero que ele dure (sem defeitos) pelo menos mais 20 mil km para podermos vendê-lo (provavelmente teremos um problema aí, apesar de que o carro está muito bem cuidado). Outra coisa é a abertura da tampa de combustível que poderia ser interna (estranho para um carro com tantos recursos). Vou ressaltar mais uma vez o ótimo atendimento e a agilidade nos serviços prestados pela Bordeaux em Belo Horizonte. O Ramon faz um bom trabalho.

    Algo que iremos fazer em breve é a pintura do pára-choque dianteiro, pois na estrada tomamos muitas pedradas e a pintura está descascando perto do “bocão”. Orçamos a pintura do pára-choque na Peugeot (Bordeaux)+ a limpeza do radiador, faróis e mão de obra: R$350,00. Não achei caro. Na Peugeot de Vitória queriam cobrar R$450,00 pelo mesmo serviço. E um mecânico dessas oficinas do gueto queria fazer a pintura por R$350,00 também.

  14. Quando morei na Inglaterra, contavam uma piada interessante: No céu, a polícia é inglesa, a comida francesa e os carros alemães. No inferno, a polícia é alemã, a comida inglesa e os carros franceses… Deus me livre do inferno.

  15. Pedro, parabéns pelo carro e pelo sangue frio em responder certas críticas tão ferrenhas com tal paciência! haha

    Eu mesmo nem imaginava que este carro tinha tantas coisas legais.
    Subiu no meu conceito com certeza!

    Só uma coisa não me agrada de jeito nenhum no design desse carro que é exatamente a parte dianteira com o tal “bocão”. Acho MUITO exagerado e que quebra a harmonia do restante do carro…(isso na minha concepção)

    Infelizmente parece que nenhuma fábrica deixa de cometer certos “erros” bobos como o que você citou sobre a abertura da tampa do combustível.
    Basta ver no Impressões do meu carro que apesar do GTI ter esta função de abertura ele não tem um aviso de tampa aberta. (e tem aviso do nível de água dos limpadores o que é bem menos importante)

    Abraços e continue feliz com o seu carro!

    PS: O Paulo Freire poderia informar quais problemas ele enfrentou quando tinha o seu 307.

  16. Óia o recall aí gente… dessa vez é a Peugeot com seus 307 ano 08/09 e um problema no farol. Confiram a matéria no G1. São 13.700 carros envolvidos.

    O carro do Impressões não está inserido no recall.

    http://g1.globo.com/Noticias/Carros/0,,MUL1471434-9658,00.html

    Essa “onda” tá afetando o mundo todo. Honda, Citroen, Toyota, Peugeot e Ford…

    E Bruno, acho que a frente dele ficou mais bonita no 308. O que eu menos gosto nele é a traseira. A frente até que me agrada (subjetivo) bastante, embora a “boca” seja exagerada.

    Mas hatch bonito mesmo pra mim (dos acessíveis) é o C4 e Focus. Sou louco com o Golf V (Europeu) também.

  17. O Golf é espetacular mesmo… A VW só podia atualizar o nosso.

    Uma vez já li um artigo que contesta as notas dadas aos testes de colisão contra barreiras, pois eles não consideram a massa e a velocidade do outro objeto que se choca com um carro.

    Usaram como exemplo um Smart. Batendo contra o muro ele é super seguro e ganhou 4 estrelas, se não me engano. Porém, em condições reais de uma rodovia, ao se chocar com um SUV, por exemplo, os danos no Smart foram críticos e muito superiores ao teste contra a barreira, enquanto o “gigante” quase não se amassa.

    A conclusão foi a seguinte (em termos gerais): quanto maior, mais denso e volumoso for seu carro, mais seguro você está. A massa do veículo conta demais no momento do impacto com outro carro.

  18. Há algo interessante neste carro com 70.000 mil kilometros rodados reparem bem por dentro parece tudo novinho coisa de carro okm, os pedais estão em perfeitos parecem novinhos, é sabido que a sola dos sapatos vai lixando os pedais, os botões idem apesar que nosso dedos com tempo vai provocando desgastes, o tapete nem um grão de areia, junto a soleira da porta a borracha está intacta, geralmente fica um pouco marcado quando saímos do carro o pé costuma raspar, as rodas dianteira que costuma acumular o pó dos freios estão limpíssimos, a lavanda do freio de mão parece que nunca foi usado e no momento está baixado, repare bem no volante com essa quilometragem toda deveria ter um desgaste por pequeno que fosse, na porta do motorista constuma ficar marcado também quando saímos e a ponta do pé raspa o plásstico, o velocimetro está em off não mostra a quilometragem enfim, ou este carro jamais saiu da garagem ou pode até existir mas não é o da foto.

  19. continuando.
    Reparem que o carro é um 06/07 portanto com + ou – 4 anos de uso, que com tal quilometragem rodou 17.500 km por ano, alguma coisa deveria está desgastado ou trocaram recetemente tudo por dentro.

  20. Antes de bater as fotos para o “Impressões” eu lavei e fiz o polimento do veículo.

    Amanhã bato uma foto ou faço um vídeo de dentro do carro, mostrando a quilometragem.

    As únicas peças que foram trocadas no veículo são de desgaste normal.

    O “Off” que você viu é do piloto automático.

    Veja a foto maior e em melhor qualidade: http://yfrog.com/06dsc0079oj

  21. Pedro, o Dantas não consegue admitir que os franceses tem qualidade.
    Dantas, a Toyota já naufragou com seu controle de qualidade de merda!
    A honda já chamou mais de 600 mil Fit’s pro Recall…só lembrando que o City compartilha a mesma mecânica do Fit.
    E vc quer criticar o cara que tem zelo pelo carro…Cara eu tenho um amigo que tem um 206 que parece que saiu da loja, e já beira os 70 mil. pra vc ter uma idéia, meu amigo não precisou trocar as pastilhas de freio ainda…isso de chama zelo.

  22. Bem mais difícil notar desgaste num pedal que é de alumínio vocês não acham?

    Sobre o carro estar como zero o Pedro deve entender como um elogio já que ele afirmou várias vezes que cuida muito bem do carro. Parabéns.

    Nesses interiores que tem algum revestimento em couro muitas partes se mantém mais conservadas, como por exemplo o freio de mão. Se o Dantas está assustado com o estado dessa parte num carro com 70 mil km vou te mostrar uma foto da alavanca do meu carro que tem 115 mil km hoje. Nao tem como comparar com plástico…

    E o Pedro já convidou um usuário para uma voltinha. Pode convidar o Dantas também se quiser. hehe

    Não vejo o por que do chororô…

  23. Confiança é algo que se conquista com o tempo. Os franceses têm muito a fazer ainda. Além de um carro durável, é necessário um bom marketing.

    De nada adianta ter um bom produto se eles não são capazes de fazer o público enxergar isso.

  24. Mas não entendo o porque de ficar sempre duvidando do post, até porque aqui nao e nenhuma revista pra vender exemplares nem nada do tipo, e entao nao teria motivos pra se colocar fotos “falsas”, só porque e um carro de uma montadora que sofre preconceito o povo simplesmente nao aceita e vem descendo crítica.

  25. Estou duvidando que o carro da foto mesmo não é o usado pelo Pedro Fialho, memso com uma impecável e infalível cuidado sempre há desgastes mesmo as pedaleiras sendo de aluminio, fibra de carbono, ferro fundido, plástico ou qualquer material pelo tempo de uso que tem sempre haverá marcas de desgastes, a sola do sapato atua como uma lixa, o suor das mãos atua corrosivamente no volante, os bancos mesmo sendo de couro com o tempo vai aparecer umas rugas ou um pouco esticado provocado pelo peso do motorista,
    as carruagem francesas produzidas no Brasil e Argentina vão conquisitar a confiança quando produzirem carros iguais aos montados na França.
    Por mais cuidado que se tenha pelo menos o carro sempre apresenta um desgate, exemplo o tapete lado motorista fica desgastado, afirmo e confirmo o carro da foto não é 06/07.
    Renato Parizzi, mostre as fotos ao pessoal especializados e juntamente com seu conhecimento, dirrimir esta dúvida.

  26. Hugoas, isso não se chama zelo e sim falta de uso, comprar carro e deixar para rodar só aos domingos é jogar dinheiro fora, conheço um amigo que tem um Fox 05/05 com 10.500km não roda em dia de chuva e mesmo assim apresenta desgastes.
    Jamais vou confiar nos carros franceses montados no Brasil.

  27. Reparem bem, na primeira foto não há o adesivo no canto superior a direita de quem olha para o parabrisa, tal adesivo aparece na segunda foto, a foto do CB deve ter sido tirado com o carro andando, no 1 quadro aparece 14:41 e 51 km/h, no 3 quado aparece a mesma hora e 61 km/h.
    Em suma, afirmo que o carro da foto não é 06/07.

  28. Ai ai…acho que toda essa desconfiança tem outro nome…se duvida tanto assim, vai dar uma volta no carro. Não tem sentido colocar fotos falsas, isso é um espaço para cada usuário dar a sua avaliação sobre seu carro, não para marketing. Algumas pessoas são extremamente zelosas, e fazem que carros com muitos km continuem novos.

  29. Dantas, na foto do CB 1 pelo que notei a velocidade que você vê deve ser a média de viagem CURTA e na foto 3 a média TOTAL!
    Basta ver a km. e a abinha com os números 1 e 2.

    Você não pode ser tão falacioso ao primeiro dizer que o carro roda 17500km/mês e depois dizer que não é zelo do cara mas que o carro deve ficar na garagem…

    Também acho desnecessário alguém chegar aqui e postar uma informação falsa só pra elevar o status do carro e não creio que seja o caso do Pedro.

    Mas resolvam aí…o Pedro pode mostrar mais fotos se ele assim achar necessário.

    Abraços.

  30. Vou filmar agora aqui. À noite creio que o Parizzi coloque o vídeo.

    Na primeira foto o veículo tinha 60k rodados. Nas outras ele estava chegando aos 70 mil (por isso o adesivo da troca de óleo).

    E Renato, o Peugeot registra 3 médias de consumo: 1 instantânea e as outras duas você zera quando bem quiser (por isso a diferença).

  31. Vou fazer o upload do vídeo, além de enviá-lo ao Renato. O carro está “novo” não por falta de uso, mas sim por cuidado. E a gente usa bastante esse carro, inclusive em várias viagens e com ele carregado, sendo bem solicitado.

    Quer um exemplo de desgaste dele? Note o pára-choque descascado na foto da garagem. Isso é resultado de inúmeras pedradas que a gente toma nas BRs. Em março ele vai pra pintura p/ ficar novinho, como o resto do veículo. Eu costumo limpar algumas frestas com palitos e cotonetes. O carro tem aparência de novo por causa desse e outros cuidados.

    Posto o link do vídeo em breve.

  32. Pois é, em Vitória (foto no Impressões) é MUITO apertado mesmo. Tem que deixar o carro em neutro e empurrar na mão pra não raspar no muro. Mas em BH é um pouco mais espaçoso (o vizinho não ajuda muito).

    O link do vídeo é o seguinte:
    http://www.filefront.com/15487405/O-mistrio-do-leo.wmv/

    Clique em “Stream video now”, que está acima da opção de download do vídeo. O site é confiável.

    Espero responder todas as dúvidas depois do vídeo. Nele tem o dia de hoje, a quilometragem, o adesivo da troca de óleo, o computador de bordo com as 3 médias de consumo e o ano de fabricação (visto na porta do carona).

  33. Muito difícil viu!
    Carro desgastar volante com suor??? Isso devia ser na década de 80 ou 70…não vejo mais isso…vendi meu(ex) corsinha com 11 anos e 165.000 Km, sem nada no volante…só as pedaleiras mesmo, que estavam um pouquinho gastas, e aquele tecido mole, que fica em volta da alavanca do câmbio.

  34. Sobre a enquete, não fico nem um pouco surpreso pelo STILO estar na frente. É o melhor mesmo.
    Vai aí minha classificação:
    1 STILO
    2 I30
    3 307
    4 Golf
    5 Focus
    6 Astra
    7 Tiida
    8 C4
    9 Vectra GT

    Todos os modelos me agradam. Gosto muito da solução Hatch. Detalhes decidem o desempate. No caso do STILO tem também uma paixão que não se explica. Apenas vivo intensamente. É FATO!

  35. Acabei de ver o filme, e o mesmo não mostra nehuma parte que citei acima sobre os locais de desgastes naturais por contato, seja das mãos no volante e nos controles, os símbolos desenhados nos controles também sofre um certo desgastes, dos pés nas pedaleiras, o assento com folga nos tecidos e até nos couros que fica um pouco esticado, mostra apenas a lateral, o ano, o painel, e os mostradores, e o resto?.
    Hugoas, quando alguém ia na Fiat reclamar que o volante estava esfarelando, a Fiat dizia que era por causa do suor das mãos, quem tem sudorese o volante vem a desgastar sim pois nosso suor é salinoso, ou você nunca ouviu alguém reclamar deste problema.
    Alguém pode traduzir o texto acima?, estamos no Brasil portanto escrevam em português.

  36. Só pode ser brincadeira isso, né? Vou fazer outro vídeo então.

    Couro no volante, bancos e pedaleiras não têm sinal de desgaste. O que mais posso fazer? eheuheuhe, que coisa!

    E não me venha comparar o acabamento de um Fiat com o de um 307 / C4. A diferença é grande (pegue uma 4 Rodas ou C & D e verá quem “comanda” este quesito).

    O acabamento do carro é muito bom (couro excelente). Muita coisa nele é emborrachada e não está ficando velha. A maioria dos botões do carro não são simplesmente de plástico e por isso não apresentam desgaste ainda. O alumínio da pedaleira é bem difícil de arranhar (e eu a limpo com cotonetes + Veja). Os tapetes são todos de carpete e resistentes.

    Nesse vídeo sanei umas dúvidas que você tinha quanto ao carro, como as médias acumuladas, o adesivo e a quilometragem. Vai ser a última vez que vou filmar o veículo. Depois, acredite se quiser.

  37. O 1.4 francês também está entre os mais poluentes (pelo menos na lista que tenho aqui).

    Eu também gostaria de saber.

    Mas são geralmente os motores mais fortes do Brasil. Exemplo: 1.6 16v da Citroen tem praticamente a potência do 2.0 da VW e do 1.8 da Fiat – perde pro Kia. O 2.0 da PSA tem 151cv, contra 140 da GM e 120 da VW (o do Focus terá uma potência bacana no álcool também). O torque é o que mais impressiona.

  38. São Tomé só vendo para crer, não precisa Pedro sei que possui um 307, o pequeno e obscuro vídeo me conveceu a nunca comprar um francês montado no Brasil ou Argentina.

  39. Só para constar, o 307 é bem diferente do 206… Esse sim tem um alto custo de manutenção e muitos problemas se compararmos com outros da sua categoria… O 206 é altamente não recomendável… Veio o 207 e melhorou um pouco em qualidade, mas o carro é ridiculo. O único veículo da Peugeot que presta (e muito bem por sinal) é o 307, isso não dá pra negar apesar de todas as burradas que a marca faz no Brasil.

  40. Só para constar, o 307 é bem diferente do 206… Esse sim tem um alto custo de manutenção e muitos problemas se compararmos com outros da sua categoria… O 206 é altamente não recomendável… Veio o 207 e melhorou um pouco em qualidade, mas o carro é ridiculo. O único veículo da Peugeot que presta (e muito bem por sinal) é o 307, isso não dá pra negar apesar de todas as burradas que a marca faz no Brasil.

  41. Só para constar, o 307 é bem diferente do 206… Esse sim tem um alto custo de manutenção e muitos problemas se compararmos com outros da sua categoria… O 206 é altamente não recomendável… Veio o 207 e melhorou um pouco em qualidade, mas o carro é ridiculo. O único veículo da Peugeot que presta (e muito bem por sinal) é o 307, isso não dá pra negar apesar de todas as burradas que a marca faz no Brasil.

  42. Só para constar, o 307 é bem diferente do 206… Esse sim tem um alto custo de manutenção e muitos problemas se compararmos com outros da sua categoria… O 206 é altamente não recomendável… Veio o 207 e melhorou um pouco em qualidade, mas o carro é ridiculo. O único veículo da Peugeot que presta (e muito bem por sinal) é o 307, isso não dá pra negar apesar de todas as burradas que a marca faz no Brasil.

  43. Só para constar, o 307 é bem diferente do 206… Esse sim tem um alto custo de manutenção e muitos problemas se compararmos com outros da sua categoria… O 206 é altamente não recomendável… Veio o 207 e melhorou um pouco em qualidade, mas o carro é ridiculo. O único veículo da Peugeot que presta (e muito bem por sinal) é o 307, isso não dá pra negar apesar de todas as burradas que a marca faz no Brasil.

  44. O 307 apesar da idade mantém-se atual e é um excelente carro. Continua páreo para seus concorrentes (i30, Focus, Bravo e Vectra GT). Muitos itens de série do 307 não são encontrados nos concorrentes.
    Espero que a Peugeot não faça com o 307 o que fez com o 206 aqui no Brasil (alterou pára-lamas, pára-choque e painel e chamou de 207 – que é outro carro).

    Acho que conheço o Pedro do Clube Peugeot e do i30Clube. Se for quem eu estou pensando, seus posts são sempre precisos e com muito conteúdo.

    Parabéns pelo lindo carro!

  45. Ratifico os comentários postados. Comprei recentemente um 307 Griffe 07/07 com 60.000km. Estou deslumbrado com o conforto e desempenho do carro. É meu primeiro carro automatico e com certeza não será o ultimo. Sem duvida uma excelente opção para quem busca conforto e desempenho, além do design ser muit bonito.

    Abraço

  46. Meus caros, acho que vcs tiveram mais sorte que eu: primeiro os faróis apagavam sem eu comandar, agora (depois do recall) eles acendem sem eu comandar. Levi na Peugeot e me disseram que o problema está na caixa de fusíveis do motor, mas, apesar de não entender do assunto, me parece que quando há problemas nos fusíveis o componente não funciona … então, é razoável que os faróis acendam sozinhos? Me parece muuuito estranho. O carro apresenta problemas nos faróis desde zero (comprei ele novinho novinho) e agora que já tem 3 anos de uso eles vêm com um diagnóstico destes …Ninguém merece!

  47. eu tenho um 307 griffe 2.0 automático. Eu posso falar, é um carrão, excelente, todos os pontos positivos na reportagem são verdadeiros. Quem fala mal do carro é porque não tem um, e também nunca dirigiu um. Vai dar uma voltinha num carro desse e depois vem aqui criticar. É muita ignorancia.

  48. Pedro,
    Eu atualmente tenho um Pug 206 ano 2005 e vi um 307 2011 Presence Pack para comprar.
    Porém o que mais me estuprou no Pug 206 foram as balanças de suspensão, suspensão e rolamentos de roda.
    Esses problemas crônicos também são encontrados no 307 ?
    Abraço.

  49. ola, eu agradeço as informaçoes obtida e com certeza vao me ajudar a escolher o 307 como meu proximo carro pois estava em duvida entre ele e o stilo sporting, e muito bom site que informa sobre os detalhes dos veiculos e na minha opiniao os importados fazem a diferença no brazil, pena que nos estamos acustumados a aceitar (carroças) de montadoras que dominam o mercado ja passou do hora de exprementar coisas novas e com comforto pois na europa nossas carroças 1.0, nao aceita por la, parece q foram feitos para os tontos aki do BRAZIL.

  50. Pedro,

    Li seu post e achei interessante estou em negociação com um 307 griffe 2.0 aut mesmo ano que o seu, gostaria de saber se ainda se encontra com o carro? O que vc me recomenda a avaliar na hora que eu ver o veículo uma vez que há alguns anos de uso.
    No aguardo de seu comentário.

  51. Quem muito mete o pau, de fato não deve ter um, ou de fato saiu de um celta, desculpem, mas realmente não faz o menor sentido, eu tenho um 307SW 2008 Feline, é meu primeiro carro automático, quando comprei, senti sim varios trancos assustadores, MAS, … não moramos na europa onde o carro foi desenvolvido, e realmente pode até ser que acontece, levei na peugeot, e disseram que o carro não tinha nada, e que eu deveria aprender a dirigir um carro com esse cambio automatico, ao passar do tempo, passei a não notar mais estes trancos, até que entendi completamente o carro, não adianta obriga-lo a fazer as coisas no automatico, onde ele que controla tudo, se quiser dominar o carro, que passe para o manual, então é isso, o carro é perfeito, completo, sem problemas, sem manutenção, é só saber dirigir e trata-lo com carinho, e não é o mesmo carinho de carro nacional… Já andei em um i30, legal… mas o proprietario que andou no meu carro queria troca-lo comigo de imediato, e compara-lo aos nacionais, teriamos que elevar bem o concorrente.
    307,307sw,307 sedan hoje, é um carro de luxo barato. Feliz quem pode ter um e quem sabe um 3008, dei umas voltas e fiquei 30 dias dormindo de olhos abertos!

  52. UFA!!!! Até que enfim cheguei aqui, foram tantos comentários, meu Deeeeeus!
    Nunca imaginei que o 307 iria dar tanta polêmica…rs
    O nosso amigo Pedro, que é um lord em questão de educação, sofreu muito bullying dos anti franceses…kkkk
    Bem, estou aqui para informar que estou completamente apaixonado pelo 307.
    Adquiri um FELINE 2007/2008 2.0 AUT. PRATA, lindoooooooo!!!
    Impecável, majestoso, sem palavras…
    NÂO TEM IGUAL!!!
    Está bem próximo da super máquina do Pedro, tudo novinho e funcionando bem.
    RECOMENDO!!!
    Não o meu, é claro!!!…rs

    Quero aproveitar para deixar a minha lista:
    1º 307
    2º 307
    3º 307
    4º 307
    5º 307
    6º 307
    7º 307
    8º 307
    9º 307
    10º 307

    INIGUALÁVEL!!!

    Pedro, vc tem razão, o carrão é demais!!!

    Abraços!

    PS: É o meu 1º francês.

  53. Alguém da um tiro no Renato Dantas por favor? Quem muito cuida e compara o carro dos outros é porque de alguma forma se sente prejudicado, e não vem me dizer que é prejudicado pelo fato de ter um carro bom, melhor que o 307 e se sente ofendido por compararem e blablabla…CONVERSA FIADA! O carro pelas impressões realmente parece ser muito bom, a única dúvida que ainda estou é referente a caixa de câmbio pois ouvi comentários que estraga na faixa dos 90 mil km, eu estou interessado em comprar um Griffe 2.0 aut mas estou com medo por esse comentário geral… Alguém se habita a comentar? MENOS o DANTAS PELO AMOR DE DEUS!!! hehehe…

  54. Olá,

    tenho um 307 griffe também e gostaria de saber se o computador de bordo dá para mexer só com o rádio original ou não tem nada a ver?

    Obrigada.

  55. Eu também estou comprando um 307 e tenho duvidas quanto a tal troca obrigatória da embreagen do 307 2.0 aut segundo me informaram e programada no modulo eletrônico do carro e também quanto ao consumo que disseram ser grande quanto ao carro em si sem palavra vence de longe o GT , o estilo e outros ai quanto ao custo de manutenção acredito ser proporcional ao carro ora adiquiram uma BMW e vejam só o custo da manutenção ou seja carrinho custo baixo carrão custo auto . mas por favor me esclarecam quanto ao consumo e o cambio do 307 2.0 aut

    • O cambio realmente não é dos melhores,porém tem salvação.caso comece a ampresentar problemas,basta levar em um especialista.pessoas falam muito mal sem saber.Procure sobre o cambio do jetta,do sentra,etc..também possuem problemas.A unica marca que consegue ter a proeza de fazer um cambio sem problemas é a toyota.Tenho 307 e nao me arrependo..modelo griffe..o carro é espetacular..meu antigo carro era um corolla seg ..consumia igual o 307..sendo o corolla 1.8 e o 307 2.0.Consumo na faixa dos 8 na cidade..

  56. O cambio realmente não é dos melhores,porém tem salvação.caso comece a ampresentar problemas,basta levar em um especialista.pessoas falam muito mal sem saber.Procure sobre o cambio do jetta,do sentra,etc..também possuem problemas.A unica marca que consegue ter a proeza de fazer um cambio sem problemas é a toyota.Tenho 307 e nao me arrependo..modelo griffe..o carro é espetacular..meu antigo carro era um corolla seg ..consumia igual o 307..sendo o corolla 1.8 e o 307 2.0.Consumo na faixa dos 8 na cidade..

  57. Finalmente uma bela reportagem/descrição de um carro acessível aos mortais. Há cinco anos tenho um Peugeot 307 SW, carro que namoro desde que chegou ao Brasil e não tenho intenção nenhuma de vender o carro. Também moro em BH e o carro vive na estrada levando com todo conforto e segurança a família e aproveitando o teto panorâmico, as 5 poltronas individuais e reclináveis, o couro francês de altíssima qualidade, o painel completo e discreto, o ar digital, o desempenho a altura da categoria do carro, a aerodinâmica que deixa o carro econômico e silencioso a médias superiores a 120. Nada de suspensão fraca, barulhinhos, custo de peça cara…Nesse carro, o nível de construção aproxima das versões de entrada de Audi e BMW, mas a um custo realista. Parabéns Pedro, são essas matérias que ajudam a quebrar a desinformação construída. Eu mesmo, se tivesse lido essa reportagem, teria procurado um automático o que devo fazer no meu próximo carro que é um 307 ainda melhor: o 308.

    • Tbm fico feliz de ver estes comentários e a opinião detalhada do Pedro sobre os 307 em geral!!!
      A propósito estou muito, mas muito mesmo interessado a comprar uma 307 sw aqui na minha cidade (Caxias do Sul-RS) e gostaria de saber quanto vc paga +ou- de seguro ?? E se já fez alguma manutenção mais critica nela que eu precise ficar atento quando comprar para precaução???
      Valeu e aguardo retorno…
      Se por um acaso mais pessoas tiverrem mais dicas para fornecerem da 307sw eu agradeço!!!

  58. eu tenho um 307 carro excelente nao tenho que reclamar mais o consumo do meu carro na cidade com etanol 4.1 e na gasolina e de 5.6km nao sei o que eu vou fazer mais tem bluetooth nao consigo conectar tbm so isso que eu tenho para falar do resto e um excelente carro gosto muito da peugeot

  59. ola boa tarde tenho um 307 sedan griffe ano 2006/07 automatico com tudo que tem direito mas somente depois de comprar ele pude verificar que nao tem o mostrador se marchas no painel alguem sabe me dizer se isso é normal?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *