Peugeot em sinal de alterta e Ford confirma novidades

O ano de 2009 acabou bem para quase todas as 10 marcas mais vendidas no Brasil. Na verdade para nove das 10 marcas, que superaram o número de emplacamentos de 2008. Veja:

1. Fiat: 736.917 (2009) x 657.607 (2008)
2. Volkswagen:
684.140 (2009) x 585.078 (2008)
3. Chevrolet: 591.798 (2009) x 539.934 (2008)
4. Ford: 303.698 (2009) x 259.930 (2008)
5. Honda: 125.860 (2009) x 117.601 (2008)
6. Renault: 117.430 (2009) x 115.292 (2008)
7. Toyota: 93.398 (2009) x 80.743 (2008)
8. Peugeot: 81.851 (2009) x 82.399 (2008)
9. Hyundai: 71.039 (2009) x 43.793 (2008)
10. Citroën: 69.215 (2009) x 68.271 (2008)

A única marca que caiu foi a Peugeot, que vendeu 548 carros a menos e foi ultrapassada pela Toyota, perdendo a sétima posição alcançada em 2008. Você pode até pensar que 548 unidades é muito pouco, mas não é. Isso porque todas as outras nove montadoras tiveram aumento nas vendas, sendo que algumas comercializaram quase 100.000 veículos a mais, como a Volkswagen. A Hyundai também quase dobrou as suas vendas. Por isso, a Peugeot precisa ligar o sinal de alerta.

A marca do leão se justificou dizendo que é normal no mercado ter uma queda de vendas no final da vida útil de um modelo, com o início da nova vida de uma “novidade” – entre aspas porque ela se refere ao 206 e ao 207 (este que é o 206,5). Acredito que a marca esteja certa, já que é natural que isso aconteça. Mas a montadora francesa precisa se mover – urgente!
O primeiro ato foi mudar o logo da marca (acima), para dar uma revigorada, o que sempre é bem-vindo. A segunda e mais importante ação é ter uma linha de produtos melhor, maior e mais diversificada e agressiva. O lançamento da picape 207 vai ajudar, assim como o 207 mais em conta (ele realmente evoluiu em termos de câmbio e suspensão se comparado ao 206, por isso merece ser chamado de 206,5). A marca também poderia adiantar a chegada do 308 Sedan, previsto para o final de 2010, para antecipar o “gás” no segmento de sedãs médios, já que o 307 Sedan nunca vendeu bem no Brasil (e teve um 2009 para ser esquecido). O hatch ainda aguenta mais um pouco, mas o lançamento do 308 também não pode demorar muito.

A Citroën também precisa acordar, já que seu aumento de vendas foi mínimo – 944 unidades. Com isso, a Hyundai já virou a nona marca mais vendida do Brasil, deixando os franceses em décimo. O C4 é um bom carro, assim como o seu irmão sedã, o Pallas. Mas o C3, veículo de entrada da montadora, precisa de uma revigorada (ou de um corte perceptível de preços). Não sei se lançar o C3 Picasso, o Pallas 1.6 16V flex, o “carro-imagem” DS3 e reestilizar o C4 Picasso (novidades previstas para esse ano) vão ser suficientes para impulsionar a empresa no Brasil em 2010.

Norte-americanos
Quem confirmou algumas novidades para esse ano (já conhecidas por todos) foi a Ford. Depois de confirmar um alto investimento para o Brasil e de lançar o Focus 1.6 16V flex Sigma, a marca vai ter três novidades principais em 2010. No primeiro semestre teremos o Focus 2.0 flex (finalmente!!), que pode ter 150 cv de potência com álcool (segundo a revista Carro), nas versões hatch e sedã; e o EcoSport reestilizado, para tentar dar um último impulso de vendas para o modelo até a chegada da nova geração do veículo, prevista para o final de 2011/primeiro semestre de 2012.

No segundo semestre será a vez do Fiesta receber uma reestilização mais profunda, inspirada no Figo (acima), seu irmão praticamente gêmeo comercializado na Índia, mas com os faróis e com a grade diferentes (um pouco mais esportivos). Sem dúvida a mudança pode ajudar o hatch da Ford a vender mais, já que ele vai ficar mais atrativo – pelo menos no aspecto visual. Mas o grande lançamento da marca para o Brasil vai ficar mesmo para 2011: o Fiesta europeu. Por esse vale esperar.

Comentários (16)

  1. Eu fico imaginando como estas carruagens francesas (montadas no Brasil e Argentina), ainda encontra otários para comprar, estes verdadeiros bagulhos quando há opção nas enquetes sobre qualquer pergunta, eles sequer tem voto.
    é um verdadeiro bagulho.

  2. Rapaz, tem carro francês que é muito bom. Vide o C4 e 307, que estão praticamente no mesmo nível de Focus e i30. Golf 2.0, Stilo 1.8, Vectra e outros de concepção antiga, apesar de serem ótimos carros, estão um patamar abaixo desses dois franceses. Em alguns comparativos (minoria), o C4 Pallas chegou a derrotar o Civic. E os custos com manutenção não são elevados como antigamente. O brasileiro custa a romper paradigmas.

  3. Por mim se depender da linha 206 e 207 a PEGEOUT continua onde esta numa curva descendente de vendas. Já a linha 307 me agrada principalmente o sedan e a SW, mas neste segmento o preço é igual aos concorrentes que você acaba descartando o modelo. Se continuar com a linha de entrada 207 vai descer ano a ano de posição.

  4. Quanto ao 307 eu posso falar: é mais barato que alguns concorrentes e entrega, em muitos casos, mais equipamentos, o motor com maior potência no segmento e vários itens de segurança, inclusive um controle de tração em baixas velocidades que funciona bem e é pouco comentado pela mídia. É um carro com muitos recursos eletrônicos e uma mecânica robusta atualmente. Conversando bem, dá pra levar a versão Feline completa (cotei há pouco tempo) por 63k, preço bem próximo dos carros mais novos do segmento: i30 e Focus. Como falei anteriormente, Vectra, Stilo, Golf e outros de concepção antiga que ainda são vendidos, estão um pouco abaixo em termos de eletrônica, acabamento, segurança e desempenho. O C4 é basicamente um 307 que foca mais o conforto ao rodar.

  5. E até que enfim parece que a ford está acordando depois de passar anos parada, em relação aos franceses acho que eles deviam adotar o mesmo que a hyundai tem feito, que é optar por um lucro menor e com veículos mais equipados que os concorrentes, pois e raro alguem optar por uma marca francesa quando pode-se compra um veículo de uma das “consagradas” com o mesmo valor e equipamentos.

  6. Caro Renato Parizzi e demais bloqueiros, sem pretenção nehuma de dividir o sofrimento da minha filha Lorena com a Ford: no dia 19/11/2009 ele comprou um Ford Ecosport 2.0 automático ano 2009/2009, após dois meses de uso ao ligar o motor pasmem o volante motor quebrou em pedaços juntamente com a cremalheira, a Pisa quis culpá-la pelo ocorrido como “você deve ter ligado o carro com o motor em funcionamento”, sendo salva pelo mecânico que nunca tinha presenciado tal defeito e este tipo de peça jamais poderia ter quebrado. Aí começou o martírio para conseguir carro reserva, o gerente e o pessoal da Pisa não queria resolver e foram mal educados dizendo que estava fazendo um favor de tentar carro reserva, depois de muito bate boca chegando ele inclusive a chorar eles liberaram um Palio sem ar e sem direção hidráulica, vendo seu sofrimento aluguei um com ar e direção, diante de muitas reclamações na internet com as autorizadas Ford, vou desistir de teu um Focus ou outro carro qualquer da Ford na garagem.
    Entramos em contato com a financeira BV e vamos devolver o carro (devolução amigável), e rezar para no leilão o lance cubra pelo menos o saldo devedor, ontem acabamos de comprar um Honda City para ela que com certeza estará bem servida com este verdadeiro automóvel.

  7. Vocês sabiam que alguns carros da Ford completo não vem o filtro anti-pólen?, que o mesmo dependendo do tipo pode custar até R$ 120,00?, que o filtro é oferecido na primeira revisão, dá para acreditar nisto.

  8. Dantas, afinal eles consertaram ou não o “eco-cai-motor”? E se consertaram, foi custo zero não foi!?

    Essa historia de virar a chave em carro que já está ligado, acontece com todo mundo, principalmente quando vc dirige um carro com um ótimo isolamento acústico. Mais nunca soube de nenhum estrago causado por isto!

  9. Hugoas, o dito cujo ainda encontra-se na Pisa BH aguardando a peça que segundo a Ford-se eles tem 30 dias para a entrega do veículo, está cientificamente comprovado comprar qualquer objeto de valor usando a emoção, é um tiro no pé.

  10. A verdade é que a peugeot subestimou o mercado brasileiro lançando esse (ridiculo) 206,5 (207 oficialmente). Não há desculpas falando de ‘final de vida de carro e inicio de outra’. A marca sequer manteve o mesmo patamar de vendas! E vejamos a Fiat e VW: O Gol IV que teve o fim da sua vida útil não significou diminuição de vendas da marca, muito pelo contrario, continua sucesso de vendas no segmento. E a Fiat, mesmo sacaneando seus clientes, lançando carro de 2010 em janeiro de 2009, manteve espetaculares vendas. Ambas as marcas só crescem com modelos acabando e outros surgindo.

    A tal desculpa esfarrapada da Peugeot só mostra a incapacidade dos seus diretores e líderes, bem como a falta de organização, estratégia e qualidade da marca em relação as outras. Sinceramente, eu só vejo a queda da Peugeot dentre essas 10 marcas lideres… sem dúvidas é a mais fraca da lista. E se falir, o esnobismo francês não nos fará falta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *