Fiat começa suas ações para manter a ponta em 2010

A Fiat não está perdendo tempo e já começou a colocar em ação seus planos para manter a ponta do mercado nacional por mais um ano. O primeiro deles foi lançar e trabalhar melhor os preços de kits de conteúdos para o Punto com motor 1.4.


A versão 1.4 pode agora ser equipada com o Kit Comfort, que traz ar-condicionado, volante com regulagem de altura e profundidade, para-brisa degradê e acabamento prata no painel. Seu preço: R$ 1.160. Separadamente, os mesmos itens somados sairiam por R$ 4.268.

Já os Kits Creative ficaram mais baratos. Por R$ 1.300, você equipa um Punto ELX 1.4 com o Kit Creative 1, composto por rodas de liga leve 16”, CD Player com MP3, telecomando, retrovisores elétricos, spoiler, painel de instrumentos como o da versão HLX e adesivo Creative. O valor anterior era R$ 1.970. Já o Kit Creative 2 tem os mesmos itens do 1, além do som com a tecnologia Blue&Me. O preço abaixou de R$ 2.880 para R$ 2.200.

Reduções de preço são sempre boas. A Fiat está investindo na versão 1.4 do Punto e prepara caminho para a chegada do Punto 1.6 16V flex, que será o primeiro veículo da marca a ser equipado com o novo motor da Tritec. Finalmente o compacto premium da Fiat poderá sair de fábrica com o câmbio manual automatizado Dualogic.

O segundo plano da Fiat foi equipar todos os veículos da linha Adventure com o Kit HSD – High Safety Drive – composto por airbags dianteiros e freios ABS. Na verdade, os modelos o preço final dos modelos aumentou R$ 1.000 para receber o kit – um ganho de R$ 2.000 quando comparado ao preço em que este opcional era vendido, por R$ 3.075, de acordo com a Fiat.

Vejam os valores de toda linha já com o HSD:

. Palio Adventure Locker: R$ 54.320
. Palio Adventure Locker Dualogic: R$ 56.180
. Idea Adventure Locker: R$ 54.420
. Idea Adventure Locker Dualogic: R$ 56.440
. Doblò Adventure Locker: R$ 61.170

Bem que a Fiat poderia ter equipado os modelos Adventure com o kit HSD sem alterar o preço. Pagar mais de R$ 60.000 num Doblò, por exemplo, é gastar dinheiro demais. Não estou dizendo que o veículo seja ruim; apenas defendo que ele deveria custa (bem) mais barato.

Pelo menos a Fiat reduziu o preço do kit HSD para outros modelos, mas sem repassar nenhum valor extra para os consumidores. No modelos Palio, Siena e Palio Weekend com motorização 1.4 o pacote passou de RS 3.075 para R$ 2.400. Já em todas as versões da picape Strada este item passou de R$ 2.946 para R$ 2.300; e na linha Ducato, o kit HSD foi de R$ 3.700 para R$ 2.890.

Além dos kits e mudanças de preços, a Fiat prepara o lançamento do novo Uno que, a princípio não aposenta o Mille; da nova linha Punto (como citei acima); do Idea reestilizado; e do hatch médio Bravo. Lembrando que 2010 também é o ano da estréia dos motores Tritec.

Comentários (18)

  1. Imperdoável a Strada receber tratamento diferente. Aliás, Renato, todos vocês dos blogs e afins passaram batidos por este detalhe que mereceria prostestos.

    De resto, a Fiat é mesmo a menos pior mesmo.

    Tanto que estou na iminência de somar à minha conhecida Parati 1985 (que não vendo nem troco) uma Tempra SW 1997, daí mesmo de MG. Ou devo comprar uma Mondeo SW 1998 ? O que vc acha, Renato ? Minhas priodades: espaço na mala e interior, qualidade de construção e relação custoXbenefício. Afinal de contas, Renato, quando o Leônidas for trocar o Stilo dele até o Papa votou…

    PS: eu posso, mas me recuso a comprar carros semi-chineses como qualquer 1.0 brasileiro, muito menos financiado. Prefiro pagar 15 mil, nota em cima de nota.

    Herminio, Rio de Janeiro.

  2. Oi Herminio.
    É como eu sempre digo: compre o veículo que te deixar mais feliz e satisfeito. Tanto o Tempra SW quanto o Mondeo SW entram espaços semelhantes para os ocupantes e para bagagem. Talvez o Mondeo tenha um pouco mais de requinte, além de ter a opção do câmbio automático.

    Sobre o custo/benefício, num veículo com mais de 10 anos de uso, vai ser importante o estado geral dos principais componentes do carro, como motor, câmbio, suspensão e carroceria. Veja também se todos os equipamentos estão funcionando bem. Outro ponto bastante válido na relação custo/benefício vai ser o preço do seguro e das peças de reposição. Vale uma boa pesquisa.

    Fica a dica de verificar a qualidade dos airbags, que têm uma validade de 10 anos.

    Um abraço!

  3. Se eu puder dar a opinião também sugiro que vá de tempra, apesar de o mondeo ser vai luxuoso possui uma manutenção mais cara e complicada, nessa iria de tempra que se estiver bem cuidado nao irá dar muita dor de cabeça.

  4. Quem gosta de antiguidade é museu, faça favor seu Herminio se gosta de velharia compre uma Kombi 1960 e seja feliz.
    Da Fiat gostava mesmo era da Elba que canta muito.

  5. Ao krinha que falou em Tempra SW e Mondeo SW. Fique com a Tempra, é muito mais carro que a Mondeo fora que tb tem mais qualidade e praticidade, os para-choques da Mondeo parecem feitos de casca de ovo, vc dá um peteleco e eles quebram. E Renato que história é essa de Mondeo ter mais requinte que Tempra SW? Vc esqueceu que a Tempra tem painél 100% digital, inclusive com a/c digital tb? De noite parece um avião e ñ deve em nada a esses carrinhos moderninhos com seus arcaicos conta-giros. O motor é muito bom e gira suave (graças as arvores de balanceamento) e econômico tb.

    Ela faz curvas como poucas S.W da época (graças tb a suspensão independente) e tem uma estabilidade que o nosso Tempra ñ teve (inclusive, nas retas e nas curvas), muito espaçosa ela tb é, fora que ñ deixa os ocupantes do banco de trás ficarem no calor, e os bancos de veludos são grande se confortáveis.

    Mas obvio que nem tudo é perfeito, ela ñ tem anti-esmagamento, one-touch e temporizador em nenhum dos vidros (one-touch só no vidro do motorista), o que é estranho pois o Tempra tinha tudo isso. Fora que ela tem muitas peças excusivas, são dificeis de achar e o modo mais fácil de ter acesso a elas é atraves de alguem de algum fã clube. Verifique se tudo no painel está funcionando (inclui o diário de bordo, muito útil só p/ constar) e procure saber se seu carro tem ABS, quando as pastilhas estão gastas a luz no painel fica acesa e os donos mandam apaga-la (isso só em carros sem ABS).

    Fora isso só o de sempre, a boa e velha revisão p/ saber da história do carro, se ele foi ou ñ maltratado e talz. Se me lembrar de mais alguma coisa posto aqui.

  6. À propósito, a tampa traseira dela é toda de plástico (assim como a do Tipo) por isso, se ela estirver trincada ou algo do tipo evite o carro ( a ñ ser que ele esteja muuuuuuito bem conservado) pois ela ñ aceita massa e ñ tem conserto, só vai outra. Cuidado tb com o vidro traseiro, ele é uma raridade que custa muito caro. Ñ estranhe se achar algumas sem o limpador traseiro, acontece que o aerofólio dela é do tipo NAPA (ñ me lembro bem se é assim o nome) onde o vento passa por ele é jogado no vidro, fazendo assim a limpeza. Tb pq os limpadores são fáceis de serem quebrados e roubados, observe tb se a porta de baixo (p/ quem ñ sabe, o porta-malas dela abre em 2 estágios assim como o da Marea), ele suporta até 250 KG mas tem gente que esquece…

  7. Seja qual for, pinçarei a dedo um exemplar em excepcional estado de conservação, de preferência de único dono, ainda que custe um pouco mais, esteja onde estiver.

    Considero a faixa de 10 até 15 mil reais, um pouco mais ou um pouco menos.

    Tenho vasculhado seções de “opinião do dono”, comunidades de fãs de determinados modelos no orkut, webmotors, e confesso que a Marea estava na minha lista, mas ela não tem uma reputação boa o suficiente para me encorajar a investir 15, 20 mil e ainda assim dormir tranquilo. Por tudo o que eu já li sobre ela, seria como namorar uma mulher jovem e bonita, mas com uma má reputação no quesito fidelidade. No fundo, eu sempre ficaria aflito. Tanto a TSW quanto a MSW chamaram a minha atenção pela desvalorização. Porém, ao investigas, descobri que ao mesmo tempo que no mercado ninguém as quer, descobri que ambas têm uma legião de fãs que simplesmente as idolatra, enumera uma quilométrica lista de virtudes, e claro, algumas pegadinhas. No final das contas, percebe-se que a absurda queda de preço tem muito mais a ver com a fama que o carro acaba tendo no mercado e pelo custo/dificuldade de manutenção (ambas são importadas) do que por elas terem problemas crônicos.

    A favor da TSW: preço (é a que acho pelo menor valor) e custos mais baixos, inclusive pelo fato de ser 8V, e confesso: sou absolutamente apaixonado pela harmonia do design, tanto interno (com seu famoso painel digital), quanto externo (até o teto do carro tem um charme) – enfim, ela é da época em que ainda se fazia carro para ser bonito.

    A favor da MSW: apesar de ser européia, ela é quase um carro americano – e isso é bom: um imeeeeenso espaço, uma calibragem mais voltada para o relaxamento e uma qualidade de projeto e construção que mesmo tantos anos depois faz qualquer SpaceFox ficar corada de vergonha… Ela ofereçe evidentemente mais que a TSW, porém cobra mais também, em todos os sentidos.

    Seja qual for, pinçarei a dedo um exemplar em ótimo estado de conservação, de preferência de um único dono, ainda que me custe um pouco mais, esteja ela onde estiver – principalmente no Sul.

    Cambio automático, apesar de em tese me agradar, a princípio, prefiro fugir – porque em geral, é de onde saem os maiores custos de manutenção, mais cedo ou mais tarde… Fora que realmente aumenta consideravelmente o consumo. Claro que eu sei que caixas com histórico de manutenção preventiva não quebram assim de uma hora pra outra.

    Se não tiver GNV, instalarei.

    Viu como eu mereço um tópico exclusivo, Renato ?

    Olha quantos comentários…

  8. Já que vc falou em GNV… a Tempra S.W eu ñ sei (temos uma mas nunca colocamos nela) mas tivemos um Tempra que fizemos essa desgraça, vc tem de escolher entre dar sinal de luz p/ Polos, Puntos, Golfs e etc ou receber sinal de luz de Uno, Celta e etc. Esse motor Fiat ñ foi feito p/ receber GNV, ele morre tamanha a falta de força. Ou vc deixa liberado, anda como se estivesse na gasolina mas consome gás que é uma beleza.

    E tem um detale, no ajuste econômico é impossível subir rampas tipo as de shoppings sem ter de colocar na gasosa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *