Impressões: Renault Symbol, a escolha racional

Vamos continuar com os franceses aqui no Impressões do De 0 a 100! Depois de um hatch médio, agora temos um sedã compacto premium, o Renault Symbol, considerado um dos veículos de melhor custo/benefício na sua categoria no Brasil. Quem enviou o material é o Piauí Jr., que já teve uma experiência ruim com um sedã compacto, o Voyage, e que agora está de lua de mel com o seu novo automóvel, o Symbol.

Quem quiser participar do Impressões, como o Leônidas, o Rafael, o Jow, o Hugo, o Bruno, o Joathan, o Leônidas (de novo!), o Hugo Leite, o Pedro e o Piauí Jr., basta enviar um e-mail para renatoparizzi@gmail.com. Fale um pouco sobre o seu carro. Descreva os pontos positivos, negativos e conte alguma coisa curiosa! E não se esqueça de mandar fotos do veículo (só serão publicados posts com fotos). Garanto que a placa (ou algum outro detalhe) não será mostrada.

Impressões do Renault Symbol 1.6 8V

“O Renault Symbol correspondeu às minhas expectativas, pois é a melhor escolha do seguimento – tem o melhor custo/benefício. Um ponto que achei deficitário foi a ergonomia. O botão de abrir os vidros traseiros que fica no centro do carro, o que torna um pouco difícil o seu manuseio. Fora isso, o carro é tudo de bom. Seu consumo é aceitável para um veículo do seu seguimento. Com apenas 350 km rodados, de acordo com o computador de bordo, sua média de consumo urbano é de 9,8 km/l, sempre como o ar-condicionado ligado.

Seu desenho é muito harmonioso, principalmente a traseira. Ele tem um ótimo porta-malas, com capacidade de 506 litros, e um tanque de combustível com capacidade de 50 litros. A visibilidade para o motorista também é boa. Seu câmbio tem as 2º e 3º machas bastante longas, o que torna seu desempenho ótimo na cidade, sem fazer o motor roncar muito e evitando trocas frenéticas. É realmente muito agradável dirigi-lo, ainda mais por causa suspensão, muito confortável. Os materiais aplicados internamente absorvem bem os ruídos e trepidações – é um “um verdadeiro silêncio ao rodar”.

O veículo ainda conta com um serviço de Assistência Assistida por dois anos, o que é praticamente um seguro – diga-se de passagem. Aliado aos 3 anos de garantia total, a Renault fecha com chave de ouro qualquer desconfiança sobre a marca. Entre as nacionais, quais fazem isso? Sem falar no ótimo atendimento que você tem na concessionária da marca.

Um outro ponto que considero desfavorável seria o alto preconceito que se passa nos carros franceses, “compra só quem conhece a marca”. Por causa disso, as pessoas ficam com uma sensação de os veículos ruins. O maior reflexo disso está na revenda. Ou seja, eles são péssimos para revender e ótimos para usar.

Comparativo (fonte: Revista Quatro Rodas)
A Renault mandou bem com o Symbol e ganhou o comparativo. Na pista, fez bonito frente ao 207, mas levou calor do 1.6 8V do Voyage. Exemplos: no 0 a 100 km/h, 11,2 s para o Symbol e 11,5 s para o Voyage, com o troco dado (em desproporção) na frenagem de 120 km/h a 0, com 62,6 m do francês e 56,9 m do alemão. Nessa prova, aliás, o Peugeot ficou para trás, ou melhor, para a frente, bem para a frente: registrou “eternos” 72,9 m. O Symbol e o Voyage cedidos para teste tinham ABS (opcional em ambos, por 1 500 e 3 010 reais, respectivamente), mas o 207 não, pois a Peugeot só disponibiliza o equipamento para o Passion com câmbio automático.

Para equiparar o Voyage ao Symbol é necessário desembolsar 8 675 reais em equipamentos! Retrovisores elétricos, som com comandos no volante, computador de bordo, ar-condicionado, alarme, rodas de liga leve, airbag duplo: tudo isso, pago à parte no Voyage Comfortline, vem de série no Symbol Privilège. Assim, o “Gol sedã” passa de 37610 para 46 285 reais, contra 44 490 reais do Renault, que, de quebra, oferece garantia total de três anos – os concorrentes têm apenas um ano.

Montado sobre a plataforma do antigo Clio Sedan, o Symbol mostra elementos comuns a outros Renault, como volante, piscas laterais e maçanetas externas de Sandero e forração de portas e rádio de Clio. É na capacidade de porta-malas – item decisivo no segmento – que o Symbol se consagra campeão. São 506 litros, contra 480 do Voyage e 420 do 207. Em espaço interno, todos se equivalem, com vantagem para pessoas mais altas no Volkswagen. Mais sóbria, a cabine do Symbol proporciona uma impressão acentuada de requinte, enquanto as dos concorrentes trazem elementos que pendem para a esportividade.

Na guerra dos sedãs pequenos de luxo, o Symbol provou que não veio para brincar. Quer se livrar da imagem de mero substituto do Clio Sedan – que nunca foi um best-seller – e ainda ofuscar um dos nomes mais respeitados da história no segmento, o Voyage. Armas para essa missão ele já provou ter. Agora, é esperar o que o tempo e o consumidor irão dizer.

DIREÇÃO, FREIO E SUSPENSÃO
Macio e ágil, tem comportamento muito similar ao do Peugeot. Nas frenagens, perdeu do Voyage mas foi bem superior ao seu conterrâneo.

MOTOR E CÂMBIO
Melhor que o 207, pior que o Voyage. Por isso, a nota neste quesito também ficou na média.

CARROCERIA
Para um modelo que se apoia no requinte, ter maçanetas, volante, rádio e alavancas de seta e limpadores herdados de outro modelo pode pegar mal.

VIDA A BORDO
Tem basicamente os mesmos comprimento e entre-eixos da concorrência, mas oferece cabine com espaço equivalente e porta-malas maior.

SEGURANÇA
Para ficar ainda melhor, só faltou o ABS também ser de série. De qualquer maneira, vale o investimento extra de 1.500 reais.

SEU BOLSO
A rede de concessionárias gigantesca da Volkswagen não é páreo para a garantia de três anos do Symbol.

VEREDICTO

Contra fatos não há argumentos: dos três, o Symbol é o que reúne de maneira mais racional equipamentos, desempenho, design, garantia e preço. Optar por Voyage ou 207 também não é má ideia, afinal nenhum dos dois ficou muito distante do vencedor do comparativo. Mas é preciso estar ciente de que você pagará o mesmo (ou mais) para levar menos.”

Opinião do blogueiro

Realmente o Symbol tem um dos melhores custo/benefício da categoria. Em relação ao Clio Sedan, o modelo é uma evolução em quase todos os aspectos, especialmente no visual, que me agrada, ao contrário do “Clio + bunda = Sedan”. O bom volume do porta-malas também merece destaque, assim como a lista de equipamentos de série.
Em relação às motorizações, se a família for grande, escolha a opção 1.6 16V por causa do desempenho, especialmente na estrada. O motor também é mais silencioso. Já a versão 1.6 8V é melhor na cidade e para famílias menores. O único problema que vejo no propulsor 8V é o seu funcionamento ruidoso, que é pior no Sandero por causa das vedações acústicas inferiores ao Symbol.

Ainda sobre o sedã da Renault, existem dois pontos que não aprovo: o primeiro é a ergonomia (concordo com o Piauí Jr.). Faltam alguns ajustes, como o de profundidade do volante, e botões em melhores posições, como os de abertura do vidro traseiro. O segundo é o espaço interno, especialmente no banco traseiro. Poderia ser melhor.

Atualização (10/02/10):
Atendendo ao pedido do Piauí:

“Gostaria de me retratar sobre um comentário que fiz há alguns meses. Fui proprietário de um Voyage “preto” completo, com motor 1.0. Mas, a partir do quinto mês, ele só deu problemas.

Eu esperava mais de uma grande marca como a Volkswagen. Mas, infelizmente não correspondeu às minhas expectativas. A partida a frio nunca funcionou. O motor fazia um barulho muito esquisito quando colocado para funcionar, que se prolongava até quando ele estivesse devidamente aquecido e já em movimento. Os freios não expressavam muita segurança, sem falar que, quando recebi o veiculo, logo nos primeiros quilometros, percebi que o carro estava desalinhado e desbalanceado. Foi a primeira decepção de muitas que viriam.

Depois do Voyage aprendi que: QUANTIDADE COMERCIALIZADA NÃO É QUALIDADE E SIM É IGUAL A BODE. QUANTO MAIS BODE, MAIS CABRÍDO APARECE.

Vendi o Voyage com menos de 5.000 km rodados. Ele só vivia em visitas constantes a assistência técnica da VW, como vocês conferem nos documentos de entrada da concessionária. Foi a maior decepção da minha vida…”

28/08/200914/09/200905/11/2009

Comentários (53)

  1. o symbol e o melhor sedan compacto ate 40 mil junto tambem do siena 1.4…

    o symbol ja esta na minha lista de compra de carros ate 40mil, o resultado final renato vc vera no final de março, deve vez e definitivo! aguardem…

  2. Realmente o desenho e bem melhor que o clio sedan, e até pelo comparativo com o voyage ele mostra sua diferença nos equipamentos presentes, so acho que a renault deveria investir mais em divulgar o veículo, pois ele sempre aparece bem em comparativos ou testes mas nao e divulgado, talvez ai esteja a resposta para as fracas vendas dele, e parabens pelo carro Piaui Jr.

  3. Olá Pessoal! O Symbol é um carro muito bom. O seu visual agrada e o acabamento é acima da média para a categoria. Outro ponto é que a mudança no visual demora, não deixando o proprietário com cara de idiota com as mudaças constantes do modelo (exemplo: Fiat Siena). Para resumir: “CONHEÇO QUATRO PESSOAS QUE TEM SYMBOL, TODAS ESTÃO MUITO SATISFEITAS”

  4. Para mim, um dos melhores custo benefício do mercado. Bom motor, bom acabamento, ótima garantia, belo design e excelente por malas.

    E o mais interessante é que ele já vem com duplo air bag de série e é fácil encontrar modelos para pronta entrega com ABS.

    Só não peguei um desses no ano passado porque não preciso de porta malas grande, então optei por um hatch.

  5. Já que tenho pavor das carruagens francesas montadas no Brasil e Argentina pergunto: depois de tanto tempo de lançamento do “Symbol” disfaçado de Clio Sedã porque só venderam 6.457 unidades, enquanto o menos equipados e quiçá mais caro o Voyage vendeu a bagatela de 85.682 uma diferença de 79.225, não me venham com churumelas de preconceito, simplesmente é como o Tiida não caiu no gosto foi pro esgoto.
    Com a palavra os entendidos em franceses do porquê?.

    EM TEMPO: QUANDO É MESMO QUE O “SIMBOL” IRÁ OFUSCAR O O VOYAGE?.

  6. Atenção, antes que algum blogueiro venha com as garras afiadas para cima de mim adianto que, não falei mal do “Simbol” só chamei os franceses montados no Brasil e na Argentina de carruagens.
    Vocês terão oportunidades de me massacrar, só depende do Parizzi(quanta intimidade hein).

  7. É o que eu falei: preconceito. Meu amigo tem um Golf e pretende trocar em um 307 depois que andou. O Peugeot é literalmente superior em praticamente tudo.

    Meu vizinho tem um Civic e fica puto com os recursos presentes no meu carro e ausentes no dele. Além disso, mostrei as notas fiscais das revisões e não são tão diferentes do que ele paga no Honda. A diferença é que meu veículo desvaloriza mais, é um pouco mais caro de se manter, mas tem mais motor, é igualmente confortável, é mais completo e ainda (mesmo sendo hatch) tem um porta-malas maior.

    O francês não vende porque o brasileiro ainda não perdeu o “medo”. Confiança se ganha com o tempo… olhe os chineses começando a crescer no mercado.

  8. Dantas, não sei se vc reparou a Renault é a quinta montadora em vendas no pais, só perdendo para as 4 grandes, ultrapassando a Honda a muitos meses atrás! Ninguém está aqui dizendo que os franceses tem os melhores carros nacionais(apesar de achor que não tem nada no mercado com mais tecnologia embarcada que a Citroen), só estamos dizendo que os franceses tem melhor custo X benefício. Só isso…pra quem acha pouco como vc! Agora pra quem tem dinheiro para pagar modismo, e andar de sedam compacto que custa 73 mil…não liga muito pra isso! O negócio é andar na moda!!!

  9. Em tempo…Os franceses não estão aqui com intenção em serem lideres de vendas, mais em conseguir a sua fatia do mercado! Eles estão atrás dos consumidores racionais! Os outros consumidores, os emocionais um dia irão descobrir o que é custo X benefício.

  10. Dantas, olha o que o Piauí Jr pensava em 11/07/2009:

    Comentário feito no quadro Impressões do antigo site:

    “Autor: Piauí Jr – 11/07/2009 às 15:49
    Comentário: Renato em se tratando de um francês vc já sabe até o que vou dizer….. carro de verdade so VW….. um abraço.”

    http://www.dzai.com.br/renatoparizzi/blog/dezeroacem?tv_pos_tags=impressoes

    O Piauí Jr. virou um consumidor racional e optou pelo custo benefício dos Franceses.

  11. Olha, eu ñ diria que ele é um evolução em tudo em relação ao Clio, ele na verdade é um Clio! O retrovisor é o mesmo, o espaço interno (pífio, p/ dizer o mínimo) é o mesmo, o câmbio e os motores são os mesmo (com excessão ao 1.6 8V). Eu ñ gosto desse carro, acho ele muito feioe desarmônico, o desenho do Clio sedan só tem uma forma de ser resolvido, com um carro totalmente novo.

    O painél dele é realmente bonito, ñ sei se os plásticos são de qualidade, mas só o fato de ter cores claras já ajuda muito (parecer ser maior e deixa a impressão de ser mais arejado).

    E quanto a assistência Assistida, vc já ouviu falar de Clube L’Único? Com o destaque que ele ainda dá bônus tipo um mecânico p/ ir buscar e deixar seja lá onde vc estiver, ter uma central telefônica dedicada a isso e conceder descontos em atividades culturais que sejam patrocinadas pela Fiat. E melhor, ñ se prender a um só carro!

  12. Mas como sempre tem alguem que vem atrás de vender peixe p/ os franceses, vem o sujeito dizer que é melhor o carro passar anos p/ mudar do que evoluir constantemente (ex: Siena). E como se já ñ fosse bastante, vem dizer que o Climbol tem acabamento acima da média… aí é forçar a amizade…

    Aliás, quanto mais um carro demora a mudar, mais fracas ficam suas vendas e por questão de custo as montadoras os depenam sem dó… Mas o brasileiro “inteligente” ñ vê isso, e prefere comprar um carro ultrapassado pq ele vai demorar mais a mudar. Tanto que quando qualquer coisa nova chega (até mesmo um aborto como o Ágile) o povo corre p/ comprar pq já está cansado de ver sempre a mesma figurinha repetida, ou melhor, piorada.

    Eu tiro isso por minha tia, ela só troca um Polo sedan por outro desde 2006 (já trocou 2 vezes de Polo e está em seu 3º) e desde o 1º é tudo sempre a mesma mesmisse, com a diferença que o carro foi ficando cada vez menos equipado (perdeu a direção elétrica, as molas à gás p/ sustentar o capô, a cobertura plástica sobre o motor, entre outros detalhes), claro que evoluiu, enquanto no 1º era possível andar a 30 por hora de 5ª, o novo teve o cambio alongado (embora continue ruim como sempre).

  13. Pois é, foi por isso que largamos o Golf nacional. O brasileiro compra o fator novidade, o preço e o retrocesso (veículos cada vez mais depenados).

    Agora, acho o câmbio do Polo excelente (MQ200). Eu não gosto é do motor.

  14. Com o tempo talvez os franceses adquiram confiança. A FIAT conseguiu apesar do FIAT 147 não ser um dos melhores de nossos carros. Quem sabe RENAULT, CITROEN e PEUGEOT chegam ao patamar de vendas da FIAT lider de mercado. Quem diria isto em 1976, ou mesmo na década de 80 com o lançamento do FIAT UNO em 1984. Lembrem-se o mundo gira a mais de 1600 Km/h e quem esta por cima hoje amanhã pode estar por baixo. Veja a TOYOTA e os recalls, podem não afetar a marca no Brasil, mas em outros mercados mais exigentes como o europeu e americano vai ser um desastre.

  15. Tem gente perguntando a razão dos franceses não venderem.

    Mas basta olhar na enquete da semana.

    Num país que acha o Stilo o melhor hatch nacional, não adianta querer vender bons carros. Para uma grande maioria pouco esclarecida, basta colocar um VW na frente do carro que ele vende, mesmo que a concorrência tenha produtos melhores.

  16. Leônidas, devia ser STILO antes do carro deixar de ser produzido na Europa.

    Hoje, como só é vendido em mercados menos exigentes, acho que virou Stilo mesmo.

    E quando passar a ser vendido só para os brasileiros, deve se tornar apenas stilo.

  17. stilo??? o que é isso mesmo?? ah! é um CARRO!! ao que eu saiba ele vai sair de linha pelo jeito já deu o que tinha de dar humpf! eu tinha um voyage e pelo incrível que pareça era novo mas tive que passar pra frente só me deu RAIVA! AFF! só tinha beleza externa e pouquissimo conforto interno e nada mais troquei por um renault e não me arrependo é um carro que reune tudo o que eu preciso beleza, conforto e desempenho e três anos de garantia!! o que eu preciso mais?? tá de bom tamanho e isso sim é FATO E TENHO DITO.

  18. Wladimir,

    com a Fiat foi diferente, ela ofereeu custoxbenefício, lançou o Uno com mecânica do 147 porém melhorada, com a abertura das importações trouxe o Tipo com preço matador (até hoje ainda é o europeu mais vendido aqui), trouxe o Tempra e modernizou uma categoria que estava jogada as baratas, lançou o Marea (mas tb fez questão de matar o carro) em sintonia com a europa e inclusive, com excessão ao 1.6 16V todos os motores eram europeus, mas diferente das francesas, fez a correta tropicalização. Lançou a Strada que foi outra a revitalizar uma categoria “morta nas calças” e ainda fez com cabine estendida, sem falar na linha adventure.

    Dentre tantas coisas que ela fez que fizeram o consumidor olhar ela com outros olhos. O que as francesas trouxeram? O Gordini? O Clio queima-bomba? O Logan come-cilindro? O Climbol? No passado ela trouxe carros “descentes” mas simplesmente jogou no mercado e os consumidores que se virassem com o resto! Como elas querem conseguir alguma coisa fazendo isso?

  19. Esta é para todos aqueles que acham que quantidade vendida e sinônimo de qualidade…..

    Volks anuncia recall de 193.620 Novo Gol e Voyage para reparo nas rodas traseiras
    Publicidade
    da Folha Online

    A Volkswagen anunciou nesta quarta-feira um recall, que começa amanhã, de 193.620 veículos dos modelos Novo Gol e Voyage ano 2009 e 2010 devido a problemas nos rolamentos das rodas traseiras.

    “A empresa constatou a possibilidade de insuficiência de engraxamento no rolamento das rodas traseiras em algumas unidades”, informou a Volks em comunicado. “A utilização do veículo nessa condição pode causar ruído e o uso continuado pode ocasionar o travamento da roda. Em casos extremos pode haver o desprendimento da roda e, eventualmente, acidentes. Com essa ação, a empresa deverá realizar a inspeção, aplicação de graxa e, se necessária, a troca do rolamento.”

    A ação envolverá os veículos 2009 com chassis de 9P032093 a 9P087269 e de 9T152912 a 9T255796, e 2010 com chassis de AP000001 a AP049248 e de AT000001 a AT051483.

    Os consumidores que possuem veículos envolvidos no recall devem agendar a inspeção e eventual troca da peça em qualquer concessionária da montadora. O serviço será gratuito e o tempo previsto para que ocorra é de aproximadamente uma hora e meia.

    A empresa informou ainda que está enviando correspondências para todos os proprietários de veículos envolvidos nesta ação. Também foram disponibilizados dois canais de atendimento aos clientes afetados: a Central de Relacionamento com Clientes, pelo telefone 0800-0195775, e o site da empresa (www.vw.com.br).

  20. En quanto isso…
    Renault chega a 800 mil carros feitos no Brasil.
    Há 12 anos no país, fábrica atinge número histórico.

    A Renault do Brasil está em festa nesta semana, isso porque a montadora francesa atingiu a marca de 800 mil carros fabricados no Brasil. Todos eles foram produzidos na linha de montagem de São José dos Pinhais (PR), onde a marca se instalou há 12 anos, com um investimento de US$ 750 milhões.

    O primeiro a ser fabricado foi o Scénic e o modelo de número 800 mil foi um Sandero Stepway. Atualmente a fábrica tem capacidade para produzir 200 mil carros ao ano e coloca nas ruas os seguintes modelos: Logan, Sandero, Scénic, Mégane Sedan e Mégane Gran Tour. Ao todo, são 2 mil colaboradores empregados e divididos em dois turnos.

  21. Paulo, você falou bem: ela fez isso no passado. Hoje é diferente (mas eu ainda vejo muitos problemas).

    Fico impressionado em gente que paga mais em um City que tem metade dos itens presentes no 307. Sem falar no motor, espaço, etc…

  22. Paulo, você falou bem: ela fez isso no passado. Hoje é diferente (mas eu ainda vejo muitos problemas).

    Fico impressionado em gente que paga mais em um City que tem metade dos itens presentes no 307. Sem falar no motor, espaço, etc…

  23. Piauí Jr. desculpe a pergunta indiscreta e de certa forma pessoal, mais quanto vc pagou no Voyage 1.0 completo? Apenas para eu fazer uma relação de custo benefício…se não quiser responder, fique a vontade!

  24. Sem puxar o saco apenas o Paulo Freire fez um comentário usando a razão.
    Hugoas, todas as montadoras quem ser a primeira do mundo, mesmo com todas as falhas da Volks no Gol e Voyage, continuam vendendo que nem banana, será que todos que compram estes carros são otários?, a Toyota sem medir esforços e sabendo que teria um prejízo convocou um Recall para milhares de modelos (obrigação dela), dúvido se fosse alguma das 4 grandes e as francesas tomariam tais medidas, o Honda Fit foi também convocado para um recall a partir do modelo 2003 pergunto: alguém sabe se algum Honda Fit pegou fogo através do botão do vidro?, quem conhece automóvel e mesmo usando a razão ou emoção jamais compra uma carroça francesa montada no Brasil e Argentina, eitas carruagens feias. Pagar mais pelos automóveis Honda City, Civic, Fit e Toyota Corolla pode não ter os acessórios que “enriqueçe” os franceses, tem um bom motivo. são duráveis e confiáveis (mesmo depois da tragédia que abalou a Toyota).

  25. Vou escrever pra quem possa interessar, minha opnião a respeito do Voyage.
    Quando anunciaram que iriam produzir novamente o Voyage, fiquei feliz da mesma forma quando anunciaram que o Adriano ia Jogar no meu Mengão. Mais quando vi a primeira avaliação do carro, e vi que a Volks não se deu o trabalho nem de colocar o estepe na posição decente, ficando o mesmo lá perto dos acentos traseiros como no gol, só que no Voyage a mala é mais comprida…digo pelo seguinte, se esses mercenários economizam em uma coisa tão ridícula como essa, fico imaginando o resto.

  26. E quem disse que francês não dura?

    E nunca pagamos mais de 700 reais na revisão do carro.

    O meu tá aí com 71k quase e sem um grilo. Meu amigo tem um com 100k e só trocou os coxins do motor, lâmpadas queimadas e o rolamento do tensor da correia. O carro tá inteiro.

    Renato, para a sua informação, aposto que QUALQUER montadora tomaria atitudes parecidas. O que a Toyota está fazendo no Brasil é NOJENTO. Tem gente que quase morreu pelo problema no acelerador e a nossa Toyota continua dizendo que é o tapete. Eu adoro a marca, confio e recomendo, mas é estranha essa demora em agir.

    Escolha baseada na razão ou emoção? Prazer de dirigir aposto que um francês decente dá mais que seu Honda.

    Escolha racional?

    Aí a balança equilibra: de um lado tem um carro mais completo / beberrão e, de outro, um melhor para revenda e manutenção (pela confiança que a Honda criou no Brasil).

    Beleza é algo muito subjetivo. Chamar um carro que tem acabamento parecido com Honda Civic de carroça eu acho muita falta de noção.

    Falar também que quem conhece automóvel jamais compra um francês é outro absurdo. Pior é comparar um City com um C4 / 307. Pior ainda é um carro inferior custar quase o mesmo preço de outro mais bem resolvido. Um C4 Exclusive BVA é mais carro até mesmo que o Civic top de linha. Cuidado com esse fanatismo.

    A verdade é que, pondo na balança, C4 Pallas, Corolla, Civic e Focus Ghia são absurdamente parecidos. Cada um tem sua vantagem. Essa ideia de que “Honda é o carro supremo” ou “Toyota é o rei” não existe.

    Ilustrando o que citei sobre o recall da Toyota no Brasil: http://noticias.vrum.com.br/veiculos/template_interna_noticias,id_noticias=34976&id_sessoes=4/template_interna_noticias.shtml

    http://www2.uol.com.br/bestcars/comp4/pallas-linea-focus-corolla-11.htm

  27. Não tem dessa de que uma montadora é mais ou menos santa que as outras.

    A questão é que como aqui neste país a grande maioria dos brasileiros só vê aparência, elas tentam nos ludibriar de todas as formas possíveis inclusive “pulando” recalls que são feitos em países sérios só pra não ter um gasto a mais por aqui.

    A vida do brasileiro com certeza absoluta vale menos do que a dos europeus ou americanos.

    Sem mais.

  28. Pagar R$ 5.660,00 a mais por um carro que só tem a mais que o outro 10% a mais de força no motor, é um pouco mais bonito(dependendo do gosto), e está na moda, realmente não compensa, com a diferença dá pra fazer seguro, pagar IPVA, e ainda sobra uma boa grana. Quanto ao R$ 39.990,00 do 1.0(mesmo completo), sem comentários para a Volks.
    Piaui Jr. obrigado pela resposta, e seja bem vindo ao clube do custo x benefício.

  29. Pedro e Mariana parabéns também, a partir de hoje sou francês de carteirinha, faço parte do clube sacrecré dos franceses só presta as muié (para rimar entende?).

  30. Só compara City com sedans médios quem quer. Ou nelhor, quem acha que categoria de carro depende do preço. Eu li a história toda do City, no começo ele era quase um Key Car, ficava alguns degraus abaixo do Civic p/ a Honda abocanhar uma boa fatia do mercado, só na 3ª geração que ele ganhou a opção de um sedan e perua e na 4ª ela já era só um sedan.

    Eu quero chegar no seguinte: o City sempre esteve abaixo do Civic, ñ é pq a Honda cobra o preço de um Civic básico no City completo que ele venha a ser um sedan médio, ele é p/ ser comparado a emergentes como o Cerato e o Linea (que estão entre os médios e os sedans pequenos premium, mas são melhores que os premium porém devem algo p/ chegar aos médios).

    O problema é que aqui o povo compara preços, ñ categorias.

  31. A questão não é bondade e muito menos liderança de mercado. Hoje elas fazem bons carros e não dão dor de cabeça como antigamente. É lógico que como em qualquer lugar tem-se os problemas também.

    Em tempo: estamos de olho no novo Focus, Civic ou Jetta para trocar de veículo ano que vem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *