Impressões: Honda City, um “verdadeiro automóvel”

Hoje temos o primeiro veículo japonês aqui nas Impressões do De 0 a 100! E nada melhor que um dos defensores mais fiéis dos carros vindos do Japão para fazer esta estreia. O carro avaliado é um Honda City LX, do internauta Renato Dantas, que sempre gosta de dizer: “Honda e Toyota são verdadeiros automóveis”. Será que o City dele foi aprovado e pode mesmo ser considerado um “verdadeiro automóvel”?

Quem quiser participar do Impressões, como o Leônidas, o Rafael, o Jow, o Hugo, o Bruno, o Joathan, o Leônidas (de novo!), o Hugo Leite, o Pedro, o Piauí Jr. e o Renato Dantas, basta enviar um e-mail para renatoparizzi@gmail.com. Fale um pouco sobre o seu carro. Descreva os pontos positivos, negativos e conte alguma coisa curiosa! E não se esqueça de mandar fotos do veículo (só serão publicados posts com fotos). Garanto que a placa (ou algum outro detalhe) não será mostrada.


“O Honda City nas fotos é um LX automático. Em sua configuração básica vem de fábrica com ar-condicionado, direção com assistência elétrica progressiva, trio elétrico, rádio/CD (com acesso escondido atrás do painel), MP3 e conexões USB e auxiliar, rodas de aro 15” de liga leve, computador de bordo, airbag duplo, apoio de cabeça e cinto de três pontos para todos os ocupantes; e o sensor de ré, que foi colocado na Honda.

Confesso que fui ver um Cerato e não gostei de ver a cara do Civic no coreano. Como já disse, paguei mais pelo City por uma vantagem que o Cerato, no momento, na minha opinião, ainda não tem: CONFIANÇA, e peças à disposição.

Não vou dizer que o City não tenha, no momento, um lado negativo. Comprei o carro sabendo de seus poucos acessórios, o que acho é um vacilo da Honda. Vejam alguns exemplos. O maravilho som, que mesmo em alta velocidade o volume se ajusta ao barulho externo, mantendo o volume audível (aumenta gradativamente), não vem com o Twiter.

Ele também não vem com o forro da tampa do porta-malas (comprei por R$ 85), nem com o sensor de ré (coloquei), muito menos com repetidores de seta e também sem o ABS (comprei sabendo disso). Falta também acionamento via chave para o fechamento automático dos vidros (mandei colocar R$ 120), que fazem as janelas subirem com um toque.

As vantagens são: é um Honda; o motor flex 1.5, com SOHC i-VTEC de 16 válvulas, gera 115/116 cv com 14,8 kgfm de torque que, sob comando da transmissão de cinco marchas (manual ou automática), movimentam bem o City. Ele não é arisco, mas para meus padrões de uso e velocidades, dá conta do recado.

Fiz o teste indo ao Rio de Janeiro (ver a minha sogra… argh). Durante o trajeto, fiz 120 km/h com rotação 2.500 rpm; a 140 km/h chegou aos 2.800 rpm. O câmbio demora uns 3 segundos para responder ao kickdown – para os padrões está muito bom.

No trânsito, o City, com sua suspensão tipo McPherson na frente e barra de torção atrás (mais rígido), transmite para o habitáculo as ondulações do asfalto, comparando como o Polo Sedan, que é considerado macio.

Os bancos dianteiros (com ajuste de altura só para motorista) são duros. Apesar dos ajustes, você demora um pouco a achar o ponto ideal. No banco traseiro, os ocupantes contam com benesses como encosto reclinável, apoio de cabeça e cintos de três pontos, bem como com apoio de braço, caso se abra mão da presença de um quinto ocupante.

Quando atingir 10.000 km, mandarei as Impressões do City com tudo que tem direito.”

Opinião do blogueiro

O City é um carro muito bom e merece ser chamado, na maneira de pensar do Renato Dantas, de um “verdadeiro automóvel”. Suas qualidades superam seus pontos negativos. Acredito que apenas dois aspectos principais possam ser realmente melhorados: a versão de entrada (LX) poderia sair de fábrica com freios ABS e todas as versões do City deveriam ser mais baratas.

Fora isso, o City é um carro com todas as características de um Honda: pouca manutenção, peças com um valor mais em conta (não são baratas, nem muito caras), e excelente qualidade mecânica, sem contar com a pouca desvalorização na revenda. O rodar do sedã derivado do Fit é firme e o acabamento é bem feito. O câmbio automático de cinco marchas também responde bem. Além isso, ele tem bom espaço interno e excelente espaço no porta-malas.

Como disse o Renato, o motor 1.5 16V flex dá conta do recado, mas não chega a empolgar. Gostaria de saber do Dantas, quando seu veículo completar 10.000 km (ou já agora), qual é a média de consumo do City com etanol e gasolina, na cidade e na estrada.

Comentários (38)

  1. Até entendo que o proprietário goste do City, mas carro custado mais de 50 mil sem ABS não dá nem para chamar de automóvel.

    Muita coisa pode ser relativizada, mas segurança não é uma delas.

    Pelo preço de um City compra-se Focus, 307, Linea, Sentra, Cerato, etc, todos eles contando com ABS e mesmo assim custando menos.

    Quanto à confiabilidade da Honda, eu já tive um Fit e hoje tenho um Focus, e posso garantir que a Ford não perde em nada para a Honda, inclusive no que diz respeito às concessionárias.

  2. Como o Parizzi diz, se está satisfeito com o seu carro é isto que importa! 🙂

    EU, tenho pra mim que comprar um carro pagando mais do que ele vale e ainda sim gastando mais “por fora” pra comprar coisas que deveriam vir de série é demais…

    É por essas e outras que o mercado no Brasil está como está. As fabricantes agradecem!

    Abraços!

  3. Se você está satisfeito com o carro e ele o agrada visualmente, é isso que importa. A Honda é uma excelente montadora e seus veículos possuem uma boa mecânica. São duráveis.

    Gosto do Civic, Fit, Acoord e o City também me agrada, mas um pouco menos que os demais, pois eu não enxergo muito mercado para ele. É, para mim, a única montadora com todos os carros bonitos.

    O bom do City é que ele deve beber menos e tem manutenção mais barata que a concorrência. Agora, eu aposto que dois concorrentes, como um 307 ou Focus versão de entrada, possuem mais itens de série (como ABS) e, de quebra, muito mais motor, espaço interno e melhor acabamento. Outro aspecto que me desgosta nos Hondas é o computador de bordo: não tem metade das funções presentes no CB da Ford ou da Peugeot / Citroen.

    Tive uma experiência muito boa com um Fit 1.5 CVT. Achei o carro muito gostoso.

    Parabéns pelo veículo.

  4. Até agora Parizzi e devido ao preço, tenho colocado só gasolina, a média em BH com ar ligado está fazendo a média de 8km p/litro na maciota, direi mais tarde o porquê da escolha sobre o City.

  5. Está correto Pedro e Mariana, até adaptar-me ao câmbio não estava fazendo o Kickdown corretamente, hoje é menos de 2 segundos, as impressões acima foi na marca dos 1.000km.
    O texto acima é meu

  6. Calma Sr Renato Dantas, foi só uma brincadeira. Gosto muito do City e por muito pouco, muito pouco pouco mesmo, eu não comprei um. Se o vendedor tirasse um pouquinho no preço eu tinha fechado. O carro é muito bonito e é, na minha opinião, o melhor Honda Nacional. Parabéns. É FATO!

  7. Nesse preço, JAMAIS deixaria meu pai comprar ou eu compraria. Na minha opinião é LOUCO quem compra esse carro. É bonito, charmoso, bom, caro, pelado, apertado lateralmente, Deus me livre, entrou eu e meu irmão entramos atrás e sobrou um palmo no meio, isso por que nós temos corpos normais.

    Mas enfim, cada um compra o que quiser.

  8. “Gato por Lebre” é tudo aquilo que não vale o que custa, o que não quer dizer que seja Ruim.
    Se o carro de entrada custasse pelo menos uns 50 mil e fosse completo, eu bateria palmas.
    O carro é Honda e é indiscutível a qualidade, mais como todos os Hondas, não valem o que cobram.
    A Honda arrumou um formula muito boa pra vender o City, vende com preços absurdos fazendo-o concorrer com carros de segmentos superiores, e só consegue enganar brasileiro mesmo. Um carro pra concorrer em determinado seguimento deve ter atributos físicos e técnicos deste seguimento e não só preços desse seguimento. Dizer que o City é concorrente de Cerato, Focus Sedam, Linea, Vectra é uma piada de muito mal gosto!
    O City é concorrente de Passion, Polo, Symbol, é melhor que os 3, mais não a ponto de custar 15 mil a mais.

    Dantas, parabens pela compra, a Honda agradece!

  9. Eu diria que ele é um meio termo. Não é tão carro quanto um Focus, 307 ou Linea e é melhor que o Polo, Passion e Symbol. O problema é que ele é muito menos equipado, menor e custa o preço de carros de segmento superior.

    No entanto, continua sendo um carro muito bom. Só não vejo tanta vantagem em pagar tanto em um veículo 1.5 e absurdamente pelado. Tô achando o consumo dele elevado também: o 307 daqui tem feito 8km/l na cidade e com um motor consideravelmente maior.

  10. Hugoas falou tudo agora: “Um carro pra concorrer em determinado seguimento deve ter atributos físicos e técnicos deste seguimento e não só preços desse seguimento. Dizer que o City é concorrente de Cerato, Focus Sedam, Linea, Vectra é uma piada de muito mal gosto!”!

    Alguém fala isso pras revistas, montadoras e mídia especializada por favor!???

    Leônidas, continua me decepcionando…dizer que o City, caro e pelado, é o melhor carro da Honda no Brasil deu mais uma fora hein!
    Volta pro seu Stilo Leônidas! hehe

    Abraços!

  11. Sobre a questão de o carro não valer o que custa (essa é a discussão que assola os carros da honda, principalmente City e Fit). Hoje li em alguns sites que o VW Novo CrossFox irá custar na faixa de 55 mil (já incluindo o ar condicionado como opcional) fiquei impressionado com esse valor… isso é um absurdo para um carro pelado.. City e Fit estão baratos se comparado com esse Fox “maquiado”.

  12. O City é caro demais. Eu prefiro o Focus, que é bem mais completo. Acima de R$ 50 mil o carro tem que ter obrigatoriamente ABS. Esse é um equipamento indispensável!!!!!
    Por fim, o City pode ter qualidade, mas não me agrada.

  13. ” […] As vantagens são: é um Honda…”
    Enquanto tivermos essa mentalidade sobre marca X ou Y elas vão montar em cima de nós, consumidores!
    A Honda se encontra hoje, no cenário nacional, numa posição confortável, adquiriu confiança perante os clientes e, atualmente, cobra o preço por isso.
    Na minha opinião, ser Honda é apenas uma característica, e não vantagem. Além disso, não gosto do design da traseira do City. Do lado do Civic, parece até um rascunho. Mas isso é gosto e varia de pessoa pra pessoa.
    De qualquer forma, se a Honda extorque o cliente, é porque o cliente se deixa ser extorquido.
    Se a Honda fabricar um Nano e vendê-lo por 50 mil, vale a pena por que é um Honda?

  14. Parece um ótimo carro, entretanto é muito, muito caro pelo o que oferece, mesmo sendo Honda. Pra mim, o Kia Cerato além de ser mais carro, é mais barato apresentando um excelente custo-beneficio. Vejo a Kia e Hyundai futuramente desbancando Honda e Toyota por completo (algo que já acontece pelo mundo) devido a política de preços (principalmente o exagero da Honda) e a qualidade equivalente dessas marcas.

  15. Poço falar do que já guiei KIA CERATO manual simplesmente fantástico. Problema alto custo de manutenção e revenda. HONDA City justifica a compra pela seguraça e valorização na hora de revender. É uma dúvida cruel de ser desvendada e só o tempo dirá se o KIA não seira uma melhor compra, mas por enquanto segue na liderança anos luz o HONDA pela tradição do consumidor que compra de olho fechado.

  16. “Verdadeiro automóvel” my eggs… carro caro e pelado, fora as rodinha linguiça (finas feito a do Polo Bluemotion). Sem falar no acabamento de compacto premium e nos ítens de série de popular…

    Pior, a imprensa “especializada” bota isso p/ brigar com sedans médios tipo o Focus e semi-médios tipo o Linea e o Cerato… óbvio que o dono vai sempre achar o carro dele as mil maravilhas, vê quanto ele desembolsou p/ adiquirir! Eu vo te dizer, se é p/ comprar um City, prefiro arriscar no 307, até francês vale mais a pena que japonês.

    Interessante falarem em confiabilidade, por acaso sabiam que esse motor tb é novo asism como o do Cerato? P/ mim dono de Toyota e Honda que diz ter comprado o carro pela confiabilidade é pq ñ quer adimitir que se arrependeu de ter comprado um popular ao invés de um CARRO de verdade (tipo Sentra, Focus, C4, Linea e etc).

  17. Bem, não vou tentar justificar vou apenas explicar o porquê da escolha pelo City.
    Eu realmente queria um Corolla ou Civic mais não deu, tinha um Polo Sedã 2008 e fui à Volks trocá-lo pelo 2009/10 com câmbio automatizado,estavam pedindo 52.900,00 no 1.6 I-Motion,se optasse pelo Comfotline pulava para 54.500,00,eles pagavam pelo Polo só 32.000,00(fui em três revendas),confesso e já confessei no impressões tomei coragem e fui ver o Cerato como já disse, o carro está descaradamente disfarçado de Honda Civic, não é um carro ruim, pode ter e deve ter suas qualidades e com bom preço,é um pecado um câmbio automático de 4marchas aí pergunto e peças de reposição?, encontra-se fácil?,o seguro?, a desvalorização é superior ao City?, se fosse obrigado a escolher entre as carruagens francesas (excluindo o C-5 e C-6) ou o Kia ficaria com o Kia Cerato sem pestanejar.
    Descartei o Focus pelo péssimo atendimento pós venda da Ford minha filha sofreu demais com o Nhecoesport, quanto as carruagens francesas montados no Brasil nem de longe passo numa (dês)autorizadas,se um dia vier a comprar um francês este seria um C-5 ou C-6, fui na auto japan ver a promoção do City e o LX estava custando 57.400,00 com câmbio automático, e ofereceram no Polo 34.500,00 um pouco abaixo da tabela FIPE, após chorar muito consegui o City por 57.000,00, não pensei duas vezes, hoje com quase 5.000km e depois de dominar o câmbio automático o verdadeiro automóvel Honda City está me surpreendo a cada dia, posso ter pago “caro” para o que oferece porém, a sensação de segurança aliado ao bom atendimento da marca e confiabilidade que você sente quando está dirigindo este automóvel Honda seja dia ou noite é fantástico só experimentando para saber.
    Em tempo o City é considerado pela FENABRAVE como sedã compacto, tendo como concorrente direto os carros abaixo
    1º HONDA/CITY 1.130 1.021 33,98%
    2º PEUGEOT/207 SEDAN 1.006 864 28,75%
    3º VW /POLO SEDAN 598 558 18,57%
    4º FORD /FOCUS SEDAN 357 347 11,55%
    5º GM /ASTRA SEDAN 217 215 7,15%
    Quando tiver 10.000km e o Parizzi concordar enviarei novas impressões.

  18. Eu não vou discordar de você. Andei em um Fit e foi um dos carros mais gostosos que eu pude dirigir. O City deve ser até melhor ao rodar. Agora, no preço você pega carros melhores e de categoria superior, como os citados aqui: C4, i30, 307, Focus e Linea. É aí que fica a crítica.

    Algumas marcas não possuem a confiança criada pela Honda no Brasil, mas elas produzem carros confiáveis sim. E se você chama um 307 ou C4 de carruagens, carros bem superiores ao City, o seu Honda é o quê? Por favor, menos…

  19. Acho MUITO cedo pra se falar em valorização/desvalorização do City…

    Não dá pra dizer ainda se o carro será valorizado ou não quando os usadinhos começarem a pipocar no mercado.

    Convém aguardar.

    E Dantas, depois de usufruir do ABS algumas vezes no meu carro meu conceito de segurança mudou bastante!

    Abraços!

  20. Somente aqui no Brasil… colocam um carro 1.5 para concorrer em uma categoria superior! O City é concorrente direto do Peugeot Passion, VW Polo, Renault Symbol, pode até ser melhor que os 3, mas nunca não a ponto de custar 15, 20 mil a mais. Nada contra os compradores, já disse, é um excelente carro, mas este “ágio” é ridículo.

  21. Eu paguei em um POLO HATCH SPORTLINE SEM ABS e air-bag, trio-eletrico, I-System com sistema de fechamento de vidros, sensor de ré, mas com ar, direção, rodas, farol de milha e que não é i-Motion por 42.000,00 na Catalão da via expressa! O I-Motion tava saindo por 44.500,00 e com ABS e air-bag 48.000,00 ! O Sedan sairia por 47.000,00 com i-motion sem abs e air-bag! E ele tá fazendo com ar 9,5 na cidade!

    Realmente vc olhou na Concessionária errada! hehehehehe

    Sei que o City passa longe de manutenção! Assim como o Polo! R$ 250,00 reais de manutenção para 20.000 km!!!!

  22. DJ VAN PETTEN, eu disse o preço do Polo sedã com CÂMBIO AUTOMATIZADO, I-Motion 1.6 com os opcionais I-System com sistema de fechamento de vidros, sensor de ré, ar, direção, rebatimento do retrovisor externo lado carona, rodas, farol de milha, chave tipo canivete, computador de bordo e outros penduricalhos por 52.900,00, vá lá e confira.

  23. Bom o sedan sai uns 2.500,00 mais caro! Mas esses preços eu consegui para pagamento de 50% e em 24x, eu sou amigo do gerente da catalão! E realmente ele fez este preço! Pode ir lá conferir tb! Até pq tinha um Imotion que na época ele me ofereceu, com tooooodos os itens colocados por vc, por 45.900,00, então o sedan não passa dos 50 mil!

    Na minha casa minha familia jah tem 3 polos! Juro! Por exemplo comprei uma saveiro geração 4 Titan 2010 completa por 32.900,00 e de tabela saia por 38.600,00!

    Esses preços menores eu consegui por disse com ele, não quero nenhuma promoção! E tem outro detalhe! Tem alguns carros que chegam na concessionária com bonus maior! Vou fazer um IMpressões do polo com o valor da NF…..

  24. DJ, já tive três Polos sedans e não tenho nada a reclamar porém, hoje tenho um verdadeiro automóvel que se chama Honda City, e acredite ele te supreende a cada dia, posso dizer que: é fantástico dirigir um Honda.

  25. DJ, Hugoas e Renato Parizzi, será um privilégio para mim convidar vocês para dirigir o nosso City para ter uma impressão do porque ele custa o preço que é cobrado pela Honda, é só enviar o e-mail para mim com seus telefones e marcaremos um encotro.
    Meu e-mail rsmdantas@ibest.com.br

  26. Obrigado Dantas pelo convite, mais creio que não me sentiria confortavel dirigindo um carro com espaço interno inferior ao meu, e que nem ao menos tem bancos aveludados(acho mais confortavel que couro). Espero que vc continue sendo muito feliz com seu verdadeiro automóvel.

  27. A diferença em espaço interno não é tanto assim, quanto ao banco ser de couro ou aveludado, o importante é a ergonomia para não prejudicar a pélvis.
    O convite está de pé.

  28. “Honda City está me surpreendo a cada dia, posso ter pago “caro” para o que oferece porém, a sensação de segurança aliado ao bom atendimento da marca e confiabilidade que você sente quando está dirigindo este automóvel Honda seja dia ou noite é fantástico só experimentando para saber.”

    Olá Renato! Estava com a mesma dúvida de você quando fui comprar o carro novo. O City eu gostei muito no começo, o atendimento (com breakfast) e etc parecia um conto de fadas. Mas logo percebi que o City era inferior aos concorrentes. O próprio vendedor da Honda, meu amigo por sinal, falou baixo “coloque mais 3 mil e pegue um Civic, é mais velho, mas é mais carro.”

    Realmente constatei que a Honda estava “jogando verde” ao vender esse carro por quase 60 mil. Jogou a isca e eu quase eu mordi.

    Eu citei sua frase acima para mostrar que todas as vantagens que você citou são aspectos subjetivos:
    1. “sensação de segurança” não quer dizer segurança. Não tem ABS.
    2. “bom atendimento da marca” é muito bom, mas isso não é ponto decisivo para se escolher um automovel, apenas um ponto de vantagem. O Macdonalds atende muito bem também e nem por isso seu sanduíche faz bem (desculpe a analogia ruim).
    3. “Confiabilidade que sente ao dirigir” se trata apenas de uma impressão. Carro confiável é carro bom, não carro que tem marca. Já vi dezenas de Civics com problemas graves, mesmo sendo Honda.

    Não estou desdenhando sua compra, pelo contrário, está de parabéns por ter conseguido esta vitória (não é qualquer dia que se compra um carro desse nível), só entendi melhor fazer este comentário pois seu post está de certa forma influenciando de maneira errada aqueles que estão comprando um carro novo.

    Resultado, resolvi “arriscar” um Hyundai i30. Marca nova, mas a Honda um dia foi nova também.

    Estou com 10.000 rodados, não tive nenhum problema até agora, concessionária, apesar de ser CAOA, é super atenciosa (vieram buscar o carro em casa para revisão) e acima de tudo paguei R$58.000,00 reais (mil a mais que você) e tenho:

    – ABS
    – Entrada para iPod (alem da USB)
    – Comandos de som no volante
    – Piloto Automático
    – Teto Solar
    – Farois acendimento automatico
    – Limpador de para-brisa com sensor de chuva
    – Retrovisores eletricamente rebativeis
    – Motor 2.0 145cv
    – Suspensão Multilink na Traseira
    – Rodas Aro 17″ 225/45R17
    – 5 anos de garantia
    – Botões 1,2,3,4,5,6 no rádio
    – Escosto de cabeça ativo
    – Faróis de milha
    – Acabamento do porte de carros de luxo
    – Chave tipo canivete

    Para não dizer que sou parcial, a desvantagem é porta malas menor, não ser FLEX, ter seguro, manutenção e peças mais caros. Ou seja, de fato é um carro mais caro de se manter.

    Mas em verdade, o i30 superou meu preconceito (“eu nunca vou comprar hyundai”, dizia eu) e me mostrou que os Coreanos estão dando aula em materia de fazer carros. A qualidade é 2 níveis acima dos carros vendidos no Brasil.

    E eu não fiquei lendo só revistas especializadas não, fui em todas as marcas e testei tudo com afinco. Se fosse pelas revistas estaria com um New Focus GLX, que apesar de ótimo, é peladíssimo e de acabamento espartano.

    Será que a Honda vale todo esse sacrifício?

    De qualquer modo, você está com um belo carro muito gostoso de dirigir, aproveite e curta bastante!

  29. Breno Larsen, obrigado pelos parabéns, como disse antes sou fã incondicional de sedãs e acho bonito alguns Hatchs, no mercado temos poucas opções de sedãs compactos e conforme a Fenabrave são eles:
    HONDA CITY
    PEUGEOT 207 SEDAN
    VW POLO SEDAN
    FORD FOCUS SEDAN
    GM ASTRA SEDAN, não optei pelo Civic porque queria um automático e o preço era R$ 9.000,00 a mais o que pesou na hora da compra.
    Se tivesse que de escolher um francês ou Coreano, com certeza seria o Cerato, já tive três Polos sedãs, o Focus foi cogitado porém, o péssimo atendimento da Ford no pós venda fez-me desistir, e por final o Astrasado da GM é difícil de engolir, após fazer o teste drive no City fiquei encantado pelo automóvel e estou a cada dia sendo surpreendido pelo conjunto todo.
    Parabéns pelo i30 não é a toa que conquistou o 1 lugar, fico com receio dos coreanos na hora de precisar de peças, o retrovisor do i30, custa maai de R$ 830,00 dói no bolso, e leva vários dias para chegar da Corea.
    abraços.

  30. vou dar uma opinião..

    tbem fui comprar um carro na faixa de 55mil..

    tinha um Corolla 2005 Fipe = 34mil

    Golf -Volks pagavam 25mil
    307 – pagavam 29mil
    Corolla – 28mil
    Honda – 27mil
    Kia 34mil…
    ou seja a Kia pagou fipe num cerato completo.
    paguei 2mil amais que pagaria se comprasse a vista , mas 34-2 = 32mil uma boa valorização.

  31. Acabei de adquirir um Honda City (11/11). Estou adorando o carro! Apesar de ser caro, comprei a vista e a RIO Tokio (Botafogo-RJ), venderor Sergio Carneiro me fez um preço muito bom! Veículo LX-AT por 61,300. Eles colocaram Couro, milha, protetores de pára-choques e cárter, tapetes, film no vidros e paguei 62,500. Infelizmente, apesar de saber que não tem ABS, fiquei realmente chateado por fechar o carro e os vidros não fecharem automaticamente! Tive uma Uno 2002 que fazia isso de fábrica! Bem, pra comprar esse carro consultei a revenda e percebi que é alta! Isso me motivou a comprá-lo! Abraços…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *