A volta dos que nunca chegaram – Nissan Tiida

Por essa ninguém esperava! A Nissan confirmou mesmo que vai lançar a versão sedã do Tiida no Brasil até o final de 2011. A marca acredita que o modelo pode se dar bem no mercado nacional. Para isso, o carro terá motor 1.8 flex e deve custar menos de R$ 50.000, para concorrer com versões mais equipadas do Volkswagen Polo e mais simples do Honda City.

Se levarmos em conta que o Tiida hatch vende muito pouco, mesmo com as surpreendentes e recordistas 751 unidades emplacadas em março (16 a menos que o Stilo), o que podemos esperar do Tiida Sedan, que é bem feio? Tudo bem que ele não é nada de horrendo, a ponto de espantar as crianças da sala, mas é um veículo que chegará ao Brasil com predisposição para dar errado.

Para quem não se lembra, a Chrysler anunciou, no Salão do Automóvel de São Paulo de 2008, que lançaria o Tiida Sedan no Brasil com o nome de Trazo C. Quando a marca desistiu dessa proeza, já em 2009, provavelmente por causa do acordo com a Fiat, até os concessionários da Chrysler comemoraram, já que eles não seriam obrigados a (tentar) vender um King Kong (mico é pouco) para os (possíveis) clientes (interessados).

Vamos ver no que isso vai dar.

Comentários (35)

  1. Bem, eles gastaram dinheiro nesse projeto, e alguém tem que compra-lo. Mais não tentendo pq anunciar esse carro para daqui a 18 meses…quando chegar já vai estar velho…mais quem sabe completaço, custando uns 44 mil…custo x benefício é tudo!

  2. Concorrer com Polo? hhehehehhe como disse o Hugoas, so se for muito bem equipado e com preço baixo, e acho que mesmo assim não pode passar de 40 mil, caso contrario vira o mico mesmo.

  3. Seria mais interessante dizer que o carro é mico DEPOIS de ele chegar ao mercado ñ? Se o Ágile vende, assim como o 207 Passion (por lixo) e o 118i (ñ estou comparando carros, só beleza), pq o Tiida sedan ñ poderia vender mais que o hatch? Lembrando que aqui é território de sedan, qualquer outra coisa tem que se contentar com pouco…

  4. A Nissan em matéria de hatch e sedã tá numa pobreza de lascar, já está sofrendo horrores com os feiosos Tiida(quando é a tivolta), e Sentra e agora vai tentar enfiar esse bonobo(os macacos mais sacanas de todo os primatas),no nosso mercado cheios de opções neste segmento, mas haverá sempre um gaiato que vai levar para sua garagem um tranbolho deste.

  5. Pelo menos os caríssimos Civic, City e Fit venderam até o mês de março 27.886, enquanto os horrorosos Nissans da vida venderam 5.721, é realmente o Sedã Tiida Nissan vai fazer o maior sucesso entre os derrotados pela Honda o Toyota.

  6. SENTRA para vender mais teria de ter o visual da versão SE R na versão básica no Brasil. Já esse Nissan aí tem a traseira parecida com a do antigo FIAT Siena, acho que se o modelo entrar com preço baixo e muito bem equipado vai vender muito.

  7. No aniversário de dois mil e nove anos do Senhor Jesus Cristo, apareceram 125.869 pessoas de um tremendo mau gosto e adquiriram os verdadeiros automóveis da marca Honda, e 93.472 da marca Toyota. Neste mesmo ano, 23.275 pessoas de excelente bom gosto adquiriram os carros da Nissan incluindo os lindos Tiida e Sentra, e para completar a beleza vem aí o Sedã Tiida. É FATO(licença Leonidas).

  8. “Contra nºs ñ há argumentos”, mesmo? Pois vamos pensar assim, em 1 ano no Brasil são vendidos 500 mil VWs, e no mesmo período são vendidos 5 mil Audis. Se vender mais significa ser melhor então: VW > Audi?

  9. Se liga Paulo Freire já tomou seu remédio hoje?, misturar meu com bosta não dá certo. Um é um automóvel de origem germãnica (significa alamão)com preço acima de R$ 80.000,00, o outro podemos chamar de “carro” portanto sua comparação foi muito infeliz, tente se redimir e peça desculpas a todos deste blog.

    Em tempo: não esqueça de tomar seu remédio.

  10. Realmente vender mais não é o melhor, no segmento dos sedãs é ter excelência em qualidade.
    Vou listar: Mercedes Benz, Toyota, Audi, Honda, BMW, Volvo, Maybach, Jaguar, Astom Martim, OPpel e
    Uno ops…privada com volante não entra.

  11. Às vezes vender mais não significa ser o melhor. Caso contrário, seria reconhecer que não existem falhas de mercado.
    Talvez seja uma boa opção – melhor que os demais sedans. Mas quem se arrisca?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *