Rock N’ Roll Racing: o game aliciador de criancinhas

Muita ação, velocidade, com batalhas recheadas de explosões e disputas cheias de adrenalina, sempre ao som do bom e velho Rock N´ Roll. Assim podemos definir Rock N´ Roll Racing, um dos jogos de corrida mais clássicos dos anos 1990.

Desenvolvido pela Silicon & Synapse, hoje conhecida como Blizzard Entertainment (famosa por Warcraft, Starcraft e Diablo), e publicado pela Interplay, o game foi lançado para Super Nintendo (SNES) em 1993 e para Sega Mega Drive (Genesis) em 1994, embora tenha recebido uma versão para o portátil Nintendo Game Boy Advance em 2003.

O jogo colocava quatro pilotos correndo entre si, com até dois deles controlados por jogadores diferentes. Cada corrida tinha quatro voltas em pistas cheias de retas, curvas, inclinações, depressões e pulos. Também era preciso ficar atento para não passar por cima de minas, pregos, poças de lava, manchas de óleo, montes de neve, entre outros obstáculos.

Na história (sim, existe uma, embora bem fraca), o jogador escolhe um dos personagens para participar de uma espécie de competição interplanetária de corridas, que é realizado em seis planetas diferentes, cada um com atmosferas variadas: Chen VI, Drakonis, Bogmire, New Mojave, Nho e Inferno.

Diversão garantida com um amigo no multiplayer

Batalha sanguinária

Embora fosse um game de corrida, um dos principais atrativos de Rock N´ Roll Racing era destruir os inimigos durante as disputas. Para isso, o jogador adquiria armamento extra, além de novos motores, amortecedores, pneus e blindagem.

Ao invés de gastar com upgrades, o jogador poderia também poupar dinheiro para comprar um carango melhor. Eram dois básicos, o Dirt Devil (picape) e o Marauder (carro de passeio com o motor saindo pelo capô), idênticos em termos de desempenho.

O Air Blad era a opção intermediária. Seu visual lembrava o de carros do futuro desenhados no passado, com asas. Acima dele estava o Battle Trak, uma espécie de tanque moderninho feito para corridas, já que usa esteiras. O mais caro entre todos os veículos era o Havac, um hovercraft.

Muito Rock N´ Roll

Sem dúvida, o principal destaque de Rock N´ Roll Racing era sua trilha sonora. Só tem clássico: Paranoid, do Black Sabbath; Peter Gunn, de Henry Mancini; Born To Be Wild, do Steppenwolf; Bad To The Bone, de George Thorogood; e Highway Star, do Deep Purple. Numa época de musiquinhas sintetizadas e artificiais, ouvir rock era o máximo.

Para compensar os gráficos inferiores, a versão do Mega Drive acabou recebendo uma faixa extra: Radar Love, do Golden Earring. Carros velozes, batidas, destruição, disputas e uma trilha sonora de fazer inveja. Quantos adolescentes e crianças inocentes não foram mais felizes por causa desse jogo?

Texto que escrevi para o Jalopnik Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *