Depois de 202 edições, um forte abraço para a revista Carro

Nunca comentei isso aqui, mas, há 17 anos, compro, pelo menos, 2 revistas nacionais de carro por mês. Por causa do meu pai, que gosta dela há muito tempo, a Quatro Rodas sempre foi uma das publicações que eu compro. Para definir as outras, experimentei várias revistas até encontrar uma que me agradou: Carro – Revista do Consumidor.

Quando a Carro foi lançada, a Autoesporte passava por uma fase “estranha”, enquanto as outras publicações, como a Motor Show, também não estavam tão interessantes. Por isso, acreditei e investi na revista que hoje faz pate do Grupo Motorpress.

Desde sua primeira edição, sempre comprei a Carro nas bancas. Apenas em 2008 ganhei de aniversário uma assinatura de um ano. Assim que o presente acabou, voltei a comprar a revista nas bancas. Porém, recentemente, na sua edição 200, a Carro passou por uma enorme reestruturação, aproximando a revista do site Carro Online.

Queda de qualidade

As ideias foram boas, mas acho que a revista perdeu em qualidade. O número de “Testes do mês” aumentou, mas a quantidade de texto (e espaço) de cada avaliação diminuiu, levando embora boa parte da profundidade. Tudo bem que o “Teste Especial”, com oito páginas, avalia o automóvel em todos os detalhes. Mas este teste não salva o “pacote”.

Ainda sobre os “Testes do mês”, outro problema é a ficha técnica, que só tem os números dos veículos com etanol. Se o carro é flex, eu também gostaria de saber os detalhes do carro com gasolina, já que tenho a opção de abastecer com o combustível derivado do petróleo.

Não tenho certeza se o número de páginas aumentou, mas sinto que a revista ficou mais espalhada, separando algumas notícias que poderiam estar mais próximas por terem algum tipo de ligação (o que aumenta o estímulo à leitura).

3×4 de poses

Mas o que mais me incomodou foi o aumentou da exposição das fotos dos repórteres e editores, que aparecem, de forma excessiva (mais nas edições 200 e 201 e ligeiramente menos na 202), fazendo caras, bocas e gestos para avaliarem diversos pontos ou o próprio automóvel.

Eu nunca tinha visto isso antes, mas não gostei. Sinto que ao invés de investir nisso, seria melhor ter colocado mais texto sobre os carros para aprofundar a análise. Meu amigo definiu de forma um pouco simplória o que descrevi acima: “compro revista de carro para ver carro, não para ficar olhando homens fazendo caretas”.

Algumas coisas ficaram legais na nova Carro, como o maior espaço para a participação dos leitores/internautas em algumas seções, além da manutenção do ótimo “Teste dos 100 dias”. Mas, ao meu ver, isso é pouco para justificar a continuidade da compra da publicação.

A Carro continua uma excelente revista, com matérias interessantes e diversificadas. Mas, neste formato atual, não me agrada mais. Depois de 17 anos e 202 edições, a partir de setembro de 2010, a Carro deixará de fazer parte da minha lista de “compras certas” do mês. Desejo toda sorte para a revista e agora vou pensar se compro outra publicação ou se guardo o dinheiro para outros fins.

Comentários (19)

  1. Parizzi, a Car and Driver está HORROROSA.

    As avaliações parecem ser escritas por aquele sujeito que se acha o dono da verdade e só sabe soltar pérolas da boca. Sem falar nos dados técnicos inconsistentes (eles variam na mesma revista e até na mesma matéria).

    Dê uma olhada no comparativo do PUNTO 1.6 X POLO X FOCUS 1.6.

    RIDÍCULO.

    Nunca mais compro aquela porcaria. Tomei raiva mesmo da revista. Foi a maior compilação de asneiras em uma só avaliação.

    Caso possam ler o comparativo, recomendo. E, depois, nunca mais passem perto.

  2. Parizzi, como vai, reparou no tempo que não comento nada? hehe
    Deixa explicar o motivo.

    Uso o navegador Chrome e até pouco tempo funcionava um recurso que era mão na roda e que infelizmente não funciona mais.

    Como fico online no Gmail o tempo todo, quando abria outras guias para navegar em sites que são produtos do Google (ex: blogspot, youtube, etc) e o site requisitava um login vinculado ao Google, o Chrome já “entendia” a solicitação e usava os dados da minha sessão aberta do gmail, logo eu não precisava ficar digitando email e senha denovo. O site simplesmente já me logava automaticamente.

    E assim funcionava nos comentários aqui do blog.

    Como o recurso não funciona mais e, por medidas de precaução, precisei mudar todas minhas senhas a pouco tempo, criando senhas mais fortes, e a senha do gmail ficou com 14 caracteres aleatórios, vira e meche fico desanimado de digita-la pra postar um simples comentário… rs

    Eu sei que isso é feio mas até eu me acostumar vai ser osso! hehe

    Sobre a revista, uma pena não termos uma publicação “porto seguro” nas bancas né…
    Também sinto falta.

    No mais é isso.
    Abraço e até mais!

  3. O que da raiva ne algumas revistas, e alguns comparativos que fazem e que uma vez li um comparativo de um carro recém lançado e outro que ja estava no mercado a mais tempo, o recém lançado tinha desempenho inferior, consumo igual, espaço interno em medidas praticamente iguais, o carro foi dito como menos confortavel, valores um pouco mais altos, itens de série um pouco inferiores, ou seja, o maximo que ele conseguiu foi ser igual ao veiculo que ja estava no mercado a mais tempo em alguns fatores e perdeu em outros e no fim falaram que ele levou a melhor por ser mais novo… e brincadeira isso

  4. Sou assinante da Auto Esporte há 3 anos e meio e ainda acho a melhor disparado. Na 4R eu não confio em nem uma virgula. Também fiz o esperimento de comprar a Carro; 4R e AE, e a AE é indiscutivelmente a melhor. Agora, muitas coisas me incomodam na revista como os testes do Airton, que sempre achei que ele puxa o saco da VW. O Daniel Messender é o melhor, mas caiu na qualidade dos textos. Agora o que mais gosto de ler na revista é Segredos e Comparativos.

    Parizzi vc não deixou claro quando se referiu a AE.O que é esquesito?

    Abgraços.

  5. Estas revistas tem o mesmo procedimento das rádios, para você conseguir tocar seu CD se for o caso, só pagando um jabá, para inaltecer certos carros com certeza tem um jabázão por fora.

  6. Renato,

    Também acompanho a 4R há um bom tempo, sou assinante há 15 anos. A revista mudou bastante, perdeu os lindos pôsteres, que é uma das minhas reclamações, mas para mim ainda continua sendo referência em leitura. Já comprei outras revistas, mas como você disse, são fotos de jornalistas querendo apareceu, são matérias compradas etc etc.

    Com o advento da internet,temos inumeros sites pra pesquisar e comparar. Nesse ponto, acreditor ser importante para o desenvolvimento do senso crítico, ou seja, opinião própria.

  7. Oi Vilker.

    Há 17 anos, a Autoesporte estava passando por uma fase ruim em termos editoriais e de conteúdo. Lembro de alguns erros imperdoáveis de informação que mais pareciam erros de digitação. Mas como eles apareceram com frequência, eu desisti da revista. Tudo bem que eu era muito novo na época, mas fiquei mais de 10 anos sem colocar as mãos numa Autoesporte.

    Mas, desde 2008, tenho acompanhado a AE e acho que a sua qualidade tem melhorado. Atualmente ela está muito legal.

  8. Quando eu morei nos EUA, embora eu tenha ganhado uma assinatura da Car And Driver na época, eu gostava bem mais da Road & Track. Os textos, as fotos e os comparativos eram excelentes, mesmo para quem não domiava 100% da língua inglesa.

  9. Parizzi, se a Auto Esporte tinha erros imperdoaveis no passado a 4R tem no presente. Erros como errar até a classificação de um comparativo, ou faltar paginas e depois corrigir o erro no site e tantos outros. Quando ela lança a revista todo mês tem um mundo de gente cada vez mais decepcionado com a publicação nos comentarios do site. Respeito que goste dela, mas eu não consiguo ter essa confiança nela.

    Parizzi, toda vez que lei revistas de carros, seja AE, 4R, dependendo do que é escrito fico na duvida se realmente o jornalista é imparcial. Eu não acredito nisso (imparcialidade), vc acredita?

    Abraços.

  10. Acho a Auto Esporte fraquinha… percebe-se no texto que os jornalistas não são tão ‘especializados’ quanto os da Quatro Rodas. A distribuição da AE ‘brocha’ a leitura e a estrutura das notícias se assemelha mais a um jornal diário, com muitas aspas. O que me mata na Quatro Rodas é o atraso na entrega da revista. A publicação chega primeiro às bancas do que na casa do assinante…

  11. eu compro a 4 rodas ha 12 anos e posso dizer q e mesmo a melhor revista nacional… eu ja vi as outras revistas e nao tem o mesmo padrao de qualidade e informacao…

    a minha 1° edicao q tenho aqui e de agosto de 98…

  12. Eu não compro revistas. Já tive todas e todas são um lixo. O pessoal só falar bem por cima, fazem um teste de menos de 1 dia em um carro e em circuito fechado e já acham que podem dizer tudo dele.

    Nesse ponto, eu prefiro esperar paciente pelos comparativos do Best Cars, lá eles passam 1 semana com os carros, avaliando diariamente e agora tem o quadro “1 mês ao volante”. E nem adinata os defensores de revistas virem p/ cima, eu já comparei as avaliações de 4R, A.E, C/D e C.O e nenhuma foi tão detalhista como o B.C.

    Eles falam de pequenas coisas para os leigos, mas que para nós são detalhes que valem pontos tipo os farois [se são elipsoidais, mobo ou biparábola], abertira do porta-malas [pantográficas ou pescoço de ganso], forração do porta-malas [cobertura plástica muita ou pouca ou se tem só a lataria a mostra com os fios soltos], funcionalidade do p.c de bordo e etc.

    Quem mais faz isso? Ninguem.

  13. Estou com 10.000 kilometros e cada dia afirmo, sou um verdadeiro automóvel, é incrivel, fantástisco, extraordinário deste modelo para o Civic, vai balançar o merado.
    Meu xará, faça um teste drive no nosso Honda City e veja que só tem qualidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *