Para abalar a concorrência, vem aí o Ford New Fiesta

A Ford já está tirando do forno no México a sua maior esperança de expansão para o mercado brasileiro, o esperado New Fiesta. Ele será chamado dessa forma para distanciá-lo do “Old and Ugly” (já que estamos usando siglas em inglês) “Novo” Fiesta “Figo” nacional.


Depois de inúmeros flagrantes, já emplacados, em várias regiões do Brasil, o New Fiesta desembarca por aqui na segunda quinzena de agosto, inicialmente, na carroceria sedã, com motor Sigma 1.6 16V flex, que desenvolve 109 cv de potência e 15,4 kgfm de torque com gasolina e 116 cv e 16,3 mkgf com etanol.

Seu visual agrada, especialmente a dianteira. O modelo tem linhas harmônicas, mas, na minha opinião, tem algo que não “bate” na traseira. Ela não é feia, mas sempre fico com a sensação de que algo está errado em relação ao seu design. Se alguém descobrir, por favor, me avise.

Os concorrentes mais diretos do novo Ford são os sedãs “médio compactos”, ou “médios de entrada”, ou “compactos premium”, como o Honda City e Kia Cerato. Mas Fiat Linea, Nissan Tiida Sedan, Volkswagen Polo Sedan, entre alguns outros, também brigam no bolo.

De acordo com as edições de agosto de algumas revistas de carro nacionais, o New Fiesta Sedan parte de R$ 49.900 com trio elétrico, ar-condicionado, direção hidráulica, rodas de liga-leve, alarme, computador de bordo e CD-Player com entrada auxiliar. Com o sistema ABS de freios, o preço sobe para R$ 51.150, sem airbag duplo. Para compensar, por R$ 54.900, é possível comprar o modelo com sete airbags (dois frontais, dois laterais, dois do tipo cortina e um para os joelhos do motorista), além de bancos com revestimento em couro (padrão Fusion).

Para o mercado nacional, o preço está relativamente bom, muito por causa da lista de equipamentos de série, especialmente a do carro completo – mas, de uma maneira geral, o valor poderia ser um pouco mais baixo. Já em termos de espaço interno, o New Fiesta é mais apertado que o City, por exemplo. O porta-malas leva 440 litros, um volume justo para a categoria. Segundo a Quatro Rodas, embora 1.5, o sedã da Honda tem melhor desempenho e bebe menos na cidade (ele pesa 1.122 kg). Já o New Fiesta (1.162 kg) tem melhor média de consumo na estrada, é mais equipado de série e mais barato. Os dois têm três anos de garantia.

Mas, se pensarmos que o New Fiesta Sedan completo (manual) custa, no México, 206.300 pesos, o equivalente a R$ 28.820 (cotação 03/08), é revoltante o preço do novo Ford por aqui, ainda mais se lembrarmos do acordo comercial entre Brasil e México, que isenta os automóveis importados do México de pagarem os altos 35% de imposto de importação. Assim como muitas outras marcas, a Ford lucra o máximo que puder com isso.

Subindo um degrau

Um dos motivos para a Ford lançar a linha 2011 1/2 do Focus, que já discutimos aqui, seria para distanciá-lo exatamente do New Fiesta. Realmente essa razão faz sentido, já que o New Fiesta completo, com sete airbags, custa o mesmo preço do Focus hatch GLX, que tem o mesmo motor (Sigma) e não vem tão equipado quanto o irmão menor.

Relembrando a linha 2011,5 do Focus, a versão GLX 1.6 passaria a ter faróis de neblina e porta-luvas refrigerado. Já o Focus GLX 2.0 contaria com acendimento automático dos faróis, sensor de chuva, espelho retrovisor interno eletrocrômico, Ford Power (partida sem chave); sistema de som My Connection, com conexões USB e para iPod, bluetooth e com o famoso comando por voz; ar-condicionado digital dual zone; bancos em couro ajuste elétrico de altura e manual lombar do banco do motorista. Já a versão Ghia teria faróis direcionais.

Segundo uma fonte, os preços subiriam cerca de R$ 3.500. Se isso for mesmo verdade, vai ficar a impressão de que a Ford não sabe viver com sucesso. Basta um veículo da marca chegar ao topo por dois meses consecutivos (Focus, em junho e julho), o que não acontecia há muito tempo, para o seu preço ser aumentado – embora a lista de equipamento também melhore.

Acho que a Ford tem tudo para aumentar as suas vendas no Brasil com a chegada do New Fiesta Sedan. A situação ainda vai melhorar quando o New Fiesta hatch der as caras por aqui. Mas, para subir mesmo nas vendas, falta aquele veículo “de massa”. Onde está o Ka quatro portas nessas horas?

Fotos: Ford/Divulgação

Comentários (24)

  1. MUITO BONITO SIM,MAS JÁ DEVERIA TER AIR BAG DUPLO NA VERSÃO INICIAL.
    APESAR DISSO COM O TEMPO VAI SER UM DOS MAIS VENDIDOS DA CATEGORIA.
    (QUE FRETE CARO A FORD NOS COBRA HEIN???).

    Marcus Quintanilha

  2. Quanto aos 35% de imposto de carro importado parece que o KIA CERATO é o carro mais justo com relação ao seu preço no mercado brasileiro.

  3. Achei uma coisa interessante no design….

    Ele não parece uma versão intermediária entre o antigo Honda Civic e o New Civic??? Tipo assim, a frente do antigo modernizada, mais a lateral do atual??? Sei lá, tive essa impressão….Devo ter bebido algo ……

  4. O “New Fiesta” têm tudo para emplacar só que mais uma vez a Ford vacilou na traseira pois parece o Peugeot 207 passion!!! Em minha opinião, a maioria dos carros da Ford vendidos no Brasil, possuem uma dianteira bem desenhada, porém a traseira é completamente fora de harmonia.

  5. Excelente estratégia da Ford. New Fiesta chega para liderar o segmento já que com esse preço fica difícil para Cerato, City e cia (apesar de que na minha opinião o New Fiesta está numa nova categoria entre Polo Sedan e Cerato/City).

    Aliás, coitado do Polo Sedan que mesmo mais barato provavelmente perderá muito espaço no mercado para o concorrente maior e melhorado. VW que se prepare para reduzir preços ou colocar mais opcionais de série na linha.

  6. O “novo Fiesta” parece uma mistura de vários carros: dianteira do Focus com grade cromada “a la Fusion” e traseira do Peugeot 207 Passion, tudo inserido em uma carroceria de Honda City. Ficou no mínimo interessante…

  7. Se emplacar o preço e vender bem para que baixar o lucro?

    Não mexe em time que está ganhando! Mas o consumidor que se exploda!!!!

    Já viram pessoas que tem um carro de 70 mil e mora em um apertamento de 120 mil?

    Então! To quase comprando um MOTO-HOME!!!!!!!

  8. Tudo bem, pode até ser muita grana, mas quem pagou mais caro ao comprar carros “pé-de-boi” como o espartano Polo e pelo City (fabricado para mercados exigentes como o Brasil e Tailândia) deve estar se mordendo!

  9. Achei o Fiesta muito interessante. Muito mais que o City! Quanto à traseira, acho que não deve ser fácil fazer um sedan compacto ser bonito nessa parte, por causa da falta de largura dos carros dessa categoria. Fazem o terceiro volume alto para aumentar o porta-malas e acaba ficando desproporcional (como o Polo Sedan também é estranho visto de trás)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *