Volvo C30 T5: um avião pregado no chão

Reproduzo abaixo um dos meus textos para o Jalopnik Brasil. Sempre achei os carros da Volvo excelentes, mas um pouco “caretas”. Porém, de uns anos pra cá, a marca evoluiu muito em vários aspectos, sempre mantendo a segurança como o “carro chefe” (com o perdão do trocadilho). Hoje, de careta, a marca não tem nada. Prova disso é o C30 T5, que me surpreendeu.

“O tempo necessário para se adorar (ou não) um carro varia de acordo com cada motorista. No meu caso, preciso de 24 horas pelo menos para conhecer, de forma profunda, cada detalhe do automóvel. O tempo não foi o ideal, mas como uma noite bem dormida, ficar 8 horas a bordo de um Volvo C30 T5 foi como um sonho.

Uma pena que foram apenas 8 horas, exatamente o tempo dito por muitas pessoas (e profissionais) como o ideal para uma boa noite de sono. No meu caso, foi para uma “boa tarde de sonho”. As poucas horas não foram suficientes para saber tudo sobre o C30, mas me entrosei com o carro de forma tão espantosa que garanti grandes momentos de diversão.

Logo de cara, antes de entrar no C30, reparo como as rodas estão nas extremidades do veículo, o que garante boa estabilidade. Passados alguns minutos apreciando o visual, que tem a frente musculosa e a traseira cheia de curvas, entrei na cabine e, facilmente, encontrei uma excelente posição para dirigir. Por causa do teto solar (e da minha altura), minha cabeça raspava no teto, mas nada que atrapalhasse.

Giro a chave, mas não ligo o carro. Fiquei apenas observando as luzes do painel e conferindo os detalhes do acabamento: acima da média em relação aos hatches médios do mercado, mas inferior aos irmãos maiores da Volvo, como o XC60 e o S80. O espaço interno é ótimo para dois adultos, embora o C30 leve até quatro pessoas – cinco seria exagero. Nem me lembrei de olhar o porta-malas, já que o mais me interessava estava debaixo do capô.

Finalmente ligo o carro. Começo a ouvir um grave e belo ronco, que fica ao fundo, como uma música que, ao mesmo tempo, relaxa, valorizando o “sonho”, e que faz o me faz querer pisar fundo no acelerador para ouvir a “orquestra e todos os seus cavalos”. Piso de leve no acelerador e o C30 já mostra porque a sigla T5, localizada na parte traseira, faz toda a diferença. A versão comum, equipada com motor 2.0 16V, tem “apenas” 145 cv de potência, o que garante uma diversão semelhante à de um Ford Focus 2.0.

Já no Volvo C30 T5, força é o que não falta. O motor 2.5 turbo desenvolve 230 cv de potência e 32,65 kgfm de torque. Não pude compará-los pessoalmente, no mesmo dia e local, mas tive a nítida impressão de que o C30 despacha, sem dó, outros esportivos, como Punto T-Jet, Golf GTI e até o poderoso Civic Si. Até o saudoso Tempra Turbo, o Trovão Vermelho, leva um binóculo. O conjunto motor/câmbio e a carroceria hatch do C30 “casaram” com uma harmonia que eu não via há muito tempo.

O trânsito da cidade estava surpreendentemente bom para um dia de semana. Caminho livre para desfrutar do hatch médio da Volvo não só na cidade, como também na estrada. O C30 T5 ganha velocidade com uma ganância que impressiona. Ele não se cansa de pedir marchas, fazendo o ótimo câmbio automático Geartronic, de cinco velocidades, ficar carente de uma sexta marcha.

Muita segurança

Na estrada foi possível notar porque o C30 parece um avião que não voa, tamanha a sua estabilidade. Os controles de estabilidade e tração funcionam excepcionalmente bem. Mal o carro começa a desgarrar nas curvas e a “dupla” já domina completamente a situação. Os sistemas aumentam muito a segurança, mas reduzem consideravelmente o prazer da direção esportiva.

O C30 T5 é equipado de série com ar-condicionado, direção assistida, sistema de som com oito alto-falantes de 40W, controle de audio no volante, trio elétrico e bancos com revestimento em couro. Falar de um Volvo sem tocar no quesito segurança seria injusto. Além dos sistemas citados acima, o hatch médio sueco “chinês” tem airbag duplo frontal, airbags laterais e do tipo cortina, freios ABS com EBA, Sistema de Proteção Contra Lesões na Coluna Cervical (WHIPS) e Sistema Inteligente de Informação (IDIS).

Nem mesmo os motoboys transformaram o sonho num grande pesadelo. O C30 conta com um equipamento essencial para as mudanças de faixa, que trabalha em auxilio aos retrovisores laterais, chamado de BLIS. O dispositivo monitora os pontos cegos do veículo, avisando, por meio de uma luz laranja e de um alerta sonoro, que fica próxima aos retrovisores externos, se algum veículo (motos, em sua maioria) estiver no ponto cego, ajudando a evitar um choque.

O sono e o sonho só acabaram na hora na hora de devolver e olhar o preço do Volvo C30 T5, que beira os R$ 120.000. O valor é alto, mas a segurança, o visual e, principalmente, a diversão compensam o investimento.” (fotos: Renato Parizzi e Volvo/Divulgação – interior)

Comentários (31)

  1. Agora sim Parizzi, estamos falando de “CARRO”(com todas as letras maiúsculas)no seu blog. Ainda não tive o privilégio de “pilotar” este modelo da Volvo. Mas, além dos seus comentários a respeito, conheço alguns poucos que tiveram o mesmo prazer que você, detalhando de forma parecida esta experiência. São modelos feito este que separam o que realmente é um “CARRO” de uma carroça sobre quatro rodas! Pois, só de se falar em VOLVO já podemos ter a idéia que é uma verdadeira máquina.

  2. Acho que a sua próxima analise tem que ser de um AUDI A3 Parizzi … mesmo tendo a fama da volvo de fazer carros caretas, ultima mente seus Designers estão criando uma nova identidade para a marca onde é aliado a beleza com a segurança …. muito show esse carro …. agora falando de Brasil com uns 55 mil ja é possível comprar um volvo c30 usado para pelo menos sentir o gosto de pilotar um carro totalmente atípico do nosso mercado … PS: carro bom é Fiat STILO …

  3. Acho que a sua próxima analise tem que ser de um AUDI A3 Parizzi … mesmo tendo a fama da volvo de fazer carros caretas, ultima mente seus Designers estão criando uma nova identidade para a marca onde é aliado a beleza com a segurança …. muito show esse carro …. agora falando de Brasil com uns 55 mil ja é possível comprar um volvo c30 usado para pelo menos sentir o gosto de pilotar um carro totalmente atípico do nosso mercado … PS: carro bom é Fiat STILO …

  4. Antigamente os carros da Volvo tinham design conservadores o que mudou um pouco ao longos dos anos. Já dirigi alguns modelos e é simplesmente fantástico. Agora, dizer que Volvo “é carro de velho e pé de moça”? Putz!! Isso é coisa pra quem tá acostumado a dirigir lixos “esportivos” da FIAT, VOLKS, GM, etc;
    O FIAT Stilo é um típico carro de farofeiro metido a “playboy” que só dirige aos sábados e domingos, pq não tem condições de manter ao longo da semana!!rs,rs,rs…

  5. Parizzi, achei show sua análise.

    Mas no preço, eu iria sem dúvida nenhuma no A3 Sportback.

    Já pude conferir o bicho pessoalmente e o carro vale o investimento.

    Tente andar em um e contar as impressões pra gente.

    Abraço,

    Pedro.

  6. É um Volvo merece todo respeito agora chamá-lo de carro é um desrespeito total que juntamente com a Mercedes, BMW, Audi e Porsche são verdadeiras obra de arte sobre rodas, o Volvo tinha seus modelos quadrados mas eram e são recheados de segurança.
    É FATO (licença Leônidas).

  7. Sr. Bruno Medina, segue minha relação de alguns lixos esportivos: FIAT=Stilo, VW=Golf, GM=Astra,Vectra GT, etc… Levando-se em conta o fato do blog ser democrático, coloquei a MINHA OPINIÃO. Não quero alimentar discussões vagas e fúteis que não levam a nada! Agora, chamar alguém que não se conhece de “armagurado” pura e simplesmente por expôr sua opinião em relação a algo, é muita ignorância né??

  8. Pelo menos a farofa é feita com farinha de morro alto, região perto da Metrópole do Norte de Minas também conhecida como Bocaiúva. Sou farofeiro mesmo e adoro ser e farofa com frango assado é bom demais. STILO e farofa, tudo a ver. É FATO!

  9. Além da farofa com frango ser gostoso! Vale lembrar que um Passat CC e o Sciricco não ficam nem um pouco atras! Lembre que vc está comparando “esportivos brasileiros” com esportivos internacionais! Aposto que um Golf VII é algo que vc nunca viu! Phaeton tb! Espero que vc não esqueça do video da volvo demostrando a segurança do carro q não funciona batendo atras de um caminhão! Aliás! A volvo não é mais européia! Mas sim chinesa!

    Abraço Célio!

  10. Caro Célio, era isso que queria saber…
    Se você falou de esportivos “lixos” e coloca o Golf na lista só posso entender que está falando do GTI e isso já mostra que seu conhecimento sobre carros deve ser bem limitado!
    Te chamei de amargurado e com razão basta ver seu post.
    O engraçado é que vc não gosta de ser chamado assim mas quem chegou primeiro rotulando que “…O FIAT Stilo é um típico carro de farofeiro metido a “playboy”…” foi você mesmo!
    2 pesos 2 medidas né?

    Mas enfim, voltando à discussão é verdade sim que no BRASIL (um país que NÃO é de primeiro mundo, lembremos) existem muitos carros que são ditos “esportivos” mas são uma grande palhaçada, sem dúvida. Maaaas felizmente não são todos.

    Sem mais.

  11. Caríssimos, não me interpretem de forma equivocada. Até peço desculpas àqueles que se sentiram ofendidos.
    Não vamos baixar (ainda mais) o nível das discussões, o que não levará a nada!

  12. Vamos tomar uma cerveja e esquecer o passado, os alemães e suecos entendem do babado.
    Já chagamos a incrível marca de 1.264
    reclamações contra a Renault contra,
    GM 1.229 (80 anos de Brasil)
    Ford 1.502 (+ ou- 70 anos de Brasil).
    Volks 1.604 (+ ou- 70 anos de Brasil).
    Fiat 1.308 ( 30 anos de Brasil).
    Honda 772 (incluindo motos).
    Peugeot 864
    Citroën 858
    Toyota 98.
    Com mais um ano a Renault vai para o primeiro lugar.
    Fonte: reclameaqui

  13. Nesse comentário do dantas, acho que e bom destacar e a quantidade que vendem pela quantidade de reclamaçoes, visto a ford que vende menos carros das 4 grandes e so nao tem menos reclamaçoes que a Volks.

  14. renato Parizzi li no reclameaqui mas não quero acreditar, veja o drama deste pai.
    Em 25 de julho de 2010, na entrada da cidade de Alegrete – RS, meu filho, proprietário do veículo identificado acima (abaixo), sofreu um acidente, no qual perdeu a vida, de imediato, com um PEUGEOT 207 HB XS 1.6 FLEX.
    No boletim de ocorência consta que o motorista perdeu o controle do carro, sem testemunhas do fato. Sua acompanhante, que estava com o banco do carona abaixado e virada para o lado da porta, disse que ouviu um barulho muito forte e que viu que meu filho não conseguio controlar o carro, que saiu da estrada e capotou.
    Ao sair do carro, a primeira coisa que ela viu foi o motor do veículo, pois o capô não se encontrava onde deveria estar.
    Agora, quase dois meses depois, vi na internet que a PEUGEOT está chamando carros desse modelo 2009/2010, com o chassi um pouco diferente, para RECALL, pois o torque dado nos parafusos que prendem o capô está incorreto, podendo ocasionar a abertora do capô e possíveis acidentes.
    Continua.

  15. Continuação.
    A minha queixa é a seguinte: Creio que todos os veículos desse tipo e modelo, independente do número do chassi, pois a diferença pode ser uma questão de dias, devem ser chamados para RECALL.
    A PEUGEOT tem a obrigação de preservar a vida dos seus clientes, além de lhes vender um produto de qualidade. Solicitei à perícia daquela localidade que, em função dessa nova informação, buscasse a veracidade dos fatos.
    A vida do meu filho já se foi mas, a PEUGEOT, pode salvar muitas outras se tomar medidas preventivas e melhorar o seu controle de qualidade.
    Poderia acontecer com qualquer marca, minha indignação é o descaso para com o consumidor ajudado por uma legislação deficiente para o setor, no país de origem seria devidamente punida.

  16. É engraçado como pessoas já ficam de cara dizendo que o A3 Sportback é melhor, Volvo nunca, e tudo mais. Provavelmente são pessoas que não estão acostumadas à este nível de veículo… O C30 T5 é mais confortável e até mais bem equipado que o A3 Sportback (o BLIS é um espetáculo à parte). Vocês não sabem que suspensão terrível (para o Brasil) tem o A3. Ele seria bom para rodar em piso 100% liso, mas aqui no Brasil é um desconforto só. Pesquisem sobre o assunto.

    Além disso o C30 T5 sai por R$ 110 mil e o A3 sportback por R$ 123 mil…

    Meu amigo, ambos são carros muito superiores a quaisquer outros nacionais, ou importados na mesma categoria…. BMW? Só o 118i ou o 120i que são capados, com motor muito inferior (mas muito bons ainda assim). Mercedez não tem hatch, só o CGI 180 por R$ 116 mil… Sou mais o C30 T5 e o Sportback…

    Agora, como não gosto de repetir carro, provavelmente vou sair do C30 para o Sportback… Aí vou poder até fazer novo post aqui com mais propriedade para dizer qual é o melhor dos dois… Só com um pouco de uso diário para dizer…

    Abraços

  17. A concerssionaria Volvo Rota Premium em Salvador Bahia deixa a desejar, um orcamento e uma complicacao e botam a culpa no sistema de imformatica , absurdo e comprar um volvo e ter problemas . Nao recomendo !!!!!

  18. Discordo. Tenho um Volvo C30 e com menos de 20.000 km deu problema no comando central. Trocaram, ou dizem que trocaram, e agora deu problema de novo. Não comprem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *