Quilinhos extras que fazem a diferença (para pior)

Espero que não seja uma tendência, mas muitos dos últimos e esperados lançamentos do mercado nacional sofrem com o mesmo problema: excesso de peso! Do que adianta os carros saírem de fábrica equipados com motores modernos se os quilos extras acabam com a eficiência (bom desempenho x boa média de consumo)?

Fiat-Bravo-Absolute-Brasil-flex

O belo Fiat Bravo, com o motor 1.8 16V E.TorQ debaixo do capô, pesa 1.340 kg (Essence), 1.345 kg (Essence Dualogic), 1.355 kg (Absolute) e 1.360 kg (Absolute Dualogic). Já a versão T-Jet, com propulsor 1.4 turbo, pesa 1.370 kg. Pelo menos a Fiat é clara e revela o peso do carro no seu site, diferente da Ford, que parece esconder na sua página oficial o peso do seu hatch médio (me avisem se vocês encontrarem!).

Segundo informações oficiais divulgadas para a imprensa em fevereiro de 2010, o Focus 2.0 pesa 1.338 kg (GLX), 1.353 kg (GLX automático), 1.356 kg (Ghia) e 1.371 kg (Ghia automático). Não achei quanto as versões GL e GLX 1.6 16V pesam, nem a nova Titanium. Interessante comparar o peso do modelo vendido por aqui com o Focus comercializado na Argentina. Segundo a Ford de lá, que publica os números de peso de seus modelos no site, o Focus 1.6 16V Sigma a gasolina pesa 1.257 kg, seguido pelo 2.0 a gasolina manual, com 1.327 kg, e pelo 2.0 automático, com 1.339 kg. Por curiosidade: o Focus 1.8 8V a diesel pesa 1.391 kg no país vizinho. Será que o sistema flex tornou o nosso Focus mais gordinho? Não custa lembrar que tenho falado do peso do novo Focus desde 2009.

O Chevrolet Vectra GT também não é dos mais leves, pesando 1.283 kg (GT manual), 1.325 kg (GT automático), 1.303 kg (GT-X) e 1.345 kg (GT-X automático). O Peugeot 307 é outro que está acima do peso: parte dos 1.302 kg (1.6 16V Presence) e chega até 1.368 kg (Feline 2.0 16V).

Em relação aos concorrentes, segundo os respectivos sites oficiais, o Nissan Tiida hatch pesa entre 1.195 kg (S) e 1.262 kg (SL automático); o Chevrolet Astra pesa 1.220 kg, e o Citroën C4 pesa entre 1.200 kg (GLX 1.6 16V manual) e 1.292 kg (2.0 Exclusive automático). Já o Volkswagen Golf 1.6 pesa 1.193 kg (o site da VW é confuso e não me permitiu encontrar os dados das outras versões).

Como vocês perceberam, considero que o hatch médio é gordo quando ele pesa mais de 1.300 kg. Modelos dessa categoria não deveriam passar dos 1.250 kg, ainda mais aqueles com motor abaixo de 2.0.

Toyota-Corolla-Altis-Brasil

Mudando de segmento, o Honda Civic tem excelente forma, pesando entre 1.235 kg (LXS manual) e 1.275 kg (EXS automático). O Toyota Corolla também faz bonito, com pesos variando entre R$ 1.245 kg (XLi 1.8 manual) e 1.290 kg (Altis 2.0 automático). O Chevrolet Vectra começa bem, mas acaba “cheinho”: 1.268 kg (Expression manual), 1.310 kg (Expression automático), 1.308 kg (Elegance manual, 1.350 kg (Elegance automático) e 1.383 kg (Elite automático).

Renault-Fluence-Brasil-flex

Entre os mais novos, só gordinhos. O Volkswagen Jetta 2.0 Total Flex Tiptronic pesa 1.346 kg, um pouco menos que o Renault Fluence, que varia entre 1.369 kg (Dynamique manual) e 1.372 kg (Privilège automático). Já o Peugeot 408 é o obeso da turma, variando entre 1.468 kg (Allure manual) e gordurosos 1.527 kg (Griffe automático). Mais de uma tonelada e meia para um sedã médio! Até o Peugeot 508, que é maior que o 408 (4,79 m x 4,69 m de comprimento; 1,85 m x 1,81 m de largura; e 2,81 m x 2,71 m de entre-eixos), pesa menos: 1.400 kg!

Peugeot-408-sedan-flex-Brasil

Pela lógica simples, quanto menos um carro pesa, menos combustível ele consome e melhor desempenho ele tem. Comparei apenas duas categorias, mas tenho certeza de que outros segmentos também têm carros bem “gordinhos”.

(Fotos: Montadoras/Divulgação)

Atualização
Recebi inúmeros e-mails de pessoas questionando os números que postei aqui. Deixo claro uma coisa: não inventei nenhuma informação. Todos os dados foram retirados de fontes oficiais e, em alguns casos, conferidos em mais de um lugar. Para finalizar, publico abaixo um print do release de imprensa do Focus 2.0 flex divulgado pela Ford em fevereiro de 2010 (clique na imagem para ampliar).
 

Comentários (13)

  1. Olá Parizzi,

    Adoro esses seus posts. Eles retratam bem a realidade.

    Procuro priorizar carros com relação peso / potência próxima de 9kg / cv, tais como o 307, C4, i30, Focus, Corolla e Civic. Estes têm um bom compromisso entre desempenho e consumo. Obviamente o Civic e Corolla, mesmo tendo uma relação parecida com os demais, beneficiam-se do menor peso e da menor cilindrada, portanto possuem menor consumo.

    Quanto ao 307, acredito que o peso divulgado no site da Peugeot esteja errado (fizeram uma confusão há um tempo entre os dados do sedã com o hatch e do manual com o automático). Creio que seja 1315 kg para o antigo 2.0 manual (descontinuado) e 1340 kg para o automático. Isso o torna mais leve que Bravo e Focus.

    O peso influi demais no desempenho. Basta ver o 408, que manteve a mecânica do 307 mas engordou quase 200 kg. Ficou 1,5s mais lento no 0-100 e mais bebedor comparado ao antecessor.

    Carros que passam dos 10 kg / cv estão fora do meu baralho. São minhas últimas opções de compra. É o caso do 408 e do Jetta 2.0 8v.

    O 408 é um projeto para países emergentes. Isso implica em um modelo de pior qualidade construtiva comparado aos europeus. Prova disso são os 120 quilos a mais em relação ao 508 (ainda maior).

    O Fluence, no entanto, apesar de ter relação pouco acima do que considero ideal, possui um bom câmbio que ameniza o problema do peso.

  2. Só pra comparar :

    Um opalão 6 canecos pesava 1300Kgs

    Uma Belina II – 1100 Kg

    Corcel II – 940Kg

    Variant – 950Kg

    Maverick v8 – 1450Kg

  3. Com recheio até o teto de plástico e pesam isso tudo imaginem se fossem montados como antigamente, que utilizava ferro puro até no para-choque, um pouco de aluminio e alguns materiais nobres seria o ideal, quem sabe daqui a uns 20 anos.

  4. Oi Parizzi, realmente são esses os números divulgados.

    Mas aparentemente o site continua desatualizado e a 4 Rodas e demais revistas somente repassam os dados divulgados (de peso) pelas montadoras. Uma outra revista, não sei se foi a Carro ou a Car and Driver, pesou o veículo e comentou que os números divulgados pela Peugeot estavam errados. Quando o motor virou flex o peso mudou, e quando a versão manual foi descontinuada (hoje só existe o tiptronic) a Peugeot não atualizou os dados de peso e desempenho.

    Saiu uma pesquisa por aí apontando que o site com leiaute (isso mesmo?) mais amigável era o da GM e o pior de todos o da Peugeot. Vai ver e é por isso que ela ainda está com tudo desatualizado. Enfim, são apenas 30kg de diferença. Não vai mudar nada mesmo.

    Gosto bastante desses seus posts. Poucas mídias abordam essas informações técnicas.

    Não sei se você viu o comparativo da 4 Rodas entre os sedans (408, Jetta, Fluence e Corolla). A própria revista não cita o peso dos carros. É a análise mais básica ao pegar um veículo para avaliação. O maior problema do 408 é exatamente essa “gordurinha extra”, e não o câmbio ou motor.

    Abs,

    Pedro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *