Conheça detalhes do novo (e possível beberrão) motor Ecotec6 do Chevrolet Cruze

Faltam poucos dias para o lançamento do Chevrolet Cruze no Brasil. Dentro da grande expectativa gerada em torno do modelo, uma delas já está sendo saciada pela própria GM: o motor Ecotec, chamado por aqui de Ecotec6.

Seu nome completo ficou estranho – Ecotec6 1.8 16V flex Dual CVVT. Mas o que importa é que ele desenvolve 140 cv de potência e 17,8 mkgf de torque e 144 cv e 18,9 mkgf com etanol. O 6 do nome é uma referência aos câmbios de seis marchas (manual a automático) disponíveis para o sedã.

A Quatro Rodas já fez o teste do Cruze LTZ automático na sua edição de setembro de 2011. O desempenho foi elogiado, mas a média de consumo foi muito criticada: com etanol, média de 6,6 km/l na cidade e 9,3 km/l na estrada. A mesma revista, em março de 2009, testou o Vectra Elite, automático de quatro marchas, equipado com o bom e ultrapassado motor 2.0 8V Flexpower. A média de consumo aferida foi: 6,2 km/l na cidade e 8,3 km/l na estrada, também com etanol.

Comparando, será que teremos um novo e moderno motor beberrão no mercado? Deixo a resposta com vocês, mas reparo que vários veículos flex estão consumindo muito combustível, como Honda Civic e Ford Ka.

Comentários (9)

  1. Renato, o que seria mais vantagem:
    * um carro somente a gasolina que consome menos, ou;
    * um carro flex que consome mais?

    É possível fazer esta comparação?
    Existe algum carro que possua o mesmo motor aqui e no exterior, sendo que aqui ele é flex e fora não?
    Abraços

  2. Decepção vem de algo que vc não espera e sinceramente eu já esperava que este carro, apesar de bom, custaria muito caro!(além do motor pé de cana)

    Nos EUA é carro que universitário ganha, aqui é carro de “luxo”.
    E já tem lista de interessados em várias CSS!!! #putz
    Até quando Brasilzão???

  3. Existe sim Rod.
    O próprio Cruze tem motor flex aqui e só a gasolina fora, como na Argentina.

    http://www.chevrolet.com.ar/vehiculos/modelos-showroom/autos/cruze/indice.html

    Quando o Meriva bicombustível foi lançado, pedi paraa GM um modelo 1.8 flex e outro 1.8 a gasolina para fazer um teste. Eu faria o mesmo percurso, sempre com gasolina no tanque, respeitando os limite de velocidade da via. Advinha se a Chevrolet me emprestou os carros…

  4. Bom, tenho um fiesta 1.6 motor Zetec Rocam que no alcool faz os mesmo números ou até menos. Levando em conta que este carro da GM é muito mais potente, + pesado e automático, não acho tão mal assim não.

    Não é econômico, mas em comparação com outros modelos não chega a ser um beberrão.

    Conheço também proprietários do FOCUS A/T que reclama consome bem mais do que este mortor ECOTEC da GM.

  5. Bom o dilema gasolina e etanol é grande.

    Motor flex não retira 100% de benefício com gasolia e nem com 100% de etanol. Pois a câmara de compressão do bloco do motor não tira a eficiência total do combustível. Talvez o ideal seja colocar no tanque para cada 5 litros de gasolina 4 de etanol já considerando o percentual de 20% de etanol na gasolino.

    Outro dilema que não tenho resposta até hoje é: O etanol polui menos, mas o carro consome mais e colheita da cana se queima a vegetação. Será que todo o processo do etanol do plantio até a bomba de combustível não polui mais que a gasolina.

    A Europa que é tão preocupada com o meio ambiente investe no diesel de queima eficiente na proporção Km/litro/emição de poluentes.

  6. DEVERIA SER SÓ A GASOLINA COM CERTEZA.
    MAS OS NÚMEROS SÃO IGUAIS OU MUITO PRÓXIMOS AOS DO COROLLA 2.0 E CIVIC FLEX.OU SEJA TEMOS QUE ENGOLIR ESTAS “BOMBAS” FLEX!!

    Marcus Quintanilha

  7. Beberrão acho que não, tenho um crossfox com o ultrapassado motor 1.6 que faz no MAXIMO 8,5 km/l na cidade.Entretanto o preço desse cruze está muito caro, vai acontecer igual o vectra elite, no lançamento vendiam por 90k, depois vendiam por 70k! Outro mico esse daí!

  8. Não sei pq ninguém trata deste assunto com mais vontade(deve ser por medo de represálias das montadoras). Todos os carros que originalmente eram só à gasolina, quando transformados em flex, passam a consumir muiiito mais. Etanol só valeria mesmo a pena, se fosse vendido mais barato e não ficasse ao sabor da ganância dos usineiros. Legal mesmo é carro híbrido ou elétrico. Econômico e praticamente não polui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *