Toyota investe US$ 8 bilhões em pesquisa por ano!?!?


A Toyota, usando a figura do ator Wagner Moura, está com uma campanha, no mínimo, curiosa pelo valor envolvido. A empresa diz que investe US$ 1 milhão por hora (em todo mundo) em pesquisa para o desenvolvimento de produto. Como diz na descrição do vídeo no Youtube, esta campanha, chamada de “Toyota: Qualidade para seu Caminho, exalta a qualidade da marca como diferencial competitivo”.

Quando vi a propaganda ontem na TV, meu amigo me perguntou: “será que a Toyota investe tudo isso mesmo”? Resolvi fazer os cálculos. Se ela investe US$ 1 milhão por hora, logo ela investe US$ 24 milhões por dia e US$ 8.760.000.000 (oito bilhões e setecentos e sessenta milhões de dólares) por ano.

Falei com ele desse número e a resposta veio de bate-pronto: “duvido!!”. Acho um valor realmente alto, mas não chego a duvidar. Os carros da Toyota realmente tem uma qualidade mundialmente reconhecida, por isso acho esse valor aceitável.

Mesmo assim fiquei pensando: será que o meu amigo também tem razão na sua dúvida?

Atualização (30/09/2011)
O internauta Marcelo postou nos comentários um link interessante e que vale ser compartilhado aqui. Reparem na minutagem 1:30. Reparem nos números da Kia e da Hyundai!

Comentários (11)

  1. Tb dúvido!!!!!
    Acredito que Com essa quantia realmente aplicada em pesquisas de ponta teríamos carros extremamente mais seguros e muito mais econômicos.
    Trabalho com pesquisas, de outro ramo, e conheço alguns valores, e talvez por isso não levo muita fé neste número não.

    André Leite

  2. Acredito que seja por hora durante o expediente de oito horas o que daria 40 horas semanais, 264 horas por anos excluindo sábado, domingo e feriado o que daria um investimento na ordem de R$ 2.640.000.000,00, por ano, este valor pode até ser aceitável.

  3. Toyota eleva meta de lucro anual em 40%

    02/08/2011

    A Toyota Motor Corp. aumentou a meta de lucro líquido para o ano em cerca de 40%, prevendo uma recuperação no segundo semestre apesar de uma queda de 99% no faturamento líquido do primeiro trimestre fiscal e do duplo impacto causado pelo desastre de 11 de março e o aumento do iene.

    A maior fabricante japonesa de veículos, em volume, também informou que planeja compensar a perda na produção um mês antes do previsto. Isso pode ajudá-la a recuperar o terreno perdido na disputa para tornar-se a maior montadora mundial, juntamente com a americana General Motors Corp. e a alemã Volkswagen AG.

    A previsão mais otimista e a atualização nos números da produção formam um dos sinais mais fortes até agora de que as empresas japonesas estão se recuperando da devastação causada pelo terremoto e o tsunami de 11 março, que abalou gravemente as cadeias de suprimento do país e atingiu em cheio a produção em suas fábricas. Seus resultados também podem elevar as perspectivas de outras montadoras japonesas, como a Nissan Motor Co. e Honda Motor Co. Esta última também elevou ontem suas previsões para o ano.

    Mas executivos da Toyota advertiram hoje que terão de tomar medidas contínuas para lidar com a valorização do iene, que torna menos competitivas as exportações japonesas. A montadora estuda usar mais peças importadas no Japão e componentes locais no exterior, para amortecer o impacto desfavorável da moeda local.

    A Toyota informou hoje um lucro líquido de 1,16 bilhão de ienes (US$ 15 milhões) em seu primeiro trimestre fiscal encerrado em junho. Uma restituição de impostos de 43,19 bilhões de ienes ajudou a Toyota ficar no azul, em uma base líquida. Mas mesmo antes desse benefício, a empresa superou em muito as expectativas de prejuízo de 78,1 bilhões de ienes, com base em uma pesquisa de sete analistas, compilada pela Thomson Reuters.

    “Estamos repondo nossos estoques de peças muito mais rápido do que esperávamos. Isso está nos ajudando a acelerar a produção e reduzir a defasagem”, disse Takahiko Ijichi, alto executivo da Toyota, em uma coletiva de imprensa.

    A Toyota informou que agora espera uma recuperação no segundo semestre que lhe possibilite atingir um lucro líquido de 390 bilhões de ienes no ano que termina em março — um aumento de 39% em relação à sua meta anterior de 280 bilhões de ienes.

    Nos três primeiros meses de 2011, a Toyota vendeu globalmente 1,79 milhão de veículos, caindo para o terceiro lugar, atrás da GM, com 2,2 milhões de veículos, e da Volkswagen, com 1,99 milhão de veículos vendidos no mesmo período de três meses. Com a recuperação mais rápida na produção, a Toyota informou que agora espera um aumento para 7,6 milhões nas vendas de veículos nos 12 meses até março, frente a seu plano anterior de 7,24 milhões. O número pretendido fica pouco abaixo da meta de 8 milhões de veículos, citada no início deste mês pelo presidente-executivo da Volkwsagen, Martin Winterkorn, para as vendas globais da montadora alemã este ano. A GM vendeu 8,39 milhões de veículos no ano passado.

    Apesar da elevação em suas perspectivas, a Toyota enfrenta uma ameaça persistente se o iene continuar a se fortalecer. A moeda japonesa caiu brevemente para 76,29 ienes por dólar durante a noite — pouco acima da baixa recorde de 76,25 em 17 de março.

    Essa queda significa que as mais recentes previsões de lucro da Toyota, baseadas em 80 ienes por dólar, abaixo dos 82 ienes antes previstos, poderiam ser difíceis de atingir, pois o iene mais forte torna os veículos fabricados no Japão menos competitivos no exterior e reduz o faturamento dos mercados externos quando repatriado.

    A empresa divulga seus resultados segundo as normas contábeis dos Estados Unidos.

    http://online.wsj.com/article/SB10001424053111903520204576484060497095964.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *