E se a Lada voltasse ao Brasil? Granta faria sucesso?

Atualmente no Brasil temos carros de origem italiana, francesa, japonesa, coreana, norte-americana, inglesa, além de veículos vindos do México, China e de alguns outros lugares. Infelizmente, não possuimos nenhum automóvel originalmente e verdadeiramente nacional. E também não possuimos, atualmente, o que tivemos o “privilégio” de ter nas nossas ruas nos anos 1990: carros da Lada.

Quem não se lembra dos “emblemáticos” Laika, Samara e do ainda relativamente popular Niva!

Pensando na renovação e buscando voltar a ter sucesso na Rússia, a Lada criou o Granta, sedã que chega para substituir o Samara. Desenvolvido com base no seu irmão hatch, o Kalina, o novo sedã segue a mesma linha do Logan: promessa de baixo preço de compra e manutenção.

Segundo informou a Autoesporte, o Granta básico custará cerca de R$ 14 mil em sua versão básica, com motor 1.6, para-choques de plástico sem pintura, rodas de aço com calotas e janelas manuais. Investindo mais R$ 2.000 na versão Classic, o motorista terá direção hidráulica, travas e vidros elétricos e sistema ABS nos freios. Entre os opcionais, destaque para airbags tipo cortina, controle de estabilidade e GPS.

Obviamente, se a Lada trouxesse o Granta para o Brasil, ele não custaria esse valor acima. Mas pergunto: vendendo o Granta por R$ 21.000 no Brasil, com todos os opcionais disponíveis, e com motor 1.6, será que o sedã faria sucesso por aqui? Antes de opinar, lembre-se dos carros chineses no Brasil.

Se tiver curiosidade de ver um “show de horrores”, clique nesse link para ver o site da Lada.

Comentários (6)

  1. Essa traseira aí tem uns vincos do Hyundai Veloster.

    Mas tanta coisa dos anos 80 continuam sendo vendidas aí no mercado. Se o carro for bom, mas o LOGAN é um anos 80 mais lindo que esse LADA aí. Preço e confiabilidade ditam o mercado, se este carro tiver uma política agressiva como a JAC terá chance, mas se até fábricas mais renomadas estudam anos e anos a vinda para o Brasil o que dizer então da LADA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *