Chevrolet lança o Cruze $port6, meu ex-próximo carro

Finalmente o novo hatch médio da Chevrolet chegou. Como vocês sabem, esta é a minha categoria favorita de carros e, como ex-dono de um Astra, eu aguardava com grande expectativa o lançamento do Cruze $port6 (o hatch derivado do sedã Cruze), que já está sendo vendido nas concessionárias da marca. Gostei muito do modelo e ele realmente tinha tudo para ser o meu próximo carro, mas não vai ser porque eu me recuso a pagar o absurdo pedido pela GM: a partir de R$ 64.900!

  • Chevrolet Cruze Sport6 LT 1.8 16V – R$ 64.900
  • Chevrolet Cruze Sport6 LT 1.8 16V automático – R$ 69.900
  • Chevrolet Cruze Sport6 LTZ 1.8 16V – R$ 77.400
  • Chevrolet Cruze Sport6 LTZ 1.8 16V automático – R$ 79.400

Não vou ficar criticando demais o preço neste post, já que fiz isso no final de março. Mas o valor incial sugerido pela Chevrolet é alto demais.

Para ser interessante no mercado, um hatch médio precisa ter as suas versões com preços variando entre R$ 45.000 e R$ 70.000. Entretanto, a casa de 45 mil já foi superada a tempos, e os valores giram, normalmente, entre R$ 50.000 e R$ 70.000. Mas, nenhum modelo parte de R$ 64.900. Esse é o preço pedido para as versões mais equipadas e quase completas.

É inegável que o Cruze Sport6 LT vem muito bem equipado de série: câmbio manual de seis marchas, airbags duplo e laterais, faróis e lanterna de neblina, controles de tração e estabilidade, freios com ABS com distribuição eletrônica de frenagem (EBD), sistema ISOFIX, rodas de alumínio aro 17, ar-condicionado eletrônico com AQS, computador de bordo, direção elétrica progressiva, retrovisor interno eletrocrômico, retrovisores externos elétricos com desembaçador, vidros elétricos, volante com comandos para acessar as funções do sistema de som, piloto automático e viva-voz através de Bluetooth, central multimídia com sistema de som AM/FM stéreo, CD Player, MP3, USB, entrada auxiliar e seis alto-falantes. Excelente lista!

Mas também é inegável que a Chevrolet deixa um espaço para lançar uma versão mais em conta do Cruze Sport6, retirando alguns equipamentos e reduzindo o preço. Já pensaram se a marca tivesse lançado o seu novo hatch médio com os mesmos equipamentos, mas custando bem menos? Seria um sucesso garantido – e provavelmente estaria na minha garagem num futuro não muito distante!

No mês passado, sugeri os seguintes preços para o Sport6:

  • Chevrolet Cruze Sport6 LT 1.8 16V – R$ 60.900
  • Chevrolet Cruze Sport6 LT 1.8 16V automático – R$ 65.900
  • Chevrolet Cruze Sport6 LTZ 1.8 16V – R$ 70.400
  • Chevrolet Cruze Sport6 LTZ 1.8 16V automático – R$ 72.400

Mas agora vou mais além:

  • Chevrolet Cruze Sport6 LT 1.8 16V – R$ 59.900
  • Chevrolet Cruze Sport6 LT 1.8 16V automático – R$ 64.900
  • Chevrolet Cruze Sport6 LTZ 1.8 16V – R$ 69.900
  • Chevrolet Cruze Sport6 LTZ 1.8 16V automático – R$ 72.400

Ampliando o meu pensamento, praticamente pelos mesmos R$ 64.900, é possível comprar, por exemplo, um Renault Fluence Dynamique 2.0 16V – de outra categoria, mas vale pela comparação. Pagando R$ 2.000 a mais (R$ 66.900), você leva um carro mais leve (Fluence pesa 1.369 kg e o Sport6 pesa 1.410 kg), com o porta-malas maior (530 litros X 402 litros do Sport6), com mais torque (19,9 mkgf e 20,3 mkgf a 3.750 rpm x 17,8 mkgf e 18,9 mkgf a 3.800 rpm), com quase a mesma potência, mas em giro mais baixo (francês: 140 cv e 143 cv a 6.000 rpm x 140 cv e 144 cv a 6.300 rpm do GM), e com o excelente câmbio automático CVT.

Porta-malas do Cruze Sport6 leva ótimos 402 litros

E a lista de equipamentos de série do Renault briga com a versão LTZ do Chevrolet: ar-condicionado digital dual zone, com saídas de ar traseira, regulador e limitador de velocidade, sensor de chuva e acendimento automático dos faróis, vidros dianteiros e traseiros elétricos com função “one touch” e sistema anti-esmagamento, banco do motorista com regulagem de altura, direção elétrica com assistência variável, computador de bordo, volante de três raios com regulagem de altura e profundidade, porta-luvas refrigerado e com porta-latas, chave-Cartão “hands free” com fechamento/abertura das portas através de sensores de reconhecimento, freios ABS com auxílio de frenagem de urgência (AFU) e distribuição eletrônica de frenagem (EBD), faróis de neblina, sistema CAR – travamento automático das portas e do porta-malas a partir de 6 km/h, chave-Cartão “hands free” com partida do motor através do botão “Start/Stop”, cinto de três pontos e apoio de cabeça para todos os ocupantes, alarme, airbags frontais, laterais e duplos de cortina, comando satélite de áudio e celular na coluna de direção, rádio CD MP3 com conexão USB / iPod, AUX, Bluetooth e 4 alto falantes, volante com revestimento em couro e retrovisores externos com regulagem elétrica.

O Cruze Sport6 LTZ vem equipado com os itens do LT além de bancos revestidos em couro, teto solar retrovisores externos com rebatimento elétrico, airbag de cortina, sensor crepuscular, rodas 17 com design exclusivo, sensor de estacionamento, acionamento do motor através de interruptor Start-Stop no painel, central multimídia com tela LCD de sete polegadas e Navegador GPS integrado com sistema de som AM/FM stereo, CD player, MP3, USB e entrada auxiliar. Mas, para ter isso tudo, o rombo é de, no mínimo, R$ 77.400 (isso mesmo).

Toda linha Cruze vendida no Brasil é equipada unicamente com o beberrão motor 1.8 16V Ecotec flex, que desenvolve 140 cv de potência a 6.300 rpm e 17,8 mkgf de torque a 3.800 rpm com gasolina e 144 cv e 18,9 mkgf com etanol, nas mesmas rotações.

Para fechar, que nome estranho esse Sport6. A proposta da Chevrolet foi atendita com plenitude com esse nome, afinal, ela quer passar que o Cruze hatch é esportivo e que ele tem câmbio de seis marchas (manual ou automático). Mas sinto que o carro perdeu personalidade com o nome de Cruze Sport6. Sou a favor da simplicidade, como Astra e Astra Sedan, e, principalmente, dos nomes difernetes, como Palio e Siena.

O nome do veículo no título do post foi uma sugestão do internauta Enrico: Chevrolet Cruze $port6.

Chevrolet Cruze Sport6
Potência: 140/144 cv (g/e) a 6.300 rpm
Torque: 17,8/18,9 mkgf (g/e) a 3.800 rpm
Comprimento: 4,510 m
Largura: 1,790 m
Altura: 1,477 m
Entre-eixos: 2,685 m
Porta-malas: 402 litros
Tanque: 60,3 litros
Peso: 1.410 kg

Fotos: Chevrolet/Divulgação

Comentários (18)

  1. A GM empolgou novamente com a sua atual situação de líder e acha que pode colocar os preços que bem entendem…
    Este vai encalhar, com certeza!!

  2. A GM tinha todas as possibilidades para ser líder no mercado com vários lançamentos. Mas já meteu os pés pelas mãos, O Cobalt é muito caro e com um motor que parece piada, sem falar do Ágile e agora esse Cruze aí, resultado: a Fiat já voltou a liderança desde fevereiro!

  3. Pra quem produz “Frágile”, ou melhor, Agile, não poderíamos esperar algo melhor do que isso. O problema é que tem consumidor desavisado pra comprar. Lamentável.

  4. Pedro, para o meu próximo carro, penso seriamente no 308 2.0 manual… só não afirmo que será ele porque vou aguardar para ver se cai a ficha e a Peugeot lance um pacote de opcionais voltado para a segurança: + 4 airbags e ESP.

  5. Gostei o carro, mas como em outras ocasiões, na hora da compra o chevrolet sempre fica pra trás por conta do custo/benefício. Preço alto para o que é oferecido, em relação a concorrência.

  6. Com o preço do Sonic Hatch recém descoberto ( 60k na top de linha) faz sentido o posicionamento de preços da GM. Não que eu concorde, pra mim o Sonic está CARISSIMO, e o Cruze Hatch, FORA DE COGITAÇAO!!!

    GM, tá boba nada…

    Marcelo L.C. Jr.
    BH – MG

  7. Ontem eu fui conhecer o Cruze $$$port6 em uma concessionária aqui em SP. Vi a versão LTZ automática e realmente está bem bacana, porém o preço (R$ 79.400,00 sem nenhum desconto, nem pagando a vista) está totalmente fora para este segmento. Isso me fez lembrar o que aconteceu com o lançamento do Vectra Hatch GTX, que partiu inicialmente de 78.000 e como não teve mtas vendas, 2 anos depois lançaram uma versão do GTX por 67.000, acredito que irá acontecer o mesmo com o Cruze. A esperança agora é aguardar o lançamento do novo i30, novo golf e novo Focus.

  8. Para quem disse que ele encalharia, errou! O carro está sendom tãom vendido que a espera pode chegar até a 45 dias. Numa das concessionparias que falei, não estavam nem aceitando encomendas, de tantos pedidos.
    Não trocaria ele por um Focus nem um carro da Renault, esteticamente falando são feios. Esteticamente.
    Mirian Vetere

  9. Barato ele não é mesmo… mas é disparado a melhor opção do segmento! E sim… não tem nem para encomenda. Já rodei algumas concessionárias de SP e não tem nenhuma unidade disponível, nem previsão!

  10. Logo que conheci o Sport6 me apaixonei. Foi um carro que chamou muito a minha atenção. Então, parti para os detalhes para que pudesse adquirí-lo.Sou de Campinas,e mesmo tendo um primo como supervisor de vendas da chevrolet, fui informado que a fila ja estava em 120 dias.Tentei em São Paulo e para a minha alegria pego nesta semana o meu. (20/08-25/08)Já faturaram e a ansiedade é tamanha.
    Quanto ao gosto, é verdade, não se discute. Eu gostei, procurei, refiz meu orçamento e comprei. Abraçoes!

  11. Alex, desculpe, mas porque Frágile? você já andou em um? eu tenho um e cara, passo em lombada correndo, buraqueira, valetas e o carro absorve sem problemas e ainda é macio… super esperto pra andar na cidade, leva a maioria dos carros, a desvantagem é somente na pista mesmo…

  12. E mais tosco tbm, aquele fluence e enfadonho ate nao dar mais nao ten reprocessed Ben uma, SE nao pode comprar um ccruze compre outro , pq I fluence é melhor morrer carro horrivel , antes I megane.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *