Fiat alfineta Mitsubishi e anuncia Bravo Sporting em comercial. Linha Bravo 2013 está mais equipada

A Fiat começou a campanha de TV da linha 2013 do seu belo hatch médio, o Bravo. A propaganda anuncia duas novidades do modelo: o câmbio manual automatizado Dualogic atualizado, batizado de Dualogic Plus, e a nova versão Sporting, que chega em breve.

A nova versão deve ficar situada logo abaixo da T-Jet, a esportiva de verdade da família. É de se esperar que a Fiat coloque os adereços característicos das versões Sporting de seus modelos no Bravo, como os cintos de segurança vermelhos.

Fiat Bravo Absolute Dualogic 2013

Já o câmbio Dualogic Plus recebeu uma série de modificações para deixar o carro mais confortável, com trocas de marchas mais suaves. Outra evolução prometida pela marca está na eficiência das trocas e nas reduções de marcha.

Em relação aos equipamentos da linha 2013, conforme adiantou o Autos Segredos, as versões Essence e Essence Dualogic passam a contar com novos itens de série: volante em couro com comandos de rádio, guarnições abaixo dos vidros e maçanetas cromadas, apoia braço central dos bancos dianteiros com vão refrigerado, parafusos antifurto. Os preços não foram repassados para o consumidor o que representa uma economia de R$ 1.271. Já a versão T-Jet ganha o teto solar Skydome de série com o acréscimo de R$ 3 mil no preço final do modelo – mas representa uma economia de R$ 1.941 no valor final. Na versão Absolute a o parafuso antifurto também é de série.

Linha 2013
Fiat Bravo Essence 1.8 16V – R$ 57.150
Fiat Bravo Essence Dualogic Plus 1.8 16V – R$ 59.790
Fiat Bravo Absolute Dualogic Plus 1.8 16V – R$ 66.830
Fiat Bravo T-Jet – R$ 71.950

A versão Absolute com câmbio manual foi descontinuada. O Fiat Bravo continua com dois anos de garantia, enquanto a maioria dos concorrentes oferece três anos de garantia.

Alfinetada?
Em relação ao título do post, ficou explícito, mas não sei se foi intencional, que a Fiat deu uma alfinetada na Mitsubishi. Recentemente, a marca japonesa divulgou amplamente sua campanha publicitária relacionando o sedã Lancer ao filme “De volta para o futuro”.

Que já assistiu ao primeio filme da triolgia sabe que, depois de viajar no tempo e mudar o passado, Martin Seamus McFly, ou Marty McFly, vivido por Michael James Fox, começa a desaparecer até que os seus pais se apaixonam durante o baile “Encantamernto do fundo do mar”, ao som da clássica música Earth Angel (abaixo).

Viram o comercial do Bravo 2013? Se o carro não tem conteúdo, ele é vazio, assim como o seu dono. Mas será mesmo que o Lancer não tem conteúdo? Na propaganda do Mitsubishi diz apenas que o modelo tem motor de alumínio 2.0 Mivec de 160 cv de potência, “sistema full airbgas” e transmissão Ivecs III CVT (com borboletas). Ele realmente é bem mais equipada, mas o comercial não mostra.

Acho que foi apenas uma coincidência programada.

Atualização (14/05)
A Fiat divulgou oficialmente o lançamento da linha 2013 do Bravo. As informações do post acima estão confirmadas. Estou atualizando o conteúdo com mais fotos e com mais detalhes do câmbio Dualogic Plus:

“Além do aprimoramento nas trocas de marchas, que estão agora bem mais harmoniosas com as rotações do motor e com o nível de exigência de potência imposta pelo cliente naquele momento, a nova função “Creeping” proporciona manobras muito mais confortáveis e seguras, já que o sistema se encarrega, automaticamente, de mover lentamente o veículo, sem que o cliente aperte o acelerador, como em qualquer modelo automático convencional. Assim que o motorista retirar o pé do freio, o sistema Creeping do novo Dualogic Plus vai movimentar o carro lentamente, deixando para o motorista o único trabalho de manobrar o volante e o freio. Com isso, o condutor tem mais facilidade e comodidade em manobras de estacionamento e arrancadas em rampas leves.

Outra melhoria do sistema é a função Auto-Up Shift Abort. Ainda mais inteligente, o sistema é capaz de identificar o exato momento de uma retomada de velocidade e abortar, se for o caso, a troca para uma marcha superior, mantendo a rotação do motor elevada para disponibilizar mais torque e potência.”

Fotos: Fiat/Divulgação

Comentários (6)

  1. Bela observação, Renato. Não sei se foi intencional, mas não vejo grandes motivos para a Fiat alfinetar a Mit.

    A propaganda ficou bem bacana… mas o Dualogic é antiquado.

    Vi que adicionaram um sistema que faz o carro arrancar ao soltar o freio e que fizeram melhorias tanto em reduções quanto nas passagens de marcha. Mas me pergunto o porquê de não colocarem logo um câmbio de verdade nesse carro ao invés de corrigir um projeto que nasceu errado.

  2. Creio que não tenha ligação pois são segmentos diferentes,mas se fosse seria uma enorme pretenção da marca italiana “cutucar”um Mitsubishi!
    Quem fez um test drive no lancer só elogiou,na minha região o manual,minha opção sai por $68,000.

    MQ

  3. Já tive em stilo 2008 dualogic (o primeiro carro da fiat com este câmbio), o carro dava muitos trancos. Recentemente adquiri o Grand Siena também dualogic e falo que melhorou muito. Os trancos são mínimos, praticamente igual um automático (exceção do cvt) o consumo é muito bom assim como o desempenho. Enfim, considero o dualogic (atual) uma decisão acertada.

  4. Leônidas, depois de ficar um bom tempo com o seu carro Dualogic, o que você tem a dizer sobre o câmbio?

    Você pode detalhar um pouco mais o seu dia a dia com o câmbio? As trocas estão ocorrendo bem? O gasto da embreagem está normal? O consumo está ok? As reduções estão confortáveis para os ocupantes (sem trancos)?

    Um abraço!

  5. Tive até o mês passado, 10/2012, um Sentra 2.0 mec comprado em 03/2012, estava muito satisfeito com ele, média de mais de 10/l em circuito misto durante os quase 7000 km que eu rodei com ele, um acidente me força a adquirir outro veículo, a princípio outro igual, mas o Sentra vai mudar a linha em junho 2013, não dá mais para encarar. Quase comprei o GM Sonic, achei ele bonito, mas não estava muito seguro no negócio, carro importado, assim como o Sentra, neste não cheguei a ter gasto, mas, de modo geral em carros importados a manutenção e as peças são caras e nem sempre fáceis de encontrar, optei por um nacional. A princípio dentro da própria GM, até visitar uma concessionária Fiat e conhecer mais de perto o Bravo, achei o design bastante bonito, bem acabado e com muito recheio, preço convidativo, tive bom desconto. Vou ficar “essencialmente Bravo” com câmbio manual em breve. Já tive outros Fiat antes, espero ter feito bom negócio e poder manter a confiabilidade que a marca me inspirou em aquisições anteriores, e que percebo, aqui muitos como eu têm.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *