Ninhos de pássaros atrasam 1ª fábrica brasileira da Nissan

Venceslau Borlina Filho, do Rio de Janeiro

Em forte expansão no Brasil, a montadora japonesa Nissan pode ter que adiar para 2015 a abertura da primeira fábrica no país por causa da reprodução de pássaros. É que a área onde ficará o parque com 32 fornecedores da empresa, em Resende (RJ), é escolhida por aves migratórias para fazer seus ninhos.

A área das aves fica próxima à lagoa da Turfeira, que a Nissan teve que preservar e cercar com uma faixa marginal de proteção de até 100 metros. Ali, árvores e solo não podem ser perturbados.

“Um estudo vai identificar as aves e definir melhor opção de unidade de conservação para a proteção da avifauna da região”, disse a presidente do Inea (Instituto Estadual do Ambiente do Rio de Janeiro), Marilene Ramos.

A Nissan disse que o estudo deve ser entregue ao Inea em 30 dias.

CONTEÚDO NACIONAL
A instalação dos fornecedores é importante para garantir o percentual mínimo exigido pelo governo na nacionalização dos veículos, hoje de 65%. Sem isso, a marca terá que pagar mais impostos para produzir no Brasil.

A situação é motivo de preocupação entre os executivos da Nissan. Eles se reúnem periodicamente com representantes do governo na tentativa de convencê-los a adotar regras mais amenas sobre o conteúdo nacional.

A maior parte dos veículos da marca são importados do México. No começo do ano, o governo adotou um sistema de cotas e as importações não podem ultrapassar US$ 1,45 bilhão no ano. A regra vale para todas as montadoras.

De janeiro a julho, a marca vendeu 123,15% a mais que no mesmo período do ano passado. Em 2010, ela ocupava a 13ª posição no ranking das que mais vendem. Hoje, disputa a 6ª colocação com outra japonesa, a Honda.

Segundo dados do MDIC (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), as importações da fabricante japonesa cresceram 65,9% -para US$ 496 milhões- no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período de 2011.

A Nissan não comentou sobre o parque de fornecedores e as constantes reuniões com representantes do governo, mas afirmou que a abertura da fábrica está prevista para o primeiro semestre de 2014.

A montadora planeja investir R$ 2,6 bilhões na nova operação. A unidade vai produzir 200 mil carros por mês e gerar 2.000 empregos diretos. O parque de fornecedores deve atrair investimentos de até R$ 600 milhões para o município de Resende.

Fonte: Folha de S. Paulo

Comentários (1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *