Chevrolet Cobalt evolui com o antigo motor 1.8 e com o novo câmbio de 6 marchas. Mas vale a compra?

Quando o Chevrolet Cobalt chegou às concessionárias da marca de todo Brasil, o modelo foi elogiado pelo bom espaço interno, porta-malas generoso, acabamento honesto e três anos de garantia. Por outro lado, recebeu críticas pelo comportamento do motor 1.4, que deixa a desejar em desempenho (mais) e consumo (menos), pelo preço e até pelo visual, que considerei “pesado e cansado”, mas que confesso que melhorou muito depois da chegada do feioso Spin.

Agora a Chevrolet praticamente corrige um dos maiores defeitos do carro, mas ampliando outro. O Cobalt 1.8 começou a ser vendido (melhorando o desempenho) em duas versões de acabamento, LT e LTZ, com preços iniciais variando entre R$ 43.690 e R$ 46.990 (ficou ainda mais caro!). O esperado e bem-vindo câmbio automático de seis marchas também está disponível.

O motor 1.8 8V Econo.Flex, batizado anteriormente e no momento (03/09/2012) no site da Chevrolet de Flexpower), parece ter sido desenvolvido especialmente para o Cobalt. Os números de potência são tímidos para cilindrada e bastante próximos ao do 1.4, mas os 106/108 cv do 1.8 são entregues a 5.400 rpm, enquanto os 97/102 cv chegam a 6.200 rpm no 1.4. Mas a principal diferença está no torque: 16,4/17,1 mkgf contra 12,8/13 mkgf.

“Velho novo” motor 1.8 8V Flexpower/Econo.Flex está de volta

O Cobalt 1.8 tem muito mais disposição para rodar, até mesmo com o ar-condicionado ligado e o carro carregado. Tudo bem que o desempenho poderia ser bem melhor, mas, levando em consideração a idade do motor e o desempenho do Cobalt 1.4, o sedã da Chevrolet ficou bem melhor com a “nova” motorização.

A versão automática tem rodar muito agradável, com trocas eficientes. Mas, infelizmente, o antigo motor 1.8 Econ.Flex não tem entrosamento com o moderno câmbio de seis marchas, o que compromete o desempenho e o consumo. Mas, ainda assim, o conjunto é melhor do que os dos concorrentes automatizados, como o Fiat Grand Siena Dualogic e o Volkswagen Voyage I-Motion.

Chevrolet Cobalt 1.4 Econo.Flex

Potência: 97/102 cv (g/e) a 6.200 rpm
Torque: 12,8/13 mkgf (g/e) a 3.200 rpm
Comprimento: 4,479 m
Largura: 1,735 m
Altura: 1,514 m
Entre-eixos: 2,620 m
Porta-malas: 563 litros
Tanque: 54 litros
Peso: 1.072 kg
Consumo com etanol (Quatro Rodas ed: 634): 7,2 km/l na cidade e 9,9 km/l na estrada

Chevrolet Cobalt 1.8 Econo.Flex

Potência: 106/108 cv (g/e) a 5.400 rpm
Torque: 16,4/17,1 mkgf (g/e) a 3.200 rpm
Comprimento: 4,479 m
Largura: 1,735 m
Altura: 1,514 m
Entre-eixos: 2,620 m
Porta-malas: 563 litros
Tanque: 54 litros
Peso: 1.122 kg (MT) / 1.149 kg (AT)
Consumo com etanol (Quatro Rodas ed: 634): 7 km/l na cidade e 9,8 km/l na estrada

A versão 1.8 do Cobalt tem alguns detalhes que a diferenciam do sedã equipado com o motor 1.4. Na LT, o modelo 1.8 tem calotas de desenho exclusivo. Além disso, na traseira, a versão 1.8 carrega um aerofólio de gosto duvidoso.

Já a versão LTZ tem rodas de liga leve com design especial e acabamento diamantado, o mesmo aerofólio traseiro e também faróis dianteiros máscaras negras. As lanternas traseiras também são diferenciadas e tem as lentes transparentes, deixamos os refletores cromados à mostra.

A versão 1.8 do Cobalt traz itens exclusivos também no interior se comparado ao 1.4. O volante tem acabamento em couro na versão LT automática e em todas a LTZ. E todas as versões equipadas com a transmissão automática contam com piloto automático com botões de acionamento no volante. Além do novo console central – desenhado para receber a alavanca de câmbio automático -, o Cobalt 1.8 tem luz interna individual no teto e acabamentos cromados no cluster de instrumentos.

Preços e equipamentos

O Cobalt LT 1.8 tem preço sugerido de R$ 43.690 e vem equipado de fábrica com ar-condicionado, direção hidráulica, desembaçador traseiro, travas elétricas, airbag duplo frontal, grade dianteira cromada, coluna de direção com regulagem de altura, freios ABS com EBD, vidros elétricos nas portas dianteiras, alarme anti-furto, computador de bordo e luz de leitura para os passageiros do banco de trás. Por R$ 3.000, o consumidor pode levar o único opcional: câmbio automático de seis marchas (com cruise control e volante revestido em couro). A pintura metálica custa R$ 960.

A versão LTZ 1.8, topo de linha, que custa sugeridos R$ 46.990, traz os itens da LT além de rodas de liga leve, farol de neblina dianteiro, maçanetas internas e comandos do ar-condicionado cromados, volante com revestimento em couro e controles de rádio e celular, barra cromada na traseira, rádio AM/FM com leitor para CD/MP3, Bluetooth e entrada USB, espelhos retrovisores com regulagem elétrica, acionamento elétrico para todos os vidros e sensor de estacionamento. Por R$ 3.000, o consumidor pode levar o único opcional: câmbio automático de seis marchas (com cruise control). A pintura metálica custa R$ 960. Com tudo, o Cobalt 1.8 LTZ automático sai por R$ 50.950.

Em relação aos preços, os valores estão bem competitivos, mas não podemos nos esquecer que o IPI está reduzido, e que as montadoras também estão dando um pequeno desconto. Logo, com o valor cheio de volta, a partir de 1º de novembro (mas pode ficar para 1º de janeiro de 2013), os R$ 43.690 sobem para aproximados R$ 46.748; enquanto os R$ 46.990 vão para R$ 50.279. E estes preços são dos veículos com câmbio manual. Completos, com câmbio automático e pintura metálica, o Cobalt LT 1.8 iria para R$ 50.985, enquanto o LTZ 1.8 sairia por R$ 54.516.

Comparando

Hoje, com o IPI reduzido, o Fiat Grand Siena 1.6 16V Dualogic tem preço sugerido de R$ 42.770. Completo, sem nenhum opcional, incluindo a pintura metálica, o valor sobe para R$ 51.563. Se somarmos mais 7%, teremos praticamente o preço do Cobalt LTZ 1.8 automático: R$ 55.172. Embora tenha apenas um ano de garantia, o Grand Siena completo tem teto solar e airbags laterais, itens não disponíveis no Cobalt.

Dentro de casa, no quintal da Chevrolet, o alto preço do Cobalt o leva a concorrer também com o Sonic Sedan. Equipado com motor 1.6 16V Ecotec flex (116/120 cv), mais moderno e eficiente do que o 1.8 8V Econo.Flex, o modelo chega ao país com rodas de alumínio 15″; sistema de som AM/FM stereo, CD Player, MP3, entrada auxiliar, relógio digital e 4 alto-falantes; ar-condicionado, direção hidráulica (com ajuste de altura e profundidade); trio elétrico; chave canivete; alarme anti-furto com acionamento a distancia, computador de bordo; “Follow me home”, airbag frontal duplo e ABS. O preço sugerido da versão LT é de R$ 49.100. Esta versão tem como opcional apenas a pintura metálica, que sai por R$ 965, elevando o valor final do carro para R$ 50.065.

Por R$ 51.500, o Sonic Sedan LTZ tem os itens da versão LT, além de sensor de estacionamento, faróis de neblina; apliques cromados nas maçanetas internas, controles do rádio e ar-condicionado no painel central e manopla de câmbio; rodas de aro 16″; descansa braços central; volante com comandos do sistema de som e bluetooth; sistema de som AM/FM stereo, CD Player, MP3, entrada auxiliar, 6 alto-falantes, controle no volante, sistema Bluetooth, com relógio digital, indicador de temperatura e USB no porta-luvas. Pagando mais R$ 4.600, você leva o câmbio automático de seis marchas, cruise controle e bancos revestidos em couro. Pagando os R$ 965 da pintura metálica, o preço sobe para R$ 57.100.

Mas vale comprar?

O Cobalt 1.8 é um carro caro, mas é uma compra muito melhor do que o Cobalt 1.4: some as qualidades já conhecida do Cobalt (bom espaço interno, porta-malas amplo, acabamento interessante e três anos de garantia) com os ganhos notáveis de desempenho, além de médias de consumo praticamente iguais. Sem nos esquecermos do câmbio automático de seis marchas, que faz muita diferença para o conforto. Eu fico pensando se o Cobalt tivesse visual mais atraente e fosse mais barato… seria o sedã mais vendido do Brasil.

Fotos: Chevrolet/Divulgação

Comentários (34)

  1. 50 contos num Cocobalt? Queeeeta!
    50 contos eu pagaria no Sonic (dentro da GM)

    Na casa dos 40-45 eu fecho com o Versa.

    Fora que o Cocobalt continua lerdo.
    1.8MT pesa 1122kg e rende 108cv (peso/potencia = 10,38) com torque de 17,1 a 3200rpm

    O Versa SL 1.6 pesa 1069kg e rende 111cv (peso/potencia = 9,63) com torque de 15,1 a 4000rpm

    Sou mais o Versa.

  2. vende pouco? caramba!!! mais de 40.000 desde o lançamento , em julho de 2011, apenas do 1.4, imagina agora com o top de linha 1,8 ltz aut. não custa verificar de perto, va a uma concessionaria e se tiver algum la p vc fazer teste drive, sera muita sorte, eu esperei 28 dias para conseguir comprar o top 1.8 ltz aut, custou 51.000, pintura metalica e ainda tive de brinde tapetes com logo da marca, insulfilm, lindas calhas de chuva e a centralina, para os vidros subirem no comando da chave. ja andei com ele na cidade, estrada, subidas descidas e sinceramente é um carrão, mto confortavel, seguro, tenho a sensação de estar dirigindo um desses carros de 80.000 pra cima. antes de se emprenhar por opinioes sem sentido de quem não conhece de perto, vale a pena conferir, não custa nada.

    • ASSINO EM BAIXO, POIS TENHO UM COBALT LTZ 1.8 MECANICO 2013/2013 C0M 26.000 kMS RODADOS CONSUMO GAS CIDADE 12.4 E ESTRADA 16.5.A 110/120 KM/H. pergunto:EM CONCORRENTE?!

  3. Quando foi postado que poucos compram, referia-se as pessoas que criticam sem conhecer o carro, também tenho o 1.8 ltz e é um excelente carro, muita gente reclama de preço, mas grand siena, voyage, versa que tem preço abaixo não tem os mesmos opcionais de série, coloquem os opcionais equivalentes ao cobalt e irão ver que a diferença é irrelevante.

  4. A média de consumo do cobalt é equivalente a todos os carros da mesma categoria, a variação vai depender da forma como se dirige, cheguei a fazer 10,5 com alcool na estrada. Quem compra carro desta categoria não deveria se preocupar um 1 km a mais ou a menos no consumo. Se isso te afeta compre um carro 1.0, hatch, sem ar.

  5. Também estava tentando comprar um Grand Siena 1.6, mais a fiat não quer vender, pois esperar de 30 a 60 dias sem ter a certeza de ser atendido é complicado.. Acabei dando uma olhada no Cobalt 1.8 e a qualidade do acabamento entre o Siena e o Cobalt é bem diferente.. no Fiat, parece que o puxador de abrir a porta vai sai a qualquer momento, já até lí opinião de dono dizendo que saiu… o motor 1.6 da fiat é que pesa a favor dele… Vou acabar pegando o 1.8 ltz em função de ser a melhor escolha pra família… o Cambio é bem mais macio também… O consumo seria bom se fosse melhor, a quatro rodas aferiu 7km/l na cidade, não vou conseguir fazer isso.. hehe… aqui em Cuiabá vai sair por R$47.950(cor prata) façam teste-drive… o Chevrolet parece mais robusto…. O versa é excelente, tem um no teste de longa duração da quatro rodas, só não tenho coragem de arriscar a passar um tempo esperando peça de reposição… no teste da revista mostra até revisões com peças faltando… é outro com motor excelente… bom amanhã é dia de testar o caixotão 1.8… inté +

  6. DEPOIS DE UM TEMPO ESTUDANDO NOTÍCIAS SAIR DA DÚVIDA. ESTAVA ENTRE O GRAND SIENA MAS COMO ELES NÃO QUEREM VENDER RESOLVI IR A CHEVROLET FAZER UM TESTE DRIVE E ACREDITO QUE FIZ UMA BOA OPÇÃO, COMPREI UM COBALT LTZ 1.8 SEM DIFICULDADES, ATENDIMENTO ÓTIMO, E A QUALIDADE DO VEÍCULO EM TERMO DE CONFORTO É INQUESTIONÁVEL. CLARO QUE FALTAM ALGUNS ACESSÓRIOS COMO APOIO DE BRAÇO, UM SOM MELHOR, MAIS AIR BAGS, BANCOS DE COURO… MAS SE TIVESSE ISSO TUDO CONCERTEZA SAIRIA DA CASA DOS 50… POR ENQUANTO NÃO ME ARREPENDO..

  7. COMPREI UM COMPLETÃO DE TUDÃO E TÔ GOSTANDO. VAMOS AO Q INTERESSA: O CONSUMO: NAS SUBIDAS E DESCIDAS 11; NOS RETÕES NO PILOTO AUTOMÁTICO 14 A 15.3. EU ACHO Q TÁ BOM. CONFESSO Q NO INICIO FIQUEI PREOCUPADO EM VER O MARCADOR DANDO 7 EM CENTRO DE CIDADE, MAS AGORRA DEPOIS DOS 1000 KM ESTOU SATISFEITO. A ÚLTIMA VEZ Q FUI DE SÃO GONÇALO PARA ANGRA(180 KM) FUI DESPREOCUPADO POIS SABIA QUE CONSUMO NÃO SERIA MAIS UM PROBLEMA. E FOI ISSO QUE DISSE ACIMA. ABRAÇÃO. FLAVIO ANGRENSE.

  8. FLAVIO ANGRENSE, Comprei o meu agora também completo, com 200 quilometros so na cidade está dando 6 km/l vi seu comentário acima que melhorou depois dos 1000 km. Espero que o meu melhore tb. Abraços. O carro é perfeito, conforto e eficiencia total.

  9. Fala WFS!! Realmente para centro de cidade é muito motor. Para andar em rotação baixa é complicado sim. Fiz o mesmo trajeto acima e o consumo é o mesmo. É mais ou menos assim: dependendo da velocidade que vc esteja haverá um consumo “X”: para mim isso significa que se eu estou em segunda meu consumo é 6 a 7; em terceira 7,5; em quarta 8 a 9; em quinta 10 a 11; em sexta 12 a 15. Isso que ti falei é o mais ou menos da coisa, não é exato. Entretanto, mesmo andando a 70 km/h já tive um consumo de 13km/l. Tudo depende de como se dirige mesmo. Já percebi que o interessante de quando se está em baixa veloc é dar uma acelerada para elevar a rotação p acima de 2500 para ele mudar de marcha mais rápido o possível, ficar mais leve e assim consumir menos. É isso aí: tô tentando ajudar. Se descobrir mais algo dele posta p gente. Vc falou e eu concordo: o bicho é muito confortável. Não me arrependo. Abração.

  10. Todos Vcs que deveriam ter vergonha em comprar um carro medíocre deste com os altos custos dos carros praticados no Brasil, a industria automobilística brinca aqui no Brasil, joga os lixos delas, ou seja, carros que nem existem em países desenvolvidos, com custo bem acima de aquilo que realmente pode ser chamado de carro, e que infelizmente muitos nem chegam aqui no Brasil, e o pior de tudo, nós Brasileiros, pagamos esta conta e ajudamos os altos lucros das montadoras batendo record atrás de record, comparando, o preço, hoje do cobalt, que na minha opnião é horrível e deixa muito a desejar, se compara por exemplo, ao preço do Dodge Charger nos EUA, um carro com tudo que pode imaginar em um carro, além de potência, ou seja, 370 Cv de pura emoção, ou seja, nós aqui nesse País tupiniquim somos enganados 24 horas, porém, infelizmente no Brasil, carro é sinal de status, o cara pode não ter aonde cair morto, mas o carrinho 0Km ele tem que ter, se enrola todo para mostrar a todos que esta podendo, e fica iludido achando que esta dirigindo o que há de novidade no mundo automotivo, mal sabe que muitas das vezes, esta pagando caro por algo que já saiu de linha a muito tempo em outros países.
    Recentemente vi a entrevista do Presidente de Cintroen no Brasil, e questionado o porque carro no Brasil é tão caro, ele simplesmente disse que, é caro porque o Brasileiro compra!!!
    Abraços a todos!

    • comprar zero é furada… se o cara paga esse preço CARO à vista ainda vai lá, pelo menos não perdeu dinheiro no financiamento, agora pra quem além de zero compra essa carroça financiada, parabéns, estás podendo brasileirinho.

    • Véi…., não é por nada não…..mais cavalos não é tudo mano,!! Vc tem mais referências em cima do torque!!! Por exemplo: opala 4cc tem em média 90 cavalos…. E é um motor mais forte q esse do GS sem dúvidas tenta rastar um trailer num GS……..

  11. Comprei um 1.8 LT.
    Muito bom o carro, espaçoso, confortável, ítens de conforto funcionam perfeitamente.
    Sobre o consumo, depois de algumas semanas você acostuma com o jeito de acelerar e hoje ele faz 8,5 na cidade de SP com álcool.
    Estou vendo o pessoal reclamando em outros sites principalmente, mas é pq não andaram no carro ainda. Pesquisei Siena, Nissan, mas o custo benefício do Cobalt me agradou. Espero ter ajudado. Gustavo S.

  12. Exelente carro,li os comentarios,mais acho que mudou bastante o carro então ,o meu é o LTZ 1.8 2013 manual ,o consumo é ótimo 8.5 na cidade e 10.2 na estrada,até agora não apresentou nem um defeito 6000 km rodados.

  13. ACABEI DE COMPRAR UM COLBALT LTZ AUTOMATICO, E PENSE NUM CARRO QUE NAO DEVE NADA A MUITO CARRO DE LUXO E MAS CARO, E MUITO CONFORTAVEL, ESPAÇOSO E ANDA BEM, QUE E O SIENA E O VOYAGE QUE TEM UM BANCO HORRIVEL, PODEM COMPRAR ESSE EU GARANDO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *