Novo Nissan Sentra conseguirá vencer a disputa com os outros sedãs médios no Brasil?

No ano que vem, a Nissan finalmente deve atualizar o Sentra. Mas será que as mudanças o qualificarão para brigar pela ponta do segmento de sedãs médios no Brasil?

O carro ficou mais bonito e moderno com esta nova geração que está chegando aos Estados Unidos agora, mas perdeu em ousadia, ganhando em conservadorismo. O proprietário de um sedã médio até gosta disso – um dos argumentos de venda do Toyota Corolla. Mas será que não ficou tradicional e conservador demais para um veículo novo?

Citei o Corolla porque ele realmente tem uma característica mais conservadora, que a marca tentou diminuir, passando “ares de modernidade” com as duas últimas mudanças do veículo. A primeira foi muito bem-vinda. Mas o facelift mais recente piorou a traseira, que ficou com estilo xuning. A marca também tentou jovializar o Corolla com uma versão “esportiva”. O sedã da Toyota está na fase final de sua atual geração.

Para o Sentra, que estréia uma nova geração, as mudanças são muitos bem-vindas. Embora ele tenha ficado conservador, suas linhas são bem mais modernas do que as da atual geração. Resta saber se o novo design ajudará o sedã a vender mais no Brasil.

Se a Nissan ofertar o Sentra com muitos equipamentos de série, mantendo uma política de preços agressiva, e, especialmente, garantindo estoque de veículos e de peças (problemas do Versa), com certeza teremos um veículo com potencial de top 5 no segmento de sedãs médios no Brasil. Mas tirar a liderança do Corolla e do Honda Civic, com o Chevrolet Cruze vendendo bem, acho difícil.

US and A
Nos Estados Unidos, o Nissan Sentra 2013 parte US$ 15.990 (cerca de R$ 32.400) – contra US$ 16.430 do modelo 2012. A diminuição do preço vem acompanhada da redução do tamanho do motor e da potência. O propulsor 2.0 16V e seus 142 cv e 19,3 mkgf foram substituídos por um 1.8 16V que desenvolve 132 cv de potência e 17,7 mkgf de torque.

Versão esportiva tem a traseira mais bonita

A nova motorização trabalhará em conjunto com um câmbio manual de seis marchas ou com a transmissão automática CVT, que recebeu melhorias. O objetivo da Nissan com o novo conjunto motor/câmbio (manual e CVT) é garantir boas médias de consumo para o seu sedã. Segundo a marca, o Sentra 2012 CVT tem média de 10,2 km/l na cidade e 13,2 km/l na estrada (manual: 11,5 km/l na cidade e 14,4 km/l na estrada), enquanto o Sentra 2013 CVT tem média de 12,7 km/l na cidade e 16,6 km/l na estrada (manual: 11,5 km/l na cidade e 15,3 km/l na estrada).

O interior do Sentra 2013 também é bem tradicional, mas é mais sofisticado que o do Sentra vendido no Brasil atualmente. A nova geração tem como destaque a central multimídia, a NissanConnect, que traz uma tela de LCD de 5,8″ com touchscreen, com CD Player e diversas conexões, como Bluetooth. O modelo tem ainda ar-condicionado tem regulagem em duas zonas, volante com comandos do sistema de som e do cruise control, câmera de ré, seis airbags, freios com ABS, entre vários outros itens.

Fotos: Nissan/Divulgação

Comentários (7)

  1. Concordo em dizer que a motorização e principalmente o visual são um grande atrativo e que dificilmente será um líder de vendas, porém, pode se tornar uma opção interessante a partir do momento em que a Nissan trabalhar de maneira coerente os seus preços, estoque e pós-vendas.

  2. Sem dúvida nenhuma o novo Nissan Sentra tem todas as característica pra se tornar o top 1 de vendas no segmento de sedãs médios. Ele já era uma opção boa e agora com o novo cambio cvt sem igual e com os novos ajustes do maior entre eixos que passou pra 2,70m e a melhora do design o novo Nissan aposenta facilmente o Civic, o Corolla, o Jetta, o Fusion. É a melhor relação custo benefício da categoria. Pode-se escolher o novo Nissan sem medo. Eu já estou planejando trocar de carro em 2013 e vou comprar o novo Nissan Sentra.

  3. A mudança estética foi sensacional, e pelo que andei lendo, mantém as características da Nissan de oferecer um carro com muitos recursos considerados “opcionais” por outras montadoras. Basta esperarmos pra ver se a Nissan não “se empolga” e o traz com aquele aumento de preço que as novas versões trazem. Aumentou o entre-eixos o que deve valorizar um pouquinho mais o espaço interno (outra qualidade dos carros da Nissan). Deve aumentar bem as vendas porque brasileiro quer carro bonito e não carro bom, juntando os dois… Ao meu ver, o único downsizing dele foi o motor, o que cai como uma luva para as pretensões atuais de redução de consumo e emissão de poluentes pretendida tanto pelas montadoras como pelo governo brasileiro. Espero que venha logo, grande pedida…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *