Novo (e caro) i30 já aparece no site da Hyundai/CAOA

Mesmo com frequência menor, a Hyundai continua com o estranho hábito de tentar tornar as coisas um pouco mais confusas para o consumidor. Depois do “gato por lebre” Veloster, dos cavalos + ponêis do Elantra, e de mais algumas coisas (e de tomar uma punição do próprio consumidor), a mais recente da marca é ter dois sites oficiais no Brasil: um para os carros fabricados no Brasil (HB20) e outro para os veículos distribuídos pelo “Hyundai CAOA Montadora” – pode até parecer difícil, mas a migração de um para outro não é problemática. E é no segundo site o lugar onde os internautas já podem encontrar informações da nova geração do i30, batizada na página de i30 GD (sigla que dificilmente alguém vai usar).

Pelo visto, a marca coreana vai valorizar, como principais características do novo hatch médio, o espaço interno, o visual e o conforto do carro. E realmente o carro parece ter ficado legal. Pelo menos no quesito design, ele está aprovado. Outro lado bom é que o hatch médio deverá vir recheado de equipamentos de série.

Os lados ruins são o motor 1.6 16V (com desempenho razoável para o tamanho e proposta do carro) e o preço (cobrado antecipadamente por algumas concessionárias) na casa de R$ 75.000 – absurdamente caro! Mas ainda há esperanças de valores mais baixos e, quem sabe, de um propulsor maior (2.0 16V flex?).

De acordo com a única versão do modelo disponível no site, o novo i30 é equipado com espelho de vaidade com iluminação (isso é sério), volante esportivo de quatro raios com dois tons de cor e acabamento em couro; retrovisor interno eletrocromático, coluna de direção com ajuste manual de altura e profundidade, bancos revestidos em couro, banco do condutor com ajuste elétrico, luz no porta-malas, habitáculo e porta-luvas; botão Active Eco Drive (para melhorar o consumo), suporte para garrafas e latas no painel das portas, console central com compartimento e apoio de braço, bolsas atrás dos bancos dianteiros; painel de instrumentos com iluminação em LED, banco traseiro rebatível separadamente 60/40, 5 encostos de cabeça com regulagem de altura; botão de partida (Smart Key); sistema imobilizador, Key less (travamento das portas a distância); botões de acionamento dos vidros iluminados em LED; kit multimídia com CD Player, ráio AM/FM, GPS e Bluetooth, entrada USB e auxiliar, e comando no volante, 4 alto falantes, 2 tweeters dianteiros; ar-condicionado eletrônico com visor digital (Dual Full Auto); canalização do ar para os pés dos passageiros de trás; Cruise Control (piloto automático), computador de bordo, teto solar panorâmico (se equipado), duas tomadas 12V no painel central e freio de estacionamento eletrônico.

Além disso, o modelo tem freio a disco nas 4 rodas com ABS, EBD, ESP (programa eletrônico de estabilidade) e TCS (sistema de controle de tração); rodas de liga leve (225/45 R17); para-choques e os retrovisores externos com a mesma cor da carroceria, sensor de estacionamento. câmera de ré, limpadores de farol, faróis de xênon com projetores, retrovisores externos com comando elétrico, retrovisores externos com indicadores de direção em LED, retrovisores rebatíveis eletricamente, maçanetas das portas na cor da carroceria, aerofólio traseiro com brake light integrado, sistema de auto acendimento dos faróis, faróis de neblina, grade dianteira com detalhe e logo cromados, limpadores do vidro dianteiro aerodinâmicos e antena no teto.

Mas, depois de acompanhar o lançamento do i30 atual, com todo respeito, não confio mais plenamente na lista de equipamentos passada pela Hyundai/CAOA (até segunda ordem). Não sei se vocês se lembram, mas o i30 atual foi anunciado com um bom preço e excelente pacote de conteúdos. Mas, quando foi lançado, ele chegou mais caro e menos equipado.

Acho que o para-choque traseiro ficaria mais bonito se fosse todo liso

E a minha desconfiança aumenta porque a página inicial do novo i30 no site da Hyundai/CAOA se contradiz, já que afirma, numa parte, que bancos revestidos em couro e ar-condicionado digital são de série. Em outro lugar, afirma que são opcionais por causa do “(se equipado)”. Outra dúvida está relacionada aos airbags. O duplo frontal é de série, enquanto o lateral também deve ser. Já o de cortina e para os joelhos do motorista serão opcionais?

Pelo menos esta questão do site é fácil de resolver e espero que a Hyundai acabe logo com a confusão. Por outro lado, o “problema” do motor 1.6 16V não tem solução rápida. O conjunto mecânico do novo i30 é composto pelo mesmo propulsor 1.6 16V do HB20 e do Veloster (mas sem os falsos 140 cv do “esportivo”), com os verdadeiros 122 cv de potência e 16 mkgf com gasolina e 128 cv e 16,5 mkgf com etanol. Será que os proprietários vão sentir falta da motorização 2.0 16V (que agora é flex)? Inicialmente, o novo i30 será vendido apenas com câmbio automático de seis marchas.

Fotos: Hyundai/Divulgação

Concorrentes 1.6, 1.8 e 2.0
Ford Focus, Peugeot 308, Citroën C4 e Volkswagen Golf também são vendidos com motor 1.6 flex (8V no VW e 16V no restante), então qual seria o problema da Hyundai também usar a mesma cilindrada? A questão é que nenhum dos quatro concorrentes parte de R$ 75.000 com o propulsor 1.6. Completos, sempre com motorização 2.0, eles custam:

Citroën C4 Exclusive Sport 2.0 16V automático – R$ 69.980
Ford Focus Titanium 2.0 16V automático – R$ 71.064
Peugeot 308 Feline 2.0 16V automático – R$ 70.090
Volkswagen Golf GT 2.0 8V Tiptronic – R$ 70.964

Já Fiat e Chevrolet trabalham, respectivamente, com motores 1.8 16V flex para Bravo e Cruze Sport6, que têm mais potência e torque do que o novo i30. Completos, os dois custam mais do que os R$ 75.000 cobrados por algumas concessionárias da Hyundai, mas ainda menos do que os R$ 80.000 pedidos pelas mesmas revendas da marca coreana para o novo hatch médio equipado com teto-solar.

Chevrolet Cruze Sport6 LTZ 1.8 16V automático – R$ 78.150
Fiat Bravo Absolute Dualogic Plus 1.8 16V – R$ 79.121

Pelo visto, o segmento de hatches médios está inflacionado. E, para não ficar de fora, a Hyundai quer entrar (bem) por cima com o novo (e belo) i30, que será um grande representante da categoria.

Hyundai i30
Comprimento – 4,30 m
Largura – 1,78 m
Altura – 1,495 m
Entre-eixos – 2,65 m
Peso em ordem de marcha – 1.210 kg

Chevrolet Cruze Sport6
Comprimento – 4,51 m
Largura – 2,098 m (com espelhos)
Altura – 1,477 m
Entre-eixos – 2,685 m
Peso em ordem de marcha – 1.410 kg (LT)

Citroën C4
Comprimento – 4,26 m
Largura – 1,773 m
Altura – 1,458 m
Entre-eixos – 2,608 m
Peso em ordem de marcha – 1.200 kg (GLX 1.6)

Fiat Bravo
Comprimento – 4,336 m
Largura – 1,792 m
Altura – 1,508 m
Entre-eixos – 2,60 m
Em ordem de marcha – 1.340 Kg (Essence)

Ford Focus
Comprimento: 4,351 m
Largura: 1,840 m
Altura: 1,497 m
Entre-eixos: 2,640 m
Peso em ordem de marcha: 1.290 kg (1.6 GL)

Peugeot 308
Comprimento: 4,276 m
Largura: 1,815 m
Altura: 1,498 m
Entre-eixos: 2,608 m
Peso em ordem de marcha: 1.318 kg (1.6 Active)

Volkswagen Golf
Comprimento – 4,204 m
Largura – 1,735 m
Altura – 1,457 m
Entre-eixos – 2,515 m
Peso em ordem de marcha – 1.191 kg (1.6)

Atualização
Infelizmente o valor do novo i30 foi confirmado. Agora cabe a você, leitor e consumidor, decidir se o carro vale mesmo os R$ 75.000 pedidos pela Hyundai. Eu achei o novo i30 excelente, mas não pagaria este preço (absurdo) por um.

Comentários (4)

  1. Bobo é quem vai comprar esse carro.

    Vai ser o mesmo com o Slowster, uma febre no início, depois vai ter gente reclamando que ele é lento, as vendas caem, e ele vai ficar numa faixa de 200-300 unidades mensais, bem longe do sucesso que o i30 original teve, com o seu preço competitivo (Não vou dizer justo, pois nada é tabelado justamente no Brasil).

  2. Aqui na CAOA em São Paulo, me pediram 77 mil no i30 sem teto solar!

    Eu deveria ter ligado para a PM para fazer um BO pq isso foi um assalto! Como não paguei, não precisei ligar.

  3. Eu já fiz alguns comentários a respeito do i30, sem sombra de dúvida é o mais bonito da categoria, porem é o mais caro e mais fraco de motor, agora fiquei sabendo que vem aí o i30 1.8 de 150cv, se realmente for verdade a caoa pode reverter a atual situação do i30, porem para que isso ocorra é necessário alguém que esteja sintonizado com a atual conjuntura econômica do país e do mundo e colocar um preço compatível com a nossa realidade, veja só as outras montadoras(concorrentes) os preços vão de 69,70,71,78 e 79 mil se o i30 1.8 que vai chegar em agosto ficar nos 80mil vai vender com certeza,três vezes mais. Caoa é melhor ganhar na quantidade vendida, pois sendo assim ganhará também nas revisões, se vender pouco além de não ganha nada perde também nas revisões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *