Falso amigo? Para que serve mesmo o engate traseiro do seu carro?

Cesvi Brasil/Divulgação

Cesvi Brasil/Divulgação

Salvador ou vilão? A discussão sobre a utilidade do engate traseiro nos veículos desperta verdadeiras ondas de paixão e ódio. O uso desse acessório deveria ser voltado para engatar uma carga, certo? Mas, hoje em dia, a maioria dos que procuram a peça tem outra intenção: proteger a parte traseira do seu carro contra batidinhas de outros veículos – e, por tabela, danificar o veículo do outro. Alguns compram até por motivo estético (já que estava na moda). Só que a impressão de segurança é falsa. O CESVI explica por quê.

FEITIÇO VOLTA CONTRA O FEITICEIRO
O engate, de fato, pode proteger seu veículo em batidas leves, principalmente aquelas “encostadinhas” que ocorre nos estacionamentos. Porém, num impacto um pouco mais forte, o engate danifica o seu carro – de uma forma mais violenta do que se não houvesse o acessório ali.

Isso porque o engate é fixo, normalmente, em pontos da longarina. Em casos nos quais o crash-box poderia absorver o impacto sem danificar a estrutura do veículo, a força do impacto vai direto para as longarinas, danificando sua estrutura.

Como dissemos, a função real do engate é acoplar algo ao veículo, aumentando assim sua capacidade de carga. Mas saiba que existem algumas regras para a instalação:

• O engate deve ser instalado apenas em veículos que tenham capacidade de tração. Essa informação é descrita no manual do proprietário.

• Deve ser instalado respeitando os pontos de fixação descritos no manual do veículo.

• Deve se observar o modelo de cada engate, respeitando sua capacidade de carga, que pode variar entre 400 kg e 1.500 kg.

• O engate deve ter sido testado pelo Inmetro e conter uma placa visível e inviolável fixada a ele com: o nome do fabricante, CNPJ e identificação do registro concedido pelo Inmetro, modelo do veículo ao qual se destina, capacidade máxima de tração do veículo, e uma referência à Resolução 197/06, que regulamenta o uso do acessório.

• A tomada elétrica deve ser instalada seguindo os padrões. Uma fiscalização sempre vai verificar se ela está funcional.

Vale lembrar que, em caso do não cumprimento das exigências, o motorista está sujeito a penalidade descrita no Código de Trânsito Brasileiro, que consiste em infração grave, somando 5 pontos à carteira de motorista, além de retenção do veículo até a regularização.

Texto: CESVI Brasil

Opinião do blogueiro
Acho que o engate deveria ser uma peça móvel, com uso permitido apenas quando o motorista fosse usar o reboque para fazer algum transporte de carga extra. Sem reboque, sem engate.

Meu (ex) Chevrolet Astra foi vitima inocente de um engate, de um motorista que me xingou quando eu pedi a ele para ter mais cuidado com as suas manobras. Exatamente duas semanas depois, este mesmo motorista “encostou” a sua picape Mitsubishi L200 numa pilastra, dentro do mesmo estacionamento onde eu tinha parado o meu carro, e o resultado foi um rombo de R$ 2.000 para o conserto.

Comentários (3)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *