Chevrolet mostra o Agile reestilizado na Argentina. Melhorou, mas não tem jeito…

Chevrolet-Agile-2014-LTZ-Brasil-Argentina

Como dar uma sobrevida a um carro fadado à morte? Esse é o grande desafio da General Motors com o Agile, modelo que nasceu em 2009, entre a “velha” e a “nova” Chevrolet, mas que, desde a chegada do Onix (irmão mais novo, descolado e melhor), sofre com a queda nas vendas e com a falta de “lugar dentro de casa”. O último cartucho da marca com o seu já veterano hatch será dado ainda em agosto na Argentina e no segundo semestre deste ano no Brasil, com o lançamento do Agile reestilizado (pela primeira vez).

Pela imagem, notamos que o modelo passou por uma bem-vinda reformulação da parte dianteira, que aparentemente perdeu a horrorosa desproporção com a adoção de novos faróis, para-choques e grade. Sem dúvida o conjunto frontal ficou bem melhor. A traseira deverá receber menos mudanças, com pequenos retoques na distribuição das luzes das lanternas e provavelmente no para-choque.

O release oficial da Chevrolet argentina destaca como outra novidade a presença de sensor crepuscular, computador de bordo, airbag duplo, ABS com EBD e das novas rodas de liga-leve de aro 16″ para versão LTZ, o que considero uma bobagem. Melhor mantermos rodas de aro 15″ e usar a “diferença” para equipar o modelo com algo mais útil e seguro.

Chevrolet-Agile-2014-Interior-Volante-Brasil-Argentina

A outra foto divulgada mostra o painel do Agile, com destaque para o novo e bonito volante, que tem comandos do cruise control (piloto automático), do som (volume e mudança de faixas) e do celular (via conexão bluetooth).  São esperadas ainda melhorias no acabamento do painel e das portas e na padronagem dos tecidos dos bancos.

Pelo visto, o Agile definitivamente não terá o sistema MyLink. Reparem pelo volante que o sistema de som de um din continua lá, com seu aspecto antigo.

Na Argentina, o motor 1.4 8V não recebeu mudanças. Por aqui ele se chama Econo.Flex e desenvolve 97/102 cv. Se isso se repetir, o propulsor SPE/4 (98/106 cv) será exclusivo da dupla Onix e Prisma. Do meu ponto de vista, a motorização 1.4 8V SPE/4 deveria ocupar todos os modelos da linha Chevrolet no Brasil – digo Agile, Onix, Prisma, Cobalt e Montana.

Pelo visto, o Agile vai melhorar, mas acho que não tem jeito mesmo para o modelo. Mais bonito (até o momento), mais bem acabado, melhor construído e mais moderno, o Onix realmente veio para matar o Agile. Se você tem dúvidas, pense com calma e responda, já pensando numa segmentação para facilitar: o que vale compra: Agile automatizado Easytronic ou Onix automático de seis marchas? A resposta é clara.

Comentários (5)

  1. Parizzi, também acho uma besteira essa moda de por rodão em carros.

    Há dez anos atrás, um Marea Turbo de 182cv vinha com rodas de 15 polegadas.

    Daí, hoje temos um Gol Rally 1.6 101cv com rodas de 16…

    Até para reposição fica custoso para o dono do carro.
    Do mesmo jeito, temos um Palio ou Gol 1.0 com aro 14 que se encontram boas marcas por a partir de 200 reais.
    Daí, vem o Fox 1.0 (que pra mim é um carro completamente desnecessário por ser caro, porta malas minusculo e dispendioso frente ao gol) com rodas de 15 polegadas.
    Um pneu 16pol não se acha por menos de 400 reais. Imagine a troca dos 4.

  2. a chevrolet prefere investir no parecer do que no ter. não seria melhor que o agile tivesse todas de aro 15 e airbags laterais ao invés de rodas de aro 16 e mais nada de segurança?

    • Não só precisam, como devem ser respeitadas. Mas o ponto em questão é que a marca não coloca de fábrica, por exemplo, airbag lateral (imagino que o projeto do Agile nem permita), equipamento que não pode ser instalado como acessório posteriormente.

      Ao invés disso, ela investe em rodas maiores, que podem ser colocadas como acessório na própria concessionária ou na loja de confiança do consumidor.

  3. Bom, vamos por partes pq a GM trata vc também por partes e as partes s da GM não se comunicam. Logo um funcionário diz, o outro diz que está totalmente incorreto e é totalmente diferente do que o outro falou e obviamente a ligação é transferida – mais um pouquinho do rodrigo e algumas musiquinhas e a ligação cai.

    Procurávamos um carro pequeno, econômico e confortável com uma boa relação custo-benefício. Após algumas pesquisas decidimos por um Agille. Então adquirimos um em Jan/14. É o nosso NONO Chevrolet desde 2004 (Passamos por um celta duas portas, celta quatro portas, classic, prisma, corsa + corsa wagon, astra preto e um astra vermelho (por sinal um carro que tenho muita saudades) – Todos comprados zero Km – inclusive o agille – com TODAS as revisões feitas em concessionária, mesmo após o termino a garantia, somente a troca de óleo era feita em local diferente – com exceção do agille – adquirido em outro estado. Infelizmente a cerca de 20 dias atrás em uma via do DF, houve uma colisão com um meio-fio. Resultado: roda dianteira do lado do motorista destruída, roda traseira do mesmo lado amassada, eixo do amortecedor da roda dianteira direita torto e bandeja do motor amassada, na sexta-feira antes do carnaval. No dia do ocorrido, fomos atendidos pelo Road Service da GM – Este é um ponto muito positivo da Gm – guincho chegou antes do horário marcado, atendimento incrivelmente atencioso mesmo com dificuldades no sinal do celular, e ainda após deixar o veículo na mesma Concessionária onde o veículo foi adquirido o Road Service gentilmente providenciou transporte até nossa residencia – coisa que a concessionária nem cogitou. Agora passados esses dias – com um carnaval no meio e a demorada autorização da seguradora – um capitulo a parte – fomos informados que as roda deste modelo de agile não são mais fabricadas e não tem estoque ou previsão. Como assim???? Isso mesmo, a roda é diferente do modelo que está sendo comercializado. Detalhe a concessionária informou que é NÓS que devemos entrar em contato com a GM – ser etéreo e místico pois tem centenas de telefones, marias e muitos josés – para providenciar a tal da roda. Resultado queremos devolver o carro. Ainda estamos tentado conseguir um contato dentro da GM que explique os fatos O Road Service é muito bom, mas é inadmissível que um veículo novo não tenha mais peças para reposição e claro a falta de informação correta e precisa é um fator desabonante. Hoje pela manhã 13/03, por nossa conta e claro gastos, conseguimos o telefone para um contato direto com a GM (0800 702 42000) e fomos informados que temos que aguardar mais 6 horas ÚTEIS (já ouviram este termo: horas úteis? – dias úteis sim,mas horas……. A atendente do 0800, muito educada, segura das informações, passou finalmente um protocolo – 137X94XXX7.- Ponto a favor da GM e da atendente. Mas caro amigos não podemos apenas adquirir veículos por causa do atendimento do 0800 ou da capacidade da atendente, mas sim pelo atendimento real (na oficina, no momento da negociação do bem, do atendimento no pós-venda. Contamos hj 13/03 a nossa antiga concessionária e através de email a confirmação NÃO EXISTE A PEÇA PARA REPOSIÇÃO NO BRASIL!!!!!!!!!!!!. Então fica de alerta para o que querem adquirir um agile ltz 2014

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *