Impressões: 2008 pode ser o carro que faltava para a Peugeot no Brasil

Peugeot-2008-2014-suv-crossover-visual-capa

De Paris, França* – Durante a minha viagem à Europa, pude conferir de perto uma das principais esperanças da Renault para o Brasil, o Captur. Mas também fiz questão de conhecer outra grande aposta para o mercado nacional, mas agora da Peugeot, marca que realmente precisa de uma virada por aqui. E, para a minha satisfação, o 2008, futuro brasileiro em 2014, tem grande potencial para se tornar um veículo popular nas nossas ruas!

A estratégia da maca do leão é simples: pegue uma das características mais marcantes do 208, seu design, torne-o mais robusto, alto e aventureiro. Aproveite para compartilhar praticamente todo o conjunto mecânico (o que reduz custos de produção e melhora o pós-venda). Pronto: você tem o 2008. Quando o vi pela primeira vez, logo pensei em três palavras para descrevê-lo: elegante, moderno e discreto.

Peugeot-2008-crossover-suv-visual-dianteiro

Sua beleza é notável por causa da harmonia, graças à combinação entre dianteira e traseira (bem diferente do antigo 307 Sedan). Mas o conjunto não seria tão bonito se não fossem as laterais, que possuem linhas ascendentes (partindo da traseira) muito bem feitas.

Mas o carro não chama tanta a atenção por não parecer ser inédito – exatamente pela semelhante com o 208 -, o que garante a dose de discrição. Sua dianteira também lembra bastante a do 408 (e mais alguns outros modelos da empresa). Em relação ao seu compacto irmão mais velho, o 2008 é visivelmente maior na parte externa, parecendo até um crossover com tamanho mais avantajado. Mas suas medidas compactas são menores se comparadas às da maioria dos concorrentes diretos.

2008 208 EcoSport Tracker Duster Captur
Comprimento 4,159 m 3,966 m 4,241 m 4,228 m 4,315 m 4,122 m
Largura 1,739 m 1,702 m 1,765 m 1,776 m 1,822 m 1,778 m
Altura 1,556 m 1,472 m 1,696 m 1,657 m 1,660 m 1,567 m
Entre-eixos 2,538 m 2,541 m 2,521 m 2,555 m 2,673 m 2,606 m

Por dentro, outra semelhança com 208 é o espaço, um pouco melhor no “off-road light”. Minha sugestão, especialmente para quem vai no banco traseiro, é escolher a versão sem o interessante teto de vidro panorâmico CIELO, pois o espaço para a cabeça aumenta um pouco.

Peugeot-2008-crossover-suv-interior-espaco-teto-Cielo

O acabamento do 2008 conta com materiais de boa qualidade e o painel foi bem construído. Mas não espere luxo, pois esta não é a proposta do crossover. A ideia é atrair os aventureiros urbanos que, eventualmente, pegam uma trilha leve.

Na frente, chama a atenção o volante menor, que tem ótima pegada e é fácil (e divertido) de usar. Mas, mesmo depois de ajustá-lo em altura e profundidade, além de regular a altura do banco, encontrando uma posição muito boa de dirigir, o volante tampou parte dos instrumentos, o que atrapalha consideravelmente a condução do motorista. Ficou visível que a Peugeot preparou o seu modelo para atender excepcionalmente bem clientes com até 1,85 m de altura. Acima disso, fica difícil ver parte do conta-giros e do velocímetro.

Peugeot-2008-crossover-suv-visual-interior-painel

Posição de dirigir é boa, mas volante atrapalha visão dos instrumentos do painel

De acordo com a Peugeot europeia, o 2008 tem 360 litros de capacidade no porta-malas (logo abaixo). Não sei o método usado pela marca. Mas, se for o mesmo padrão adotado no Brasil, o volume para bagagens será interessante se levarmos em consideração o tamanho do carro.

Na França, o Peugeot 2008 é vendido com e quatro opções de motores: 1.2 VTi de 82 cv, 1.6 VTi de 120 cv – ambos a gasolina e associados a um câmbio manual de cinco marchas; e 1.2 HDi de 68 cv e 1.6 HDi de 92 cv e 114 cv – todos a diesel e associados a um câmbio manual de seis marchas (68 cv e 92 cv) e automatizado de seis velocidades ECG (114 cv). Todas as versões têm tração dianteira.

Peugeot-2008-crossover-suv-porta-malas

Segundo a Peugeot, porta-malas tem capacidade para 360 litros

No 2008 nacional, a presença do propulsor 1.6 16V flex (115/122 cv) é dada como certa. Outras opções seriam as motorizações 2.0 16V flex (um pouco mais provável) e 1.5 8V flex (bem menos provável). Uma versão esportiva com motor 1.6 THP (165 cv) seria bem-vinda.

Um ponto muito interessante do 2008 é o controle eletrônico de aderência – GRIP Control -, acionado por um botão giratório no painel. Infelizmente não pude testá-lo na prática, pois não pude rodar com o modelo pelas ruas e estradas francesas. Com o GRIP Control, o motorista pode ajustar o controle de tração do veículo de acordo com necessidade. São cinco modos: normal, ESP off, areia, lama e neve. Na prática, este sistema permite que o crossover enfrente desafios com um pouco mais de desenvoltura – mas longe de ser um 4×4.

Peugeot-2008-crossover-suv-interior-painel-GRIP-Control

Comandos do GRIP Control

Outro detalhe do 2008, desta vez bastante curioso, é o seu freio de estacionamento, mais conhecido como freio de mão. Seu formato lembra a de um manche de um avião, criando um “algo a mais” no interior. Por ser prático e de simples manuseio, como praticamente todos os freios de mão convencionais, ele acaba sendo um pequeno diferencial. Veja a imagem na galeria abaixo.

Versões e equipamentos
Por questões de língua, peguei estas informações do site da Peugeot da Inglaterra. A versão de entrada do 2008 é a Access+, que vem equipada com luzes diurnas de LED dianteiras, lanternas traseiras com LEDs em formato de garra, banco traseiro bipartido (1/3 e 2/3); direção elétrica; vidros elétricos dianteiros (one touch para o motorista), trava elétrica (trava para criança nas portas traseiras), ISOFIX; cruise control, retrovisores elétricos com aquecimento; rádio CD Player com comandos no volante e entrada auxiliar; ar-condicionado (com porta-luvas refrigerado), freio a disco nas quatro rodas com ABS, EBD, ESP (controle de estabilidade com assistente de partida em rampa) e EBA (assistente de frenagem de emergência); seis airbags (frontais, laterais e do tipo cortina); cinto de três pontos e apoio de cabeça para todos os ocupantes; estepe fino; barras longitudinais no teto, retrovisores e maçanetas coloridos, tomada 12V; rodas de aro 15″; computador de bordo, follow me home, entre outros.

Peugeot-2008-crossover-suv-visual-traseiro

Acima da Access+ está a Active, que acrescenta volante revestido em couro, faróis de neblina, e sistema multimídia com tela de 7″ sensível ao toque (que chama a atenção no painel, como acontece no 208), conexão Bluetooth e entrada USB; rodas de aro 16″, entre outros.

A próxima versão é a Allure, que tem os itens das duas anteriores, além de sensores de estacionamento, luz, chuva e crepuscular (este para o retrovisor interno), ajuste de altura do banco do passageiros, ar-condicionado digital de duas zonas e o interessante sistema GRIP Control, entre outros itens.

Peugeot-2008-crossover-suv-interior-painel-tela-LCD

O acabamento topo de linha é o Feline, que tem os equipamentos do trio acima incluindo sistema de navegação (GPS) na tela de 7″, rodas de aro 17″, alarme, segunda entrada USB e teto de vidro panorâmico CIELO.

Preços
Os preços do Peugeot 2008 na Inglaterra variam entre 12.995 libras (cerca de R$ 48.081 com a libra a R$ 3,70 – cotação de 26/08/13) e 17.850 libras (R$ 66.045), enquanto na França os valores ficam entre 15.300 euros (cerca de R$ 48.654 com o euro a R$ 3,18 – cotação de 26/08/13) e 23.350 euros (R$ 74.253).

Peugeot-2008-crossover-suv-visual-dianteiro-farol

Vendida a partir de 21.800 euros, a versão que pude conhecer com calma em Paris foi a Feline (tem praticamente os mesmos equipamentos da versão inglesa), que ilustra as fotos deste post. Mesmo com uma lista de itens de série bem interessante, o 2008 topo de linha é bastante simples. Mas eu não esperava que isso fosse muito diferente, pois os concorrentes também são assim.

No Brasil, levando em consideração o 208, é provável que a Peugeot trabalhe com 3 versões de acabamento para o 2008. Espero que a lista de equipamentos inicial do modelo nacional seja a mesma do europeu, com direito a seis airbags e freio a disco nas quatro rodas com ABS, EBD, ESP e EBA, entre outros itens. Em relação ao preço do crossover por aqui, minha aposta é que ele comece entre R$ 55.000 e R$ 60.000, chegando à casa dos R$ 70.000 na versão mais completa.

Peugeot-2008-2014-visual-paisagem-praia

Resumo da obra
Como adiantei na tabela acima, o Peugeot 2008 terá como principais concorrentes o Ford EcoSport, o Chevrolet Tracker e os Renault Captur e Duster. Qualidades para enfrentá-los, e para ter um bom desempenho no mercado, o crossover francês já mostrou que tem.

Associado a um conjunto mecânico que vem recebendo elogios, especialmente pelo motor 1.6 16V flex (do 208 e do 308), as chances de sucesso do 2008 aumentam ainda mais. Mas, para fechar o “pacote de atrativos” do modelo com chave de ouro, bem que a Peugeot poderia lançar o 2008 custando R$ 49.990 no Brasil – é só a Peugeot querer, já que o Renault Duster custa a partir de R$ 50.790.

Após conhecer o 2008, confirmei a minha primeira impressão. Elegante, moderno e discreto, o crossover tem tudo para ser o Peugeot que faltava no Brasil.

*O jornalista e blogueiro viajou por conta própria.

 

Comentários (3)

  1. no minimo 65 – 70 000. alguém aposta? mt bonito. mas pelo preço dos outros concorrentes, nao tem como ser menos que isto. este carro vai concorrer com versoes melhores do ecosport. a peugeot nao vai fazer um pe de boi a menos de 60 mil.

  2. Amigo, vc só pode estar apostando mesmo! Minha mãe comprou esse carro na Italia e esta pagando lé em torno de 54 mil R$, então como poderia se pagar aqui nesse país injusto chamado Brasil, menos que uns 75 Mil R$? Difícil !!!!!!!

  3. Gostei muito do 2008. Porem o apoio do braço esquerdo do motorista tira muito espaço para as pernas. Em viagens longas pode ser bem desconfortavel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *