LOUCURA: prefeito de São Bernardo do Campo (SP) quer adiar a aposentadoria da Volkswagen Kombi

Volkswagen-Kombi-Last-Edition-Brasil-2013-flex

Depois de dezenas de anos de história, a Kombi será finalmente aposentada em 2014 no Brasil, conforme anuncio da Volkswagen, que marca este momento com a série especial “Last Edition” (sou seria “Já vai tarde”?) da vovozona.  Mas, infelizmente, o prefeito de São Bernardo do Campo (SP) não quer que isso aconteça. Loucura?

Do meu ponto de vista, sim, é loucura. Mas o prefeito da cidade do interior de São Paulo, Luiz Marinho (PT), acha que não e teria pedido ao ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, para que a Kombi ficasse em produção por mais dois a três anos.

A justificativa de Marinho foi a seguinte, conforme: “O governo forçou as montadoras a adequarem seus produtos (às novas normas de segurança), mas é preciso certo tempo para que a Volkswagen substitua a Kombi. Além disso, ela é um veículo de carga para o uso urbano, e muita gente a utiliza, como feirantes, pequenos empresários e trabalhadores autônomos. A Kombi é a única forma de estes profissionais terem um veículo novo a um preço relativamente baixo”, declarou Marinho.

Volkswagen-Kombi-Last-Edition-Brasil-2013-flex-traseira

Primeiro ponto é que a Volkswagen teve, simplesmente, 63 anos para desenvolver a nova Kombi – desde 1950, quando ela foi lançada. Segundo, na Europa, a Kombi não é mais vendida há muito tempo, sendo substituída por veículos muito mais modernos. Por que o mesmo não aconteceu aqui? Terceiro, o governo não forçou as montadoras, mas sim tornou a lei mais rigorosa (com razão), aumentando o nível de segurança dos carros fabricados no Brasil (demorou muito para isso acontecer) e deu um tempo razoável para que as montadoras se adequarem.

O prefeito também citou como outro motivo para pedir o adiamento da aposentadoria da Kombi “a possibilidade de demissões na linha de montagem da Volkswagen após a o modelo sair de linha”. Não seria mais fácil pedir para a Volkswagen readequar a linha de montagem para a produção de outro veículo, mais moderno do que a “velha senhora” (pensamento simples: novo Santana, novo Polo, Up!, Taigun, entre outros)?

A Kombi sairá de linha no início 2014 por não se adequar às novas normas de segurança dos veículos nacionais, que entra em vigor no dia 1º de janeiro do ano que vem, tornando obrigatório que airbag duplo e freios com sistema ABS sejam equipamentos de série para todos os automóveis fabricados no país.

Para marcar a despedida do modelo, a Volkswagen lançou a série especial Last Edition Kombi, (não mais tão) limitada a 1.200 unidades, por absurdos R$ 85.000, que garantirão um faturamento de R$ 102 milhões.

Se abrir uma exceção, o Governo Federal estará comentando um grande erro. Até o momento, a chance da Kombi continuar em produção é remota. Que isso continue assim.

Fonte: Rádio ABC e Quatro Rodas

Comentários (1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *