Dez considerações iniciais sobre o Nissan Sentra SL 2.0 CVT

Nissan-Sentra-SL-2014-Brasil

O Nissan Sentra SL 2.0 CVT já está na garagem do De 0 a 100 para uma avaliação detalhada! Mas, antes de publicar o teste completo, veja as minhas dez considerações iniciais sobre o sedã japonês feito no México!

1. Espaço interno é muito bom, mas dentro do esperado para a categoria;
2. Porta-malas parece ter mais volume do que os excelentes 503 litros de capacidade de carga;
3. Motor 2.0 16V flex tem bom desempenho e média de consumo aceitável: 6,7 km/l na cidade e 9,4 km/l na estrada, com etanol;
4. Discreto, seu visual mais conservador agrada, especialmente a traseira;
5. Câmbio Xtronic CVT é muito bom, mas falta a opção de trocas sequenciais de marchas;
6. Faltam alguns detalhes que tornariam o interior ainda mais completo, com one touch para todos os vidros;
7. Em média, o preço do Sentra SL é R$ 12.000 mais em conta dos que os principais concorrentes completos (Civic EXR, Corolla Altis e Cruze LTZ);
8. GPS integrado ao painel funciona muito bem;
9. Cruise control funciona bem, mas pode melhorar;
10. Como sou muito alto, bato a cabeça no teto no banco do motorista, mesmo com o banco ajustado o mais baixo possível. Culpa do teto solar (mas o item um continua valendo).

Em breve publicarei o teste completo!

Comentários (5)

  1. Na minha opinião, a melhor relação custo/benefício da categoria, junto com o C4 Lounge THP. São indiscutivelmente mais bem equipados, e como lembrou em um dos itens citados acima, entregam muito mais por bem menos, cerca de 10 a 12 mil a menos em relação aos primeiros colocados na lista dos mais vendidos nesta categoria.

      • Justamente, Renato. Foi o que eu disse. Se quiser algo parecido em termos de equipamentos nos demais concorrentes diretos do Sentra, vai ter que desembolsar cerca de 10 mil a mais, quando o Sentra top, o SL testado, já entrega muito por 72 mil. No caso do C4 Lounge, se for comparar com o Sentra topo de linha, o ideal seria o Exclusive, que fica na mesma faixa de preço do Nissan. Falei do THP por ser infinitamente mais bem equipado e com mecânica superior do que os dois primeiros colocados do segmento, pagando bem menos.

        • Por experiência própria, evite carros da PSA logo quando lançados. Tive uma péssima experiência com um peugeot 408 griffe THP 11/12. O carro tinha todos os opcionais, inclusive o banco com ajuste elétrico, que também deu pau. Desde o teto-solar (que precisaram soldar um reforço que havia soltado) até o motor (bomba de alta, baixa, falha no arrefecimento), tudo deu problema. O carro era fantástico…no papel. Sou fanático por carros e pesquiso muito antes de comprar, por isso vi de longe que o 408 thp (motor turbo, injeção direta e desenvolvido em parceria com a BMW), aliado ao câmbio japonês de 6 marchas seria um espetáculo. Porém, até nesse aspecto ele me deixou na mão….fui para a ccs guinchado por 3 vezes, o carro simplesmente parava. O gps perdia a sincronização com o quadrante do painel, as vezes subia e descia a tela como uma espécie de pane, o carro disparava o limpador de parabrisas sozinho e não parava. Os mecânicos da peugeot são completamente despreparados para lidar com este carro. Alia-se a este fato o carro ser montado na ARGENTINA! Fuja disso….e olha que peguei o carro por PJ com desconto de 12% e mesmo assim perdi bastante $$ na venda (ainda bem que consegui vendê-lo). Francês, montado na Argentina e desenvolvido para mercados emergentes como o 408 e o Lounge, tenha receio! Falo por experiência própria.

          • Na minha opinião o Sentra deveria ter mais uns dez litros de capacidade no tanque de combustível, mesmo que seja reduzido o volume do porta malas que já é muito bom.
            A tacha de compressão do motor igual a 9,5: 1 é baixa para os motores atuais. Um aumento nesta relação poderia ganhar uns cavalinhos a mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *