O que aconteceu com o ronco dos carros de Fórmula 1?

Formula-1-F1-Mercedes-Benz-Nico-Rosberg

A temporada 2014 da Fórmula 1 começou há poucas semanas e não só as corridas fracas estão incomodando os fãs, mas também o fraco e sem graça ronco dos motores dos bólidos.

Decepcionante! Essa é a melhor palavra para descrever o sentimento dos fãs da Fórmula 1 na temporada 2014. Nesse ano, a categoria mais importante do automobilismo mundial passou por uma profunda mudança no regulamento técnico e, sem dúvida, a principal alteração foi a troca dos motores V8 aspirados pelos propulsores V6 turbo. Mas por que isso seria considerado ruim? Porque a motorização menor é bem menos ruidosa, “matando” uma das principais característica de um carro de Fórmula 1: o seu ronco.

Após o GP da Austrália, o primeiro da temporada, realizado em Melbourne no meio de março, muitas pessoas reclamaram do fraco ronco dos motores, incluindo organizadores e pilotos, como o atual campeão Sebastian Vettel.

Veja abaixo a diferença entre os carros de 2013, com propulsores V8 aspirados, e os de 2014, com seus V6 turbo.

O diretor-executivo da corporação que cuida da prova na Australia, Andrew Westacott, declarou que nunca havia ouvido um barulho tão maçante e cobrou mudanças.

“O ronco dos motores nunca foi tão maçante. Isto é uma coisa que eles terão de acertar para as próximas etapas. Nós pagamos por um produto, atraímos milhares para o autódromo e agora estamos preocupados. Isto pode estar violando o contrato”, declarou.

Além do ruído que desagradou os fãs, o motor V6 turbo proporcionou outra grande discussão na pré-temporada, já que deixou os carros mais lentos que antes.

Com informações do Terra.
Foto: AP – Reprodução do Terra

Atualização (01/04/2014)
Como a Fórmula 1 censurou sumariamente o vídeo acima, encontrei outro link que, até o momento, está funcionando:

Comentários (4)

  1. Também não gostei do ronco… Mas esse ano os carros estão mais rápidos em reta, contudo o tempo de volta é cerca de 3s mais lento. A razão disso foi a perda de pressão aerodinâmica do novo regulamento. Espera-se em Monza velocidades próximas às dos motores V10.

    Outra coisa que me incomoda foi o limitador de fluxo de combustível. Esses motores poderiam girar até 15 mil rpm, porém o limite reduzido de combustível obriga as equipes a limitarem os motores a 12,5 mil giros.

  2. nao nada dmais na tecnologia downsinzing pois em 2001 os f1 usavam motores v10, depois passaram pros v8 e agora os v6 biturbo, acho q daqui pra 2020 sera motor 4 cilindro com 3 turbos

  3. Quando falamos de F-1 estamos falando de muitas coisas como tecnologia opr ex… mais o ronco tradicional destes motores é uma marca registrada que não deveria ser mudado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *