Renault confirma lançamento de dois modelos inéditos e investimento de R$ 500 milhões no Brasil

Renault Captur Crossover compacto SUV Brasil 2014

O Chairman e Presidente Mundial do Grupo Renault-Nissan, o brasileiro Carlos Ghosn, anunciou na segunda quinzena de abril um novo ciclo de investimentos da Renault no Brasil no valor de R$ 500 milhões, para o período 2014-2019. Os recursos serão aplicados no desenvolvimento e produção de dois modelos inéditos no Complexo Ayrton Senna, em São José dos Pinhais (PR). Embora a marca não tenha confirmado oficialmente, os mais cotados (e bem prováveis) são o belo Captur, já avaliado pelo De 0 a 100, e a “curiosa” picape Duster.

“Os dois produtos que nós estamos trazendo não são produtos de substituição, não são produtos que vão competir no mesmo segmento que nós já estamos comercializando, são produtos totalmente novos e segmentos totalmente novos no mercado brasileiro”, disse Ghosn durante a entrevista. “Desde 2011 o Brasil é segundo maior mercado da marca depois da França e está entre as prioridades estratégicas de crescimento mundial do Grupo”, completou Ghosn.

Renault-Captur-Brasil-2014-flex-traseira

Renault Captur

O Captur é uma aposta certa. Seu visual e suas medidas devem agradar em cheio o consumidor brasileiro. Resta saber se a marca irá fabricar o modelo por aqui na sua  plataforma original, ou na do Duster, como está sendo especulado, para reduzir custos.

O outro veículo que deve ser lançado é uma picape derivada do Duster. Já falei sobre essa possibilidade por aqui antes e continuo com dúvidas se seria mesmo uma boa ideia. Do meu ponto de vista, acho que seria melhor investir num novo carro compacto de entrada para substituir o Clio. Outra possibilidade seria “rebaixar” o Sandero e lançar por aqui o atraente e interessante Clio europeu.

Dacia-Renault-Duster-pickup-picape

De acordo com a Renault, os investimentos de R$ 1,5 bilhão anunciados para o ciclo 2010-2015 já foram concluídos. O objetivo da marca é continuar ampliando a sua participação no mercado brasileiro. No acumulado de janeiro a março deste ano a Renault registrou 6,7% de participação, consolidando-se como a quinta marca do mercado. A meta é alcançar 8% de participação até 2016.

Graças ao plano de investimentos anterior, a Renault reforçou sua estratégia de crescimento no País, baseada em três pilares: aumento da capacidade produtiva (em 2013 sua capacidade instalada de produção saltou de 280.000 para 380.000 unidades por ano); renovação da gama de produtos (foram lançados dois modelos completamente novos só em 2013 – o Master e o Logan); e ampliação da rede de concessionárias (nos últimos três anos foram inauguradas 100 novas concessionárias, totalizando 275 revendas).

Dacia-Renault-Duster-pickup-picape-caçamba

A Renault também anunciou a implementação de um novo Centro Nacional de Distribuição de Peças no município de Quatro Barras (PR), investimento que também se insere no programa Paraná Competitivo.

O novo Centro de Distribuição será instalado em um condomínio industrial e é uma peça importante na estratégia de crescimento da marca nos próximos anos. As novas instalações contarão com 66 mil metros quadrados de área construída e o início das operações está previsto para o segundo semestre de 2015. O novo armazém deve gerar cerca de 250 empregos e representa investimentos da Renault da ordem de R$ 240 milhões, compreendidas as operações dos próximos 10 anos. Na sua operação o novo centro deverá movimentar cerca de 200 carretas por mês.

O novo centro, além de atender toda a rede de concessionárias Renault no Brasil, além de exportar peças e componentes para o México, Argentina, Chile, América Central, Colômbia, Venezuela, Uruguai, Paraguai, Peru, África do Sul e França. Ao todo, a Renault opera hoje com aproximadamente 20 mil itens estocados.

Comentários (4)

    • e cade a subistituição da megane grand tur ainda não troquei de carro porque não tem nem um carro no perfil dela para compra. e devo sair da marca por não me oferece nada com o perfil dela. são burros mesmo .
      poderia ser mais cara não tem problema.
      a minha ja ta 160mil km e vou levar ela ate onde der e boa e economica viajo direto com ela.

      • A pick-up duster é ridicula,o mercado globalizado
        nao atura mais “gambiaras”é preciso projetos
        a caçamba ,simplesmente cortaram o carro
        ao meio,riririrididididicucucuculololo….acorda
        renault…….,nao compraria nem para o meu
        caseiro levar lenha…….prá lareira.

  1. Tive um stepway shou de bola ” Sandeiro” , más um Duster Dynamic , só me decepcionou aguardo ansiosa o CAPITUR , Caso tenha a versão automatica e 1.8. Carro e sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *