Fiat Bravo 2016 evolui pouco e continua superado pela concorrência. Preços sobem e ficam caros

Fiat-Bravo-Essence-2016

Sensor de estacionamento dianteiro parece uma gambiarra por causa da posição nas extremidade do para-choque

Assim como o Linea, o Fiat Bravo 2016 luta para sobreviver numa categoria em que ele é superado pelos principais concorrentes. Nessas situações, itens de tecnologia, mecânica avançada e preços atraentes ajudam qualquer modelo a ter algum destaque. Mas, para a linha 2016, o Bravo até evoluiu um pouco em tecnologia, mas continuou superado pelos concorrentes e o pior: ficou bem mais caro. Desse jeito, continuará na mesma.

O que mudou na linha 2016?

Apresentado durante o Salão do Automóvel de São Paulo no ano passado, o Bravo 2016 chega com visual reestilizado, com novos para-choque, grade dianteira e molduras dos faróis de neblina – solução visual já utilizada no sedã. Na traseira, os defletores de ar foram redesenhados, as lanternas tem molduras pretas e o logotipo com nova grafia está agora em destaque na parte central da tampa traseira. Fecham as mudanças estéticas as novas rodas de liga leve com desenhos exclusivos para cada versão e minissaias laterais na cor do veículo.

Fiat-Bravo-T-Jet-turbo-2016

Fiat Bravo T-Jet 2016

Por dentro, a linha 2016 do Bravo traz agora uma nova iluminação branca presente nos comandos internos, além de uma nova grafia no quadro de instrumentos. Mas o destaque é a adoção do Uconnect Touch de série em todas as versões do hatch. O sistema multimídia do grupo Fiat Chrysler (FCA) é focado em entretenimento, comunicação e navegação e está presente em diversos modelos da Jeep, Chrysler, Dodge, Alfa Romeo, Fiat e RAM.

No Bravo, ele tem apenas 5″, deixando o painel carente de uma tela maior – 7″ seria mais adequada. O Uconnect vem também a câmera de ré, que auxilia nas manobras, e, dependendo da versão, tem até navegação por GPS da Tom Tom, que evolui o sistema para Uconnect Touch Nav.

Fiat-Bravo-Blackmotion-interior-painel-2016

Fiat Bravo Blackmotion Dualogic Plus 2016

A Fiat recalibrou o o software de controle do ar-condicionado digital o que, segundo a marca, garante uma diminuição de até 20% no tempo necessário para a redução da temperatura programada nos modelos equipados com ar-condicionado Dualtemp.

Para fechar, o Bravo 2016 agora tem a já batida (no sentido figurado) versão especial BlackMotion, que chega com o interior todo em preto e bancos revestidos em couro, Uconnect Nav, ar-condicionado automático digital Dualtemp, tapetes em carpete, (inadequadas para o Brasil) rodas de liga de 17”, faróis escurecidos; minissais laterais; ponteiras duplas de escapamento cromadas; entradas de ar, retrovisores e spoilers com acabamento preto ônix; barras frontais com acabamento cromo Dark; faixas laterais e soleira da porta com o logo BlackMotion, suspensões com acerto esportivo e sensor de estacionamento.

Fiat-Bravo-Blackmotion-2016

Fiat Bravo Blackmotion 2016

Motores e câmbios

Debaixo do capô, absolutamente nenhuma mudança. O Bravo 2016 sai de fábrica com o motor 1.8 16V E.TorQ, que desenvolve 130 cv de potência e 18,4 kgfm de torque com gasolina e 132 cv e 18,9 kgfm com etanol. Essa motorização pode ser encontrada com câmbio manual de cinco marchas ou com o manual automatizado Dualogic Plus, também com cinco velocidades – inadequado para a categoria.

O hatch médio italiano tem ainda a opção com o propulsor 1.4 16V turbo a gasolina, que gera 152 cv e 21,1 kgfm, podendo chegar até os 23 kgfm acionando o exclusivo sistema Overbooster. A transmissão é mecânica e tem seis marchas.

Fiat-Bravo-Essence-camera-re-2016

Fiat Bravo Blackmotion 2016

No dia a dia, qualquer versão do Bravo com motor 1.8 sofrerá um pouco em baixas rotações, mas nada que o costume não resolva. O câmbio manual de cinco marchas tem engates satisfatórios, enquanto o Dualogic Plus, mesmo mais evoluído, deixa a desejar em relação a uma transmissão automática tradicional ou de dupla embreagem, usadas pelos concorrentes diretos.

Já o Bravo 1.4 T-Jet é mais interessante. Quando o turbo entra em ação, a diversão começa. Sem ele, o carro é um 1.4 16V comum. Ainda assim, esse motor é bem mais interessante do que o 1.8.

Fiat-Bravo-UConnectTouchNAV-2016

Sistema UConnect Touch NAV é uma das principais novidades do Fiat Bravo 2016. Tela de 5″ deveria ser maior

Preços e equipamentos

Com apenas dois anos de garantia total (contra três anos dos principais concorrentes) e três anos de garantia de motor/câmbio, além de três anos de assistência 24 horas do Confiat, o Bravo 2016 está disponível nas versões Essence 1.8 16V, Sporting 1.8 16V, T-Jet 1.4 16V Turbo e a versão especial BlackMotion 1.8 16V.

Por sugeridos R$ 61.990, a versão de entrada, Essence, tem como principais equipamentos de série alarme antifurto, alertas de limite de velocidade e manutenção programada, apoia-braço central no banco do motorista com vão refrigerado, apoios de cabeça e cintos de segurança de três pontos para todos os ocupantes, ar-condicionado com saída de ar para o banco traseiro, banco do motorista com regulagem de altura, banco traseiro bipartido com apoia-braço central e porta-copos, porta-objetos nas portas dianteiras e porta-revistas no encosto dos bancos dianteiros; chave canivete com telecomando para abertura das portas, vidros e porta-malas, comando elétrico de abertura da tampa do tanque de combustível, computador de bordo A e B (distância, consumo médio, consumo instantâneo, autonomia, velocidade média e tempo de percurso); direção elétrica com dois programas de condução; freio a disco nas quatro rodas com ABS, EBD e ESS (sinalização de frenagem de emergência), espelho no para-sol lados motorista e passageiro com iluminação, sistema de prevenção de incêndio (destravamento das portas e corte do fluxo de combustível); faróis de neblina com sistema cornering; Fiat Code 2ª geração; follow me home; gancho universal para fixação cadeira criança (Isofix); ganchos de fixação de carga no porta-malas; kit parafusos antifurto das rodas (um por roda); Logo Push (sistema de abertura elétrica do porta-malas); maçanetas externas, minissaias laterais e retrovisores externos na cor do veículo; My Car Fiat (personaliza várias funções do carro); piloto automático; retrovisores externos elétricos; rodas de liga leve de 16″” cinza com acabamento diamantado + Pneus 205/55 R16; Safe Lock (sistema de segurança que inibe a abertura das maçanetas do veículo); travas elétricas + Trava automática das portas a 20 km/h; Uconnect Touch 5″; vidros elétricos dianteiros e traseiros com one touch e antiesmagamento; vidros verdes com para-brisas degradê; volante multifuncional (8 botões) com regulagem de altura e profundidade e revestido em couro, entre outros.

Fiat-Bravo-Sporting-2016

Fiat Bravo Sporting 2016

A versão Sporting, que tem preço sugerido de R$ 67.990, vem com os itens acima, além de ambiente interno preto, bancos dianteiros com regulagem de altura, capa exclusiva para chaves, faixas laterais e soleiras personalizadas, faróis polielipticos, faróis com acabamento esportivo, pomo da alavanca de câmbio e coifa do freio de mão com acabamento em couro; ponteira de escapamento esportiva com saída dupla cromada; retrovisores externos e spoiler na tampa traseira na cor cinza fosco; rodas de liga leve de 17” com acabamento esportivo + pneus 215/45 R17; suspensão com acerto esportivo; tapetes dianteiros e traseiros em carpete e teto solar elétrico Skydome.

A versão especial Blackmotion nada mais é do que a Sporting com alguns itens a mais de conforto e visuais. Com valor sugerido de R$ 68.990, ela vem com os equipamentos acima, com a adição de ar-condicionado automático Dualtemp com saida de ar para o banco traseiro; banco do passageiro com regulagem de altura (quando o veículo for equipado com teto solar Skydome); bancos revestidos parcialmente em couro com bordado Blackmotion; barras com acabamento cromo escuro no parachoque dianteiro e na entrada de ar; iluminação nas maçanetas e no console central com efeito “Night Design”; sensor de estacionamento traseiro e Uconnect Touch Nav 5″.

Fiat-Bravo-T-Jet-2016

Curiosamente, a versão topo de linha do Braco, a T-Jet, que parte de sugeridos R$ 78.490, perde alguns equipamentos interessantes se comparada à Blackmotion, como o sistema de navegação por GPS Uconnect Touch Nav (volta para o Uconnect tradicional) e os bancos revestidos parcialmente em couro. Por outro lado, vem com os outros equipamentos do acabamento citado acima, além de ESP (controle eletrônico de estabilidade), faróis com acabamento esportivo, Hill Holder (sistema ativo freio com controle eletrônico que auxilia nas arrancadas do veículo em subida), pinças de freio dianteiras e traseiras pintadas em vermelho, quadro de instrumentos com display Dot Matrix (gráfico da turbina, relógio digital, calendário e indicador de temperatura externa) e grafia esportiva; recobrimento esportivo dos pedais e apoia-pé; rodas de liga leve 7.0 x 17 esportivas com acabamento diamantado + pneus 215/45 R17; tapetes em carpete com escrita Bravo e bordado T-Jet e teto solar elétrico Skydome.

Mas vale a pena comprar um Bravo 2016?

Olhando o Bravo você nota que ele está diferente e que continua bonito, mas sem causar o mesmo impacto de antes. Além disso, está claro o “sinal” de que o modelo é de outra geração (para não dizer antigo). Quer um exemplo: espaço interno. Com um entre-eixos mais curto do que o da concorrência, quem vai no banco de trás passa mais aperto do que nos veículos adversários diretos. Além disso, sem a evolução mecânica, que ficará para o seu substituto, o Bravo continua uma presa fácil no segmento de hatches médios no Brasil, especialmente com o elevado preço da sua linha 2016.

Fiat-Bravo-Sporting-interior-painel-2016

Painel do Fiat Bravo Sporting 2016. Repare como a tela de 5″ ficou pequena

Tudo bem que o modelo continua bom e que ele ainda é consideravelmente mais barato (Essence 1.8 – R$ 61.990) do que o Ford Focus (que parte de R$ 67.900 na versão S 1.6 com câmbio manual) e o Chevrolet Cruze Sport6 (que custa iniciais R$ 69.990 no acabamento LT 1.8 manual), por exemplo. Mas o Bravo é “menos carro” do que esses dois concorrentes, no meu ponto de vista.

O que quero dizer é que subir o preço na casa de R$ 4.000 para o Bravo foi um erro da Fiat, que fadou o seu carro a ficar estagnado no segmento, com vendas eternamente mornas. O Uconnect Touch foi uma adição muito bem-vinda, mas será que ele, juntamente com as mudanças estéticas e mais algumas coisas justificam o aumento que citei? Acho que não.

Já que o preço ficou mais alto, seria importante então equipar o Bravo 2016, em todas as versões, com Uconnect Touch NAV, airbags laterais e de cortina, câmera de ré, sensores de estacionamento e ar-condicionado automático Dualtemp. Nesse caso, o hatch médio da Fiat teria um diferencial interessante para o consumidor, o que o ajudaria a vender mais do que apenas 370 carros por mês, como foi em 2014 (4.436 unidades no ano passado).

Para efeito de comparação, o líder Focus teve média de 1.821 unidades por mês em 2014 (21.859 unidades ao todo), contra 1.420 carros do Cruze Sport6 (17.049 unidades no ano passado), 1.343 unidades do Volkswagen Golf (16.118 carros em 2014), 464 unidades do Peugeot 308 (5.574 unidades em 2014) e 431 carros do Hyundai i30 (5.181 unidades no ano passado).

Comentários (7)

  1. Horrível, diria eu este modelito da Fiat, parece um carro da segunda guerra mundial. ô meu tá louco heis, isto não se apresenta. Os faróis, Ihi, vixi
    o que é isto, não dá não. Bom para a concorrência

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *