Impressões – Ford Ka SE 1.0 agrada muito, mas não vou comprar um

Ford-Ka-SE-2015Infelizmente, eu não tenho uma relação estabelecida com a marca Ford no Brasil. Meus e-mails com dúvidas de internautas e para os meus posts nunca foram respondidos, como foi o caso, por exemplo, da matéria sobre fidelização de clientes automotivos. No Salão do Automóvel de São Paulo do ano passado (parte 1 e parte 2), quando procurei, pessoalmente, a assessoria de imprensa da marca, a pouca vontade em me atender ficou visível (talvez por eu ser um “veículo pequeno”) – mas a moça que conversou comigo poderia estar com algum problema pessoal naquele dia, por isso dou um desconto.

Além disso, quando fui trocar o meu Chevrolet Astra, fui a várias concessionárias da Ford em Belo Horizonte e São Paulo e fiquei impressionado com a “não vontade” em me venderem o Focus que eu queria na época. Resultado, comprei um veículo de outra marca. Agora, que estou trocando o meu carro novamente, a experiência que tive em concessionárias da marca praticamente se repetiu, semelhante ao que aconteceu na Peugeot. Uma decepção…

Mas, mesmo diante desses contratempos e má vontades, tento sempre escrever sobre a Ford aqui no De 0 a 100. Afinal, gosto muito da marca. Pensando nisso, como fiz com o Fusion, aluguei, do meu bolso, um Ka SE 1.0. E fiquei muito surpreso com o carro, que me agradou bastante.

Ford-Ka-SE-1.0-2015Aluguei o Ka por apenas 24 horas. Fiquei muito satisfeito com a visível evolução do atual modelo em relação à geração anterior. Realmente, do velho Ka, só restou o nome. O atual tem mais espaço, beleza, tecnologia, segurança e praticidade.

O espaço interno é legal, bem compatível com a categoria. Quem vai atrás, dependendo da estatura, encontra até certo conforto. Para o motorista, o espaço é legal e a posição de dirigir é boa, mas poderia ser melhor se o volante tivesse ajuste de profundidade (item esperado num carro moderno como o Ka).

Ao olharmos o porta-malas, o espaço parece superior aos 257 litros declarados pela Ford. Entretanto, ao acomodar as malas, ficou faltando um pouco mais de volume, ainda mais se lembrarmos que boa parte dos concorrentes tem porta-malas com capacidade para cerca de 280 litros. Ainda assim, os 257 l estão dentro da margem esperada para a categoria.

Ford-Ka-SE-2015-porta-malas

Porta-malas do Ford Ka tem 257 litros de capacidade

O novo Ka é muito “mais carro” do que o antigo. Seu volante tem melhor empunhadura, sua direção é leve e seu comportamento dinâmico é muito bom, especialmente na cidade, onde é excelente. Ele é fácil de manobrar e sua altura livre do solo me pareceu adequada.

O motor 1.0 12V de três cilindros, que desenvolve 80 cv de potência e 10,2 kgfm de torque com gasolina e 85 cv e 10,7 kgfm com etanol, embora um pouco ruidoso, casou muito bem com o compacto, especialmente para o uso urbano. Os engates do câmbio não foram dos melhores, mas dei um desconto porque carro alugado não recebe “carinho” (não é tão bem cuidado).

Na estrada, dirigindo de forma tranquila, com duas pessoas a bordo, porta-malas cheio e ar-condicionado ligado, o propulsor 1.0 teve comportamento satisfatório. O peso do veículo de 1.007 kg ajudou. Mas, ao precisar fazer algumas ultrapassagens, mesmo com etanol no tanque, senti falta de mais força, que tornaria a manobra mais rápida e, por consequência, mais segura. Em relação ao consumo, graças a um problema com a Localiza (veja abaixo), não foi possível medir.

A versão SE do Ka, a de entrada, vem com uma lista de equipamentos de série até interessante: ar-condicionado, direção elétrica, vidros elétricos dianteiros um toque para baixo e para cima (motorista), trava elétrica das portas com controle remoto, My Connection Gen. 3 (radio AM, FM / USB / Bluetooth / controle p/ iPod) com My Ford Dock, chave canivete com controle remoto, maçanetas e espelhos retrovisores externos na cor do veículo, limpador, lavador e desembaçador do vidro traseiro; airbags frontais (motorista e passageiro), freios ABS com EBD, abertura elétrica do porta-malas, ajuste de altura da coluna de direção, 4 tapetes de carpete, roda de aço de 14” com calota integrada (pneus verdes 175/65), faróis dianteiros escurecidos, indicador de troca de marcha no painel, palhetas dos limpadores do tipo “Flat-Blade”, entre outros.

Ford-Ka-SE-2015-painelProblemas na locação

O aluguel do veículo foi com a Localiza e, mais um vez, tive um contratempo. Fico impressionado como quase sempre tenho algum problema com essa empresa. Dessa vez, eles me entregaram um Ka que mostrava que o tanque estava cheio. Mas, depois de rodar 80% do tempo na estrada, com etanol e ar-condicionado ligado, a 80 km/h de velocidade, a média de consumo foi de míseros 5,5 km/l – péssimo número para um carro 1.0 de três cilindros. Ou o carro estava com defeito (o que não parecia), ou (mais provável) me entregaram um carro que não estava, realmente, com o tanque cheio.

Abasteci o pequeno Ford e, ao devolvê-lo, reclamei no balcão da Localiza. A atendente disse que não poderia fazer nada. Depois fiz uma reclamação formal pela avaliação da locação e recebi um upgrade como desculpas. Em relação a isso, escrevi o seguinte para a Localiza: “Agradeço o retorno e o upgrade. Mas o que eu preciso que aconteça é que a Localiza seja mais rigorosa e apresente um trabalho melhor pois, nas minhas locações mais recentes, sempre tive algum problema que tornou a experiência desagradável. Se isso não acontecer, os valores da locação poderiam ficar mais baixos, pelo menos, para tornar o preço mais compatível com a qualidade do serviço prestado”. Infelizmente, o preço continuará alto e a qualidade…

Ford-Ka-SE-2015-BrasilResumo da obra

Por mais que a Ford entregue um compacto 1.0 bonito, com bom espaço interno, porta-malas razoável, lista de equipamentos até boa, desempenho interessante para a cidade e satisfatória para a estrada, eu não compraria um Ka SE 1.0. São dois motivos. O primeiro é o preço: R$ 38.990 está alto. O ideal seria que a versão SE PLUS deixasse de existir e os vidros elétricos traseiros, o sistema de som Sync Media System (com AppLink) e a assistência de emergência fossem incluídas no Ka SE, com seu valor girando na casa de R$ 36.000.

Se eu fosse optar por alguma versão do Ka, eu escolheria qualquer uma entre as 1.5, embora a SEL (topo de linha) seja caríssima. Digo isso porque o desempenho do motor 1.5 (105/110 cv) é muito mais interessante, especialmente para quem roda muito na estrada. Mas os preços salgados não são exclusividade da Ford.

O segundo ponto que desfavorece a compra do Ka é o atendimento das concessionárias que visitei. Praticamente não existiu nenhum empenho para tentar me vender o carro; os “descontos” e “benefícios” oferecidos merecem as aspas aqui do texto porque foram irrisórios; e a desconfiança apresentada, como vi na Peugeot, me deixou bem desanimado.

Ford-Ka-SE-2015-dianteira-fusionO fato de não ter relação estabelecida com a Ford também me incomoda, mas não é um critério que me impediria de comprar um carro da marca. Afinal, seus modelos atuais são muito bons. E o Ka é a prova disso, como pude verificar, na prática, nessas impressões.