Nissan Sentra 2017 chega bem mais bonito, seguro e equipado

Nissan-Sentra-SL-2017-design-visual

Nissan Sentra 2017 tem nova (e bonita) dianteira

Depois de causar uma ótima impressão com o Kicks e de antecipar (para junho) o March e Versa com transmissão automática CVT, a Nissan não ficou parada aguardando a chegada da nova geração de dois dos seus principais concorrentes e acaba de lançar o Sentra 2017, que ficou bem mais bonito, seguro e equipado, abandonando o câmbio manual. Preços subiram.

As versões continuam as mesmas: S (R$ 79.990), SV (R$ 84.990) e SL (R$ 95.990). Todas são equipadas com o o motor 2.0 16V flex, sem tanquinho de partida a frio, que não recebeu alterações, desenvolvendo 140 cv de potência a 5.100 rpm e 20 mkgf de torque a 4.800 rpm com qualquer combustível. A única opção de transmissão disponível para toda a linha é a automática CVT Xtronic. Saiba como o conjunto funciona, quanto ele bebe e anda aqui.

Nissan-Sentra-SL-2017-CVT

Destaque em “V” é a principal atração da dianteira, que ficou mais moderna

Por fora
O primeiro detalhe que chama a atenção no Sentra 2017 é o seu visual. Se antes, como disse aqui no De 0 a 100 durante o teste do Sentra SL, o modelo na Nissan chamava mais a atenção pelas linhas sóbrias do que pela ousadia, o famoso “bonito e discreto”, hoje, a marca japonesa alterou um ponto que comentei em 2014: “a parte que mais me atraí no Sentra é a sua traseira, que realmente é bonita. A dianteira não é feia, mas poderia ser mais agressiva. Quem sabe na primeira reestilização.”

E foi exatamente isso que aconteceu: enquanto a traseira mudou pouco (para-choque e lanternas), se mantendo interessante, a dianteira ficou mais ousada, bonita e moderna. Basicamente tudo mudou na frente: para-choque, grade “V-Motion”, tomada de ar, faróis, capô e para-malas. A versão topo de linha SL incorpora ainda nos faróis o contorno em LED em formato de bumerangue na parte superior.

Nissan-Sentra-SL-2017-CVT-topo-de-linha

Traseira do Sentra 2017 mudou pouco e continuou bonita

As rodas de liga leve (incluindo o estepe) são novas: aro 16” para versão S e 17″ para SV (novidade) e SL. Assim como na versão anterior, as maçanetas e moldura das janelas são cromadas e o sedã tem ainda luzes de direção nos retrovisores. Todas as versões passam a contar com o sensor crepuscular dos faróis (que os acende automaticamente), antes exclusividade da SL.

O Sentra 2017 segue a linha de design mundial da Nissan introduzida, primeiramente, na nova geração do crossover Murano e que aparece em modelos reformulados recentemente, como o sedã grande Maxima, que é vendido nos Estados Unidos.

Nissan-Sentra-S-2017-CVT-visual

Versão intermediária, Nissan Sentra SV 2017 tem rodas de 17″

Por dentro

As novidades do interior do Nissan Sentra 2017 também são legais. Mantendo o mesmo bom espaço (apenas quem vai no meio atrás sofre com o túnel alto, que reduz o espaço para os pés e para as pernas), o modelo tem agora um bem-vindo novo volante inspirado no do cupê esportivo Nissan 370Z e os renovados cluster central no painel de instrumentos e console central. Na versão SL, o banco do motorista passa a vir de fábrica com ajustes elétricos para assento, incluindo lombar; sistema de som Bose com quatro alto-falantes, dois tweeters e dois subwoofers; e retrovisor interno com bússola. Em todos os acabamentos, o pomo da alavanca do câmbio CVT traz novo desenho.

O quadro de instrumentos incorpora a tecnologia TFT (Thin Film Transistor) e display de LCD de 5″ colorido de alta resolução na opção topo de linha (SL). O motorista tem à disposição ajuste de altura do assento e também da coluna da direção, que ainda pode ser regulada na profundidade e altura em todas as versões. Os acabamentos SV e SL trazem ainda bancos revestidos em couro.

Nissan-Sentra-SL-2017-CVT-painel

Volante é um das novidades da linha Sentra 2017. Na foto, versão SL

Entre os outros equipamentos que se destacam na linha do Nissan Sentra 2017 estão chave-inteligente i-Key, acionamento elétrico para os quatro vidros com um toque para motorista, botão para ignição do motor, sensor de estacionamento traseiro e controle de tração e estabilidade para todas as versões. E além disto, ar-condicionado bi-zona, com controle automático de temperatura, e câmera de ré já estão disponíveis a partir da versão intermediária SV.

Para a redução de ruídos internos, a linha 2017 do sedã recebeu novos materiais fono absorventes de alta densidade nas portas e painel e os vidros laminados ganharam mais uma camada. Com assistência elétrica progressiva, a direção recebeu nova calibração para melhorar as respostas.

Nissan-Sentra-SL-2017-sensor-safety-shield

Sensor do Safety Shield do Sentra SL fica no para-choque dianteiro

Escudo e segurança

Uma das principais apostas da Nissan para o Sentra 2017 é o Safety Shield, disponível apenas na versão SL. Trata-se de um conceito que reúne três sistemas de segurança: Alerta de Ponto Cego (BSW – Blind Spot Warning), Alerta de Colisão Frontal (FCW – Forward Colision Warning) e Alerta de Tráfego Cruzado Traseiro (RCTA – Rear Cross Traffic Alert).

O FCW considera a velocidade relativa e distância com objeto à frente e, em caso de risco de colisão iminente, emite avisos visuais e sonoros para alertar o motorista. O BSW e o RCTA funcionam como “olhos” eletrônicos que auxiliam o motorista a ver onde a visão não alcança. O RCTA utiliza um radar para detectar a aproximação traseira de um outro veículo pela lateral quando o motorista estiver manobrando em marcha ré. No BSW, o radar emite um aviso visual quando um objeto estiver na região de ponto cego e acrescenta um sonoro, caso o motorista acione a luz indicadora de direção para o mesmo lado do objeto no ponto cego.

Nissan-Sentra-SL-2017-CVT-sensor-safety-shield

Painel de instrumentos do Nissan Sentra SL 2017 mostra informações do Safety Shield

Além desse “escudo”, o Nissan Sentra 2017 tem, como itens de série, cintos de três pontos e encosto de cabeça para todos os passageiros, pré-tensionador e limitador de carga nos cintos dianteiros (que fraciona o peso no cinto em uma colisão para evitar lesões mais fortes na área do peito), além de Isofix e sistema de ancoragem para cadeiras de crianças LATCH (Lower Anchors and Tethers for Children); travamento automático das portas com o carro em movimento e trava de segurança nas portas traseiras, imobilizador do motor e alarme antifurto.

Os controles de tração e estabilidade (VDC), introduzidos na linha 2016 do Nissan Sentra para as versões SV e SL, agora também estão disponíveis na opção de entrada S. O VDC tem como principal objetivo auxiliar o motorista em situações de condução que levam à perda de estabilidade, colaborando para evitar acidentes. O sistema eletrônico trabalha diretamente nos freios antitravamento ABS e no pedal do acelerador para controlar o torque em situações de sobresterço e subesterço. As versões S e SV têm apenas dois airbags (frontais), enquanto a SL conta com seis (frontais, laterais e do tipo cortina).

Nissan-Sentra-SL-2017-CVT-blind-spot

Sistema do Nissan Sentra SL 2017 elimina o ponto cego do motorista

A engenharia da Nissan do Brasil adicionou um reforço na barra estabilizadora da suspensão traseira do sedã e melhorou o embuchamento de rolamentos e dos amortecedores para aperfeiçoar a dirigibilidade e reduzir o efeito de ressonância/trepidação no interior.

Conectividade

Outra novidade apontada pela marca japonesa é a inclusão do Nissan Connect, plataforma global da marca japonesa para a conexão do carro com apps de smartphones, como item de série para a versão intermediária SV. Mas o funcionamento desse sistema depende da compatibilidade do smartphone com o pacote de dados e do cadastro no aplicativo.

O Sentra SV também passa a contar com sistema Bluetooth com sincronização da agenda telefônica do telefone celular e de arquivos digitais de músicas, com informações visualizadas na tela de 5,3″ no painel, que reúne também as informações dos sistemas de áudio e de navegação por GPS, novidade também para essa opção de acabamento.

Nissan-Sentra-SV-2017-CVT-GPS

Versão SV do Sentra 2017 agora conta com sistema Nissan Connect, que tem GPS

Para fechar, toda a linha pode ser adquirida também com as novas cores vermelha e cinza metálicas, que se juntam ao branco perolizado, preto sólido e prata metálico.

Velho Nissan Sentra Nissan Sentra 2016 Nissan Sentra 2017
Motor 2.0 16V 2.0 16V 2.0 16V
Potência (cv) (e/g) 143 a 5.200 rpm 140 a 5.100 rpm 140 a 5.100 rpm
Torque (mkgf) (e/g) 20,3 a 4.800 rpm 20 a 4.800 rpm 20 a 4.800 rpm
Comprimento (m) 4,567 4,625 4,635
Altura (m) 1,512 1,509 1,504
Largura (m) 1,790 1,761 1,761
Entre-eixos (m) 2,685 2,700 2,700
Porta-malas (litros) 442 503 503
Tanque (litros) 55 52 52
Peso (kg) 1.310 (S), 1.359 (SL) 1.288 (S), 1.322 (SV) e 1.348 (SL) 1.327 (S), 1.337 (SV) e 1.360 (SL)

Resumo da obra

O Nissan Sentra sempre teve qualidades para brigar de igual para igual com todos os seus adversários no Brasil. Agora, na linha 2017, o modelo está ainda mais bonito, equipado e moderno para continuar nessa disputa.

Equipar todas as versões com controles de estabilidade e tração e com câmbio CVT demonstra que a Nissan está atenta ao mercado e tenta, ao máximo, otimizar as limitações impostas pelo acordo comercial entre Brasil e México, onde o Sentra é fabricado, que minam, de forma expressiva, o potencial de vendas do sedã por aqui (ao mesmo tempo que permite que o carro chegue por um valor competitivo).

Nissan-Sentra-SL-2017-CVT-LED

Nissan Sentra 2017 ficou mais bonito, seguro, equipado e caro

Entendo que o aumento nos preços das três versões do sedã da Nissan é um reflexo da inclusão de novos equipamentos. E a estratégia da marca não mudou: ofertar a versão topo de linha do Sentra por um valor mais próximo ao das versões intermediárias do Toyota Corolla e do Honda Civic (logo saberemos quanto vai custar a linha 2017). Mas, depois de analisar a concorrência, percebo que os números do Sentra deveriam ser mais baixos, especialmente do modelo SL. Além disso, por superar a barreira de R$ 80.000, eu esperava que o Sentra SV fosse equipado, pelo menos, com quatro airbags (frontais e laterais).

Os próximos passos da Nissan para o Sentra, não necessariamente nessa ordem, deveriam ser nacionalizar o sedã, aumentando consideravelmente o seu potencial de vendas, e atualizar a sua motorização, melhorando ainda mais o seu desempenho e consumo (uma vez que a concorrência está se movimentando nesse sentido).

Preços dos sedãs médios no Brasil

Modelo Preço
Nissan Sentra S CVT 2.0 2017 R$ 79.990
Nissan Sentra SV CVT 2.0 2017 R$ 84.990
Nissan Sentra SL CVT 2.0 2017 R$ 95.990
Chevrolet Cruze LT AT 1.8 2016 R$ 81.190
Chevrolet Cruze LTZ AT 1.8 2016 R$ 90.290
Citroën C4 Lounge Tendance AT 2.0 2016 R$ 77.780
Citroën C4 Lounge Tendance AT 1.6 THP 2016 R$ 82.990
Citroën C4 Lounge Exclusive AT 1.6 THP 2016 R$ 89.990
Honda Civic LXS AT 1.8 2016 R$ 78.900
Honda Civic LXR AT 2.0 2016 R$ 83.700
Honda Civic EXR AT 2.0 2016 R$ 94.100
Peugeot 408 Allure AT 2.0 2016 R$ 77.590
Peugeot 408 Griffe AT 1.6 THP 2016 R$ 88.590
Renault Fluence Dynamique CVT 2.0 2016 R$ 84.890
Renault Fluence Dynamique Plus CVT 2.0 2016 R$ 88.740
Renault Fluence GT Line CVT 2.0 2016 R$ 93.350
Renault Fluence Privilège CVT 2.0 2016 R$ 96.350
Toyota Corolla GLi CVT 1.8 2017 R$ 69.040
Toyota Corolla XEi CVT 2.0 2017 R$ 91.450
Toyota Corolla Altis CVT 2.0 2017 R$ 104.650
Volkswagen Jetta Trendline AT 1.4 turbo 2016 R$ 85.650
Volkswagen Jetta Comfortline AT 1.4 turbo 2016 R$ 92.350
Volkswagen Jetta Highline AT 2.0 turbo 2016 R$ 106.690

Comentários (9)

      • Washington, são dois bons carros. O 408 foi reestilizado e melhorou, especialmente pela adoção do câmbio automático de seis marchas. Veja o que escrevi sobre ele:

        http://www.dezeroacem.com.br/2016/02/apagado-no-segmento-peugeot-408-chega-a-linha-2016-com-novidades/

        “Na linha 2016, o Peugeot 408 ficou mais bonito e bem equipado, adotando de vez o câmbio automático de seis marchas como padrão. Ter equipado a versão Griffe com motor THP flex também foi bem-vindo. Mas a marca peca por não oferecer uma versão turbo mais barata e, especialmente, por não ter uma política de preços (bem) mais agressiva para o seu sedã médio. Além disso, assim como a irmã Citroën, a Peugeot ainda tem graves falhas de pós-venda, o que prejudica muito a imagem do grupo PSA no Brasil.”

        Sobre o Fluence, ele conta com um pós-venda mais robusto da Renault, o que é bom. Porém, ele está caríssimo. Saudades de outros tempos em que o preço dele era bem mais competitivo. Pelo que pedem por ele, difícil fugir da escolha de Corolla, Civic e Sentra. Mas o Fluence é um carro legal.

        Um abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *