Em teste mais rígido da Latin NCAP, Fiat Palio fica menos seguro

Foto do teste de impacto lateral do Fiat Palio

Novo teste da Latin NCAP reduziu a nota de segurança do Fiat Palio

Pouco antes de chegar à sua mais equipada, cara e “perdida” linha 2017, o Fiat Palio passou por um novo teste de impacto (o famoso crash test), feito pela Latin NCAP, e o resultado não foi nada bom. O veículo ficou menos seguro com o tempo.

O Programa de Avaliação de Veículos Novos para América Latina e o Caribe, Latin NCAP, em 2014 e 2015, testou o compacto ítalo-brasileiro, que conseguiu notas até boas. Conforme os protocolos da época, os veículos eram testados apenas no impacto frontal e o Palio ganhou quatro estrelas para o ocupante adulto e três estrelas para o ocupante infantil.

Foto do teste de impacto frontal do Fiat Palio

Fiat Palio durante o teste de impacto frontal da Latin NCAP

Agora, o hatch da Fiat  foi testado no impacto lateral para obter o resultado conforme os últimos protocolos, mais rígidos. O carro ganhou apenas uma estrela para o ocupante adulto e manteve as três estrelas para a proteção do ocupante infantil.

A baixa qualificação do adulto decorreu dos registros no peito do dummy no impacto lateral, apesar do bom desempenho da estrutura nesse impacto. Em proteção infantil, o modelo obteve proteção máxima em impacto lateral. Se tivesse airbags laterais, com certeza a nota do Palio seria mais alta para os adultos.

Outro carro testado foi o chinês BYD F0, que decepcionou muito: zero estrela para o ocupante adulto e apenas uma estrela para o ocupante infantil. O modelo apresentou estrutura estável no impacto frontal, mas registrou lesões de elevado perigo nos dummies adultos (bonecos usados nos testes), possivelmente devido à carência de airbags. O F0 não foi testado em impacto lateral, já que no impacto frontal obteve zero estrela.

María Fernanda Rodríguez, Presidente do Latin NCAP:

“Estes resultados do Latin NCAP evidenciam, mais uma vez, como alguns fabricantes da região ainda não levam em conta a segurança, mais especificamente a segurança infantil, como uma prioridade. Como consumidores, pedimos que os governos e fabricantes trabalhem junto conosco e com outras organizações para conseguir democratizar a segurança nos automóveis, para todos os países poderem oferecer os mesmos níveis de segurança a todos os habitantes da região, iguais aos níveis oferecidos na Europa, no Japão, na Austrália e nos EUA”.

Teste de colisão frontal do carro chinês BYD F0

BYD F0 – nota ZERO

Jorge Tomasi, Presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) Região IV:

“Estes novos resultados do Latin NCAP são decepcionantes, já que continuamos a encontrar veículos populares, líderes em vendas, com níveis muito baixos de proteção tanto para adultos quanto para crianças. A FIA e, em particular, a Região IV trabalham para promover a segurança viária na América Latina e no Caribe, e temos certeza de que apoiando iniciativas como a do Latin NCAP a mudança em direção a carros mais seguros é possível. Os consumidores de nossa região precisam acessar veículos com os mesmos padrões de segurança que os de outras regiões sem ter que pagar mais por isso”.

Alejandro Furas, Secretário Geral do Latin NCAP:

“É uma grande preocupação para o Latin NCAP o fato de que ainda em 2016 continuem a ser vendidos modelos sem airbags. O BYD F0 imita o Peugeot 107, um modelo lançado no mercado com airbag em todas as unidades. O Latin NCAP considera que o importante seria incorporar o mesmo equipamento de segurança se o F0 queria ser similar ao 107. Apesar do fraco resultado para a proteção do ocupante adulto do Fiat New Palio, o desempenho da estrutura lateral foi uma surpresa positiva; conseguindo um bom desempenho para um modelo popular desenvolvido localmente”.

Renato Parizzi, jornalista, especialista em comunicação e gestão empresarial, com mais de 10 anos de experiência no setor automotivo e editor do De 0 a 100:

“Não é surpresa termos um chinês com o resultado de zero estrela – nota vergonhosa. Para o Fiat Palio, a alteração da nota é mais um sinal de que o seu projeto está cada vez mais defasado, precisando de uma atualização num futuro próximo. A marca italiana sabe disso e já pensa no que fazer. Até lá, a solução foi aumentar os preços do carro e, depois, o equipar um pouco mais, mas o deixando perdido no mercado”.

Fotos: Latin NCAP/Divulgação

Comentários (2)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *