Ficar 60 minutos observando o Nissan Kicks revela muita coisa

Foto do Nissan Kicks SL no aeroporto de Congonhas

Nissan Kicks SL no aeroporto de Congonhas – Renato Parizzi/ De 0 a 100

Recentemente, me encontrei duas vezes com o Nissan Kicks, novo SUV nipo-brasileiro (ainda mexicano) que está dando o que falar, lançado oficialmente no último dia 5, junto com a abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Além de, finalmente, conhecê-lo mais de perto e com calma, pude, também, observar a reação das pessoas que o olhavam. Foi uma experiência interessante e divertida!

Somando, fiquei aproximadamente 60 minutos em contato com o Kicks e muita coisa foi revelada. Ao todo foram 20 minutos no BH Shopping, em Belo Horizonte (MG), e 40 minutos no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo (SP).

Durante todo esse tempo, tentei interagir com as pessoas e acabei virando uma espécie de guia, quase um funcionário honorário da Nissan, uma vez que respondi a dezenas de perguntas, inclusive da modelo que estava coletando as informações dos interessados pelo veículo no aeroporto. As dúvidas mais comuns foram sobre motorização e preço.

Painel de instrumentos do Nissan Kicks 2017

Painel de instrumentos do Nissan Kicks é analógico e digital – Fotos daqui para baixo: Nissan/Divulgação

Kicks em Belo Horizonte

Na capital mineira, os curiosos que chegaram perto do Kicks foram, na sua maioria, homens. Como o carro estava trancado, os comentários eram mais relacionados ao visual e ao tamanho do SUV: “Que motor ele tem?”; “quanto ele custa?”; “ele é menor do que parecia na TV”; “esse é o novo carro da Toyota?”; “ele parece um carro coreano”; “parece o meu HR-V”; “será que o espaço é bom?”, “achei esse carro muito bonito”, entre outros.

Uma das poucas mulheres que demonstrou interesse foi lá a pedido do marido, que a perguntou: “que tal um desses na nossa garagem?”. A resposta: “gostei, ele é bonito, mas muito grande; tenho medo de raspá-lo”. A réplica do marido foi sensacional: “eu compro um Kicks para mim e um Mobi para você”. Felizes, eles foram embora abraçados.

Nissan-Kicks-2017-SL-topo-de-linha

Linhas retas e onduladas do Kicks agradam

O Kicks está exposto no quarto piso do BH Shopping, sem nenhuma pessoa por perto passando informações. Ele será um belo presente do Dia dos Pais para quem participar da promoção do local: a cada R$ 400 de compras, você ganha um cupom e concorre ao veículo.

Kicks em São Paulo

No aeroporto de Congonhas, o número de interessados e curiosos foi bem maior, pois o carro está exposto no meio do saguão de embarque e desembarque, próximo ao raio-x. Com um trânsito intenso de pessoas, as perguntas foram mais variadas, mas quase sempre envolvendo preço e motorização.

A modelo, inclusive, respondeu a “Quanto custa esse carro” e “qual o motor que ele tem” cerca de 20 vezes enquanto estive próximo a ela. Um senhor mais rústico, para não dizer quase mal educado, reclamou com a moça que o propulsor 1.6 do Kicks não era bom para o veículo, como se ela tivesse alguma influência na decisão da marca. Percebi o desconforto dela e fiz uma intervenção de emergência.

Nissan-Kicks-2017-SUV-crossover-Brasil

Grade em V é destaque

Como esperado, aparentemente, eu me tornei o culpado pela “Nissan não usar um motor 2.0 nesse jipinho aí”. Eu o respondi com uma pergunta: “o senhor já dirigiu o Kicks para poder confirmar se o SUV anda bem ou não?”. A resposta foi ótima: “não, nunca tinha visto o carro”. Papo vai, papo vem, ele me garantiu que o seu Honda HR-V tem desempenho e consumo muito superiores ao Kicks graças ao motor 1.8 16V.

Bem, o desempenho eu não posso confirmar, pois nunca dirigi o Kicks. Mas, de acordo com testes das revistas especializadas, como a Quatro Rodas, o novo Nissan anda bem próximo ao HR-V, mas bebe menos, sendo o SUV mais econômico da categoria segundo o Inmetro.

Espaço, futuro e fabricação nacional

Depois que esse senhor foi embora, me sentei no banco do motorista e ajeitei o banco, o volante e os espelhos retrovisores como se eu fosse dirigir o Kicks. Em seguida, me sentei no banco traseiro, atrás do assento do condutor, para testar o espaço interno do veículo, como faço com todos os carros que avalio. Achei apenas satisfatório o do SUV da Nissan – confesso que esperava um pouco mais de espaço.

Nissan-Kicks-2017-Olimpiadas-Rio-de-Janeiro

Porta-malas do Nissan Kicks tem capacidade para 432 litros

Voltei para o banco do motorista e comecei a analisar o painel com mais calma. Quando eu estava lá dentro, mais 3 pessoas entraram no veículo e começamos a conversar. Todos não sabiam que o Kicks ainda é mexicano e que terá fabricação nacional apenas em 2017.

Além disso, eles acharam que R$ 89.990 pelo Kicks SL é um preço um pouco alto – observação que não me surpreendeu, uma vez que também achei isso, embora eu reconheça que, em relação ao HR-V, ao Jeep Renegade, ao Ford EcoSport e ao Chevrolet Tracker, por exemplo, o valor é competitivo.

Para fechar, a conversa seguiu para o futuro do Kicks, envolvendo, inclusive, mais umas 4 pessoas que estavam do lado de fora do carro. Todos gostaram muito do seu visual, mas têm interesse em versões mais baratas, que, conforme falei a eles, estão previstas para 2017. A turma só não gostou de duas coisas que comentei: o Kicks, atualmente, é fabricado no México e o tanque de combustível do SUV tem capacidade para apenas 41 litros (o que limita consideravelmente a sua autonomia). Unânime foi a percepção de que o Kicks tem potencial para ser o maior Nissan de todos os tempos no Brasil.

Nissan-Kicks-2017

Nissan Kicks SL 2017

Resumo da obra

Depois de observar o Nissan Kicks e o comportamento das pessoas ao seu redor por cerca de 60 minutos, pude concluir que:

  • O Nissan Kicks está dando mesmo o que falar (o que é muito positivo);
  • O preço do Kicks SL, topo de linha, é competitivo, mas poderia ser mais baixo;
  • O visual do Kicks agradou muito;
  • O motor 1.6 16V (114 cv e 15,5 mkgf) gera muita dúvida em termos de desempenho;
  • Mas o câmbio CVT agrada em cheio;
  • Ser nacional será importante para o futuro do Kicks no Brasil, assim como ter versões mais baratas;
  • Com apenas 41 litros, tanque de combustível do modelo deveria ser maior;
  • Kicks tem tudo para ser o maior Nissan da história do Brasil.

Comentários (6)

  1. Gosto muito de suas avaliações, o teor dos termos aproxima-se a realidade dos usuários de modo geral, muito mais compreensível e mais fácil de entender detalhes que no momento da pesquisa ou naquele momento da compra passamos de certa forma sem saber todos as peculiaridades da marca e do modelo. Gostei do projeto da Nissan, fiquei espantado com a capacidade do tanque, mas de forma geral acredito que será bem competitivo. Aguardar a partir de 2017.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *