Com ótima capacidade de carga, Fiat Fiorino 2017 ganha versão Hard Working

Fiat Fiorino Hard Working 2017

Fiat Fiorino Hard Working 2017

Líder do segmento que praticamente não tem representantes, o Fiat Fiorino chega à linha 2017 trazendo como novidade a nova versão Hard Working. O resto não muda, deixando motores mais econômicos, visual atualizado, mais itens de segurança e outras possibilidades para depois.

Com design renovado em 2013, o Fiat Fiorino ainda agrada visualmente, embora esteja totalmente defasado em relação ao Uno, que já foi atualizado duas vezes desde a chegada da sua atual geração (a mais recente na linha 2017). Por dentro, o painel do comercial também não foi renovado, mantendo a ergonomia ruim – veja a posição dos botões de abertura dos vidros elétricos.

Fiat Fiorino 2017

Visual do Fiat Fiorino 2017 não acompanhou nenhuma das mudanças mais recentes do Uno

Motor e capacidade de carga

O Fiat Fiorino 2017 vem equipado com o fraco, ruidoso e confiável motor 1.4 Evo flex, que desenvolve 85 cv de potência e 12,4 mkgf de torque com gasolina e 88 cv e 12,5 mkgf com etanol.

Embora o consumo do Uno Way 1.4 seja reprovável, o mesmo propulsor associado ao Fiorino recebeu nota “A” no Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular, do Inmetro – apenas na versão Hard Working (a “normal” é B). Mas não foi dessa fez que o veículo recebeu o novíssimo e eficiente 1.3 8V Firefly, que entrega 101/109 cv e 13,7/14,2 mkgf.

CONSUMO – LINHA 2017
Fiat Etanol Gasolina
Cidade Estrada Cidade Estrada
Fiorino 1.4 7,3 km/l 8,3 km/l 10,7 km/l 12,3 km/l
Fiorino Hard Working 1.4 7,6 km/l 8,8 km/l 11,0 km/l 13,2 km/l

Na prática, a motorização 1.4 é honesta e bem confiável, mas quase insuficiente para levar os 1117,6 kg de peso do modelo + os excelentes 650 kg de carga (3.100 litros de volume). O tanque de combustível tem ótimos 58 litros de capacidade.

Painel do Fiat Fiorino Hard Working 2017

Ergonomia do Fiat Fiorino 2017 poderia ser melhor. Na foto, versão Hard Working

A nova versão Hard Working do Fiorino 2017 chega ao mercado com ar-condicionado, banco do motorista com regulagem mecânica de altura, brake light, direção hidráulica, computador de bordo (distância, consumo médio, consumo instantâneo, autonomia, velocidade média e tempo de percurso), conta-giros, faróis de neblina, travas elétricas, vidros elétricos dianteiros com one touch para motorista, volante com regulagem de altura, retrovisores externos com comando interno, tecido exclusivo, predisposição para rádio (2 alto-falantes dianteiros, 2 tweeters e antena) e recobrimento do assoalho do vão de carga.

Ainda é possível equipar essa versão com sensor de estacionamento traseiro, para-choque dianteiro na cor do veículo, para-choque traseiro pintado parcialmente na cor do veículo e calotas integrais, além do rádio USB MP3/WMA com RDS.

Foto do porta-malas do Fiat Fiorino 2017, que tem boa capacidade de carga

Capacidade de carga do Fiat Fiorinho 2017 é excelente

A versão de entrada do Fiorino, que não tem sobrenome, passa a contar em sua linha 2017 com brake light e retrovisores externos com comando interno de série, além de airbag duplo, freios ABS com EBD, Fiat Code 2ª geração; ganchos para amarração de carga; console porta objetos no teto; iluminação no compartimento de carga; tomada 12V, entre outros.

Como opcionais, traz itens que poderiam ser de série: direção hidráulica, volante com regulagem de altura, predisposição para rádio (2 alto-falantes dianteiros, 2 tweeters e antena) e rádio USB MP3/WMA com RDS – ar-condicionado não está disponível para o acabamento de entrada.

O consumidor ainda conta ainda com mais de 40 acessórios Mopar para o Fiorino 2017, como alarme, protetor de carter, rodas em liga leve, tapetes, parafuso antifurto, ecobag, entre outros.

  • Fiorino 1.4 Evo Flex 2017 – R$ 53.340
  • Fiorino Hard Working 1.4 Evo Flex 2017 – R$ 60.390

Definitivamente, os preços poderiam ser bem mais atraentes, mas o dono leva para a sua empresa um veículo robusto, com motor (fraco e) confiável e, se o conforto e a ergonomia não ajudam, a capacidade e volume de carga são excelentes. Vale a compra, especialmente a versão Hard Working (única com ar-condicionado), afinal, ninguém merece ficar com calor na hora do trabalho.

Comentários (2)

  1. Bom, com motor fraco será necessário acelerar mais e por consequência aumentar (muito) o consumo e não ter ar-condicionado em um pais tropical com temperaturas entre 30º e 40º para trabalhar é no mínimo uma afronta. Esse item deveria ser de série.

  2. Comprei uma evo 2014 c 40m km mandei instalar ar e hd em oficina especializada kit original. Antes dazia 10km litro gasolina na cidade . Agora faz 7km litro gasolina.
    Tem alguma orientação q poderiam me ajudar p corrigir este consumo ou é isso mesmo c ar e dh ?
    Grato
    JR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *