Finalmente o Chevrolet Tracker foi lançado de verdade no Brasil

Chevrolet Tracker LTZ 2017

Chevrolet Tracker LTZ 2017

Quando chegou aqui, há três anos, o novo SUV da GM não trouxe absolutamente nenhuma inovação para o segmento. Mas, agora, depois de uma boa espera após o anúncio, ele tem grande chance de não ser apenas “mais um”. Finalmente o Chevrolet Tracker foi lançado de verdade no Brasil.

A versão 2017 do SUV da General Motors está chegando às lojas com mudanças mecânicas, visuais, de conteúdo e de acabamento. São duas versões, LT e LTZ, desenvolvidas para o mercado nacional para atender as particularidades do consumidor local.

Chevrolet-Cruze-2017-motor-turbo-flex

Motor 1.4 16V turboflex do Tracker 2017 é o mesmo do Cruze e do Cruze Sport6

Motor e câmbio

O motor escolhido para ambas é o ponto alto do modelo: 1.4 Ecotec turbo flex, que já equipa os caros e belos Cruze e Cruze Sport6. Com 150 cv de potência e 24 mkgf de torque com gasolina e 153 cv e 24,5 kgfm com etanol, ele está associado unicamente ao câmbio automático de seis marchas e ao sistema Start/Stop.

A transmissão permite trocas manuais (sequenciais), uma pena que não por paddle shift, mas sim por botões pessimamente localizados na alavanca do câmbio. Até quando a Chevrolet vai insistir com isso?

Chevrolet Tracker LTZ 2017 tem motor turbo

Traseira do Chevrolet Tracker LTZ 2017 melhorou, mas continua morna

Visual melhorou

Diga adeus ao visual morno e sem graça. Agora o Tracker ficou com uma dianteira digna, bem mais agressiva e conivente com um veículo dessa categoria – inspirada no Malibu e Cruze e na linha mundial de design da marca. A traseira continuou sem graça, embora não seja medonha.

Na lateral, as novidades são as rodas tem aro 16″ na versão LT e 18″ na LTZ (bonitas mas péssimas para as nossas ruas).

Painel do Chevrolet Tracker LTZ 2017

Painel do Chevrolet Tracker evoluiu na linha 2017

Por dentro

Se externamente a situação melhorou, por dentro, o motorista dá até um sorriso. A cabine tem melhor acabamento e um painel digno: finalmente o quadro de instrumentos estilo moto deu adeus.

A posição do sistema multimídia MyLink subiu, o que melhorou a sua visibilidade. Já o volante é o mesmo da geração anterior – poderia ser melhor, mas não compromete.

Equipamentos em destaque

O Tracker 2017 também vem equipado com o MyLink, que foi atualizado e conta com Android Auto e Apple CarPlay, e com sistema OnStar. Além disso, o veículo pode ser equipado com teto solar elétrico, faróis e as lanternas com LEDs e alertas anti-distração.

Por outro lado, airbags laterais e do tipo cortina? Só para a versão LTZ com tudo. Controles de tração e estabilidade? Não para o Brasil. Aqui a marca ainda acha mais importante oferecer teto solar e rodas grandes (pensamento do passado).

Chevrolet Tracker LTZ 2017 tem teto solar

Chevrolet Tracker LTZ 2017 tem teto solar, as não tem controles de tração e estabilidade

Chevrolet Tracker LT 2017 – R$ 79.990

Vem equipado, de série, com airbag duplo, alarme, faróis e lanterna de neblina, luz de condução diurna, sistema de fixação de cadeiras para crianças (Isofix), freios ABS com EBD, rack de teto, roda de alumínio aro 16”, ar-condicionado, coluna de direção com regulagem em altura e profundidade, computador de bordo com informações de viagem e do veículo, console central com 4 porta-copos, cruise controle com comandos no volante; limpador, lavador e desembaçador do vidro traseiro; direção elétrica; retrovisores externos elétricos; Stop/Start; trava elétrica com acionamento na chave; vidro elétrico nas portas com acionamento por “um toque”, anti esmagamento e fechamento/abertura automática pela chave; banco traseiro bipartido e rebatível; MyLink, com tela de LCD sensível ao toque de 7″, integração com smartphones através do Android Auto e Apple CarPlay, radio AM/FM, entradas USB e auxiliar, função audio streaming, conexão Bluetooth para celular e configurações do veículo; controles de rádio e do celular no volante; conjunto de alto falantes – 6 unidades com tweeters, sistema OnStar (pacote Exclusive), entre outros.

Chevrolet Tracker LTZ 2017 – R$ 89.990

Itens acima além de alerta de movimentação traseira (em marcha ré), alerta de ponto cego; faróis dianteiros tipo projetor; luz de posição e lanternas em LED; friso cromado na parte superior das portas e na tampa traseira; rodas de alumínio aro 18”; câmera de ré; chave eletrônica; descansa-braço para motorista e  traseiro (com 2 porta-copos); Easy Entry – abertura das portas e alarme anti-furto através de sensor de aproximação na chave; retrovisores externos elétricos com aquecimento; partida sem chave; sensor de estacionamento traseiro; teto solar elétrico; volante e bancos com revestimento premium (seja lá o que seja isso); banco do motorista com regulagem lombar elétrico; banco do passageiro dianteiro rebatível, entre outros.

Quadro de instrumentos do Chevrolet Tracker LT e LTZ 2017

Painel de instrumentos do Chevrolet Tracker 2017 amadureceu e agora faz justiça ao SUV

Chevrolet Tracker LTZ 2017 – R$ 92.990

Pagando mais R$ 3.000, você leva mais segurança, que deveria ser de série desde o modelo de entrada: airbags laterais e do tipo cortina (tolalizando seis, contando os dois frontais).

Resumo da Obra

Bonito, com uma lista de equipamentos interessante, preço atraente (embora pudesse ser mais baixo) e, principalmente, um ótimo conjunto mecânico. Essas são as armas do Chevrolet Tracker 2017 para compensar a falta de segurança (airbags laterais e do tipo cortina e controles de tração e estabilidade).

E essas armas também são capazes de ajudar o SUV a tirar o atraso no mercado. Mas será que elas serão suficientes para derrubar o queridinho Honda HR-V, o ainda popular Jeep Renegade, a estrela em ascensão Nissan Kicks, a estrela estagnada (até 2017) Ford EcoSport e a estrela robusta Renault Duster?

Se vai eu não sei, mas só de deixar de ser apenas mais um, ou seja, um coadjuvante, para virar uma opção válida, o segmento de SUVS compactos ficou bem mais legal com o Tracker 2017.

Comentários (5)

  1. Excelente carro e agora com ótimo motor que vale plenamente a compra,para quem tem dinheiro sobrando é claro.Mas ficou ainda uma dúvida Renato,se este motor é beberrão ou econômico.Você sabe informar sobre suas médias na cidade e estrada?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *