Impressões – Bela Fiat Toro Freedom Opening Edition agrada

Fiat-Toro-Freedom-2017

Fiat Toro tem visual marcante

Visual marcante, bom nível de conforto, capacidade de carga interessante e desempenho ok: assim resumo a bela Fiat Toro Freedom Opening Edition, picape que ficou comigo por pouco tempo e me agradou bastante.

Foi realmente uma agradável surpresa. Não imaginei que eu e a Toro fôssemos nos dar tão bem. O entrosamento veio rápido, em apenas 24h, tempo em que fiquei com o veículo, outra vez alugado, uma vez que o De 0 a 100 ainda não faz parte dos blogs/sites/influenciadores digitais para os quais a Fiat empresta carros.

Pude comprovar que a marca italiana estava quase totalmente certa quando disse que a Toro “reúne o porte, a altura e a ergonomia de um SUV; a robustez de um fora de estrada com o conforto de um automóvel; e a praticidade e espaço de uma picape cabine dupla de quatro portas, com capacidade para acomodar até cinco pessoas com requinte e segurança e levando até uma tonelada”.

Nova Fiat

A picape Toro representa uma nova Fiat: mais nova, moderna, bonita e com novas estratégias e objetivos. Não é à toa que a considerei o maior lançamento da empresa desde a família Palio. Ela demonstra todo o potencial que a marca tem dentro da Fiat Chrysler Automobiles (FCA).

Fiat-Toro-Freedom-2017-cat-eye

Fiat Toro Freedom

Design matador

Como falei antes e no vídeo, o visual da Toro é matador – é a picape mais bonita do Brasil hoje.

Na dianteira, destaque para o conjunto ótico dividido em dois, com, numa parte, as luzes de posição (LEDs), de indicador de direção e DRL (Daytime Running Lamp) em LEDs, e a outra com a iluminação de profundidade.

A enorme grade chama a atenção, enquanto a logo da Fiat aparece inserida no capô, no meio da faixa cromada que une todo o conjunto. Os faróis auxiliares completam o design na parte inferior da dianteira.

Fiat-Toro-Freedom-2017-picape

Fiat Toro Freedom

Na lateral do Toro, destaque para a linha de cintura e levada e para as largas caixas de roda. Na traseira, a tampa da caçamba dividida em duas partes criou um desafio que foi superado, especialmente pelas lanternas (LEDs) em posição horizontal invadindo a lateral.

A picape ítalo-brasileira é é, ao mesmo tempo, grande, se comparada a uma Strada, e relativamente pequena ao lado de uma Toyota Hilux ou Chevrolet S10. Você pode não concordar, mas a Toro é mesmo muito bonita.

Acabamento

Por dentro, o modelo tem um painel interessante, bastante inspirado no Jeep Renegade, com destaque para o quadro de instrumentos em TFT 7” colorido, o volante multifuncional revestido em couro, com borboletas para as trocas de marcha; e a Central Multimídia Uconnect Touch NAV 5”.

Fiat-Toro-Freedom-Opening-Edition-2017-picape-painel

Fiat Toro Freedom Opening Edition

O acabamento é bastante honesto para um carro dessa categoria (entre as picapes compactas e médias). Poderia ter até um pouco mais de requinte, mas, por ser uma picape, não espero alto luxo. O painel da versão Freedom Opening Edition tem duas cores, o que me agradou (veja no vídeo).

Espaço interno e ergonomia

Já o espaço interno é bom, adequado ao segmento e à proposta do modelo, mas não é excepcional, como pude observar, especialmente no banco traseiro. Ainda assim, supera o Renault Duster Oroch e, claro, bate fácil a Strada e a Volkswagen Saveiro com cabine dupla (que levam apenas duas pessoas de baixa estatura atrás).

Em relação às picapes médias, a Toro oferece um nível de conforto semelhante ou até superior a alguns modelos, embora o espaço atrás possa ser interior, especialmente para as pernas. Mas o modelo da Fiat tem a inclinação do encosto do banco traseiro melhor do que alguns adversários maiores (você não fica tão “em pé”).

Na hora de dirigir, encontrar uma boa posição foi fácil, pois a Toro tem ajuste de altura do banco e de altura e profundidade do volante, além de retrovisores elétricos (junto com travas e vidros). Por outro lado, os comandos do ar-condicionado poderiam ser um pouco mais altos, facilitando a vida dos motoristas dos extremos (mais baixo e mais altos, como eu).

Fiat-Toro-Freedom-2017-picape-traseira

Fiat Toro tem uma traseira bonita

Parte mecânica

Com uma entre-eixos mais longo do que o SUV e suspensão totalmente independente na dianteira e traseira, achei que a picape Toro é mais confortável e bem acertada do que o seu irmão Jeep Renegade.

Outros dois pontos que me agradaram muito foram a direção com assistência elétrica, leve para manobras e firme em velocidades mais altas, e o câmbio automático de seis marchas, que responde bem com o uso do paddle shift. As hesitações nas retomadas foram perceptíveis, mas não incomodaram.

Por outro lado, mesmo evoluído, com o sistema VIS (Variable Intake System), que permite variar o fluxo de ar dentro do coletor de admissão, trazendo mais torque em qualquer rotação, falta vigor ao motor 1.8 16V E.torQ Evo.

Motor 1.8 E.TorQ do Fiat Toro Freedom Opening Edition

Motor 1.8 16V E.TorQ Evo: falta vigor

Os 135 cv de potência e 18,8 mkgf de torque com gasolina e 139 cv e 19,3 mkgf com etanol foram até satisfatórios para levar os 1.619 kg da picape rodando sozinho, mas, com a Toro carregada (cabine e caçamba), eles não seriam suficientes. E a Fiat sabe disso, não é à toa que lançou a Toro com o motor 2.4 Tigershark – a versão quase perfeita.

Consumo

Como esperado, o consumo de combustível poderia ser melhor, especialmente na cidade. A média foi de 5,3 km/l com etanol, inferior ao divulgado pelo Inmetro (veja abaixo). Por outro lado, superei (e muito) o instituto na estrada, quando consegui 9,0 km/l com o derivado da cana-de-açúcar.

CONSUMO Etanol Gasolina Diesel
Inmetro Cidade Estrada Cidade Estrada Cidade Estrada
Fiat Toro Freedom 1.8 AT6 4×2 5,8 km/l 7,4 km/l 8,3 km/l 10,5 km/l
Fiat Toro Freedom 2.4 AT9 4×2 5,9 km/l 7,4 km/l 8,6 km/l 10,8 km/l
Fiat Toro Freedom 2.0 MT6 4×2 10,8 km/l 12,5 km/l
Fiat Toro Freedom 2.0 MT6 4×4 10,3 km/l 12,1 km/l
Fiat Toro Volcano 2.0 AT9 4×4 9,0 km/l 11,2 km/l

Outros motores

Além do motor 1.8 16V E.TorQ Evo flex, a Fiat oferta ainda para a picape o propulsor 2.4 16V Tigershark, que gera 174 cv e 23,5 mkgf com gasolina e 186 cv e 24,9 mkgf, e a motorização 2.0 16V Multijet, que desenvolve 170 cv e 35,7 mkgf com diesel.

Toro Freedom Opening Edition na cidade

Voltando à versão avaliada, rodando em perímetro urbano, a leveza da direção elétrica fez a diferença nas ruas e na hora de estacionar. Mas os 4,915 m de comprimento da picape não cabem em qualquer vaga. Pelo menos, na baliza, a câmera de ré, o sensor de estacionamento traseiro e o tilt down fazem toda a diferença.

No mais, a picape se comporta como um SUV, mas absorvendo um pouco melhor as imperfeições das nossas péssimas ruas. Numa subida íngreme, o Hill Holder (mantém o veículo imóvel por alguns segundos até a arrancada, sem a necessidade de manter o pé no freio) mostrou a sua eficiência, facilitando o dia a dia.

Fiat-Toro-Freedom-2017-picape-flex

Fiat Toro Freedom

Toro Freedom Opening Edition na estrada

Já na estrada, a Toro foi bem estável, mesmo rodando bem vazia (motorista + uma mochila), graças à suspensão traseira independente. Mas vale não abusar. Se isso acontecer, os controles de tração e estabilidade entram em ação para ajudar.

Na rodovia, como expliquei no vídeo, senti a falta de vigor do motor 1.8 16V, especialmente nas retomadas, quando ele é um pouco ruidoso. Fica a dica: com cinco pessoas a bordo, ar-condicionado ligado e caçamba cheia, tome cuidado para ultrapassar.

Fiat-Toro-Freedom-2017-porta-dupla-cacamba

Caçamba da Fiat Toro tem porta dupla

Ótima ideia

A Toro inovou com a sua tampa da caçamba bipartida, patenteada pela FCA, que tem duas portas que se abrem lateralmente, com a possibilidade de abertura de somente uma delas, facilitando o acesso à caçamba, que tem 820 litros de volume e 650 kg de capacidade de carga com motores 1.8 e 2.4 flex – 1.000 kg na diesel.

A caçamba pode ganhar opcionalmente mais 405 litros com um extensor (aumenta o comprimento da picape em cerca de 50 cm), suficiente para levar uma moto. Outra ótima ideia é o porta-trecos dentro do banco do passageiro dianteiro.

Fiat Toro Freedom 1.8 16V flex AT6 – R$ 84.590

A versão Freedom 1.8 4×2, de entrada, tem como principais equipamentos de série: tração dianteira, câmbio automático de 6 marchas, piloto automático com controlador de velocidade, computador de bordo (distância, consumo médio/instantâneo e autonomia) e quadro de instrumentos personalizável de 3,5″ em TFT (com relógio digital, calendário e indicador de temperatura externa); ESC (controle eletrônico de estabilidade), ASR (controle de tração); Hill Holder e rádio Connect com comando no volante (com regulagem de altura e profundidade); banco do motorista com regulagem de altura; abertura elétrica do bocal de abastecimento, ar-condicionado, direção elétrica, fixação Isofix para cadeira infantil, vidros e travas elétricas (trancam as postas automaticamente a 20 km/h), sensor de estacionamento traseiro e revestimento de caçamba, entre outros.

Porta objetos dentro do banco da Fiat Toro Freedom Opening Edition

Banco dianteiro tem um prático porta-objetos

Fiat Toro Freedom Opening Edition 1.8 16V flex AT6 4×2 – R$ 93.869

Itens da versão acima além de rodas de liga leve de 16” com parafusos anti-furto, faróis de neblina, retrovisores elétricos rebatíveis com tilt down e luz de conforto, capota marítima na caçamba, ar-condicionado dual zone, câmera de ré, volante revestido em couro com borboletas (paddle shift) para troca manual das marchas e central multimídia Uconnect Touch NAV 5”, caracterizações exclusivas da versão, com revestimentos internos, protetor de soleira e emblemas alusivos a série especial; 2ª entrada USB; 2ª Tomada 12V; alarme antifurto; apoia braço central dianteiro e traseiro; brake light; iluminação de caçamba; kit externo (grade frontal com cromado + maçanetas e retrovisores externos pintados); kit High Tech (sensor de chuva, sensor crepuscular e retrovisor interno eletrocrômico); para-sol Iluminado e porta objetos do lado do passageiro.

Capota marítima da Fiat Toro Freedom Opening 2017

Capota marítima é de série na Fiat Toro Freedom Opening 2017

Outras versões disponíveis e seus preços

Segurança

No quesito segurança, a Toro Freedom vai bem, embora pudesse ir um pouco melhor. Ela oferece controles de tração e estabilidade, freios com ABS e EBD, airbag duplo frontal, cinto de três pontos e apoio de cabeça para todos os ocupantes e hill holder.

Pelo valor cobrado, com certeza airbags laterais, do tipo cortina e para o joelho do motorista deveriam ser de série.

Preço é bom?

Como vocês viram, o conjunto da picape agrada muito e a lista de equipamentos de série é boa. Mas, infelizmente, os preços praticados pela Fiat são altos demais no momento para quase todos os seus veículos.

Já critiquei a marca mais de uma vez por isso (mais recente) e, para não ficar repetindo aqui tudo de novo, digo apenas que R$ 95.462 na versão Freedom Opening Edition com pintura metálica (prata Melfi) ficou salgado. Saudades dos R$ 84.400 do lançamento.

Visual da Fiat Toro Freedom Opening 2017

Fiat Toro Freedom Opening 2017

Resumo da obra

Se você não se importar em pagar um preço alto por um veículo carente de vigor e que poderia beber menos, você terá na sua garagem uma picape bonita, com bom nível de conforto e espaço interno, boa lista de equipamentos de série e com capacidade de carga interessante.

Além disso, você conta com a versatilidade da caçamba e da sua porta dupla, que facilita o acesso à carga. Mas você me pergunta: Renato, você compraria uma Fiat Toro Freedom Opening Edition 1.8 16V flex AT6 4×2 por R$ 95.462?

Não, eu não compraria. Prefiro pagar também altos R$ 98.730 e levar para casa a Toro Freedom 2.4 16V flex AT9 4×2 que tem praticamente tudo da irmã, mas com aquela “pimenta” no motor que eu senti falta. Essa é a versão quase perfeita.

Comentários (14)

  1. Em minha opinião, a FIAT TORO é bonita (mas, sem muita ênfase!!). Realmente foi uma inovação da montadora em dois segmentos tão disputados (SUV e Picape)mas, não acho que se compare ao longínquo lançamento do Palio. É claro que este modelo possui suas qualidades, porém, têm também os seus defeitos e não podemos esquecer que se trata de um FIAT que insiste em dar certo status a determinados modelos e nada justifica os preços abusivos cobrados!!

      • Sem dúvida alguma, os preços estão fora da realidade (principalmente em se tratando de FIAT, que têm um longo histórico de recalls, problemas “não assumidos” pela montadora, desvalorização, versões descontinuadas e principalmente a vida curta!!) acho que deveria haver uma nova política de preços. Talvez uma redução de 5 a 6 mil reais nas versões (ou manter os preços praticados no início de Jan/2016) e não ultrapassando a casa dos 100 mil na versão topo de linha.

    • “Nada justifica os preços abusivos cobrados”?

      Então, o que dizer dos Jeep Compass e Renegade, pra não ir além, como o abusivo Honda HR-V e até mesmo o novíssimo Hyundai Creta. Se o problema for preço, todas elas enfiam a mão no bolso do consumidor sem dó nem piedade!

      Abs!

      • Realmente todas as montadoras cobram valores fora da realidade, fazendo valer a lei da oferta e procura. Mas, como a montadora em questão é a FIAT, reforço minha opinião em dizer que trata-se de uma montadora popular (com um conhecido histórico de acertos e erros) que insiste em dar certo status a determinados modelos e cobrar muito por menos!

        • A Fiat tinha uma política de preços mais agressiva. Mas, desde a mudança do liderança da empresa aqui na região, os valores, em geral, subiram como parte de uma nova estratégia comercial: aumentar o lucro por unidade vendida, mas reduzindo o número de unidades vendidas (volume) – semelhante às marcas japonesas.

          • Pra mim, esta tem sido a tendência, senão de todas as fabricantes, pelo menos da maioria.

            Menos volume, mantendo ou até mesmo aumentando os lucros.

            Abs!

        • Mas pelo visto, acertou em cheio com a Toro!

          Vá a uma concessionária e converse com algum vendedor e veja quem está salvando o mês deles. Mobi?

          Claro que não! O nome do sucesso é TORO.

          Abs!

  2. Já tive três carros da FIAT e não me deram problemas. Portanto, ser FIAT não é problema. É uma boa opção, muito bonita e com o motor 2.4 tem um bom desempenho. Infelizmente, na minha fase atual, não tem espaço para este tipo de carro, mas se tivesse, seria uma das minhas opções. É FATO!V

  3. Eu estou no terceiro Fiat e uma coisa eu ja decidi: vou trocar de marca. Não por problemas mas porque não compensa pagar caro em carros da marca. Melhor pagar caro em outra marca

  4. Renato, boa tarde.

    Você tem informações sobre a revenda desse carro ? desvalorização ?

    Li em outro blog que o carro costuma sair de traseira em algumas curvas, é isso mesmo ?

    Estou muito na dúvida se invisto em um TORO, Renegade ou até mesmo no Honda Fit.
    Entendo que são carros completamente diferentes em todos os aspectos.

    Mas por ter facilidade em comprar carro da Fiat (Jeep tb) com desconto, os preços acabam se equiparando.

    Abraços

    • Oi Celso. São realmente três propostas diferentes. Acredito que a Toro justifique se você realmente tiver uso para uma picape. Caso contrário, os outros dois resolvem. Renegade sofre com motor 1.8 flex, mesmo atualizado, e com o pequeno porta-malas. Mas tem acabamento legal, lista de equipamentos interessante e boa segurança. Fit muda em breve, ganhando visual ligeiramente diferente, mais segurança e preço mais alto. Você já dirigiu os três modelos para ver qual deles mais te agrada? Verifique preço do seguro, pois SUVs e picapes tendem a ser mais caros.

Deixe uma resposta para Celso Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *