Renault some e não responde ao desafio do De 0 a 100 em relação ao Kwid. Amarelou?

Renault Kwid amarelo (yellow)

Renault amarelou com o Kwid…

É meus amigos, os tempos mudaram. Antes disposta a novas ideias e conteúdos diferentes, a Renault, infelizmente, sumiu e, pelo visto, resolveu amarelar, não respondendo ao desafio do De 0 a 100 em relação ao Kwid.

Desafio do Kwid

Para quem não se lembra, lancei um desafio à marca franco-brasileira em relação ao espaço do Kwid. A companhia afirma que “o espaço para quem viaja atrás é surpreendentemente confortável, inigualável entre os modelos compactos”. Como tenho 1,97 m de altura, resolvi então desafiar a Renault no quesito espaço interno do seu novo modelos.

O prazo para aceitar o desafio era até 20/08/2017 (ontem).

A marca, via sua assessoria de imprensa de produto, lamentavelmente, não respondeu a nenhum dos meus cinco e-mails, nem retornou às minhas ligações. Os contatos por correiro eletrônico foram feitos nos dias 13/06, 22/06, 26/06, 21/07 e 25/07. Realmente uma pena.

Também foram feitos contatos públicos pelo Instagram, Facebook e Twitter – todos sem resposta!

Por que amarelar?

Mas por que a Renault resolveu sumir do mapa ou ignorar os meus contatos? São vários motivos. Vou listar apenas dois:

  • O primeiro, que é o que eu sinceramente acredito, é falha de comunicação. A marca estava realmente ocupada com os lançamentos do Captur CVT, do Duster CVT e do próprio Kwid. Mas, para compensar o excesso de trabalho, dei um prazo longo, de 2 meses e meio, para a marca topar ou não o desafio (negar também faz parte).
  • Segundo, pode ser o receio do Kwid falhar amargamente ao ser analisado por uma pessoa com quase dois metros de altura. Sei que sou completamente fora dos padrões mas, assim como todos os carros que dirijo, sou justo e levo uma série de critérios em consideração para analisar o espaço interno de um veículo.

De qualquer forma, não custava nada à Renault ser educada e ter respondido a algum dos meus contatos, especialmente via assessoria de imprensa de produto.

Desafio continua?

Claro que o desafio continua, afinal, o Kwid chegou ao mercado mostrando que é possível fazer um veículo com visual atraente (isso é subjetivo), com uma lista de equipamentos trivial, talvez bom espaço-interno, porta-malas honesto e, principalmente, preços competitivos.

O tempo vai dizer se a qualidade do modelo é realmente boa, mas a Renault já está entre nós há muito tempo e, embora não sejam um primor, seus carros seus bons, demostrando uma nítida evolução no Brasil.

Renault Kwid

O Kwid é o novo compacto que a Renault acaba de lançar no país vendido unicamente com motor 1.0 12V (66/70 cv) em três versões: Life, Zen e Intense – nas cores Orange Ocre, Vermelho Fogo, Branco Marfim, Branco Neige, Prata Étoile e Preto Nacré.

O hatch vem equipado, de série, com tomadas 12V, abertura interna do porta-malas, porta-objetos nas portas dianteiras com suporte para garrafa de 1 litro, apoios de cabeça dianteiros fixos, apoios de cabeça traseiros laterais, para-sol do motorista e do passageiro; espelho de cortesia lado passageiro; indicador de troca de marcha e de estilo de condução; para-choques da cor da carroceria; retrovisores e maçanetas pretos; rodas com aro 14”; desembaçador do vidro traseiro; retrovisores externos com regulagem manual interna; freios ABS com EBD; 4 airbags (2 frontais e 2 laterais); 2 Isofix; predisposição para rádio; ajuste de altura dos cintos de segurança nos bancos dianteiros, entre outros.

Seus preços variam entre bons R$ 29.990 e R$ 39.990 – valores que não podem aumentar num futuro próximo. Se a Renault fizer isso, arruinará a estratégia de marketing tão bem trabalhada até agora.

ACOMPANHE O DE 0 A 100 TAMBÉM PELO:

Comentários (1)

  1. Pessoal, tive um problema no banco de dados desse post e todos os 14 comentários publicados entre 21 e 23 de agosto foram apagados. Agradeço a todos pela compreensão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *