Com a gasolina caríssima, entenda as diferenças e escolha bem o combustível para o seu veículo

Infelizmente, já há algum tempo, o Brasil tem o etanol “salgado” e a gasolina caríssima. Enquanto as panelas não batem para tentar ajudar na redução de preço, devemos ficar muito atentos às nossas opções. Por isso, tentei responder aqui à algumas perguntas bastante comuns que te ajudarão a entender as diferenças e a escolher bem o combustível para o seu veículo.

Volkswagen-Gol-Total-flex-etanol-gasolina-Brasil-bicombustivel

Volkswagen Gol Total Flex, primeiro carro bicombustível do Brasil

Clique aqui e veja a média de consumo real de mais de 500 veículos (carros e motos)!

Antes de falarmos das dúvidas mais específicas, vamos esclarecer alguns pontos ainda populares.

Gasolina ou Etanol

Muita gente acha que gasolina e etanol não podem ser misturados. Bem, num carro  com motor bicombustível (flex), você pode:

  • Usar 100% gasolina
  • Usar 100% etanol
  • Misturar gasolina e etanol em qualquer proporção

Gasolina x Etanol

Mas tem muita diferença entre os dois?

  • Gasolina: consumo do seu carro é melhor (bebe menos)
  • Gasolina: melhor autonomia (você dirige mais tempo sem abastecer)
  • Gasolina: combustível não renovável e mais sujo (polui mais)
  • Gasolina: costumar custar mais caro por litro
  • Etanol: consumo do seu carro é pior (bebe mais)
  • Etanol: pior autonomia (você dirige menos tempo sem abastecer)
  • Etanol: desempenho do seu carro é melhor
  • Etanol: combustível renovável e mais limpo (polui menos)
  • Etanol: costuma custar mais barato por litro

Gasolina x Etanol: qual escolher?

Mas quando você deve usar gasolina e quando você deve usar etanol?

Normalmente, levamos em consideração que o etanol tem, em média, 70% do poder calorífico da gasolina. Logo, para escolher, basta fazer um calculo simples: multiplicar o preço da gasolina por 0,7. O resultado mostra qual combustível você deve escolher.

Por exemplo, segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o preço médio por litro da gasolina no Brasil é de R$ 4,257 (entre 6/5 e 12/5). Multiplicando este valor 0,7, temos R$ 2,98. Então, o etanol seria vantajoso até R$ 2,97 o litro. De acordo com a ANP, o preço médio do etanol no mesmo período citado é de R$ 2,802.

E no tanquinho?

Vale lembrar do ainda popular tanquinho de partida a frio, aquele reservatório que fica dentro do cofre do motor e auxilia o carro a pegar em dias frios. Esse tanquinho, comum em propulsores flex mais antigos, deve ser abastecido sempre com gasolina, de preferência, Podium, da Petrobras.

Mesmo que ela custe inacreditáveis R$ 6,00 o litro, vale a pena colocá-la porque ela é mais limpa do que a gasolina comum e porque, principalmente, sua validade é bem mais longa do que da gasolina comum: 3 meses X 9/12 meses.

consumo-combustível

Voltando às dúvidas mais específicas, para respondê-las, bati um papo com o Pedro Lion, engenheiro da Cobli, startup especializada em telemetria, rastreamento e gestão de frotas. Confira:

1. Qual a diferença entre gasolina comum e aditivada?

A diferença está no que é adicionado à gasolina “base”. Ambas possuem 27.5% de álcool anidro, porém a aditivada possui produtos aditivos que exercem funções de limpeza do motor.

2. Quais são os tipos de gasolina aditivada que existem no mercado brasileiro?

Cada empresa faz a sua mistura de aditivos a partir da mesma gasolina “base” que é comprada por todos da Petrobras. Fora a gasolina comum e a aditivada, existe também a gasolina “premium” que promete uma octanagem maior, junto a outros aditivos.

3. Existe diferença entre as gasolinas aditivadas dos postos do Brasil (BR x Ipiranga X Shell X Ale X outras bandeiras)?

Sim, cada posto faz sua mistura. Primeiro é adicionado a quantidade correta de álcool, que é de 27.5%, depois os aditivos. Na maioria dos casos, cada empresa tem sua fórmula de aditivo.

4. Toda gasolina aditivada tem octanagem mais alta do que a gasolina comum?

Como cada bandeira faz a sua gasolina aditivada a partir de uma gasolina base, não há garantia de que todas sempre tenham octanagem mais alta.

5. Todos os carros podem ser abastecidos com gasolina aditivada?

Todos os carros são capazes de funcionar com ambos os tipos de gasolina (comum e aditivada), porém vale ressaltar que no manual do veículo está escrito qual o combustível que o fabricante recomenda. Sempre que possível, siga a recomendação!

6.Gasolina aditivada limpa mesmo o motor?

Ela tem este intuito, mas nem sempre é a melhor opção. Existem motores que funcionam melhor com gasolina comum, por exemplo.

7. Gasolina aditivada melhora mesmo o consumo do carro (em relação à gasolina comum)?

O consumo pode ser afetado por diversos fatores, por exemplo: gasolina adulterada, falta de manutenção em componentes do motor, modo de condução do motorista, trajeto, trânsito etc.. Alguns destes casos podem estar relacionados ao tipo de gasolina sim, principalmente se o motor estiver sendo abastecido regularmente por uma gasolina não recomendada e com falta de manutenção. Em casos em que o motor estiver com acúmulo de “sujeiras”, a gasolina aditivada pode ser uma solução para limpá-lo e, consequentemente, consumir menos.

8. Na hora de escolher qual tipo de gasolina usar, será que os motoristas devem levar em conta o trajeto que farão, entre estradas e trechos urbanos?

Existem algumas boas práticas, mas o ideal mesmo é sempre abastecer em postos de confiança, onde a gasolina não é adulterada, e seguir a recomendação de combustível da fabricante, independente do trajeto.

9. É mais vantajoso para o consumidor “aditivar” a própria gasolina ao invés de comprar a gasolina aditivada no posto? Afinal, ele saberia exatamente qual aditivo está sendo usado.

Não! De jeito nenhum, as consequências podem ser catastróficas para o motor.

10. E se o consumidor usar aditivos oficiais vendidos em lojas, como o ACDelco Flexpower?

Não é indicado que o consumidor ‘aditive’ sua própria gasolina porque caso não seja aditivada na proporção correta, as consequências podem ser catastróficas. Além disso, o motor pode não ter o mesmo desempenho do que se o consumidor tivesse abastecido com um combustível aditivado por alguma bandeira oficial.

11. Existe etanol aditivado? Por que ele não é muito comum?

Sim, porém não é muito comum por ser algo recente e poucas bandeiras possuírem este tipo de combustível

12. Quais são as diferenças entre etanol e etanol aditivado?

Segue o mesmo raciocínio da gasolina aditivada.

13. Etanol aditivado melhora mesmo o consumo do carro (em relação ao etanol comum)?

Assim como a gasolina, o intuito é limpar e proteger o motor do veículo (mesmo ponto da pergunta 7).

Chevrolet+Astra+Elegance

Eu aditivei o meu próprio Chevrolet Astra

Aditivando a sua própria gasolina

Quando eu tinha um Chevrolet Astra (da foto acima), fiz um teste usando o aditivo ACDelco Flexpower para aditivar o meu próprio combustível – gasolina, no caso. Escolhi essa marca  porque ela era a recomendada pela General Motors no manual do veículo.

Nunca tive problemas, pois eu seguia rigorosamente a proporção indicada na descrição do produto. Eu colocava o frasco quando o tanque estava quase ou na reserva e enchia o tanque logo em seguida.

Fiz esse teste quatro vezes pois, financeiramente compensava, afinal, um tanque de gasolina + um frasco do aditivo ficava mais barato do que um tanque de gasolina aditivada.

Resultado prático de aditivar o meu próprio carro

Na prática, meu Astra tinha desempenho um pouco melhor do que usando a gasolina comum (mas inferior ao etanol), com uma média de consumo ligeiramente melhor. Isso me agradou mas, quando o aditivo ACDelco Flexpower subiu de preço, parei de aditivar o meu próprio combustível – voltei para gasolina comum ou etanol.

ACOMPANHE O DE 0 A 100 TAMBÉM PELO:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *