Como dono de um Ford Ka, devo me preocupar com a saída da Ford do Brasil?

Ford New Fiesta Titanium Plus 2018

Ford New Fiesta dá adeus ao mercado brasileiro

A Ford pegou todo mundo de surpresa nos últimos dias com um impactante anúncio no Brasil. A partir dele e como dono de um Ka, fiquei pensando: será que devo me preocupar com uma possível saída total da Ford do Brasil?

Fim dos caminhões e do New Fiesta

Para quem não viu, a marca divulgou um release anunciando o encerramento das operações de manufatura na fábrica de São Bernardo do Campo (SP) ao longo de 2019, deixando assim de fabricar as linhas de caminhões Cargo, F-4000 e F-350. Além deles, o New Fiesta, que também era produzido na planta, se juntará ao irmão sedã (que era importado do México) na precoce aposentadoria no Brasil.

Ford New Fiesta Titanium 2018

Pelas manifestações, Ford New Fiesta deixará poucas saudades

Some a isso à polêmica decisão, anunciada no ano passado, da intensão da marca de parar de vender carros de passeio, como Fusion e Focus, nos Estados Unidos, nos próximos anos, além da confirmação oficial de que o Focus deixará de ser produzido em Pachedo, na Argentina, a partir de maio de 2019 – dando adeus, de vez, ao mercado brasileiro.

Para deixar todos que me procuraram mais tranquilos, inclusive eu mesmo, pesquisei, falei com a Ford, via assessoria de imprensa e pelo 0800, e queria compartilhar algumas informações com vocês.

Ford vai parar de vender carros no Brasil?

NÃO! A Ford continuará vendendo carros no Brasil, mas seu foco será outro.

Com o fim de produção do Fiesta, a Ford passa a produzir apenas Ka, Ka Sedan e EcoSport no Brasil. A Ranger vem da Argentina, Fusion vem do México, Edge do Canadá e Mustang é importado dos Estados Unidos.

Ou seja, Focus, Focus Fastback, New Fiesta e New Fiesta Sedan não serão mais vendidos no Brasil até segunda ordem. Fusion deverá ser aposentado por aqui em até 5 anos.

Ford Ka linha 2019

Família Ka não sairá de linha pois vive o seu melhor momento no Brasil

EcoSport e Ranger estão garantidos no mercado nacional por fazerem parte da estratégia global da Ford, que é investir em SUVs e picapes.

Outra linha garantida, para a minha felicidade, é a do Ka, que vive, talvez, o melhor momento da sua história no Brasil. Não faria sentido tirá-lo de linha agora ou num futuro próximo (até dois anos).

Mas a Ford vai sair do Brasil?

Sim, mas apenas a parte de caminhões nesse momento – New Fiesta e, muito em breve, com o Focus, também sairão. SUVs, picapes e a linha Ka continuarão por aqui.

Segundo a Ford, as plantas de Camaçari (BA) e Taubaté SP) não serão afetadas pelo anúncio do fim a produção e comercialização de caminhões no Brasil e na América do Sul.

Ford EcoSport Titanium, linha 2019 2020, sem estepe externo traseiro

Embora não tenha mais o mesmo brilho de outros tempo, Ford EcoSport continuará conosco

Coragem

O anúncio da Ford pegou todo mundo de surpresa, em especial proprietários de carros da marca, como eu, e, especialmente, donos de caminhões da companhia e, também, concessionários.

Se a decisão de sair será certa ou não, isso quem pode responder é a Ford e, principalmente, o tempo. De toda forma, é preciso coragem para fazer uma manobra dessas, que, como esperado, gerou muito mais críticas do que elogios, afinal, toda uma cadeia será diretamente afetada – sem contar o lado social.

O que diz a Ford do Brasil (em itálico)?

“A Ford está comprometida com a América do Sul por meio da construção de um negócio rentável e sustentável, fortalecendo a oferta de produtos, criando experiências positivas para nossos consumidores e atuando com um modelo de negócios mais ágil, compacto e eficiente”, disse Lyle Watters, presidente da Ford América do Sul.

A decisão de deixar o mercado de caminhões foi tomada após vários meses de busca por alternativas, que incluíram a possibilidade de parcerias e venda da operação.

A manutenção do negócio teria exigido um volume expressivo de investimentos para atender às necessidades do mercado e aos crescentes custos com itens regulatórios sem, no entanto, apresentar um caminho viável para um negócio lucrativo e sustentável.

Ou seja, não não valeria a pena investir num mercado que não dá o lucro esperado.

Foto externa do Ford Focus 2017

Melhor carro da Ford no Brasil, Focus nos deixa de maneira melancólica

Mas e os consumidores, terão assistência técnica e peças?

“Sabemos que essa decisão terá um impacto significativo sobre os nossos funcionários de São Bernardo do Campo e, por isso, trabalharemos com todos os nossos parceiros nos próximos passos”, disse Watters. “Atuando em conjunto com concessionários e fornecedores, a Ford manterá o apoio integral aos consumidores no que se refere a garantias, peças e assistência técnica”.

Essa decisão se alia a outras iniciativas recentes que fazem parte da reestruturação em andamento na Ford América do Sul e incluem:

• Redução em mais de 20% dos custos referentes ao quadro de funcionários e à estrutura administrativa em toda a região.

• Fortalecimento da linha de produtos, com ênfase em SUVs e picapes, cuja preferência tem crescido entre os consumidores, e encerramento da produção do Focus na Argentina.

• Expansão das parcerias globais, como a recente aliança com a Volkswagen para desenvolver picapes de médio porte.

Em decorrência desse anúncio, a Ford prevê um impacto de aproximadamente US$ 460 milhões em despesas não recorrentes. Cerca de US$ 100 milhões serão relacionados à depreciação acelerada e amortização de ativos fixos. Os valores remanescentes de aproximadamente US$ 360 milhões impactarão diretamente o caixa e estão, em sua maioria, relacionados a compensações de funcionários, concessionários e fornecedores.

A maior parte dessas despesas não recorrentes será registrada em 2019 e é parte integrante dos US$ 11 bilhões em despesas, com efeito no caixa de US$ 7 bilhões, que a companhia prevê utilizar para a reestruturação dos seus negócios globais.

Espaço para evoluir em pós-venda

Espero que essa reestruturação seja realmente benéfica para a Ford e que a marca, podendo investir mais tempo e dinheiro em outros aspectos, melhore, especialmente, o seu pós-venda.

Em vista do que vi até agora, só digo uma coisa: que saudades da Honda!

Comentários (4)

  1. Verdade a Honda tem um pos venda muito bom! Até agora nada a reclamar. Minha esposa tem um Jeep e tb até agora nada a reclamar e olha que a revisão do Renegage é de 12 em 12m mil.

  2. ja tive um FORD por 8 anos pra nunca mais… problemas cronicos no motor junto com o baixo valor de revenda e pessima escolha na certa. o oposto do q e a chevrolet q e muito bem aceita e nunca da problema nenhum no motor ou outra parte do carro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *