Mesmo com mercado em retração, Audi emplaca quase 8.000 carros em 2016 no Brasil até agora

Audi-A3-Sedan-Flex-2016

Audi A3 Sedan com motor bicombustível

Repetindo o desempenho anterior, a Audi emplacou 7.989 unidades nos oito primeiros meses do ano no Brasil, volume que, segundo a marca, a mantém no topo do ranking de vendas do segmento premium no País no acumulado do ano de 2016. Quem foi o principal responsável? A resposta é fácil!

Continuar lendo

Embalado pelo Q5 de número um milhão, Audi comemora quase sete mil carros emplacados no Brasil em 2016

Foto do Audi A3 Sedan 2017 com motor Flex

Audi A3 Sedan 2017

Embalado com o marco histórico mundial de um milhão de Q5 produzidos na Alemanha, a Audi comemora o expressivo número de 6.980 carros emplacados no Brasil em 2016. Como já acontecia antes, A3 Sedan e Q3 2017 são os destaques da marca de janeiro a julho desse ano.

Continuar lendo

Audi tem resultados interessantes no primeiro trimestre de 2016

Audi-A3-Sedan-Flex-2017

Audi A3 Sedan flex

O cenário de baixa do mercado de automóveis não é exclusivo do Brasil e afeta vários outros países do mundo. Nesses casos, os carros mais acessíveis são os mais prejudicados, uma vez que a crise atinge primeiro quem tem menor poder aquisitivo.

Mas, como aconteceu no ano passado, apesar do cenário desafiador, as marcas premium continuam bem. A Audi é um exemplo disso e encerrou o primeiro trimestre de 2016 com resultados interessantes, reportando uma receita de €14,511 milhões, com lucro operacional de €1,202 milhões, que inclui despesas com itens extraordinários, que somam valor de €100 milhões. A margem de lucro operacional foi de 8,3%, mantendo-se dentro da meta estratégica de 8 a 10%, apesar dos itens extraordinários.

Continuar lendo

Alta Roda – Acorda Brasil

consumo-combustívelA eficiência energética é tema importante e que veio para ficar. Pode-se considerar até uma conquista e o único aspecto merecedor de apoio incondicional do controvertido programa Inovar-Auto implantado no quinquênio 2013-2017. Sua principal consequência está sendo a modernização e o lançamento de motores novos por quase todos os fabricantes de veículos leves no Brasil.

Continuar lendo

Alta roda – Ciclo de renovação

Ford-Ranger-2017

Ford Ranger 2017

Segmento de picapes médias de cabine dupla é um dos mais rentáveis do mercado por suas dimensões avantajadas, equipamentos oferecidos, motores diesel (muito mais caros) e tração 4×4 com reduzida. Outro “segredo” para esse sucesso é a legislação injusta do IPI. Esses veículos recolhem apenas 8% de imposto simplesmente por terem caçamba, independentemente do motor (diesel ou flex). Um compacto com motor de 1 litro paga 7% de IPI, sem nenhum estímulo por ser flex, como ocorre com motores de 1 a 2 litros (menos 2 p.p.) e acima de 2 litros (menos 5 p.p.).

Continuar lendo

Alta Roda – Enrascada para o diesel

Clima econômico (e da indústria automobilística em particular), além do desânimo com os rumos do País cobraram seu preço no 24º Congresso SAE Brasil de Tecnologia da Mobilidade. A exposição de fabricantes e fornecedores do setor encolheu, porém 9.000 visitantes comprovam o interesse.

Produtividade foi bastante discutida e tem muito a avançar no Brasil. Entre as novidades destaque para o sistema avançado de injeção de combustível indireta, no duto (que ainda está em 60% dos motores atuais de ciclo Otto no mundo), apresentado pela Bosch. São dois injetores por cilindro e pode ser nacionalizado a preço competitivo. Potencialmente, reduz consumo de etanol e gasolina em até 12% em motores aqui produzidos.

Continuar lendo

Alta Roda – Para todos os gostos

Salão do Automóvel de Frankfurt, o maior do mundo, vai até o próximo dia 27 e muito além de dezenas de modelos inteiramente novos, repaginados, com nova mecânica, tração elétrica ou híbrida. A começar pelo tema deste ano: Mobilility Connects (Mobilidade Conecta, em tradução livre). Modo inteligente de dizer que não há mais como separar as duas coisas.

Continuar lendo

Alta Roda – Dados incongruentes

Toyota-Etios-Seda-sedan-Platinum-2015

A importância da manutenção e suas despesas não é tão valorada quando se vai comprar um carro novo. À medida que o veículo roda, os custos sobem. Donos de modelos mais velhos tendem a negligenciar os gastos com oficina, até por limitações financeiras. Daí a importância da ITV (Inspeção Técnica Veicular) para a segurança do trânsito, obrigatória há mais de 15 anos. Apenas o Estado do Rio de Janeiro implantou um arremedo de ITV, malfeita e mal controlada. Acham que é melhor que nada…

Continuar lendo

Alta Roda – Líderes do primeiro semestre de 2015

Chevrolet-Onix-2015-LTZ-Brasil-Mylink

No primeiro semestre de 2015 aconteceram algumas reviravoltas de peso nos 15 segmentos em que a Coluna divide o mercado brasileiro de automóveis e comerciais leves. A primeira surpresa foi a dupla Onix/Prisma assumir a liderança e ser seguido de perto por HB20 hatch e sedã. Interromperam uma longa série histórica protagonizada por modelos da Volkswagen e da Fiat.

Continuar lendo

Alta Roda – Combustível e segurança em foco

Volkswagen-Gol-Total-flex-etanol-gasolina-Brasil-bicombustivel

Esta semana duas medidas da área governamental passam a ter impacto sobre os motoristas brasileiros. A primeira já era esperada para fevereiro mesmo: aumento de teor de etanol na gasolina de 25% para 27% (proposta era de 27,5%, abandonada pela dificuldade na aferição nos postos). O problema principal é que o improviso continua, pois não se concluíram os testes com a gasolina premium. Assim até a Anfavea descambou para a improvisação ao recomendar que veículos com motor movidos apenas a gasolina utilizem a premium, por enquanto ainda com 25% de etanol.

Continuar lendo