Fernando Calmon – Olhar sobre o futuro do mercado automotivo brasileiro

Volkswagen T-Cross Brasil

Volkswagen T-Cross

Uma jornada e tanto. Desde 5 de maio de 1999 esta coluna completa agora 1.000 edições semanais consecutivas. Para seguir a tendência das mídias impressas e digitais, o nome do colunista passa a encimar a coluna. Alta Roda a partir de agora identifica notícias curtas e relevantes que seguem abaixo. Para essa edição comemorativa foi feito um estudo sobre lançamentos até 2022 do mercado automotivo brasileiro.

Continuar lendo

Alta Roda – Salão do Automóvel dos EUA e do protecionismo

Até o próximo domingo, dia 22, o Salão do Automóvel Internacional da América do Norte (nome oficial) terá se transformado em um novo marco (protecionismo), pelo que o presidente do Estados Unidos, Donald Trump, quer colocar em prática. Mais conhecido como Salão de Detroit, poderá se tornar uma exposição centrada nos fabricantes americanos, sediados na região, que dominaram no passado a produção mundial de veículos.

Continuar lendo

Alta Roda – Líderes do primeiro semestre de 2016

Chevrolet-Onix-2015-LT-LTZ-MyLink-Brasil

Chevrolet Onix: carro mais vendido do primeiro semestre de 2016 no Brasil

As estreias de novos carros levaram ao aumento da competição nas vendas do primeiro semestre. Onix manteve a liderança absoluta (mesmo sem a ajuda do Prisma). Corolla ampliou sua vantagem, pelo menos enquanto os novos Cruze e Civic não começarem a chegar às lojas no segundo semestre. Briga entre os SUVs compactos continua acirrada, mas o HR-V defendeu bem a posição.

Continuar lendo

Alta Roda – Diferenças sutis do mercado americano

Mercado americano de veículos continua a reservar surpresas, como o impressionante poder de recuperação depois do mergulho para além do fundo do poço com a crise econômica de 2008/2009. Alguns chegaram a vaticinar que nunca mais o recorde anual de 17 milhões de unidades seria repetido. Enganaram-se. Em 2015 foram 17,5 milhões de veículos leves e pesados e este ano caminha para 18 milhões. Relatório do Bank of America Merrill Lynch, da semana passada, prevê que até 2018 sejam 20 milhões, embora outros analistas sustentem que o ponto de saturação esteja iminente.

Continuar lendo

Alta Roda – Futuro com o carro a hidrogênio

No recente Salão do Automóvel de Tóquio não foram apenas carros autônomos e futurísticos que roubaram a cena. O governo japonês se empenha em disseminar a ideia da era do carro a hidrogênio e nada como os veículos para dar partida a uma verdadeira aposta. Esse elemento químico é o mais abundante do universo e está presente na água (H2O) que representa 70% da Terra.

Continuar lendo

Salão do Automóvel 2014 segue com muitas atrações em São Paulo

O Salão do Automóvel de São Paulo 2014 segue com centenas de atrações para os visitantes, com muitos conceitos, esportivos, híbridos e até com um lançamento (inédito) mundial. Confira as novidades da Ford, Subaru, Honda, Peugeot, Renault, Toyota, Volkswagen, Mercedes-Benz, Smart e Chrysler, com a marca Jeep, no evento.

Continuar lendo

Brasil foi o 4º país que mais vendeu carros em 2013

Ford-Focus-III-Brasil-2014-novo-Sedan-Titanium-Powershift

Mesmo com os carros custando muito caro por aqui, o Brasil foi o 4º país que mais vendeu carros em 2013, superando, mais uma vez, a Alemanha. Como era de se esperar, a China ficou em primeiro, seguida pelos Estados Unidos e pelo Japão – mesmo com um país de dimensões pequenas perto dos outros. Entre as marcas, Toyota foi a líder, com a Volkswagen em segundo e a Ford vindo logo atrás. O desempenho da marca norte-americana deve ser “agradecido” ao Focus, o carro mais vendido do mundo em 2013. O Corolla foi o segundo.

Continuar lendo

Toyota mostra poucas novidades e uma grande necessidade de mudanças no Salão de São Paulo

iiMo, o conceito carro-tablet

A Toyota lançou, em setembro, suas duas principais atrações do Salão do Automóvel de São Paulo 2012: Etios e Etios Sedan. Com isso, a marca ficou carente de atrações inéditas “palpáveis” para mostrar aos visitantes do evento. O estande tinha até algumas coisas interessantes, mas nada que fosse imperdível. Assim como a Fiat, fiquei decepcionado de uma maneira geral. Ficou evidente que a Toyota necessida de mudanças.

Continuar lendo

Toyota inaugura nova fábrica e nova fase no Brasil

Fabrica-Toyota-Brasil

Assim como aconteceu com outras marcas no Brasil, a Toyota se prepara para iniciar uma nova e importante fase no Brasil. Com a inauguração da fábrica de Sorocaba (SP), e com o anúncio de uma nova fábrica de motores, prevista para entrar em funcionamento em 2015, a marca japonesa iniciará uma forte expansão no país.

O próximo “passo prático” é lançar o “popular” Etios, nas carrocerias hatch e sedã, com duas opções de motor: 1.3 e 1.5 – ambos flex.

Essa manobra da Toyota é muito bem-vinda. Quanto mais concorrentes e opções de compra, melhor para o consumidor – ainda mais de uma baita empresa como a Toyota.

Vejam mais detalhes na matéria abaixo.

Toyota fortalece sua presença com US$ 1,1 bi

FONTE: Estadão via MSN

Com a inauguração ontem, em Sorocaba (SP), de sua terceira fábrica no País e o anúncio da unidade de motores para 2015, na vizinha Porto Feliz, a Toyota, maior fabricante de veículos do mundo, finalmente coloca em prática seu plano de estar entre as maiores montadoras do Brasil. As duas novas unidades somam investimentos de US$ 1,1 bilhão.

O grupo está no País há 54 anos, mas só agora passa a atuar no segmento de compactos, responsável por 65% das vendas de automóveis. Com o início da produção do Etios, a marca japonesa espera dobrar suas vendas até 2014, para cerca de 200 mil unidades ao ano.

No ano passado, com 99,2 mil unidades vendidas, a marca obteve menos de 3% de participação nas vendas de automóveis e comerciais leves e ficou em sétimo lugar no ranking, atrás de Fiat, Volkswagen, GM, Ford, Renault e Hyundai. “Vamos estar entre as maiores montadoras brasileiras ainda nesta década”, disse ontem o presidente da Toyota Mercosul, Shunichi Nakanichi, durante a cerimônia de inauguração da filial de Sorocaba.

A unidade inicia operações com capacidade produtiva de 70 mil carros por ano, mas já há expectativas de ampliar para 100 mil, de acordo com a demanda do mercado pelo novo carro. Os planos, no entanto, são de ir muito além, já que o complexo tem licença ambiental para produzir até 400 mil carros ao ano.

A fábrica de Sorocaba tem 1,5 mil funcionários e o parque ao lado, com 11 fornecedores, tem outros 1,5 mil, mas a ideia é de ampliação gradativa de pessoal. Ao todo, o grupo emprega hoje 4,7 mil trabalhadores no País.

Já a nova fábrica exclusiva para motores em Porto Feliz (SP) vai gerar entre 600 e 700 postos. O terreno foi adquirido há menos de três meses pela empresa. “A decisão de ter essa fábrica é recente e foi tomada em razão do novo regime automotivo”, informou o vice-presidente da Toyota Mercosul, Luiz Carlos Andrade. O novo regime entra em vigor em 2013 e reduz impostos para empresas com maior índice de conteúdo local.

Até 2015, quando a nova unidade entrará em operação, os motores do Etios serão importados do Japão, como ocorre hoje com o Corolla, produzido em Indaiatuba (SP) desde 1998. Com os propulsores nas versões 1.3, 1.5, 1.8 e 2.0, o índice médio de nacionalização dos dois automóveis passará de 65% para 85%.

“A decisão de montar 200 mil motores por ano significa que daqui para a frente o grupo vai colaborar ainda mais fortemente com a manufatura e os recursos humanos no Brasil”, afirmou o presidente mundial da companhia, Akio Toyoda.

Carro brasileiro. “O Etios é um verdadeiro carro brasileiro”, acrescentou Toyoda. O modelo foi desenvolvido para mercados emergentes e já é produzido na Índia. Segundo ele, a engenharia local teve importante participação no desenvolvimento.

O grupo está no País há 54 anos, onde iniciou operações como importador. A primeira fabrica local, e também a primeira fora do Japão, foi inaugurada em 1962 em São Bernardo do Campo para produzir o jipe Bandeirante. Hoje só faz componentes. A filial de Indaiatuba produz o sedã Corolla e a inaugurada ontem fará o Etios nas versões hatch e sedã. “Consideramos outras variações de modelos para o futuro”, avisou Hisayuti Inoue, diretor da Toyota no Japão.

Inoue afirmou ter consciência do “pequeno atraso” do grupo em entrar no segmento de carros compactos no Brasil, mas disse que a empresa “vai encarar essa desvantagem como vantagem”. Segundo ele, a Toyota aprendeu muito com as outras montadoras que atuam no segmento há mais tempo e pôde pesquisar as insatisfações e desejos dos consumidos brasileiros.

O ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, ressaltou que o Brasil caminha para um mercado de 4 milhões de veículos ao ano e que a inauguração da nova empresa “mostra que o Brasil está longe da crise”.

O Etios chegará às lojas em setembro, com preço inicial na casa dos R$ 35 mil e vai disputar mercado com modelos como Gol, Palio, Fiesta e, principalmente, o HB20 que a coreana Hyundai produzirá em Piracicaba (SP). A Toyota informou ter planos de exportar o Etios para países do Mercosul, mas, por enquanto, toda a produção será destinada ao mercado brasileiro.