Alta Roda – Bons ares no Salão do Automóvel de Buenos Aires

Salão Automóvel de Buenos Aires 2017

Realizado nos anos ímpares, o Salão do Automóvel de Buenos Aires alterna-se nos anos pares com o de São Paulo. Naturalmente é bem menor em área de exposição e nas edições anteriores tinha em geral poucas novidades. A mostra que estará aberta até o próximo dia 20 dessa vez surpreendeu. Até modelos previstos para estrear primeiro aqui e depois lá foram exibidos no centro de exposições La Rural.

Continuar lendo

De Volkswagen Gol G4 a Land Rover Evoque: conheça os “presentes” de natal de shoppings de todo o Brasil

Land-Rover-Evoque-Brasil-shopping

Land Rover Evoque

Todo ano é a mesma coisa: shoppings do Brasil inteiro investem em promoções de Natal que, entre cestas de produtos, tablets, smartphones, panetones, vale-compras, imóveis e viagens, dão carros de “presente” aos consumidores! Com isso na cabeça, pesquisei 100 shoppings nos quatro cantos do país para saber quais veículos eles vão “dar” para os seus clientes! A lista é bem variada! Confira!

Continuar lendo

Chevrolet Captiva 2014 perde tração integral 4×4 e motor V6, e fica apenas com versão 2.4 Ecotec

Chevrolet-Captiva-Ecotec-Brasil-2014Chevrolet-Captiva-Ecotec-Brasil-2014

Enquanto os adversários ficam cada vez mais modernos e equipados, a Chevrolet abriu mão do motor V6 e da tração integral 4×4 (AWD), vendendo, a partir de agora, o SUV Captiva apenas com propulsor 2.4 Ecotec. Se esta não foi uma boa notícia, a “novidade” da linha 2014 foi a nova cor Azul Berlin metálica.

Continuar lendo

Chevrolet divulga mais detalhes do Trax. Será que ele pode bater o EcoSport?

Chevrolet Trax Enjoy SUV mini Captiva Tracker

Continuando sua estratégia de divulgar informações de seus lançamentos em doses homeopáticas, a Chevrolet anunciou novos detalhes do Trax, seu futuro anti-EcoSport que será lançado no Brasil em 2013 – talvez com o nome de Enjoy.

Continuar lendo

Chevrolet e Honda também reduzem os preços de seus carros por causa da queda do IPI

Jac Motors, Renault, Nissan, Ford, Peugeot, Toyota e Volkswagen: quase todas as principais marcas nacionais anunciaram os novos preços de seus veículos com a redução do IPI. Agora, mais duas marcam entram para o bolo: Honda e Chevrolet. Confiram:

HONDA

FIT
– DX 1.3 16V MT – R$ 47.930
– LX 1.3 16V MT – R$ 51.540
– LX 1.3 16V automático – R$ 54.500
– EX 1.5 16V MT – R$ 57.480
– EX 1.5 16V automático – R$ 60.810
– EXL 1.5 16V automático – R$ 62.660

Continuar lendo

O que esperar do Chevrolet Trax, o mais novo anti-EcoSport

Chevrolet Trax Enjoy SUV miniCaptiva dianteira

Não é segredo para ninguém que a Chevrolet está trabalhando para o lançar um concorrente direto para o Ford EcoSport. Antes conhecido como “mini-Captiva”, o modelo da GM acaba de ser batizado oficialmente de Trax.

Continuar lendo

Esqueça 2011: Chevrolet Captiva 2012 está mais equipado e barato

Chevrolet Captiva Ecotec 2012

Nos meus últimos posts sobre a Chevrolet, tenho reclamado bastante de algumas coisas, especialmente do absurdo preço cobrado pelo Cruze Sport6. Mas, não posso deixar de valorizar o que a marca fez com um de seus modelos disponíveis no Brasil, o Captiva.

No ano passado, a marca melhorou o seu SUV, o deixando mais equipado, com melhor desempenho, melhor consumo, menos poluente e mais seguro.

Continuar lendo

Acordo comercial automotivo entre Brasil e México pode acabar a qualquer momento?

Nissan/Divulgação

Mais uma polêmica a vista. Depois do aumento do IPI, segundo informou a colunista do Estado de S. Paulo, Sonia Racy, o acordo comercial do setor automotivo entre Brasil e México pode estar próximo do fim. Com isso, os 35% de impostos de importação seriam cobrados para os veículos vindos do país da América Central.

Ford/Divulgação

Já pensaram como ficariam a Nissan, com March, Versa e Sentra; a Ford, com a dupla de New Fiestas (que acabou de ficar mais barata); e várias outras montadoras que se aproveitam desse acordo para vender seus carros produzidos no México no Brasil? Vejam alguns exemplos (arredondados):

Ford New Fiesta hatch: R$ 45.950 + 35% = R$ 62.000
Ford New Fiesta Sedan: R$ 47.950 + 35% = R$ 64.700
Nissan Versa S – R$ 35.490 + 35% = R$ 47.900
Nissan Versa SV – R$ 39.990 + 35% = R$ 54.000
Nissan Versa SL – R$ 42.990 + 35% = R$ 58.000

Claro que esta simulação acima são apenas exemplos simplórios do aumento, mas a situação é preocupante. Vamos aguardar os próximos dias para ver o que acontece.

Leia a coluna na íntegra:

Pegando fogo

O Brasil está prestes a interromper unilateralmente o acordo automotivo assinado com o México. Isto é, os carros importados passarão a pagar 35 % de imposto ao entrar no País. Hoje não pagam nada. A decisão, segundo fonte governamental, foi tomada depois de tentativas de se chegar a um acordo. Não foi possível.

As autoridades mexicanas foram informadas a respeito. Não gostaram e fizeram chegar seu desagrado á presidente Dilma em Cuba.Enquanto o acordo foi bom para o País, o Ministério do Desenvolvimento ficou calado. Agora que a situação se inverteu, ante a valorização do real, os brasileiros querem voltar atrás.

Houve tentativas de negociação. Mas não foram produtivas.

Não se sabe se ante a pressão do país de Calderon, Dilma recuará.
Fonte: Estadão

Como dói o bolso do brasileiro

Depois de alguns dias sem internet e ainda bastante gripado, mas agora sem febre alta, estou de volta! E escrevo aqui sobre a indignação do Bruno Medina e de muitos outros brasileiros a respeito do preço cobrado pelos carros no nosso país!

Veja o caso do Honda City, que acabou de ser lançado no México, também com motor 1.5 16V. Por aqui, a versão LX, a de entrada, que vem equipada com ar-condicionado, direção elétrica, trava, vidros e retrovisores elétricos, CD-Player (MP3/WMA) e entrada auxiliar (P2/USB), rodas de aro 15” (com pneus 175/65) e airbag duplo frontal, tem preço sugerido para as regiões sul, sudeste e centro-oeste de R$ 56.815 e R$ 58.075 nas regiões norte e nordeste (valores de outubro divulgados pela Honda).

Já no México, o mesmo City custa aproximadamente R$ 25.800, já equipado com os itens citados acima, além de freios ABS com EBD! A diferença é gritante!! E olha que o City é fabricado no Brasil! Mas vamos um pouco além nessa discussão!

Nós já sabemos que os carros feitos no Brasil são muito caros. E também já é de conhecimento público que a maioria dos carros vindos de outros paises, não importando a marca, costumam chegar em terras brasileiras bem mais caros do que nos países de origem. Mas o caso dos mexicanos é o mais mercante e representativo em relação ao nosso bolso, já que existe um acordo comercial entre Brasil e México, permitindo aos carros vindos do país da América Central chegarem aqui com isenção total dos 35% de imposto de importação (desde 2002). Por que então o City é tão caro aqui e, para nós, tão barato lá (digo para nós porque não sei se ele é caro ou barato para os mexicanos)? Acho que a resposta pode ser vista no ranking de vendas no Brasil. Se o carro tem preço salgado e vende bem, por que ter um valor mais baixo?

Acho que vale a pena ampliar a pergunta para:

Como os carros mexicanos chegam ao Brasil tão caros?

Vamos aos exemplos. Veja os dados que o Bruno me enviou, em relação à Volkswagen. Vou até deixar o texto todo original dele:

Converti para Real toda a linha da matriz cucaracha:

– Fonte http://mx.volkswagen.com
– Linha 2010
– Somente Preços das versões de entrada e mais completas (pica das galáxias);
Tx Câmbio Out 8 2009: 0.1312 – http://br.finance.yahoo.com/currency

Pensando bem, não sou tão pobre quanto pensava, só nasci no país errado mesmo..

(R$)

. Gol (G5 BR): 16.166,20 à 22.431,32
. Gol Sedan (Voyage BR): 16.884,64 à 22.812,15
. CrossFox: 23.942,44 à 23.942,44
. Jetta (Novo Bora BR): 22.775,84 à 34.227,02
. SportVan: 23.828,07 à 27.896,32
. Routan: 50.622,19 à 60.390,42

. Beetle: 27.372,11 à 34.617,35
. Beetle Cabrio: 43.858,08 à 48.159,31
. Bora (Jetta 2.5 MK5 U.S.): 29.635,56 à 34.431,19
. GLI (Jetta MK5 GLI U.S.): 44.935,78 à 51.203,79
. GTI (GTI MK5 U.S.): 39.181,10 à 43.028,05

. Eos: 62,776.15
. Passat: 47.016,58 à 70.105,50
. Passat CC: 56.970,51 à 77.353,82
. Tiguan: 42.182,98 à 56.803,12
. Touareg: 93.567,10 à 114.912,05

Eu ainda acrescento outro modelo da Chevrolet, também vindo do México (fonte aqui), usando a mesma taxa de câmbio dos veículos acima:

. Captiva Sport Ecotec 2010: varia de R$ 37.548,12 a 42.786,94
. Captiva Sport V6 2010: varia de R$ 41.398,84 a R$ 46.212,57

Mas então, como os carros mexicanos chegam ao Brasil tão caros?

Existem vários fatores: margens de lucro (principalmente das montadoras), investimentos em marketing, despesas com tributos internos (impostos como ICMS, IPI, PIS e Cofins), logística e transporte e adaptação às normas técnicas brasileiras. Traduzindo: marcas e governo são os principais culpados dos altos preços cobrados – e metem a mão para fazer cada vez mais dinheiro.

O ideal seria que nós não comprássemos os carros, forçando os valores a abaixarem, como aconteceu no final do ano passado, quando a crise econômica bateu na porta, forçando as marcas a fazerem promoções e forçando o governo a reduzir um dos impostos cobrados (no caso, o IPI). Vocês puderam ver o que aconteceu em relação aos preços de vários veículos no Brasil. Mesmo assim, vou usar um exemplo real que aconteceu comigo em dezembro de 2008, quando me ofereceram um Vectra GT 2008/2009 0 Km, com pintura metálica, som de fábrica e airbag duplo, à vista, por R$ 44.900, de pronta entrega. Depois de pensar por 24h, recusei, primeiro porque não queria trocar de carro na época (e pagar a diferença); e segundo porque eu sabia que o Vectra GT ia mudar em breve (acabou sendo reestilizado três meses depois, em março).

Então, basta o governo ou as montadoras moverem uma palha para os preços dos carros caírem no Brasil. Foi isso acontecer, com a redução do IPI, que o brasileiro passou a comprar carros quase igual a compra de pão quente. Ao mesmo tempo que isso é muito bom, também é muito ruim, pois temos cada vez mais veículos nas ruas, que não comportam tantos automóveis (só uma das questões), e nas estradas, aumentando consideravelzmente a chance de acidentes, por exemplo. Mas isso é uma discussão para outro post.