Fernando Calmon – Torcer para o setor automobilístico dar certo

Fábrica da Ford na Bahia

Fábrica da Ford na Bahia poderia ter sido no Rio Grande do Sul

Na primeira quarta-feira de maio de 1999, esta coluna estreou em 12 jornais brasileiros. Agora, duas décadas depois, mais de 80 jornais, revistas, portais, sites e blogs espalhados pelo País a reproduzem.

Entre os assuntos daquele primeiro artigo estava a guerra fiscal. O estado do Rio Grande do Sul tinha resolvido romper unilateralmente o contrato para construção, com incentivos, de uma nova fábrica de automóveis da Ford em Guaíba. A Bahia, no entanto, aceitou as condições e a empresa se instalou em Camaçari. Vinte anos se passaram e é fácil concluir quem saiu ganhando nessa história do setor automobilístico, inclusive nas contas públicas e no nível de emprego industrial.

Continuar lendo

Fernando Calmon – Vencedores e vencidos nas vendas de automóveis em 2018 no Brasil

Chevrolet Onix LT 2019

Chevrolet Onix LT 1.0

O ano de 2018 foi melhor que o esperado em termos de vendas de automóveis, SUVs, monovolumes e picapes. Mas mostrou poucas surpresas dentro da classificação organizada pela coluna e distribuída por 16 segmentos. As stations ficaram de fora por sua baixa representatividade no mercado, confirmada pelo fim de produção da SpaceFox, na Argentina, no final do ano passado. Mesmo caso dos hatches médios: Cruze, Focus e Golf, entre outros, deixaram de atrair consumidores suficientes para formar estatística relevante.

Continuar lendo

Alta Roda – Vencedores e vencidos no mercado de automóveis do Brasil

carros estacionados na rua no BrasilEm meio à recuperação do combalido mercado de automóveis do Brasil, que cresceu pouco mais de 9% em 2017, nosso ranking tradicional dos modelos mais vendidos sofreu alterações técnicas. Com pesar, caiu o segmento de peruas em razão de pouca oferta e vendas baixíssimas. O avanço dos SUVs levou ao quase desaparecimento dessa opção familiar em todos os grandes mercados mundiais (à exceção da Alemanha). De roldão, monovolumes e hatches médios também foram atingidos, porém ainda resistem. Crossovers verdadeiros serão as próximas vítimas.

Continuar lendo

Alta Roda – Pesadelo acabou para o mercado automotivo brasileiro

A recuperação do mercado automotivo brasileiro chegou e se consolidará em 2018. Essa foi a tônica da maioria dos palestrantes no Congresso Autodata Perspectivas 2018, realizado no começo da semana em São Paulo. As razões derivam da mudança de humor e de confiança – para melhor – tanto por parte dos consumidores como dos empresários.

E é respaldada pelo aumento do volume de crédito, queda dos juros (ainda lenta no caso do financiamento de automóveis), diminuição da inadimplência (no caso há apenas uma tendência ainda não muito firme, segundo as projeções da Ford) e recuperação paulatina do nível de emprego (ver abaixo em Roda Viva).

Continuar lendo

Alta Roda – Automóveis líderes de vendas no Brasil no primeiro semestre

Chevrolet Onix e Prisma nas versões LTZ 2017

Foi uma surpreendente recuperação do mercado brasileiro, acima do esperado. Nos primeiros seis meses de 2017 as vendas cresceram quase 4% em relação ao mesmo período de 2016. A média diária de comercialização no mês passado superou 9.000 unidades pela primeira vez este ano. Por enquanto os bons resultados concentraram-se nas vendas corporativas, mas o segundo semestre historicamente costuma ser melhor que o primeiro. Confira quais são os automóveis líderes de vendas no Brasil no primeiros semestre.

Continuar lendo

Alta Roda – Influências do passado no automobilismo de competição

Porsche Le Mans

Automobilismo de competição tem demonstrado longo histórico de contribuições aos automóveis convencionais utilizados em ruas e estradas de todo o mundo. Claro que categorias de ponta como Fórmula 1, protótipos do WEC (em inglês, Campeonato Mundial de Resistência) e de Rali desenvolvem projetos sofisticados cujas inovações são bastante caras e dificultam a migração direta para carros do dia a dia.

Continuar lendo

Alta Roda – Aposta dupla: SUVs Renault

Renault Captur Intense 2018

Renault Captur Intense

A suvinização, neologismo para a crescente aceitação de modelos do tipo SUV ou mesmo de crossovers inspirados neles, continua sacudindo o mercado brasileiro. De pouco adianta argumentar que são veículos pesados, gastam mais combustível, têm menor desempenho e centro de gravidade desfavorável. As projeções, no entanto, apontam crescimento, nos próximos três anos, de 15% para 20% na preferência do consumidor. E o fenômeno se repete até na Europa, onde alcançaram 25% das vendas totais.

Continuar lendo

O que esperar do novo Hyundai Creta?

Foto do Hyundai Creta

Novo Hyundai Creta

Ótimas vendas e um duro trabalho aos concorrentes. Isso é o que eu espero do Hyundai Creta, novo SUV da marca coreana que chega ao mercado na segunda quinzena de janeiro de 2017 em cinco versões, custando entre R$ 72.990,00 e R$ 99.490.

Continuar lendo

Alta Roda – Conceitos em choque no Brasil

Quando surgiu o Ford EcoSport em 2003 os concorrentes demoraram a reagir. A Renault só lançou o Duster em 2011. Depois o mercado de SUVs compactos não parou de crescer, ao avançar sobre outros produtos com certa afinidade como station wagons e monovolumes. Vieram Chevrolet Tracker, Honda HR-V, Jeep Renegade e Nissan Kicks. Começou, então, um fenômeno de migração, quando os pequenos utilitários avançaram também sobre os hatches médios-compactos. Os conceitos estão em choque no Brasil!

Chevrolet Cruze Sport6 2017 na versão LT Continuar lendo

Alta Roda – Apelo otimista no Salão do Automóvel de São Paulo

O Salão do Automóvel de São Paulo, que vai até o próximo dia 20, será marcado não apenas pelas novas instalações amplas, modernas e pelo conforto do ar-condicionado (apenas nos primeiros dois dias, para imprensa, houve pane). É uma das edições com maior número de lançamentos, reestilizações, exercícios de criatividade e marcação de tendências. Houve um esforço dos expositores em levantar o moral dos compradores abatidos pela situação política, econômica e do desemprego no País. A mensagem subliminar era que o pior já passou e chegou a hora de levantar a cabeça.

Continuar lendo