Alta Roda – Salão do Automóvel de Genebra e dos sonhos

Foto do Salão de Genebra

Salão de Genebra

Uma das melhores edições nos últimos anos do Salão do Automóvel de Genebra fecha suas portas no próximo domingo (19) com um legado de tirar o fôlego. Foram tantas novidades, carros-conceito e de sonhos, revelação de tendências e veículos especiais, que visitantes terão dificuldades de relatar tudo o que viram.

Na véspera da abertura, a General Motors anunciou a venda de sua subsidiária alemã Opel ao Grupo PSA (Peugeot, Citroën e DS), que passa ser o segundo em vendas no mercado europeu. E no período da mostra o Grupo Volkswagen e a Tata assinaram, na Índia, um memorando de colaboração, em geral primeiro passo para voos mais altos no futuro.

Continuar lendo

Alta Roda – Pensamentos alternativos

O Salão do Automóvel de Frankfurt, o maior do mundo em área locada de exposição, inverteu o clima de pessimismo observado há dois anos em razão da crise financeira mundial. A feira estará aberta até este domingo, 25/9, e reflete um cenário de vendas mundiais de veículos em ascensão, embora no continente europeu os resultados não estejam bons, à exceção da Alemanha, o que ajudou a mostra.

Volkswagen/Divulgação

Continuar lendo

Sugestões de modelos frutos da parceria entre Fiat e Chrysler

Arte de Ricardo Tadeu/Reprodução da internet/ revistaautoesporte.com.br – 22/1/09

Muito interessante esta parceria entre a Fiat e a Chrysler. Os italianos vão receber 35% das ações da montadora norte-americana. Em troca, investimentos de reestruturação e reforma das fábricas da Chrysler nos EUA serão feitos. Ou seja, as ações serão trocadas por investimentos. Por contrato, a Fiat pode aumentar a sua parcela de ações em até 55% no futuro.

Na prática, a Fiat vai ajudar a Chrysler a sair do buraco. Mas como? Ela vai ajudar na criação de motores menos poluentes e mais eficientes, na adoção de técnicas que diminuem os custos de produção e na criação de plataformas mais modernas. Mas o que a Fiat ganha com isso? Ela poderá, finalmente, entrar num dos maiores mercados do mundo. Os modelos da marca seriam vendidos nos Estados Unidos pela Chrysler. Mas ainda não sabemos quais carros chegarão às ruas e quando eles vão ser lançados.

Fiz uma pesquisa e selecionei alguns modelos que considero competitivos para o mercado dos EUA.

. 500: Seria uma aposta mais nostalgica para concorrer com modelos como o Volkswagen New Bettle, (finado) PT Cruiser e Chevrolet HHR. O 500 chegaria já em 2010, sendo o primeiro Fiat nos EUA nessa nova fase;
. Linea: Entraria para concorrer com os “sedãs pequenos” vendidos nos EUA, como o Civic;
. Bravo: Seria um concorrente para os carros menores, como o Golf (Rabbit por lá);
. Sedici: Outra aposta, em especial para quem precisa de um carro menor, menos poluente, com tração nas quatro rodas;
. Ulysse: Este seria um opção para concorrer com os carros familiares, como o Toyota Siena e o Chrysler Town & Country.

Vale lembrar que todos os modelos da marca italiana precisariam ser adaptados para atender às rígidas normas de segurança norte-americanas, “segundo as quais os faróis precisam ser do tipo ‘sealed beam’ e os pára-choques reforçados para suportar impactos mais fortes que os europeus exigem para seus carros serem devidamente homologados” (texto entre aspas da revista Car Magazine).

E você, o que achou da parceria entra a Fiat e a Chrysler? Vai dar certo? Quais modelos da marca italiana você acha que poderiam ser vendidos nos EUA?

Atualização (26/01):
A imprensa nacional e internacional já está especulando quais modelos da Fiat vão ser vendidos nos EUA. Entres os cogitados, como eu já falei no post, o primeiro seria o Fiat 500. Outro seria o uma nova geração do Panda; acompanhado do Alfa Romeo Mi.To, além de um sedã para substituir os fracos Avenger e Sebring, que não vendem bem.